PLACAR

Bia sofre de novo com falta de iniciativa

Foto: WTA

O momento de Beatriz Haddad Maia não é nada bom. Sua quarta derrota consecutiva, três delas em primeira rodada de torneios importantes, mostrou alguns aspectos preocupantes, o principal deles a passividade no terceiro set, justamente um dos pontos altos da canhota brasileira nas campanhas do ano passado, quando chegou a estar entre as tenistas que mais venciam na hora da onça beber água, como diria Paulo Cleto.

Foi assim que ela perdeu um jogo um tanto inexplicável para a pouco experiente Maria Timofeeva, na terceira rodada do Australian Open, onde a chave propiciava caminhada longa. Ela já vinha de atuação muito irregular diante de Anastasia Pavlyuchenkova em Adelaide. Enfim, um tênis mais consistente apareceu em Abu Dhabi, onde se aproveitou da fase também ruim de Ons Jabeur, e aí veio aquela dura derrota diante de Daria Kasatkina na semifinal que desencadeou um problema muscular e uma aparente perda de confiança.

A primeira sequela disso foi diante de Xinyu Wang no 1000 do Qatar, mas em Dubai a número 13 do mundo deu sinal claro de ter recuperado seu tênis. Venceu bem o primeiro set diante da sólida Jasmine Paolini – que viria a ganhar o título -, teve chance de fechar ainda no segundo set, mas então a parte mental abriu um buraco tremendo e seu jogo foi ladeira abaixo.

San Diego tem suas particularidades. Está no nível do mar e rodadas noturnas tendem a ser ainda mais lentas. Nada disso parece incomodar o primeiro set de Bia diante da britânica Katie Boulter, 49º do mundo, que conseguiu se impor lá da base apesar do sofrível índice de 42% de primeiro saque em quadra. Faltou pouco para abrir o segundo set com quebra, o que seria importante, mas justamente a recuperação dos dois break-points pareceu soltar a britânica, que passou a jogar cada vez melhor, passou a bater bolas mais retas e atacar devoluções.

A partir da quebra no sexto game, Bia ficou claramente mais acuada. É bem verdade que Boulter fez alguns lances incríveis e sua bola ganhou profundidade, mas também precisa ser colocado na balança a falta de decisão da brasileira em tentar se impor em diversas trocas de bola. Dava a impressão de apostar no erro da adversária, e isso não aconteceu. Chegou a estar 1/5, enfim reagiu quando Boulter ficou tensa para fechar e cometeu duplas faltas, porém não houve tempo para reação.

O saldo da temporada agora é de 6 vitórias em 19 jogos, muito pouco para uma tenista com seu poder de fogo e com seu ranking. Felizmente, os pontos das quartas de 2023 em San Diego só cairão no segundo semestre e portanto não há perda considerável imediata. Resta a Bia aproveitar os oito dias que tem até a estreia em Indian Wells, onde sairá avançada na segunda rodada, para colocar a cabeça e o jogo no lugar.

A outra notícia ruim da quarta-feira foi a queda sem apelos de Thiago Wild para o tênis talentoso de Arthur Fils na segunda rodada de Santiago. O mesmo francês que foi dominado pelo jogo valente de João Fonseca na lentidão do Rio Open desta vez se mostrou bem mais à vontade no saibro, que está longe de ser seu piso predileto. Apostou na consistência e arriscou na hora certa, enquanto Wild jamais conseguiu assumir uma postura ofensiva na partida e cometeu muitos erros lá da base, principalmente de backhand.

Wild é mais um que segue agora para Indian Wells, onde depende de desistências para entrar diretamente na chave principal ou então precisará de duas vitórias no quali.

Para salvar o dia nacional, Rafael Matos ganhou mais uma ao lado de Nicolas Barrientos, Marcelo Melo avançou com Matwe Middlekoop e Felipe Meligeni ganhou vaga no qualificatório de Indian Wells.

45 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Andrade
Andrade
1 mês atrás

Não acho que Bia sentiu a parte mental ou faltou confiança. Katie Boulter foi tecnicamente superior, disparando golpes com bastante potência e profundidade! Acredito que Bia tem condições de permanecer no Top 30 por um bom tempo, mas todo jogo da Bia será sofrido, disputado. No topo do ranking, o tênis feminino, com exceção de duas ou três, apresenta nível bem parecido entre as jogadoras.

Evaldo Moreira
1 mês atrás
Responder para  Andrade

Discordo,
Está falhando sim, e com escolhas não óbvias, e certa passividade na hora do aperto nos sets decisivos…

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Andrade

Mas cara, quando todo mundo faz o jogo da vida contra você, toda hora o adversário é tecnicamente superior, alguma coisa tá errada.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
1 mês atrás

João Fonseca e o Zepelin

João, em seus ombros, iremos colocar toda a esperença de um país, que não irá esperar nada menos de você que o resultado similar ao de Guga, afinal como diria Galvão, somos um país de pessoas simples que merecem ter alegrias, mesmo elas oriundas do esporte, precisamos sempre sorrir, mas saiba João, se você não vencer, ainda seremos felizes, só que será as suas custas, fazendo troça mesmo você sendo o número 21 do mundo, ou então tendo conquistado dois vices na fórmula 1, ou então estando na décima terceira posição do ranking.
João, aconselho você a cada derrota, ouça a voz do povo, que pra nós é a voz de Deus; perdeu? na semana seguinte, comece a dar slices, deixadinhas, troque de técnico, traga um estrangeiro, um marciano, um et.
João, faça sempre um calendário ousado, não faça escolhas medíocres, pois, nós aqui sabemos mais de você que você mesmo.
João, acesse sempre as redes sociais, ali estaremos sempre demostrando o quanto apoiamos você, quanto compreendemos que perder faz parte, iremos mandar ,mensagens de um apoio total e irrestrito, afinal, você com 17 anos, não deveria cansar nunca.

jõao você pode nos salvar, você vai nos redimir, afinal nós aqui do sofá damos pra qualquer um mesmo.
Bendito João!!!!!!
Óbvio até deixar de ser e nós voltamos a jogar o que mais temos, pedras e ……….

Roberto
Roberto
1 mês atrás
Responder para  Marcelo Costa

Um amigo meu diz que ninguém ganha sempre e que não é um cone que está do outro lado

Tom França
Tom França
1 mês atrás

Esoweo que eu esteja errado, mas parece que Beatriz Maia tá começando a trilhar um caminho ladeira abaixo. Não é normal uma atleta chegar onde chegou, e de repente começar a ter resultados ruins. Penso que ela chegou no seu próprio limite.

Jorge Miguel
Jorge Miguel
1 mês atrás

Claramente a bia não tem um plano b ,quando o A falha ela fica sem alternativas ,o correto seria trocar a equipe pra ver se consegue progresso.

Evaldo Moreira
1 mês atrás
Responder para  Jorge Miguel

Olha Jorge Miguel, é algo que venho falando, nada contra o Paciaroni.
Quando uma jogadora como Bia, chega aonde chegou, tem os méritos dela, e de todo o staff. Mas ai, alguns vão questionar, ah mas tem necessidade mudança?. Mas essas mudanças, eram numa época em que a Bia não estava bem, e com rankig ruim.

A partir do momento em que ela, passou a crescer, e fazer toda aquela campanha do ano passado até o fim do ano, já não falavam em mudanças. Mas hoje sim, falo novamente que, a Bia precisaria de mais um treinador ao lado do staff dela, para agregar melhorias, e quem sabe enriquecer o jogo do dela.

Enquanto ela, estiver assim nesta forma, mesmo que a melhore, ela vai ter sempre o Plano A, e ai no aprouch, não vai ter Plano B, já ta na hora de ela começar a mudar as idéias.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

Ai, Bia… Assim o Brasil não vai pra frente. ” Alguma coisa errada não está certa…”
E quanto ao João Fonseca, ele vai precisar se acostumar com cobranças. Torcedor é assim: helicóptero jogando pétalas de rosas na vitória. E apedrejamento na derrota.
Tem que ter o mental forte.

Thiago
Thiago
1 mês atrás

Dalcim, acho que houve um equívoco. Wild é cabeça 1 do quali e alternate 4 da MD de IW. Não é isso?

Marcelo Takahashi
Marcelo Takahashi
1 mês atrás

Perder faz parte do esporte e o tênis feminino é muito mais propenso a oscilações que no masculino.
Mas, na minha opinião, a Bia, junto com o seu staff, deve sentar e ver onde está o gargalo que a impede de alçar voos mais altos. Competência e jogo ela já demonstrou que tem e não precisa provar mais nada para ninguém.
Encaro a situação como normal e logo logo as vitórias e conquistas voltarão…

Marcelo Costa
Marcelo Costa
1 mês atrás
Responder para  Marcelo Takahashi

Exato chará esse é o ponto, oscilação faz parte, não é normal, mas existe, é momento dela e o staff ter consciência de que algo não está certo e ajustar.
Perfeito seu comentário

João Sawao ando
João Sawao ando
1 mês atrás
Responder para  Marcelo Takahashi

Concordo

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Bia tem qualidades, isto é inegável, teve uma ascensão por méritos próprios e não por queda das demais. Mas infelizmente é muito irregular, possivelmente em razão da insegurança que apresenta em varias ocasiões, como citado acima.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

a forma que ele reclamou, a distância do rosto do juiz…. não me parece que o conteúdo importe muito. O rublev foi Muito bem desclassificado

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Gustavo

Gastou os TRÊS desafios ? . Fique quieto como manda a regra , ainda mais que a Juíza acompanhou a marcação. Se não dá chilique chingando o Juiz , Bublik ia dar o ponto pra ele de boa . Nunca vi alguém perder o TOP 5 e toda a grana por causa de mais um chilique . Não é de hoje que Rublev vem aprontando. E Kasaktina dando mais chiliques nas redes contrária a decisão dos árbitros… Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Me equivoquei aqui . Incrível em Dubai não ter desafio . Mas Rublev sabe que se a Juíza acompanhou , chilique de nada ia adiantar. Está equivocado do mesmo jeito. Zverev que foi eliminado em Acapulco pelo mesmo motivo ano passado, deve estar rindo atoa como novo TOP 5 …rs . Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Derrotas do grego e do russo, desclassificação do outro russo, quando essa eterna nextgen perde o tênis, ou melhor, o esporte vence. Não ha como negar q se trata de ótimos tenistas, isso nunca foi alvo de questionamento, mas sim de comportamento, de postura, detalhes nos quais eles são péssimos.
No aguardo das respostas do defensor dos fracos e oprimidos de ocasião…

vinicius
vinicius
1 mês atrás

dalcim sobre essa polemica do rublev, nao vou entrar no merito se deveria ou nao a desqualificação, mas tenho uma duvida sincera, ano passado te perguntei sobre a ATP inserir a tecnologia de linha e assim abolir os juizes de linha, vc disse que estaria presente em todos os torneios ATP de 2024, porque diabos nao tem em dubai?toda essa polemica nao iria existir se a ATP fizesse seu trabalho e nao to passando pano para o rublev, so estou querendo responsabilizar a ATP tbm pq eu to cansado de ver juiz de linha errando e essa semana em Dubai foi inúmeras vezes, ate saiu meme do murray acertando 3 desafios no mesmo set, não da para viver sem essa tecnologia, o rublev errou mas a ATP tbm.

Ruy Machado
Ruy Machado
1 mês atrás

Dalcim, boa noite!
Lendo um artigo de hoje na coluna Saque e Voleio, os organizadores do Rio Open têm interesse em transformá-lo em M1000. Sinceramente, você acha isso viável? Imagino que deva ser muito criterioso o processo por parte da ATP. Eu ainda não consigo enxergar essa possibilidade e desconheço se é limitado a 9 torneios os M1000 ou se pode ampliar. Abc

levI sIlvA
levI sIlvA
1 mês atrás

Dalcim, sei que agora, há o fator reclamação do afetado na situação…
Sei inclusive, que já foi comentado anteriormente, isso que ocorreu e a não desclassificação automática de Medvedev…
Mas isso aí, foi decididamente, um ato irresponsável e passível de adeus, pro russo do torneio. Como foram deixar barato assim?

https://youtube.com/shorts/vz3oZil20E0?si=uH4iV95o4HW8bOdf

Ronaldo Oliveira
Ronaldo Oliveira
1 mês atrás

Me desculpe, não consigo defender mais e nem torcer… já esgotou minha paciência, carinho e vontade de acreditar. Tomara que eu esteja errado…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Ronaldo Oliveira

Então parceiro , procure conhecer mais a história deste maravilhoso Esporte . Apenas como exemplo, STANIMAL somente foi vencer seu primeiro SLAM próximo aos 29 anos . A lista e’ interminável. Tênis não é futebol e mesmo assim tem jogadores do mesmo , que atingiram seu ápice acima dos 27 . Ninguém foi mais ridicularizado neste espaço que Alex De Minaur . “ Não saca nada e não tem nenhum golpe contundente “ diziam os sabichões. DI MENOR agora com 7 Títulos , mais de 200 Vitórias e 10 milhões de dólares no bolso , cismou de bater TOP 10 . Nem Djokovic escapou …. Ele hoje está defendendo seu Título em Acapulco … rs . Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Vários foram mais ridicularizados do que o Hewitt Jr., mas atualmente ele saca e tem golpes mais contundentes do que o treinador teve no passado. Você tem razão.

Rsrs, abs!

Ronaldo Oliveira
Ronaldo Oliveira
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Como eu disse, tomara que eu esteja errado, mas não pretendo me iludir mais… só isso. Eu poderia também listar uma quantidade enorme de tenistas com potencial que nunca vingaram. Mas isso é discutir o sexo dos anjos… Só não quero é passar mais raiva por acreditar… uma visão pessoal. Abs e valeu pelo bate papo!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

Acredito que endureceram as regras da década de 90 pra cá. Porque o Jimmy Connors (US Open 1991 contra Aaron Krikstein) cansou de gritar com o juiz de cadeira, apontou dedo, “expulsou” o juiz, se descabelou… e nada aconteceu.

lEvI sIlvA
lEvI sIlvA
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Serena, no show de horrores contra o árbitro português no US Open na Final onde perdeu na bola de Osaka, fez o que quis, chamou o árbitro de “ladrão”, perdedor e tudo mais…ficou barato, e não foi desclassificada…
Não estou defendendo Rublev, veja bem, mas é triste ver certas coisas e saber que não houve consequências, percebe?

Marcelo Costa
Marcelo Costa
1 mês atrás
Responder para  lEvI sIlvA

Há um documentário sensacional chamado Serena vs juiz, que traz a luz fatos desconhecidos daquela final, eu sugiro que assista, tem no arquivo da espn

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  lEvI sIlvA

Onde o parceiro estava no mesmo USOPEN 2009 quando Serena foi desclassificada , contra Kim Clijsters na Semi ?. A Belga que retornava depois de 2 anos levou o Caneco . Nada justifica o que Zverev ( 2022 Acapulco) , e Rublev fizeram , muito menos o que Djokovic aprontou. Todos os citados fizeram por merecer a desclassificação. Ao menos, a meu ver . Abs!

levI sIlvA
levI sIlvA
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Então, meu caro Sérgio, eu não lembro onde estava, sabe?
Mas e a Serena, que já havia sido desclassifica em 2009, onde estava com a cabeça, saberia dizer?
Lembrando que, não estou justificando nada de nenhum outro tenista, que inclusive foram desclassificados de forma justa e correta.
Minha dúvida é, pra qual motivo afinal, Semana não foi, percebe?
Mas, é só minha opinião mesmo…
Abraço!

levI sIlvA
levI sIlvA
1 mês atrás
Responder para  levI sIlvA

Corretor, corretor, corretor….
Minha dúvida é, por qual motivo afinal, Serena não foi, percebe?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  levI sIlvA

Entendi de boa , caro Levi . Grande Abraço !!!

Robson Couto
Robson Couto
1 mês atrás

Boa tarde Dalcim,
Me corrija por favor se estou enganado, mas acho o estilo de jogo do Rune muito parecido com o do Djokovic. Mas daí vem o Casper Ruud que ao meu ver não tem armas para incomodar Djokovic e impõe freguesia contra Rune… onde Rune está pecando (ou estou enganado e os estilos entre Rune e Djokovic são diferentes)?

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás

Dalcim, você considera acertada essa decisão do João e seu staff de, aparentemente, desistir de Indian Wells e Miami para jogar Challengers na América Latina? Ele não seria mais desafiado e aprenderia bem mais lá, além da exposição midiática evidente?

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Muito interessante essa análise. Obrigado

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Uau! Que brilhante análise! Obrigado, Dalcim, me fez ver a situação de outra forma.

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás

Dalcin, você tem alguma informação de lesão do Heide q n tenha saído nas notícias?

Pq se n for isso, fica bem complicado defender o calendário do garoto: perde numa segunda no Rio e n tem condições de disputar o Qualy em Santiago num sábado, tampouco um CHL na Bolívia 2 fucking semanas depois? Jogou 5 partidas na temporada até aqui e já está “cansado”? ou é apenas a vontade de curtir o restante do verão BR por aqui msm..

Lamentável essa falta de comprometimento, assim como no fim no ano passado, vai jogando no lixo novamente a chance de entrar numa zona de Qualy pro próximo GS.. É desanimador esse descaso(e ele tá loooonge de ser único tenista BR atualmente com essas mesmas questões…)

Ranalfo Maia
Ranalfo Maia
1 mês atrás

Vamos pra frente Bia! Isso faz parte da carreira de tenista; homem ou mulher! Continue trabalhando! Esta trilha a levará aos píncaros da glória!

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals