PLACAR

Zverev: “Não sabia como agir em determinados momentos”

Foto: FFT

Paris (França) – Por mais que fosse considerado o favorito para a partida de estreia contra Rafael Nadal em Roland Garros, Alexander Zverev teve de lidar com muitos obstáculos para confirmar essa condição e avançar na chave. Além de enfrentar o maior campeão da história do torneio numa quadra em que apenas outros dois jogadores já haviam conseguido derrotá-lo, o alemão também precisou encarar a ansiedade e jamais esquecer que do outro lado da rede estava um grande competidor, ainda que longe das condições físicas ideais.

Diante de todo esse cenário, Sascha confessou que foi difícil saber o que fazer em certas ocasiões, especialmente após concluir a vitória por 3 sets a 0, ficando até um pouco constrangido. “Foi um dia especial. Sinceramente, não sabia como agir em determinados momentos, principalmente no final do jogo. Não se sabe se ele retornará no próximo ano ou não, deve jogar a Olimpíada, mas há dúvidas sobre Roland Garros”, comentou o número 4 do mundo.

O alemão ainda elogiou a atuação de Nadal, reforçando o quanto o espanhol conseguiu evoluir ao longo do ano até aqui. “A melhora que ele obteve nos últimos meses foi incrível, comparando com o nível que mostrou hoje. Sinto que foi um jogo muito bom. Se ele continuar saudável, jogará melhor e acredito que será cabeça de chave novamente, facilitando sua trajetória nas competições”, opinou.

Novo torneio começa agora

Para completar o assunto Rafael Nadal, Zverev ressaltou a influência do espanhol em sua carreira e lamentou que esse encontro tenha acontecido tão cedo. “Vi o Rafa jogar toda a minha infância e tive a sorte de jogar contra ele quando me tornei profissional e duas vezes nesta quadra linda. Para mim, um novo torneio começa agora. Estranho que essa partida tenha sido na primeira rodada. Todo o mundo do tênis falava desse jogo desde sorteio. Agora tenho que manter o foco, pois ainda há muitos bons jogadores pela frente”, frisou.

Sobre o atual momento, vindo de título em Roma e como cabeça de chave 4, Zverev sente que está em grande fase e relembra o momento vivido há dois anos, quase se lesionou gravemente no tornozelo, justamente em uma partida contra Nadal na Philippe Chatrier, pela semifinal de 2022.

“Me sinto bem na quadra, não vou mentir. O nível de dois anos atrás também era extremamente alto quando jogamos. Acho que a partida que joguei contra Novak na Olimpíada [em 2021] estaria no mesmo nível do dia em que venci Federer e Djokovic consecutivamente no ATP Finals”, lembrou sobre os triunfos na campanha rumo ao primeiro título do torneio que reúne os oito melhores do ano, em 2018.

Leia também:

“Tive chances reais de mudar o jogo”, avalia Nadal

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Burigoto
Burigoto
17 dias atrás

Em tom de despedida de R.Garros, Nadal fez o seu melhor, competiu, lutou, mostrou toda sua resiliência e classe em quadra, mas perdeu para seu fisico que msotra estar exausto. Ficou evidente que no tenis atual é preciso estar 100% em todos os aspectos. Zverev com 27 anos alem de estar em excelente forma fisica seu jogo esta sólido e vem numa crescente. Valeu o show que os dois nos proporcionaram hoje. Desejo que Nadal jogue nas olimpiadas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE