PLACAR

Tênis masculino brasileiro mostra renovação

Com certeza, é uma renovação bem mais lenta do que a maioria de nós gostaria, mas os números comparativos entre as temporadas 2022 e 2023 do tênis masculino brasileiro marcam uma evidente ascensão dos jogadores que estão na faixa máxima de 25 anos. E isso certamente é uma boa notícia.

Em 2022, o Brasil terminou com 50 nomes listados no ranking de simples da ATP, quatro a menos do que agora, porém aumentou a qualidade. Mantivemos apenas um nome no top 100 (antes Thiago Monteiro, agora Thiago Wild), mas elevamos de dois para três entre os 200 mais bem colocados, de oito para nove entre os 400 primeiros e de 13 para 14 na faixa dos 500.

O mais relevante é que a nova geração aparece com mais destaque. Entre esses que conseguiram ficar entre os 500 mais bem posicionados, o indicativo anima: dos 13 no ano passado, oito tinham no máximo 25 anos e seis, 23 anos. Agora, vimos um aumento importante. Do total de 14, 11 têm até 25 anos e sete, 23 anos. E um pouco mais atrás aparecem nomes que precisamos dar voto de confiança, casos de João Fonseca, Gabriel Décamps, Igor Gimenez, Mateo Reys e João Eduardo Schiessl.

Wild foi, de longe, o nosso nome mais expressivo e o de salto de maior expressão. Terminou a temporada 2022 como 386 e avançou para 79, um progresso de 207 posições que foi ressaltado até pelo balanço anual da ATP. Entre os nossos quatro top 200, também evoluíram Felipe Meligeni (19 postos, indo a 148) e principalmente Gustavo Heide (169 posições, parando em 247). A exceção foi do quase veterano Thiago Monteiro, que recuou 51 e foi de 71º para 122º. Importante lembrar que Wild tem 23 anos, dois a mais que Heide e dois a menos que Meligeni.

O pessoal na faixa dos 400 primeiros também mostrou melhoria, embora apenas Gilbert Klier seja um nome da nova geração. Com 23 anos e uma temporada perdida por suspensão, ainda avançou 253 posições e terminou num bom 356º. Pedro Sakamoto reagiu de lesão e recuperou 392 lugares, indo a 339, e Orlando Luz segue na batalha, subindo de 530 para 368. Houve estagnação de João Lucas Reis (313, apenas quatro acima de 2022) e queda de Matheus Pucinelli, que era um promissor 211º há 12 meses, mas sofreu com contusões e irregularidades e despencou para 340º.

Por fim, no complemento dos nosso 500+, Eduardo Ribeiro e Mateus Alves tiveram progressão muito discreta (410 e 428, respectivamente), enquanto Nicolas Zanellato, de 21 anos, ganhou 158 posições e Pedro Boscardin, 20 anos, caiu 61. Vimos ao mesmo tempo uma série de nomes da ‘velha guarda’ com quedas acentuadas, casos de Danielzinho Silva, Zé Pereira, Oscar Gutierrez e Wilson Leite, cujos rankings atuais dificultam a entrada até em challengers.

Vale por fim destacar uma turma da nova geração que está abaixo do 700º posto, mas que tem qualidade para fazer um 2024 bem mais empolgante. Décamps era 279º e perdeu incríveis 436 postos fruto de uma parada proposital para recuperar o mental. Fonseca avançou 105 postos e iniciará o ano como 727º, com direito a convites para challengers e quem sabe até ATPs, o que pode lhe dar subida veloz.

Em temporada de experiência, Schiessl, de 19 anos, pulou 740 postos e é 890, enquanto Reyes, de 22, está pouco à frente, como 842, ascensão de 393 postos. Já Gimenez. de 23, está em 769, finalizando o ano 154 passos à frente. Outros dois caíram, embora tenham margem para reação: João Victor Loureiro e Lorenzo Esquici.

Um calendário forte de challengers pequenos e médios ajudará muito os brasileiros e nisso se incluem até Monteiro e Meligeni, que precisam evoluir para tentar diretamente os Slam de Roland Garros em diante. Por isso, é muito bom saber que em janeiro já teremos três na América do Sul: Buenos Aires (dia 8), Tigre (15), Punta del Este (22) e Piracicaba (29), sendo os argentinos de categoria 50 e os outros, 75. Por conta dos ATPs, o calendário de challengers em fevereiro está no entanto em branco.

Pior situação viverá a turma que depende dos ITFs, já que so há dois de US$ 25 mil previstos na América do Sul nestes dois primeiros meses, ambos em Punta del Este e em fevereiro.

53 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás

A renovação é lenta, mas da parte dos torcedores, a coisa é sempre a mesma: querem tudo magicamente rápido, como se as coisas caíssem do céu. A cobrança não para. As críticas, menos ainda.
Vitoria Barros e João Fonseca são grandes esperanças. Mas vamos “devagar com o andor, que o santo é de barro”. A transição para o profissional é uma incógnita. Quantos e quantos juvenis brilhantes sumiram no profissionalismo?
E por falar em incógnita, deveriam ter criado, no balanço anual, a ” incógnita do ano”. Vencedor: Sr. Rafael Nadal.

Sandra
Sandra
2 meses atrás

Dalcim, afinal a Halep e culpada ou inocente ? Essa história está muito mal contada

Fernando S
Fernando S
2 meses atrás
Responder para  Sandra

É uma questão puramente científica, como o Dalcim mencionou de uma maneira diferente. Nada de subjetividades aqui.

Rafael
Rafael
2 meses atrás

Grande matéria,que os nossos tenistas possam cada vez nos dá alegria.
E cadê o cabelo de boneca ?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Rafael

Se for quem eu estou pensando, acho que magoou e ‘se mancou’… depois de ter levado N invertidas, fora os agora recentes feedbacks negativos.

Paulo A.
2 meses atrás
Responder para  Rafael

Acho que ele sofreu um atentado perpetrado pelos haters de plantão…

Guilherme Corrêa
Guilherme Corrêa
2 meses atrás
Responder para  Paulo A.

Paulo
Ser de opinião contraria não faz de ninguém “hater”.
Abs

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
1 mês atrás
Responder para  Guilherme Corrêa

Guilherme, ter opiniao contraria e ser critico, nao significa virar um espirito de porco. O hater e apenas um tipo de Pessoa ressentida Com a Vida e que desconta sua frustacao em pessoas que nao conhece.

Guilherme Corrêa
Guilherme Corrêa
2 meses atrás
Responder para  Rafael

Esse sumiu de forma estranha. O Dalcim já confirmou q ninguém foi bloqueado e acredito nele. Todavia fico achando q o Pelc talvez fosse um perfil fake.
De todo modo era uma presença meio autoritária e se achava dono do espaço. Sei lá, um cara muito esquisito e infantilizado.

Thiago Silva
Thiago Silva
2 meses atrás
Responder para  Rafael

Deve ter sido internado num manicômio, nos últimos meses tava mais surtado que o habitual.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Thiago Silva

Será? Pois eu acho diferente. Ele deve ter ido pra Oslo ( Noruega) por ter sido indicado ao Nobel da Paz. Aliás… o Brasil nunca ganhou o Nobel, mas com ele, o da Paz está garantido!

Gustavo
Gustavo
2 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

O prêmio Nobel da paz é político…
É capaz de darem para o hamas…

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
2 meses atrás
Responder para  Gustavo

Ou Israel

Gustavo
Gustavo
2 meses atrás
Responder para  Rodrigo Lightman

Ah, claro, os dois são equivalentes mesmo…

Jorge Luiz
Jorge Luiz
2 meses atrás

Será que o Reyes se contundiu, no seu melhor momento da carreira simplesmente sumiu, faz uns três meses ou mais que não joga

Christiano
Christiano
2 meses atrás

A evolução é lenta, porém constante. Um fator relevante da evolução dos nossos tenistas se dá em razão de que boa parte dos pontos obtidos por eles se dá em torneios fora do continente Sul-Americano, mas ainda no saibro. Torneios no Leste Europeu (Bósnia, Croácia, Turquia, Sérvia), norte da África (Tunísia, Egito) e Europa Central (Alemanha, Itália, França) nos últimos 3 anos. Esse ano, houve alguns resultados bons na quadra dura em torneios no Caribe e Norte da África. Aos poucos também nossos tenistas vão se conscientizando a jogar mais também na quadra dura, não só ficar na zona de conforto. Italianos, Argentinos e Espanhóis já estão entendendo isso e estão colocando mais tenistas entre os 1000 do mundo em razão disso. Principalmente os italianos nessa equação aí.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
2 meses atrás

Rafa e o bom senso passam longe um do outro. O cara nem sabe se terá fisico suficiente pra encarar a longa temporada de saibro, com direito a jogos olímpicos e ja anuncia q irá a um ATPzinho 500. Claro q é um torneio importante p ele, venceu 12x lá, mas nesse momento se arriscar num evento que vale pouco perto de outros e sempre desgasta muito, acho uma estupidez. Mas calendário bem planejado num foi o forte dele mesmo, então deixemos a coisa rolar…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
2 meses atrás
Responder para  Luiz Fernando

Tu com a eterna mania de menosprezar com ATPzinhos e afins . Nadal em seu provável tour de despedida, tem todo o direito de escolher Torneios onde se realizou mais . Três anos sem ir na sua segunda casa no Saibro, agora vai . Não deixaria de ir a Madri também. Ainda não confirmou Monte Carlo e provavelmente não irá mesmo sendo um” Milzinho” , caríssimo SR , Nobre , L.F . 1 . Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
2 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Será q vc daria liberdade de eu emitir o q eu penso? Vc é tão sem noção que sempre age como se só a sua visão fosse a correta. Mas quem sabe um dia não entra entra um amendoim naquele local atrás dos seus olhos e preenche algum espaço. Abs falsos como os seus.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Comentário de quem levou uma virada vergonhosa pra variar rs . Rafa no tour Final vai jogar o que é melhor pra ele . Pouco interessa o amendoim de quem quer que seja , se é que me entendestes. Sei que pra ti é sempre difícil kkkkkk. Abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Luiz Fernando

Ué… deve ser pra pegar ritmo. Como que ele vai já entrar ‘de sola’ em RG?

Luiz Fernando
Luiz Fernando
2 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Nossa pensei q ele jogaria MC, Madri e Roma, será q não? Q comentário hein Maurício, vc fez curso intensivo com o SR kkkkkk????

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
2 meses atrás
Responder para  Luiz Fernando

Não, tu é que não fizestes curso algum. Tua incapacidade de entender qualquer comentário é assustadora. Se passasse na moderação, colocaria direitinho o que acho do teu conhecimento sobre o esporte …kkkkkkk. Abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Luiz Fernando

Não estava sabendo que ele vai entrar nestes 3 torneios aí. Na verdade, nem sei se ele divulgou o calendário. Você, como fã incondicional, acredito estar + bem informado do que eu.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Fã incondicional de quem, meu caro. De Rafa ou do ” goat ” ? rs. Nadal ainda não definiu o Calendário. LF 1 chuta que ele vai em todos os MASTERS 1000 , a ida a Valência já mostra que o rapaz está pra variar equivocado… Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Vc é sempre brilhante, ele vai disputar o ATPzinho e não o ATPzão kkkk. Nunca imaginaria isso kkkk. Abs

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Sérgio, que eu saiba, o LF é fã incondicional do baloeiro. E acho que ele só vai definir mesmo o calendário dependendo do desempenho nos primeiros jogos. Ao menos é o que se espera de um tenista com um mínimo de bom senso.

Rafael
Rafael
2 meses atrás

Olá Dalcim e todos! Ainda estou me acostumando com as mudanças. Li que foram planejadas para deixar a experiência no celular mais agradável, mas eu, que acompanhava majoritariamente pelo note, achei tudo um pouco estranho. De toda forma, a vida continua.
Dalcim: Já foi falado aqui, mas uma coisa que ficou muito ruim é ter que ler sempre o primeiro (e os que vem depois) comentário(s) toda vez que se entra. Tipo o UOL, onde alguns postam coisas como “primeirão!” Estou começando sempre pelo último e vindo para trás. Votar nos comentários também ficou estranho. Várias vezes fala que eu já votei naquele comentário e não votei, outras diz que eu não tenho permissão para votar, apesar de ter sido publicado há algumas horas. Outra: Enquanto você vai digitando o comentário, a verificação captcha expira automaticamente, não faz muito sentido.
Todas essas são observações construtivas, a experiência não está a mesma.
Mas tá valendo, abraços a todos, feliz fim de ano!

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
2 meses atrás
Responder para  Rafael

De acordo, Rafael.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
2 meses atrás
Responder para  Rafael

Verdade nobre Rafael !! Estou tentando dar um joinha na sua postagem, mas a plataforma erroneamente expõe a seguinte mensagem ” Você já votou para este comentário”.
Também concordo que seria interessante que as postagens mais recentes sejam disponibilizadas logo após o texto do Dalcim, igualmente era antes das novas mudanças.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
2 meses atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Tem um detalhe nisso também: estou vendo agora, um número 7 entre as duas mãozinhas. Não sei se são 7 positivos ou 7 negativos.

Gustavo
Gustavo
2 meses atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

O 7 tá verde então é positivo.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Gustavo

Em meu computador não aparece cor!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
2 meses atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Não entendestes ? Jura???. Basta olhar para os meus . Sempre TODOS em vermelho. Saberias que turminha poria até o celular do cachorro pra votar contra … Kkkkkk. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
2 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Tenho 5 cachorros.

Rsrsrs, abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

Boa!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Tô achando que quando se vota em um comentário, o sistema recusa votar em outro, ao menos no mesmo dia.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
2 meses atrás

O site acaba de postar a excelente notícia de um calendário robusto em 2024, com vários torneios espalhados pelo país, isso traz esperança aos tenistas que buscam grana, pontos e experiência.

Wilson Teodoro Peixeiro
2 meses atrás

É fascinante perceber como a renovação no tênis brasileiro desperta paixões e reflexões. A trajetória dos jovens talentos, como Vitoria Barros e João Fonseca, traz à tona não apenas o potencial promissor, mas também os desafios inerentes à transição para o profissionalismo. Concordo com a cautela expressa por alguns comentários, lembrando-nos da incerteza que essa jornada pode envolver. Quanto à complexa situação de Halep, evidencia a necessidade de uma abordagem ponderada e justa por parte das instâncias esportivas. Além disso, a dinâmica online, com a discussão sobre a presença de usuários específicos, ressalta a importância do respeito e da diversidade de opiniões para um diálogo construtivo. Estou animado para acompanhar o desdobramento dessas narrativas e as conquistas que certamente virão.

Oswaldo Euclydes Aranha
Oswaldo Euclydes Aranha
2 meses atrás

Estamos chegando ao fim de mais um ano, quero agora desejar ao Dalcim, que nos proporciona este espaço de troca de idéias sobre o tênis e atá sobre outros assuntos, Boas Festas e mais um ano de sucesso e a ele e aos demais participantes, até os detratores, um abraço amigável.

vinicius
vinicius
2 meses atrás

dalcim quando veremos suas preferencias de melhores do ano?eu sei que tu posta o resultado e em cima comenta seu favorito comparando com vencedor.
quando sai o seu?
feliz natal e feliz ano novo para vc e sua familia e que 2024 seja um ano bom no tennis brasileiro e internacional.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
2 meses atrás

Dalcim e participantes do blog, desejo a todos um feliz natal e um ano novo repleto de paz, saúde e realizações. E muito tênis, claro!!!

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Da mesma forma, nobre Luiz Fernando!
E que a maior e melhor rivalidade do Tênis (e talvez do desporto como um todo) possam ter mais capítulos em 2024!
Com alguns deles em pisos rápidos, para um melhor equilíbrio de condições hehehehe!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Paulo F.

Meu caro amigo, forte abraço. Hj o Djoko teria um amplo favoritismo em qualquer piso. Quem sabe isso não muda até Maio kkkk…

Evaldo Aparecido Moreira
1 mês atrás

Bom dia,
Tirando o foco um tiquinho de post, mestre Dalcim teno acompanhado, desde o anúncio do retorno de Rafa Nadal. Interessante que ao ver o vídeos dele, dos treinamentos com Gasquet/Fils/Munar.
Achei o começo meio lento, o que é natural, forehand andou um pouco, o backhand sem tanta força e andando pouco, o que é natural, até pela recente cirurgia. Mas dai em diante, aos poucos ele foi mostrando a tenacidade, melhorando as moviementações, jogo de pernas, e por ai vai..
Mestre Dalcim, minha pergunta é bem simples: O que vc achou destes treinamentos, tendo em vista a melhora dele, dá para se ter uma boa perspectiva para a temporada de 2024 ?
Eu gostei do que vi até agora, e vc mestre???

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

Evaldo, você me desculpe a intromissão, mas treino não é parâmetro pra nada. E se na hora do ‘vamos ver’, ele cai com um Sinner, Alcaraz, e até Nole? O desempenho depende também de qual adversário está do outro lado. Bom dia.

Evaldo Moreira
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Mauricio, não se desculpe, fique a vontade, tem a sua opinião e respeito. Vi os treinos dele, e achei interessante a evolução dele, uma é os caras que treinaram com ele, e disseram que que está em alto nível. Bom alto nivel de que mesmo!?
Mas na humilde opnião, é que este tem parâmetro sim, para algumas coisas que vi, então d[a para ver que o Nadal está tentando de todas as formas, chegar pelo menos num bom nível fisico, parte técnica está boa, agora é consistência e pegando o ritmo de jogo.
Já que o mestre não rspondeu, então penso que ele deva está elaborando um novo texto sobre o momento do espanhou, ou não né.
Abs, Mauricio

Evaldo Aparecido Moreira
1 mês atrás

Essa Emma Raducannu
Esta totalmente perdida no gerencimento da carreira, na verdade, não sabe nem o quer de fato, foco que é bom, totalmente fora, e está voltando agora, nos treinamentos.
Está recorrendo ao seu antigo treinado na infância, pasmém, e ainda tem mais um com ela, o tal indiano que esqueci o nome, acho muito dificil ela voltar ao que era antes.
Na verdade, falta tudo, ou seja, de um staff completo, tipo do frandes tenistas que tem, temos os exempos de Sinner e Alcaraz, que contam com um staff por trás deles, organizando tudo.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Saiu o pôster de Roland-Garros 2024 feito por Paul Rousteau que usou inteligência artificial.

Os chatos dirão que parece o naufrágio do tênis francês.
Os queridos, deixem o tênis inundar Paris com seu sol laranja
Os mal humorados, q teria sido bom colocar um jogador…

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
1 mês atrás

Ha alguns anos nao tinhamos nem 10 tenistas entre os 500 primeiros do ranking, apesar de chegar a ter 3 top 100, Bellucci, rogerinho, monteiro. Particularmente acho o circuito desgastante fisica e psicologicamente. Estive no challenger de buenos aires em abril e vi varios Brasileiros treinando. O fato e que chega Uma Hora se vc nao tiver o psicologico la em Cima vc Cai. Eles nao tem oportunidade de convivio Com a familia, muitas vezes Com o financeiro no limite, e muito dificil manter a motivacao. Os atletas europeus por exemplo tem a oportunidade de estar perto de casa todo o tempo e e muito mais barato o circuito Para eles. Torco muito e acompanho semanalmente os challengers e ITF e sempre temos alguns destaques. Para muitos falta consistencia nos resultados, Mas e dificil avaliar as dificuldades. Que 2024 nos traga muitas alegrias.

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
1 mês atrás

Olhando para um passado recente, enxergamos a evolucao de forma mais evidente. Ha poucos anos nao tinhamos 10 jogadores entre os 500 do Mundo talvez ate menos. Sim chegamos a ter 3 top 100 Com o Bellucci ( que e fora de série), o rogerinho e o monteiro, Mas pra tras acho que so o feijao, o ghem e o Pereira. Agora temos varios buscando resultados. Diferente dos jogadores Europeus e Norte americanos, nossos jovens passam muito tempo sem a familia e Com Uma estrutura minima, o que e desgastante fisica e psicologica. O nosso caminho e mais complicado e por isto temos que valorizar os resultados que obtemos. Vamos torcer por um 2024 muito melhor que 2023 e pior que 2025. Forca guerreiros.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals