PLACAR

Sakkari vence longa batalha com Gauff e repete a final com Iga em IW

Foto: Katelyn Mulcahy/BNP Paribas Open

Indian Wells (EUA) – Assim como já havia acontecido na temporada 2022, a final do WTA 1000 de Indian Wells será entre Iga Swiatek e Maria Sakkari. Depois de uma vitória muito tranquila da número 1 do mundo sobre Marta Kostyuk no início da rodada desta sexta, Sakkari foi muito mais exigida na partida contra Coco Gauff. Atual nona do ranking, a grega superou a norte-americana Coco Gauff, terceira colocada, por 6/4, 6/7 (5-7) e 6/2. O jogo teve 2h41 de duração, além de outras duas interrupções por chuva, uma delas muito longa, com mais de duas horas, após o primeiro set. A vitória poderia até ser mais tranquila, já que a grega teve 5/2 no segundo set e três match-points.

Aos 28 anos, Sakkari alcança sua décima final no circuito e a segunda em Indian Wells. Dois anos atrás, ela ficou com o vice, sendo superada justamente por Swiatek na decisão. Ainda assim, a grega lidera o histórico de confrontos contra a polonesa por 3 a 2, mas as jogadoras não se enfrentam há quase dois anos. Em torneios WTA 1000, ela tem um título no ano passado em Guadalajara e dois vices. A grega ainda venceu o 250 de Rabat em 2019.

Em Indian Wells, a grega inicia um trabalho com o técnico David Witt, ex-treinador de Jessica Pegula, e que substitui o britânico Tom Hill, encerrando uma parceria de seis temporadas. A final na Califórnia ainda não muda o ranking para Sakkari, que permanece na nona posição. Mas se ela for campeã do torneio, recupera mais três posições, ultrapassando Qinwen Zheng, Marketa Vondrousova e Ons Jabeur. A grega chegou a ser número 3 do mundo há duas temporadas.

Por sua vez, Gauff encerrou a melhor campanha de sua carreira em Indian Wells, superando as quartas de final da temporada passada. Com 20 anos recém-completados na última quarta-feira, a ainda jovem norte-americana tem sete títulos e um vice-campeonato no circuito da WTA. Em torneios de nível 1000, foi campeã de Cincinnati em agosto, três semanas antes de conquistar seu primeiro Grand Slam no US Open.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Primeira classificada para a decisão de Indian Wells, Swiatek está com 22 anos e já vai para sua décima final de WTA 1000, com sete títulos e dois vices. A polonesa tem 18 conquistas no circuito mundial e disputará sua 23ª final. Campeã de Indian Wells em 2022 e semifinalista do ano passado, a atual número 1 do mundo já vai abrir mais de 2 mil pontos de vantagem para a segunda colocada Aryna Sabalenka na próxima atualização do ranking.

A partida começou com games rápidos e domínio das sacadoras. Depois de ter passado por muita instabilidade em seu jogo das quartas, contra a chinesa Yue Yuan na última quinta-feira, quando fez 17 duplas faltas, Gauff confirmou os quatro primeiros games de serviço de forma tranquila, mas não conseguia ameaçar o seviço de Sakkari. Quando a norte-americana liderava por 4/3, a partida teve sua primeira interrupção por chuva.

Na volta, a grega confirmou o serviço e logo depois conseguiu a única quebra do primeiro set, em um game muito longo e com poucos primeiros serviços em quadra e frequentes erros de Gauff com o forehand. Em vantagem no placar pela primeira vez, Sakkari fez mais um ótimo game de serviço, executou uma boa curtinha para chegar ao set-point e definiu a parcial na sequência. A tenista que é conhecida por seu jogo agressivo e de muita potência nos golpes trabalhava os pontos com mais paciência. Gauff chegou a receber atendimento da equipe médica do torneio para aferição da pressão arterial no fim do primeiro set. E logo no início da segunda parcial, voltou a chover, forçando uma nova interrupção da partida. Ao fim do set, as jogadoras tinham o mesmo número de winners, 6 para cada lado, mas 16 erros da norte-americana contra 9 da grega.

Quando o jogo foi retomado pela segunda vez, mais de duas horas depois, Sakkari continuou muito bem e não demorou para conseguir mais uma quebra no início do segundo set. Gauff teve dois break-points, mas novamente o forehand escapou em uma das chances e a grega reverteu o game com uma sequência de ótimos primeiros serviços em quadra. Ela abriu 3/1, e ainda fez mais um bom game de saque para abrir 4/2 no segundo set. No game seguinte, Gauff fez duas duplas faltas e permitiu à grega ampliar a vantagem no placar.

A um game da eliminação, Gauff foi para o risco e passou a jogar de forma bastante agressiva. Ela devolveu uma das quebras e ainda fez um bom game de serviço logo na sequência, diminuindo a diferença para 5/4. O técnico da norte-americana, Brad Gilbert, manifestou-se brevemente e pediu para ela “continuar lutando”. Já quando Sakkari teve segunda oportunidade de sacar para o jogo, escapou de um 15-40, mas depois perdeu três match-points. O game continuou e Gauff voltou a quebrar. A definição ficou para o tiebreak e a norte-americana soube aproveitar o momento favorável para igualar a partida e forçar o terceiro set.

O terceiro set começou com games longos e oportunidades para os dois lados. Foram três quebras nos quatro primeiros games, sendo que Sakkari ainda escapou de mais três break-points e chegou a abrir 4/1 no placar. E apesar da duração da partida e do desgaste, as jogadoras vinham sustentando ralis longos com muita intensidade.

Ao vencer os pontos mais importantes do set com maior frequência, a grega foi retomando a confiança e o domínio das ações em quadra. E com isso, voltou a abrir 5/2 no placar. Ela chegou a mais dois match-points, e desta vez não deixou a oportunidade escapar. Sakkari fez mais winners no jogo, 28 a 19, e cometeu 33 erros não-forçados contra 50 de Gauff. O jogo teve nove quebras de serviço, 6 a 3 para a grega. E a norte-americana teve baixo aproveitamento em seus 14 break-points. Gauff fez 3 a 2 nos aces e cometeu 7 duplas faltas contra 4.

40 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Ricardo
Ricardo
29 dias atrás

Que ela consiga superar Swiatek! Árdua missão, mas seria a coroação de uma nova postura com ese novo técnico que deve ter trabalhado muito o lado mental.
E calar os haters misóginos que circulam por aqui no site!!

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Ricardo

Não foi só o lado mental que melhorou um pouco e sim mais a parte técnica usando alguns slices e curtas, pois ela não sabia fazer isso e parece que o novo técnico esta fazendo bem a ela, agora quando se falava a verdade dos números dela você ainda teima .né Ricardo porque não sabe diferenciar os números e ainda sugere misoginia que não tem nada a ver.

Ricardo
Ricardo
29 dias atrás
Responder para  Flávio

A carapuça serviu direitinho
Como dizem…O peixe morre pela boca

Viviane
Viviane
29 dias atrás

O que uma mudança de técnico, e principalmente, de postura, não faz. A sensação que eu tinha ao ver a Sakkari jogar é de que ela já entrava nos jogos sabendo que ia perder. Vamos ver como será contra a Iga.

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Viviane

É viviane eu sempre critico a perdedora acomodada Sakkari porque era merecido, agora parece que ela esta variando um pouco o jogo e isso pode ser um bom sinal para a carreira dela, agora ela vai enfrentar a Iga, que só joga na grosseria porca, eu não sou adepto do tênis feminino porque é limitado, mas como a Sakkari esta apresentado algo novo acho que vai ser interessante ela vencer a final.

Ricardo
Ricardo
29 dias atrás
Responder para  Flávio

Tava demorando pra dar as caras

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Ricardo

Ricardo você não sabe o que é tênis e entende tudo errado, pois não sabe analisar uma crítica baseada nos números, portanto dá uma seguradinha aí para não viajar.

Viviane
Viviane
29 dias atrás
Responder para  Flávio

Poxa Flávio, mas vc não gosta mesmo da Iga, né? Não tem um comentário que você não critique o jogo da moça haha.

Ricardo
Ricardo
29 dias atrás
Responder para  Viviane

Todas mulheres, beira a misoginia

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Viviane

Não é isso Viviane é que o jogo dela é muito limitado pra quem é a número 1, agora eu a reconheço que ela é uma vencedora e sempre disse isso aqui que é mérito dela, pois só com 22 nos e já ganhou 4 slams e outra dezenas de títulos precisa ser enaltecido, agora a minha crítica é no seu jogo que é feio demais ou você não percebe isso? Logo para quem é a número 1 deveria apresentar mais recurso técnico e jogar só na pancadaria, sem recurso técnico, não é legal pra a imagem do tênis feminino tanto é que isso incomoda muito o público por isso não a prestigia direito, então moça eu não detesto a Iga ,pelo contrário acho ela uma mulher diferente e simpática ,que alguns não acham, a minha crítica a ela é só no seu jogo mesmo. se a Sakakri esta evoluindo um pouco na técnica, então a Iga também pode, basta querer para trazer a maioria do público ao seu lado.

Fabio Duarte
Fabio Duarte
29 dias atrás

A Sakkari é uma guerreira, não desisti nunca, acho que vai levar o troféu, torço muito por ela

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Fabio Duarte

Fabio como eu disse antes, agrega é uma perdedora e muito acomodada, mas parece que o novo técnico esta trazendo novos rumos ao seu tênis ao variar o seu o jogo com alguns slices que talvez a Bia precisa disso também, então a grega nem usava slices assim deixa o seu jogo um pouco mais vistoso, agora vai enfrentar a jogador mais consistente do tênis feminino, embora só joga na grosseria porca não dá pra negar que a Iga é a mais consistente, mas como a Sakkari esta se esforçando pra evoluir vai ser interessante se ela vencer, assim quem sabe com algumas derrotas a Iga pare de jogar só na grosseria.

Fabio Duarte
Fabio Duarte
29 dias atrás

A Sakkari é uma guerreira, não desisti nunca, vai levar esse troféu

Fernando Venezian
Fernando Venezian
29 dias atrás

Podem falar o que for, que a grega é limitada e afins, mas vira e mexe ela belisca um grande resultado! Assim ela vai ficando entre as top ten “sem merecer” por séculos rsrs

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Fernando venezian só um grande crítico da grega, mas ele esta se esforçando ao mudar seu jogo usando slices e variando o seu jogo que nunca usava, parece que o novo técnico esta lhe fazendo bem e isso seria uma alerta para a Bia pra que mude d e técnico também.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
29 dias atrás
Responder para  Flávio

Flavio, ela melhorou muito seu jogo

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Pois é Fernando Venezian, parece que o novo técnico fez bem para a grega e pode fazê-la entender que todos podem pensar grande e pensar em conquistas, basta acreditar que é possível e espero que a Bia repense nisso também, pois todos nós estamos sujeitos a evoluir na vida.

Fabio
Fabio
29 dias atrás

Será que é a hora da grega hein? Saca Sakkari!

Rodrigo Soares
Rodrigo Soares
29 dias atrás

Mudou o técnico e começou a jogar bem. Sugestivo o.o

Carolina
Carolina
29 dias atrás

Sakkari está bem sólida nesse torneio tem grandes chances de ganhar da Iga

Paulo A.
Paulo A.
29 dias atrás

Que jogaço! E revertendo as expectativas, deu Sakkari, que está jogando melhor. Torcerei por ela na final.

Aristoteles
Aristoteles
29 dias atrás

Pior que tem gente que fala que ela não tem tênis pra estar entre os 10, excelente tenista, que claramente estava travada, assim como ela fez e vários outros, a Bia já passou da hora de mudar de treinador, trazer algo novo pro trabalho/treino/jogo.

O realista
O realista
29 dias atrás
Responder para  Aristoteles

O negócio é isso, buscar evolução. Nossa compatriota estagnou e deveria se espelhar nisso e buscar uma mudança.

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  O realista

Exatamente e aprender a usar slices e variar o jogo, pois ficar só na pancadaria grossa como a Iga é desmotivante.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
29 dias atrás
Responder para  Aristoteles

verdade , tem um tal de Flavio que esculhamba com todas , especialmente com a Iga e com a Sakari como se ele soube-se muito de tenis….

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Luis Ricardo

Que esculhambo o que rapaz, você não sabe nada de tênis e fica aí com suas terraplanices idiotas apenas analiso o jogo e baseio nos números, e quando critico uma determinada jogadora é por causa da circunstância e não por causa da pessoa, pois o que eu eu posso fazer se é verdade o que falo, enquanto eu critico a Sakkari,que era uma perdedora e acomodada e vivia no ranking enganoso que os números mostram isso, e não tenho culpa se é verdade é a mesma coisa da Iga, que só joga na grosseira, ora é verdade só que você não aceita enxergar isso e viaja em bobagens sem sentido. Agora no caso da Iga, eu sempre disse aqui que ela é uma vencedora com méritos isso não tem como negar, mas o que eu critico é o seu jogo que é feio mesmo porque é só na pancadaria grossa e como ela é a número 1 deveria variar mais o jogo para não afastar o público ,tanto é que você ver aí que o público no tênis feminino é pequeno ou você vai insistir em negar isso? Então o público gosta de jogo vistoso ,no caso da Sakakri é que era uma conformada e não pode ser assim, agora a mudança de técnico parece que foi um acerto dela pois esta variando o jogo com slices, que antes nem usava ,e acho que seria interessante a Sakkari vencer o jogo grosso da Iga que poderia significar novos rumos no tênis, e se a Iga colher algumas derrotas pode fazê-la evoluir tecnicamente seu jogo.

Ricardo
Ricardo
29 dias atrás
Responder para  Luis Ricardo

Isso! Odeia mulheres

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Ricardo

Tá vendo Ricardo, não tem anda a ver o que você postou porque não odeio mulheres, entende-se que você e um tal Luiz viajam tanto que acaba ficando em órbita e não sabem interpretar, já disse cara qualquer um tem o dom da interpretação.

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Aristoteles

ARISTOTELSES não tinha mesmo não porque se comportava como uma perdedora, e para quem é top 10 ficar acomodado ao ranking enganoso era merecido as críticas, agora ela esta evoluindo ao variar seu jogo usando slices, nunca usava, parece que o novo técnico o fez entender que ela precisava variar seu jogo e acho que seria interessante ela vencer a Iga, que só joga na grosseria,

Luis Ricardo
Luis Ricardo
29 dias atrás

grande jogo a Sakari esta jogando muito neste torneio , mas torcerei pela Iga .

Flávio
Flávio
29 dias atrás
Responder para  Luis Ricardo

Luiz Ricardo, acho que a Sakkari seria mais merecedor,pois ela esta se esforçando com o novo técnico ao variar seu jogo com alguns slices que ela nunca usava ,agora a Iga continua com seu jogo de muita grosseria e se ela colher algumas derrotas poderia mudar o seu estilo que nem a Sakkari.

José Andrade
José Andrade
29 dias atrás

Pra ficar bom de vez, é só ganhar da polonesa chata, cheia de caretas.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
29 dias atrás

Flavio, comentarista extremamente pretencioso que dá suas opiniões aqui neste espaço e critica quem dá opiniões diferentes da dele, dando a entender que ele é o maior expert quando o assunto é o esporte chamado tênis. Com relação à Iga Swiatec, eu a vejo apenas como uma jogadora de estilo diferente, baseado na potência. Mas, além da potência, ela tem muita técnica e precisão, capaz de jogar a bola fora do alcance da adversária. E com certeza ela está buscando evoluir e acrescentar novas habilidades ao seu jogo. Achar feio ou bonito o jogo da Iga é questão de gosto pessoal. Eu, particularmente, gosto do jogo da Swiatec, valorizo muito a eficiência que ela tem, e se existir quem não goste do jogo dela, eu respeito. Não quer dizer que quem não gosta do jogo da Iga não entenda de tênis. O difícil é ter coerência e explicar como um jogo feio e baseado na pancadaria como o da Iga Swiatec, consegue levá-la a tantas conquistas, tantas semanas como nº 1 do ranking e tantos sets ganhos por 6 a 0. Pra quê buscar ter um jogo elegante, mudar seu estilo natural, se o seu estilo original está trazendo tão bons resultados?

Flávio
Flávio
29 dias atrás

Ora discordar é normal, ou não pode Carlos? Aliás há quem concorde comigo e outros não isso é absolutamente normal, assim como eu concordo com alguns e discordo de outros só em relação a um tal de Luis e Ricardo esses dois aí que são difíceis ,pois não sabem interpretar ao confundir com falácias sem ideia só porque apresento argumentos baseados em números que é verdade e eles parecem que não sabem ou não aceitam isso. Agora você falou porque a Iga ganha ao referir pancadarias, então já expliquei aqui que acho que é por causa da sua ótima consistência física que é a melhor de todas as tenistas disparada, e isso faz com que ela consiga seus objetivos usando jogo feio só pancadaria de pouco recurso técnico, mas você deixou um vazio no seu comentário ao falar da técnica ao dizer: ” Capaz de jogar a bola fora do alcance da adversária” que isso pra mim não é técnica e sim um mecanismo de força que ela executa muito bem usando sua explosão física, de fato, é uma habilidade boa dela, pois força e saque quase todos(feminino e masculino) sabem fazer isso, alguns sabem usar melhor e outros não, mas técnica não é isso e sim variar o jogo, não sou só eu que digo isso e sim comentaristas ou ex-jogadores , então técnica, a meu ver, ou como eles diziam é saber usar: slice, curtas, volear, lob que no momento a polonesa não sabe fazer ou não apresentou isso, a não ser ser ás vezes subir á REDE que só isso eu acho pouco pra quem é a número 1. Portanto até o Sinner entendeu que é importante variar o jogo e ele disse isso que com o passar do tempo fará isso algumas vezes porque sabe que é importante. Agora você disse ,que acho verdade, que seu estilo simples traz resultados, de fato, é isso mesmo, mesmo ela praticando um tênis limitado consegue atingir objetivos, mas para quem carrega o número 1 é muito pouco se basear só nisso e usar um pouco de técnico é agradável e não cobro que a Iga ou a maioria delas sejam igual os homens, pois seria injusto da minha parte exigir isso delas apenas seria viável um pouquinho de técnica que acho que elas podem apresentar isso. Abraço.

Felipe Matheus
Felipe Matheus
29 dias atrás

Perfeito seu comentário, o cara (Flávio) se acha o maior entendedor e crítica o jogo mais vencedor e eficiente da atualidade, apenas por que não gosta do estilo, não passa credibilidade alguma, uma completa falta de sentido mudar o que está dando certo.

Flávio
Flávio
28 dias atrás
Responder para  Felipe Matheus

Felipe Matheus vencedor e eficiente é mesmo e já disse isso aqui n vezes, então querendo ou não você acabou repetindo o que eu disse diversas vezes sem querer kkkkk. Agora você deve ter visto o grande jogo que acabou há alguns minutos entre Sinner x Alcaraz, com algumas variações técnicas de jogo que levanta o público, então rapaz não resta dúvida que senão tiver um produto interessante não trará público, pois se não tiver público a premiação pode ficar comprometida em outros torneios e lembro que na época da Barthi ,essa faz falta demais, o público prestigiava muito mais o tênis feminino e tinha vontade de vê-la jogar conquistando títulos porque ela jogava bem com qualidade e todos esperam evolução da Iga, que é a número 1 por merecimento, porém apresenta estilo de jogo igual uma top 30 ou 40 .

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
29 dias atrás

Olá, Flavio. Eu apenas tenho uma opinião diferente da sua. Com relação à Iga, concordo que ela tem uma grande consistência física e explosão muscular, e acho que tem também uma grande capacidade de cobertura da quadra e domina a técnica do deslizamento em quadra, o que facilita chegar nas bolas. Existem várias habilidades e técnicas no jogo de tênis, mas o(a) jogador(a) não precisa dominar todas elas pra ter sucesso. Se ele(a) é excelente em uma ou outra habilidade pode ser suficiente pra ser bem sucedido(a). No caso da Iga, além de imprimir força/potência na bola, acho que ela tem técnica sim, no movimento do punho/pulso em que ela consegue direcionar a bola de forma precisa dentro da quadra e fora do alcance da adversária. Quanto à posição no ranking, ela é consequência dos resultados que o(a) tenista consegue na carreira. Não existe um estilo de jogo padrão para um(a) tenista jogar só porque ele(a) é lider do ranking. Eu valorizo muito mais os resultados do que o estilo de jogo. Desde que os resultados sejam obtidos dentro das regras do jogo, o importante, no caso o tênis, é chegar o mais longe possível nos torneios. Abraço.

Flávio
Flávio
28 dias atrás

Tranquilo e entendo seu ponto de visita Carlos Alberto Ribeiro da silva que foi bem argumentado, agora você deve ter vista o grande jogo que acabou há alguns minutos entre Sinner x Alcaraz, com algumas variações técnicas de jogo que levanta o público, então não resta dúvida que senão tiver um produto interessante não trará público, Agora você lembra da Barthi,pois é faz muita falta, pois ela jogava bem com qualidade vencendo torneios e na sua época levantava o público, por isso que dar pra jogar com qualidade (homem ou mulher) não importa se vai ser com pouca ou muita, pois faz bem a todos e ajuda a valorizar mais o tênis, principalmente o feminino, que após a saída da Barthi ficou um pouco desprestigiado e espero que um dia volte. Abraços pra ti.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
28 dias atrás
Responder para  Flávio

Eu tenho a impressão de que os jogos da Iga atraem o público sim. Vou me atentar aos detalhes para ver a participação do público daqui pra frente. Nos jogos da Iga, o que mais torço é para que a adversária consiga impor dificuldades para ela. A Marta Kostyuk, por exemplo, vinha ganhando das adversárias com autoridade e aí foi jogar contra a Swiatec e acabou sendo dominada com facilidade. Então, quando um(a) jogador(a) é muito dominante, não é bom pra atrair audiência para o tênis. O jogo entre o Sinner e o Alcaraz foi um grande jogo. Com certeza, esses dois grandes líderes da nova geração têm muitos recursos técnicos e a tendência é que passem a dominar o circuito masculino daqui pra frente. Tomara que apareçam outros jogadores pra rivalizar com eles. Quem sabe o João Fonseca seja um deles. Ele é cinco anos mais novo que o Sinner, mesma diferença entre o Federer e o Nadal. E a Ashleigh Barty faz muita falta sim. Era uma jogadora de muita técnica, que se dava bem em todos os pisos. Por isso, conseguiu três títulos de Grand Slam, cada um num piso diferente. Pena que resolveu se aposentar tão nova e no melhor momento da carreira. Abraços

Flávio
Flávio
28 dias atrás

Pois é Carlos Alberto Ribeiro ver jogos vistosos faz diferença para o público, agora você citou Sinner e Alcaraz,incluiria nessa lista o Hoone, embora esteja oscilando ele tem boas qualidades, Djokovic, Nadal que estes 2 têm qualidade mas estão em fim de carreira e no caso do Tsitsipas ,Dimitrov que são um dos poucos do genial backhand de uma mão que possuem qualidade mas são inconstantes, É isso e agora é final, e espero bons jogos. Abraços e até lá, fui.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE