PLACAR

Djokovic revela tensão no estádio com a chance de triplo 6/0

Foto: Peter Staples/ATP Tour

Melbourne (Austrália) – Dominante pelas oitavas de final do Australian Open, Novak Djokovic cedeu apenas três games ao francês Adrian Mannarino neste domingo em Melbourne. Mas apesar da enorme disparidade no placar, o sérvio revelou ter lidado com uma carga extra de pressão em alguns momentos da partida. Isso porque, ele abriu um duplo 6/0 nas duas primeiras parciais, e o clima do estádio acabou ficando tenso diante da perspectiva de o jogo terminar sem que o francês fizesse um único game. O número 1 do mundo e decacampeão do torneio diz que era difícil manter o foco naquela situação, mas que isso melhorou depois que o rival finalmente confirmou um game de saque no início do terceiro set.

“A tensão no terceiro set hoje foi tão grande, se ele iria ganhar um game ou não. A torcida queria que ele fizesse um game e voltasse para o jogo. Quase senti que seria bom entregar um game, só para poder reiniciar e me reorientar, porque a tensão aumenta à medida que a partida avança sem que ele saísse do zero”, disse Djokovic após a vitória por 6/0, 6/0 e 6/3 sobre Mannarino. “Foi difícil para ele, mas também para mim. Eu não podia pensar no triplo 6/0. Então, sim, fiquei feliz por ter resolvido isso no 1/1 do terceiro set. Isso me ajudou a me concentrar no que preciso fazer para encerrar a partida”.

O sérvio foi perguntado se ele se lembra de ter vivido situação parecida em quadra. “Acho que não estive muitas vezes em situações como esta de hoje, em que abri 6/0 e 6/0. Lembro só de uma minhas primeiras participações em Roland Garros, quando joguei contra o Robby Ginepri, lembro que tinha 6/0, 6/0 e 3/0 até ele fazer um game”, comentou sobre uma partida disputada em 2005 e que terminou com o mesmo placar deste domingo, 6/0, 6/0 e 6/3.

Depois de ter passado por jogos longos nas duas primeiras rodadas, Djokovic está cada vez mais satisfeito com seu nível de tênis. “Acho que joguei muito bem no geral, especialmente nos dois primeiros sets. Na verdade, não queria dar nada de graça desde o início. Apenas o fiz trabalhar em seus games de serviço. Já nos meus games, eu sempre conseguia ganhar pelo menos um ou dois pontos diretamente com meu saque. Fiz mais de 15 aces e também uma porcentagem bastante alta de primeiros serviços”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“Foi uma ótima partida contra um adversário sempre complicado, é um jogador muito pouco ortodoxo, que tem um backhand muito reto, usa muito bem seu talento e toque para te deixar em uma posição muito desconfortável na quadra. Ele te faz trabalhar para cada golpe. Mas me preparei muito bem e executei meu plano perfeitamente”, avaliou após sua quinta vitória contra o francês. Ele enfrentará o norte-americano Taylor Fritz nas quartas.

Ao ser perguntado sobre como manter o foco e a motivação em partidas com esse roteiro, ele explicou: “Eu amo o jogo, adoro competir. Sou apaixonado por isso. Trago muita energia e muito entusiasmo nas semanas de treino tentando ficar em forma para para competir com os melhores tenistas do mundo. Estar separado da família me machuca cada vez mais. Essa é a parte com a qual luto mais agora. Tento equilibrar as coisas trabalhando com minha agenda de uma forma e calendário que seja adequado para mim. Acho que conquistei o direito de escolher que tipo de torneio quero jogar”, comenta o jogador de 36 anos.

“Adoro a emoção de enfrentar um break-point ou de ter um break-point. Não sei por quanto tempo esses momentos vão durar. Depende de coisas diferentes. Mas ainda estou aqui, ainda estou me divertindo. Grand Slams são Grand Slams. Não há muita motivação adicional que você precise, além de fazer parte dos torneios mais históricos”, acrescenta o número 1 do mundo, que garante não para de jogar enquanto seguir competitivo.

“Ja falei sobre isso algumas vezes no ano passado. Sinto que, sendo o número 1 e ainda jogando em alto nível, não tenho vontade de deixar o tênis nessa posição. Quero continuar. Quando eu sentir que não sou capaz de competir no mais alto nível com os caras e ser um candidato aos títulos de Grand Slam, então provavelmente considerarei me aposentar. Mas isso pode mudar, obviamente. Não sou mais um adolescente. Tem muitas coisas acontecendo na vida privada fora das quadras que eu gosto, que exigem minha atenção, minha presença, minha energia. Mas ainda sou muito abençoado por estar onde estou. Vamos ver até onde isso vai”.

Leia mais:

Djokovic passeia e iguala recorde de Federer nas quartas

29 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

A cabeça do tenista é muito estranha! O cara ficou tenso na eminência de aplicar um triciclo? Entendi em partes, mas no geral entendi foi é nada! kkkkkk

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Fernando Venezian ,meu caro penso o seguinte acho que Djokovic ficou com dó do fraquíssimo e PÉSSIMO Manarino e ele pensou que se ganhasse com triplo 6×0 poderia abalar a mentalidade do Manarino, por isso tirou um pouco o pé no terceiro set e depois elevou um pouco pra fechar em 6×3. Agora além de jogar muito Djokovic e merecer onde esta o sérvio tem muita sorte em sorteios, já tem mais d 2 anos que ele só pega moleza até às quartas, mas ele não tem nada com isso é sorte de campeão mesmo e os deuses do tênis o querem que ele continue fazendo história.

Evaldo Medeiros
Evaldo Medeiros
1 mês atrás
Responder para  Flávio

Ele só pega moleza mesmo, por isso que ele é o maior tenista da história. Rsss

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Evaldo Medeiros

Evaldo Medeiros tu entendeu o que eu disse, pois é se não entendeu aprenda a interpretar rapaz para não pensar asneiras aqui.

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
1 mês atrás
Responder para  Flávio

discordo do “fraquíssimo e PÉSSIMO Mannarino” – o placar aplicado se deve ao total o mérito do sérvio, que soube sustentar as longas trocas de bolas, praticamente sem cometer erros. Mannarino já está em final de carreira, mas, joga um tênis plasticamente muito bonito, e não chegou a terceira rodada por ser fraquíssimo…

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Antônio Luiz Júnior

Antônio Luiz Júnior, desculpa cara mas Manarino é muito fraco sim,pois a carreia dele é assim e numas oitavas de final de Slam o cara toma bicicleta aí não dá, ou seja, ele jogou que nem moça( igual tênis feminino) hoje e foi uma vergonha pra ele,que o grande Djokovic ficou com dó dele.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás
Responder para  Antônio Luiz Júnior

Assino embaixo!

João
João
1 mês atrás

Ele deve ter lembrado do Bellucci ,daí a tensão

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  João

24 > 0 Big Titles.

Alessandro Siqueira
Alessandro Siqueira
1 mês atrás
Responder para  João

Quando o cara é bom, nem pneu o abalada. Sai do 6/0 e ganha o jogo, para o desespero dos haters. Ah, vamos perguntar ao Bellucci quem é o maior?

Mario
Mario
1 mês atrás

Grande tenista. Mas sem carisma. Iria entregar um game. Nojo. Asco

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Mario

O que é mais importante: a opinião de Mario que ele não tem carisma ou os inúmeros recordes e títulos do goat? Estou em dúvidas.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Deitas e rolas por aqui não é mesmo Paulinho ? . E pelo visto muito mal acompanhado …kkkkk. Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Kkkkkk

Helton
Helton
1 mês atrás
Responder para  Mario

O problema dele é que ele é sincero.

Ambrósio B. Horn
Ambrósio B. Horn
1 mês atrás
Responder para  Mario

Mario! Você é viúva do Federer ou do Nadal? Ou de ambos?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Mario

Você está errado. Não é “grande tenista”, é o GOAT de todos os esportes.

Carisma é relativo e não significa nada, apenas números significam.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Mario

Mario acho que já mudou cara, vejo que Djokovic tem carisma sim só que uma parcela ainda lembra de Nadal e Federer e aí fica um pouco complicado, mas eu vejo que já esta mudando e hoje se notou que o sérvio ficou com dó fracote e péssimo Manarino, pois se ele quisesse teria feito um triplo 6×0 humilhante.

Adriano
Adriano
1 mês atrás

Deu pra entender a preocupação dele, pois com certeza a atmosfera no estádio estava de dó do frances e se Djokovic aplicasse um cruel triciclo, acredito que a grande maioria que estava ali o colocaria como um vilão e ele proprio. Djokovic também.
Parece loucura, mas acontece dessas com o ser humano.
Só acho que ele não deveria ter falado que entregaria algum game, é o tipo de coisa que o tenista nessa situação precisa decidir fazer ou não, mas não deve se pronuncia sobre isso. Senão tudo que ele tentou evitar, no fim acaba acontecendo pelas suas palavras.

Leo realista
Leo realista
1 mês atrás

Tinha algumas pessoas achando que o Mannarino iria dificultar, eu logo cravei que seria fácil em 3×0. É um ex-jogador em atividade que deu um ultimo suspiro de bom tenis nos ultimos meses. E além disso, o estilo de jogo dele não funciona contra o do Djokovic

Paulo
Paulo
1 mês atrás
Responder para  Leo realista

Mano o cara vai pra BR #17 na segunda feira. Ex jogador em atividade? Onde? Os jogos não casam, ok. Mas falar essa asneira aí não dá né amigo. MANNARINO tá na melhor fase da carreira, deu asar de pegar o Djoko voando.

Antonio Carlos
Antonio Carlos
1 mês atrás
Responder para  Leo realista

O cara é top 20 e ex-tenista em atividade. Onde está o Gardenal para esse homem?

Elton
Elton
1 mês atrás

Tem pessoas que leem o que querem ler….

Resumindo…
Esse é o cara..
Espero que aposente lá no topo, não deixe para fazer igual o Nadal e Federer cair no ranking, tem que passar o trono, não ser exumado kkkkkkkkkkkkk

Elienki Hasamel
Elienki Hasamel
1 mês atrás

Qual o mistério em torno de Djokovic? Mistério no sentido de que como pode está jogando em tão alto nível já rumando pros 40? Seus haters aqui dirão que é dopping e coisas do tipo. Mas recentemente recebi uma informação que me fez ligar alguns pontos interessantes que envolvem os assuntos de meu interesse. Não vou falar aqui diretamente porque vão dizer que estou viajando na maionese ☺️ mas para mim talvez tenha alguma ligação. Só direi que o sérvio foi a um local que é fonte de poder ou energia que os cientistas ainda não compreendem e é sabido que uns anos atrás aí ele andou com um guru que até chegou a acompanha-lo junto do seu staff. Isso é estranho para muitos, ou não, dependendo da pessoa que sabe dessas coisas e observa, mas digo que tem alguma relação e o sérvio deve ter tido alguma orientação para ir a tal lugar. Ou então ele foi lá só como curioso, entusiasta, como alguém que de certa forma se interessa só por conhecimento mesmo ou o quê?!

Abel jr
Abel jr
1 mês atrás
Responder para  Elienki Hasamel

Deve ter sido abençoado pelo místico de Ratanabá

Elienki Hasamel
Elienki Hasamel
1 mês atrás
Responder para  Abel jr

Nesse caso aí, não. Ele nem passou mais no Brasil depois do calote que deram nele (mais uma das grandes vergonhas desse “país”, diga-se!) Quanto mais na amazônia

André Barcellos
André Barcellos
1 mês atrás

Caracas. A dificuldade de interpretação de texto de alguns da galera daqui transcende o normal. Djoko falou de uma situação atípica, em que o placar não revela o que está nas entrelinhas da contagem ou do jogo.

Vinicius
Vinicius
1 mês atrás

Fico imaginando o mannarino sabendo que o djokovic ficou com pena dele a ponto de pensar em entregar um game para ele. Uma completa humilhação

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Vinicius

Pois é Vinicius o Manarino deu um vexame pior do que da Bia, pois tomar bicicleta nas oitavas de slam é uma vergonha, alías só não tomou um triplo 6×0 porque Djokovic ficou com dó do fracote Manarino que jogou igual tênis feminino hoje.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE