PLACAR

Luca Nardi, 123º do mundo, entra de lucky-loser e derruba Djokovic

Luca Nardi (Foto: Peter Staples/ATP Tour)

Indian Wells (EUA) – O italiano Luca Nardi protagonizou a maior surpresa do Masters 1000 de Indian Wells e uma das mais impressionantes na atual temporada do circuito. Depois de entrar na chave como lucky-loser, o jovem de 20 anos e 123º do mundo eliminou o número 1 do mundo e pentacampeão Novak Djokovic, com parciais de 6/4, 3/6 e 6/3 em 2h20 de partida nesta segunda-feira.

Durante o quali, Nardi havia vencido o francês Terence Atmane, mas perdido do ex-top 10 belga David Goffin. O italiano herdou uma vaga na chave que era do argentino Tomas Etcheverry, por lesão no tendão da coxa, e acabou entrando já na segunda rodada. Logo de cara, eliminou o top 50 chinês Zhizhen Zhang. Seu próximo rival será o norte-americano Tommy Paul, 17º do ranking, que mais cedo venceu o francês Ugo Humbert por duplo 6/4.

Antes da partida desta segunda-feira, Nardi não escondia a admiração por Djokovic e afirmou que tinha um pôster do ídolo sérvio em casa. E duas semanas atrás, antes de jogar em Indian Wells, havia perdido na segunda rodada do challenger de Bengaluru, na Índia, para o tenista local Ramkumar Ramanathan, 462º colocado. O melhor ranking da carreira do jovem italiano é o 106º lugar.

Djokovic não perdia para um tenista de fora do top 100 há mais de dois anos, quando foi superado pelo tcheco Jiri Vesely em Dubai. Curiosamente, Vesely era o 123º do mundo naquela semana. Em torneios Masters 1000, a derrota mais recente do sérvio para um tenista nessa faixa de ranking era de 2018, para o japonês Taro Daniel. O jogador de 36 anos disputou apenas seu terceiro torneio na temporada e o primeiro desde o Australian Open, acumulando oito vitórias e três derrotas em 2024.

No último sábado, Djokovic já havia precisado de três sets para vencer o australiano Aleksandar Vukic, 69º do ranking. Aquela foi sua vitória de número 400 em torneios Masters 1000. O sérvio tem 1.095 vitórias na carreira e precisa de apenas mais cinco para se tornar o terceiro tenista profissional com mais de 1.100 triunfos em competições da ATP. Os recordistas são Jimmy Connors e Roger Federer. Também nesta semana, o sérvio completou 416 semanas como número 1 do mundo, o equivalente a oito anos no topo do ranking.

O primeiro set da partida teve apenas uma quebra de serviço, conquistada por Nardi ainda no início. Firme em seus games de serviço, o italiano não enfrentou break-points na parcial e aproveitou a única oportunidade que teve. Após 44 minutos de disputa, as estatísticas eram equilibradas, 11 a 9 em winners para o italiano, que fez só um erro a mais, 13 a 12.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A reação de Djokovic foi imediata. Logo na abertura do segundo set, ele saiu vencendo por 2/0. O sérvio voltou a ter momentos de oscilação com o saque, encarou um game longo, com cinco break-points, e permitiu o empate, mas voltou a quebrar e abriu 5/2. Nardi salvou dois set-points no saque, mas não evitou a perda da parcial no game seguinte. O italiano ainda fazia mais winners, 9 a 7 no segundo set, mas cometeu o dobro de erros, 18 contra apenas 9 do sérvio.

Mas Nardi não se deixou abalar pela melhora de Djokovic no placar. Novamente, o italiano não teve o saque ameaçado e esperando pelas oportunidades. Já o sérvio escapou de três break-points logo no início. E pouco depois, voltou a pressionar o número 1 do mundo, aproveitando-se de um game com poucos primeiros serviços em quadra. O italiano foi agressivo nas devoluções. E quando chegou ao break-point, atacou a paralela com o backhand para conseguir a quebra para fazer 4/2. Em vantagem no placar, novamente manteve o sangue frio e não deu chances ao sérvio reagir, consolidando com um ace a grande vitória da carreira. Nardi fez o dobro de winners, 36 a 18, e cometeu 41 erros contra 31.

Leia mais:

Nardi: “Cresci com um pôster de Djokovic no meu quarto”

80 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
José Andrade
José Andrade
1 mês atrás

Grande surpresa pra mim. Mas joga muito esse garoto italiano.

Robson
Robson
1 mês atrás
Responder para  José Andrade

Joga muito mesmo, muitíssimo.
Tanto que na próxima rodada vai tomar um PAU bem tomado do norte americano Paul.

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
1 mês atrás
Responder para  Robson

Kkk.. vou lembrar desse comentário se o Nardi ganhar… vide a fraquissima Paolini que alguém falou.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás

Pela primeira vez tenho impressão de declínio físico do goat. Será?

Sandro
Sandro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Não vi declínio físico de Djokovic… Vi sim um italiano se superando e jogando uma partidaça…

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Paulo Sérgio infelizmente é isso aí mesmo, agora vejo que se DJOKOVIK ganhar mais um slam vai caminhar para o fim da carreira igual esta indo NADAL, então FEDERER já foi e é bom a galera aproveitar os últimos momentos dele e de NADAL, pois não haverá outros.

Leonardo
Leonardo
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Não vi o jogo inteiro, mas do que vi, as bolas do Djokovic estavam mais curtas, quicando na altura da linha do T, e não perto da linha de fundo como ele costuma jogar. Pode ser um dia ruim somente. O declinio fisico já começou tem uns 2 ou 3 anos, mas como o nivel de jogo do Djokovic é muito superior ao dessa garotada, e pelo excepcional preparo fisico que Nole tem, ele consegue compensar, mas cada vez fica mais dificil manter o nivel de intensidade. É normal, a idade chega para todos. Mas esse jogo especificamente não quer dizer nada. Pode ser simplesmente um dia ruim.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Senti falta da profundidade das bolas. Por isso, acho que a idade começou a pesar. Vamos esperar até RG.

Ricardo
Ricardo
1 mês atrás

Ixi será que ele vai dizer que foi a pior partida da vida?
Isso é o que dá não se vacinar…o vírus vai minando lentamente hahaha

Gilvan
Gilvan
1 mês atrás
Responder para  Ricardo

Tem até quadro clínico para isso: a chamada Covid longa.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Gilvan

GILVAN é o fim da carreira que se aproxima, infelizmente é bom aproveitar os últimos cartuchos dele e de NADAL.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Ricardo

Djoko venceu 8 slam desde 2020.
Federer venceu só 4 de 2011 a 2021.

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

O que tem a ver o Federer e o que tem a ver esses períodos?
Vcs dormem pensando no suíço goat, não é?

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

É pq é um federere que se alegra com a derrota do goat.

Porkuat
Porkuat
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Chora não bebê, ano que vem o Djokovic fecha o calendar slam kkkkk

Vinicius Chaves
Vinicius Chaves
1 mês atrás
Responder para  Porkuat

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK tem que ser muito fã cego para falar isso.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Porkuat

24 > 20

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Porkuat

Já tem todos os recordes do tênis e isso é o que importa.

charlie
charlie
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Roger Federer depois dos 35 anos praticamente nem jogou cara. Era problema físico todo mês. Isso tirou muitas chances para ele.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  charlie

Jogou até 2021. Foi campeão de slam na ausência de Djoko em 2017 e 2018. Depois da volta do rei não ganhou mais nada e acumulou derrotas para o rei do tênis em WB 2019 e AO 2020.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  charlie

Mentira: ele foi inclusive o número 1 mais velho da história até agora com 36 anos e 10 meses (será superado por Djoko em 2 semanas).

Os problemas físicos começaram no Australian Open 2020, já com 38 anos e meio.

Kazutoshi Ito
Kazutoshi Ito
1 mês atrás
Responder para  charlie

Charlie o cara (Roger Federer) e dos tenistas e ex-tenistas o cara que continua ganhando mais dinheiros deixando o Nadal e Djokovic no chinelo bem atraz!!!! vamos e venhamos quem e o goat do Tenis? e a pergunta que tem uma resposta muito simples!!!!!!!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Kazutoshi Ito

Se for o lado financeiro, Elon Musk é o goat do tênis.

Gustavo
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Ele é o mais novo dos big 3. Sem referee e Nadal fica mais fácil. Mas Djokovic é monstro

Sandro
Sandro
1 mês atrás
Responder para  Ricardo

Quem se vacinou pega o Corona Vírus e transmite o Vírus da mesma forma de quem não se Vacinou… A Vacina não é um remédio, é uma Vacina…

Ricardo
Ricardo
1 mês atrás
Responder para  Sandro

Caríssimo meu post contém ironia

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás

A idade chegou para o GOAT, é praticamente certo. Mais detalhes na minha postagem no Blog.

Leonel
Leonel
1 mês atrás

Se o Djoko pode perder do Nardi então a Bia pode perder da russa kkkk. Tá tudo normal.

Leonel
Leonel
1 mês atrás

Que dó.que dó. Só colocaram a foto do Nardi nessa matéria. Rsrs. Djoko por favor, já torci muito pra vc vencer mas agora tá ficando patético perder em 1 ou 2 rodada de Master 1000 miiiouuuu. Desapega meirmão. Kkkk. Não é mais nem tiozão , é o Vozão dessa garotada.

Thiago Pereira
Thiago Pereira
1 mês atrás

Começo de ano bem ruím do GOAT. Continua jogando mal, assim como havia jogado na Austrália. Muito errático, bolas sem muita potência,e sem paciência nas trocações de bolas. Não acho que seja só físico, ele simplesmente não está conseguindo jogar bem. Parece que nem está treinando, de tantos erros infantis que vem cometendo em quadra. Talvez seja o princípio do fim,mas prefiro aguardar mais um pouco. Uma coisa é certa, Djokovic competitivo como ele é, não vai aceitar ficar perdendo para qualquer Zé ruela. Se continuar nessa pegada, não duvido que ano que vem ele possa pensar em se aposentar.

Sandro
Sandro
1 mês atrás
Responder para  Thiago Pereira

Semifinalista do Australian Open 2024 jogando mal??? Quantas vezes você chegou à semifinal do Australian Open???

Vinicius Chaves
Vinicius Chaves
1 mês atrás
Responder para  Sandro

Sandro, o Alexandre Cossenza do Saque e Voleio falou que ele jogou mal no AO. Você acha que vou deixar de ouvir um profissional para ouvir você?

Guilherme do ES Ribeiro
Guilherme do ES Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Thiago Pereira

100% de acordo

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás

Se o Djokovic continuar jogando poucos torneios, ficará forma de forma, apanhará muito e perderá a motivação em continuar. Mas é mais provável que ele passará a jogar mais, para se voltar a ser competitivo. Aí vamos ver se ele consegue. Atualmente, tem vários jogando mais do que ele.

De qualquer forma, a quantidade de ótimos jogadores está aumentando nitidamente. A grana que dá para ganhar no tênis profissional aumentou bastante e atrai muito gente, inclusive treinadores. Mesmo que o Djoko jogue mais e melhore, terá de se esforçar muito para ganhar os grandes torneios, na minha modesta opinião.

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  Marcos Ribeiro

Jogadores de elite jogam poucos torneios. Sempre funcionou assim, pq agora seria diferente para ele?

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

Ótimo exemplo de pensamento 8 ou 80 e de dificuldade de ver o que há entre eles!

Mas, com freqüência e principalmente nas coisas do corpo, o ponto ótimo, o equilíbrio, está entre o 8 e o 80. Deu para entender?

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  Marcos Ribeiro

Creio que voce nao entendeu. Ainda mais na idade dele, menos é mais. Ele terá uma melhor performance jogando menos. Se está perdendo jogando pouco, é por outro motivo. Não por falta de ritmo ou rodagem.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

Demonstrou que não há só dificuldade de ver o que há entre o 8 ou 80, também há incapacidade. Num caso destes, é perda de tempo tentar mostrar este amplo espaço.

Lila
Lila
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

Jogadores de elite! Essa é a frase mais sem sentido que já ouvi!

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Marcos Ribeiro

Pode ser isso ai mesmo, mas eu acho que a idade esta pesando e caminhando para o fim da carreira que nem NADAL,INFELIZMENTE.

Jose Carlos
Jose Carlos
1 mês atrás

capaz de o iugoslavo acabar se aposentando ainda antes do Nadal… a decadência chega para todos.

José Afonso
José Afonso
1 mês atrás

Os abutres fazem a festa com uma derrota dessas, o número de haters que um GOAT coleciona é enorme, rs.

Mas não é a primeira vez que isso acontece e temos mais 4 Masters 1000 até o próximo Grand Slam, vamos ver como vão as coisas até lá.

melkizedeke
melkizedeke
1 mês atrás
Responder para  José Afonso

Espero e gostaria que vc estive certo, mas, na minha opinião ele já perdeu aquele apetite por torneios, talvez a Olimpíada o motive, e, Wimbledon onde é favorito, os demais, como disseram acima, não irão fazer diferença, e se jogar perderá vários.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
1 mês atrás

Um dos fatores que dificulta a vida do Djokovic é que os seus adversários da nova geração entram sempre muito motivados pra jogar contra ele e sem qualquer responsabilidade. E aí, se tiver um pouco de talento, pode ganhar do Djokovic sim, que está sem ritmo de jogo. O ano de 2024 está abaixo do esperado para o Djokovic, mas vamos ver como será daqui pra frente. Na minha visão ele terá que jogar mais torneios, porque se não fizer isso não conseguirá acompanhar o ritmo dos concorrentes. O Djokovic é um gênio do tênis mas não vai conseguir fazer milagre se jogar poucos torneios.

Leonardo
Leonardo
1 mês atrás

Depois daquela tentativa de exame anti-dopping “surpresa”, Djoko não mais foi o mesmo. Não, eu não estou falando que Djoko usava substâncias proibidas – nem estou falando que ele deixou de usá-las depois desse episódio e que, por isso, decaiu fisicamente -, mas acho que, se ele não recuperar a antiga forma, alguns dos seus “contestadores” (e Djoko, convenhamos, tem muitos) vão explorar essa coincidência para acusá-lo de práticas anti-desportivas e tentar desmerecer parte de seus títulos.

Robson
Robson
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Para de conversar fiado.
Novak Djokovic fez a coleta para o exame naquele dia,porém no final e não na hora que eles queriam.
.
O negócio é que a idade já está pesando ou então ainda não se curou da lesão no braço direito ou então não tem se preparado mais adequadamente para os torneios,como sempre se preparou.
Eu na verdade,acho que se trata de todos estes motivos juntos.

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  Robson

Não adianta nada ter feito depois. Há substâncias que desaparecem com o tempo e o suor da partida. Ter feito depois não o eximiu de nada.

Gilvan
Gilvan
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Eu já tinha dito isso desde o ano passado: depois que a casa caiu para ele no exame anti-doping, o desempenho do Djocovid desabaria.
Parece que ele não era tão natureba quanto pregava.

O realista
O realista
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Tem razão. Depois daquele episódio da fuga do controle antidoping, ele vem caindo de nível.

Wilbert Ferraz
Wilbert Ferraz
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Mas foi exatamente após esse episódio que ele está nitidamente abaixo fisicamente e começou com o papo de jogar menos.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Pronto. Os federetes lunáticos agora acharam uma desculpa para as derrotas do suíço.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Essas teorias da conspiração são patéticas.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Djokovic contraiu a covid ao menos duas vezes. Esta infecção desgasta, muito mais do que os fragmentos do vírus na vacina. Pode estar pagando o preço, em baixas resistência e força. Suas bolas estão meio lentas. Mas a falta de ritmo por jogar pouco também influi em tudo. Acho que não dá para saber o que influencia mais.

Carlos
Carlos
1 mês atrás

Jogou muito o moleque!

Marcos Antonio
Marcos Antonio
1 mês atrás

Nunca vi uma preparação para um Marters com tanta postagem em Instagram com passeios. Foco zero! A vdd é que esses torneios não são mais atrativos para o Nole.

Evair
Evair
1 mês atrás

Esse aí é o tal goat? Que perde pra pangaré de Challenger? Vaza tio, já era.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Evair

24 > 20 slam
420 > 310 semanas como número 1
7 > 6 atp finals
40 > 28 masters 1000
8 > 5 temporadas como número 1
71 > 54 Big Titles

Quem é o goat?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Evair

Sim, ele mesmo é de todos os esportes.

Os números 24, 420, 8, 7, 40, 71 permanecem e não serão ultrapassados, então só resta aceitar.

Porkuat
Porkuat
1 mês atrás

Djokovic, marmitinha da next gen kkkk

Marco Antônio Varella
Marco Antônio Varella
1 mês atrás

Não é que tenha jogado mal, mas o Djokovic jogou como um top 100 e não como número 1. O italiano estava num bom dia, segurou a pressão e venceu com toda a justiça.

Guilherme do ES Ribeiro
Guilherme do ES Ribeiro
1 mês atrás

Djokovic fez uma das piores partidas dele que eu já vi. Muito errático, apressado, desfocado. Mal nas devoluções e nas trocas de bola. Olha, se pega um Sinner jogando assim, seria atropelado. Ainda não jogou bem esse ano. O AO também não teve grandes atuações, a não ser aquele jogo esquisito contra o Mannarino. Precisa voltar ao seu padrão ou vai perder a ponta do ranking para Sinner ou Alcaraz. Será o início do fim?

Daniel Neto
Daniel Neto
1 mês atrás

O imediatismo nos comentários (com tudo) é impressionante.
Me lembra o Rogério Ceni, com mais de 40: defendia uma bola simples, vinham os comentários, do tipo: Esse cara é um gênio, pode jogar por mais 15 (QUINZE!!) anos. Entrava uma bola no gol, sendo culpa dele, ou não: Não dá mais, 40 anos é hora de ir pra casa, deitar no sofá, fazer hemodiálise… etc.
Assim com Federer, já com 29 anos se ouvia isso.
É uma crítica? não, apenas uma constatação da nossa característica humana de olhar o umbigo.

A propósito: Acho que agora o Djoko acabou de vez, hein?! Que derrota acachapante…

andre dalla
andre dalla
1 mês atrás

Talvez o Nole ainda belisca títulos esse ano. Afinal ele é o rei do tênis, os números mostram isso. Acho que a era do big3 está no fim. Com certeza a geração mais dominante da história do esporte. Mas o novo sempre vem e a garotada chegou pra ficar.

Xico Tripas
Xico Tripas
1 mês atrás

Que lindo isso. Fico imaginando os pais desse rapaz. Que alegria.
No esporte e na vida, só vence quem acredita. Tem de acreditar no seu sonho até o fim.

Última edição 1 mês atrás by Xico Tripas
Rocky Balboa
Rocky Balboa
1 mês atrás

Djokovic muito mal, sem agressividade, sem ritmo, deu vários balões pro outro lado…a impressão é que ele não queria estar ali.

Henrique
Henrique
1 mês atrás

Jogou muito e espero que não seja apenas uma centelha. Mas, infelizmente, o tempo está começando a cobrar a conta do Djokovic. Assim, como ele vem fazendo também com o Nadal. O fim de uma era fantástica se aproxima. NAAAUUMM!!!

Leo Pereira
Leo Pereira
1 mês atrás

Djoko ta pesadão, bombado e lento..

Jorge Luiz
1 mês atrás

O segredo para vencer o Djokovic é ser o 123 do mundo

Joselito
Joselito
1 mês atrás

Essa geração de jovens que não fogem do backhand vai dar muito trabalho para o GOAT. Vai ter que estar preparado para todos os torneios que disputar desde a primeira rodada. Não dará mais para ir adquirindo confiança durante o torneio. Foi nítido o desconforto dele com o andar da partida, sem paciência e tentando bater mais forte e errando muito.
Mas também acho que ele não está preocupado com M1000. O que ele quer são os GSs e olimpíadas.

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
1 mês atrás

Sempre que o Djokovic perde uma partida, vem centenas de fãs e seguidores tentar justificar a derrota. O garoto italiano, Luca Nardi fez uma grande partida, e mereceu a vitória, ponto. O tênis é um esporte absolutamente imponderável, haverão dias em que mesmo os grandes campeões estarão em um dia mais errático, menos inspirado (não são máquinas) e vão sofrer alguma derrota. Não é o fim do mundo e nem mesmo o fim da carreira dele. A grande verdade é que toda segunda-feira tem um novo recomeço. Vida que segue, que venha o próximo torneio… Pode ser que no próximo jogo Nardi seja o derrotado, Tommy Paul será um adversário, muito difícil de enfrentar em quadra rápida. Vitória justa e merecida de quem errou menos e jogou melhor, simples assim…

Silvio
Silvio
1 mês atrás

Djokovic..
É o começo do fim…..
Quero ver a desculpa que vai dar. Pois quando perde sempre dá desculpa.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
1 mês atrás

Que sirva de lição, ficar sem jogar, achando que ser o goat basta, não resolve mais
E o garoto que prazer ver em quadra, a escola italiana vem fazendo história

JClaudio
JClaudio
1 mês atrás

Estou lendo a biografia de Ty Cobb (jogador de basebol dos anos 30). Cobb foi uma lenda no esporte que praticou, até hoje ainda tem recordes que não foram quebrados. Era uma pessoa não muito agradável, as pessoas reconheciam Cobb como um vencedor, um fora de série, porém, não gostavam dele, achavam que Cobb manchava o esporte que eles tanto amavam (o tênis tem a mesma arrogância, acha que merece um “campeão” melhor). Djokovic tem muito do Cobb.

melkizedeke
melkizedeke
1 mês atrás

Pode ir preparando a despedida, o DNA está chamando, na temporada será derrotas deste nível ou mais vexatória, se ganha Wimbledon já fez para o gasto.

trackback

[…] de Indian Wells depois de cinco anos, o sérvio Novak Djokovic não conseguiu ir longe desta vez e foi surpreendido na última segunda-feira, caindo na terceira rodada diante do italiano Luca Nardi. O número 1 do mundo elogiou o desempenho […]

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
1 mês atrás

A italianada chegou pra quebrar em 2024… ninguém vê isso???? É o Sinner, a Paolini, agora o Nardi. Algo mudou no tênis italiano pra uma safra tão boa de repente.
De resto vejo que a idade chega pra todos, seja mais cedo ou mais tarde , e tem gente que falava mal do Bellucci… melhor tenista brasileiro após Guga. Agora temos a Bia.

Vera
Vera
1 mês atrás

Djokovic é Djokovic e assim como qualquer outro tem o direito de não brilhar 100 %.É humano. Fica um ensinamento claro, pra se vencer tem que acreditar em si mesmo e não se intimidar com o outro respeitando ao máximo o adversário. Esse garoto o fez e com classe. Parabéns Nardi. Jogou muito.

Marisa
Marisa
1 mês atrás

Djoko não precisa provar mais nada…se tiver cansado, que descanse! Esse trio Federer,Nadal e Djoko sempre foi incrivel e será dificil ter outros jogadores nesse nível.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Marisa

Pois eu acho que terão jogadores melhores, e já podem haver.

Eduardo
Eduardo
1 mês atrás

O Djoko disse dias atrás que a Era Big 3 estava chegando ao fim.
Sábias palavras

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja como foi a espetacular vitória de Fonseca sobre Sonego

Nadal pode ter feito seu último jogo oficial em Barcelona

PUBLICIDADE