PLACAR

Eliminação de Djokovic aumenta as dúvidas para RG

No atual cenário, com a eliminação de Novak Djokovic, em dia atípico, as contusões de Carlos Alcaraz e Jannik Sinner, a incerteza de Rafael Nadal, os títulos de Stefano Tsitsipas, de Casper Ruud, de Andrey Rublev e sem esquecer de Daniil Medvedev e Alexander Zverev, o próximo Roland Garros transforma-se num dos mais abertos dos últimos anos. É claro que ainda há tempo para recuperações e consistências, mas as dúvidas são muitas.

O caso mais emblemático é o de Djokovic. Sua campanha na atual temporada não vem correspondendo às expectativas. Sem contar a United Cup, o atual número 1 do mundo caiu nas semifinais do Aberto da Austrália. Perdeu para Sinner em 4 sets. Pulou Indian Wells e só voltou a jogar em Miami, onde foi eliminado ainda na segunda rodada por Lucas Nardi. No saibro europeu foi as semifinais de Monte Carlo, caiu diante de Casper Ruud e agora em Roma sofreu uma derrota estranha para Alejandro Tabilo.

Nesse jogo o que chamou a atenção foi sua linguagem corporal. Djokovic parecia fora de si, sem energia, raça e vibração. No aperto de mãos junto à rede mostrou-se conformado abrindo um largo sorriso ao adversário. Não é o comportamento normal do sérvio, que luta pela vitória com todos seus recursos e experiências. Nem aquele grito de guerreiro deu para ouvir.

Difícil analisar até que ponto a involuntária garrafada na cabeça interferiu na sua atuação. O próprio Djokovic na entrevista coletiva acenou para uma possível justificativa para a derrota. Mas o seu senso de humor ao aparecer de capacete para treinar deixou a impressão de que o incidente estava superado, sem sequelas.

Não se pode negar também que as mudanças em sua equipe possam estar mexendo com sua cabeça. A saída de Goran Ivanisevic não foi tão amistosa como pareceu a princípio, pois o ex-campeão de Wimbledon e treinador croata confessou a imprensa de seu país que o clima já não estava muito bom entre os dois. Enfim, se a situação está áspera acho mesmo que Djokovic agiu bem ao procurar outro nome para estar ao seu lado.

É claro que Novak Djokovic entrará em Paris como um dos mais fortes favoritos. O próximo Grand Slam também colocará mais um ingrediente na rivalidade em quadra, com o sérvio brigando para manter a liderança com o italiano Jannik Sinner. E com a atual classificação do ranking, Carlito Alcaraz poderá cair tanto do lado da chave do número 1 como do número 2.

A perspectiva é que tenhamos um Roland Garros repleto de emoções. Aliás, fica a torcida para que Nadal decida mesmo jogar em Paris e se recupere da atuação diante de Hubert Hurkacz, em Roma.

13 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Refaelov
Refaelov
11 dias atrás

Eh aquilo, óbvio q é preocupante esse nível de atuação do Sérvio mas, eu n tenho dúvida q ele jamais atuaria com o aparente desinteresse com q atuou em toda a partida nessa R3 em Roma numa rodada de GS..

NFdS
NFdS
11 dias atrás

Nesse cenário, até o nosso Monteirão pode ser candidato ao título. É sério!

Benhamin Goveia
Benhamin Goveia
11 dias atrás
Responder para  NFdS

Dificílimo. Quase impossível. Inacreditável. Impensável, etc… Mas pelo que vem jogando Thiago Monteiro nesses últimos torneios, ele pode surpreender e vencer qualquer um. Então, sim, seria possível ele ser campeão de Roland Garros. Mas, sinceramente, não apostaria um real ou nenhuma única moeda nisso, uma vez que estaria jogando dinheiro fora, pois é 99,99% certo que Monteiro não conquiste esse campeonato. Entretanto seria fantástico se isso acontecesse. Eu mesmo vibraria muito vendo um milagre acontecendo. Seria inesquecível.

Mauro
Mauro
10 dias atrás
Responder para  NFdS

Monteiro nunca chegou nem a final de 250. Está quase com quase 30 anos e vai precisar furar o qualy para entrar na chave.
Sabe quantos homens já chegaram a uma final de Slam vindo do Qualy (na era aberta)? Isso mesmo, zero. Isso não quer dizer que ele não tem chance, mas ele precisa que outros tenistas tenham umas 5 diarréias em dias apropriados

Rafaela Nadalina
Rafaela Nadalina
11 dias atrás

Esse ano o RG já deve ser o primeiro com outsiders. Zverev, Rublev, Ruud e Tsitsipas são os mais capacitados ali na frente, desconsiderando Sinner e Alcaraz, pois não se sabe se terão boas condições físicas. Hurcaks pode encarnar o Soderling e ter um grande desempenho, mesmo não tendo estilo para o saibro.
Medvedev está melhorando sua performance no saibro ou também podemos esperar um saibrista raiz como os sul-americanos que arrebente no torneio

James Garcia
James Garcia
11 dias atrás
Responder para  Rafaela Nadalina

Os argentinos estão carregando a América do Sul nas costas, porém é muito difícil pra furar a bolha do top 10, Sebastian Baez é um dos melhores e mesmo assim teria que apresentar o melhor desempenho da vida pra chegar longe

Hurkacz e Fritz podem surpreender jogaram bem a temporada de saibro, porém acho mais provável que as finais fiquem com o núcleo de cima mesmo

Rafaela Nadalina
Rafaela Nadalina
11 dias atrás
Responder para  James Garcia

Por falar nos hermanos, em 2004 a final foi Guga e Coria. Esta na hora de brasil e argentina voltarem aos grandes palcos. Heheh
Em 2005, o argentino de carreira obscura chegou na final que se iniciou o legado do Nadal.
Estou torcendo por uma final bem inusitada!

Mauro
Mauro
10 dias atrás
Responder para  Rafaela Nadalina

Gaudio e Coria, Gaudio venceu de virada. Guga fez final em 97, 2000 e 2001

Leonardo
Leonardo
11 dias atrás

Os campeões de RG em atividade são Djokovic, Nadal e Wawrinka. Nenhum dos 3 parece em condições de ganhar esse ano. Provavelmente vamos ver um novo campeão. E considerando que Alcaraz e Sinner estão voltando de lesão e que Medvedev não é lá grandes coisas no saibo, existe uma boa possibilidade de RG ter um campeão completamente novo, que não tenha GS, como Zverev, Rublev, Rudd, Hurkacz, Tsitisipas. E não descartaria uma zebra. Antes da era Nadal, RG era o GS que mais produzia zebras, como Gaudio, Andres Gomez, o mesmo Guga em 1997. Vamos ver.

nunes
nunes
11 dias atrás

Sem dúvida será um RG bem atípico e no cenário atual com os problemas de contusão dos principais favoritos, minha aposta é para Sverev ou Tsitsipas!!

Souza Oliveira
Souza Oliveira
11 dias atrás

Relaxa babadjkos o cara é um grande jogador nada vai fazer o sérvio perder esse posto…. Então avanteee Nunca será e tá tudo certo kkkk segue o baile, tudo normal no tênis…. Paz ️️️️

Waldemar
Waldemar
11 dias atrás

Boa noite! DJOKOVIC é uma lenda viva e ainda está no mais alto nível ninguém em sã consciência tem coragem de apostar contra ele em ainda mais em major. Escrevam o que estou dizendo tudo isso feito até agora pelo Dojko não passa de estratégia pois ele aos 37 anos não pode mais dá mole, essa molecada está com fome mais ainda vão ter que comer muito feijão com arroz pra destronar o servio dos Bálcãs, quem viver verá DJOKOVIC vai fazer o melhor Rolam Garros de todos os tempos anota aí. Abraço!

Luciano
Luciano
9 dias atrás

Em Roland Garros é outra história. São 5 sets, é um Major, a luta por mais recordes. Não tenho dúvidas nenhuma que o Novak é o principal favorito. Não interessa se não terá treinador ou preparador físico, enfim… esse cara vai entrar com tudo!

Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.
Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals