PLACAR

Beach tennis em Petrolina termina com recordes e tenta mudar para junho

Arena de Petrolina. (Foto: Maurício Nunes/ Fotografia do Esporte)

Petrolina (PE) – No último dia da série de eventos do EMS Open foram definidos os campeões do torneio BT 10 com pontos no ranking mundial e sem premiação. Os campeões do masculino foram Pedro Barros e Paulo Kienby. No feminino, o título ficou com Natalia Azevedo e Juliana Bernardes.

Ao todo foram três torneios profissionais, sendo o BT 50 no começo da semana, o BT 400, um dos maiores do mundo, e o BT 10. Além destes, foram realizadas disputas do torneio amador ao longo de todos os dias, dos juvenis e também veteranos.

Petros, ex-São Paulo e Corinthians indo para o seu sétimo ano na Arábia Saudita, um dos organizadores, destacou que a competição foi um sucesso. “Tudo o que projetamos foi triplicado, projetamos 20 mil pessoas direto no evento e batemos 50 mil. que indica que já entramos forte no calendário internacional”, disse.

A competição já está confirmada para 2025 e o objetivo é trazê-la para o mês de junho. “Vamos tentar nos aproximar ao máximo da data de São João. Já conversamos com o responsável pela Confederação Brasileira de Tênis que deu o OK. Agora só falta a Federação Internacional de Tênis.”

Jeferson Pinto, coordenador de beach tennis da CBT, elogiou a primeira edição do evento. “Me surpreendi com o desenvolvimento do beach tennis na região. Acho que Petrolina, junto com o Petros e a Federação Pernambucana construíram um evento nunca visto antes por aqui. Tirando o evento de Marechal Deodoro (AL), nunca havia se visto um evento com tão boa qualidade e grande com quadra central sensacional. Vamos buscar fazer um calendário inteligente para os atletas ano que vem, buscando encaixar em junho na sequência de Petrolina com outros dois eventos como Tucuruí (PA) e Brasília (DF).”

Além dos números grandiosos, o torneio finaliza com um importante legado social. Sete das 19 quadras utilizadas serão doadas para a Prefeitura de Petrolina e serão disponibilizadas para as escolas municipais. No primeiro dia do torneio mais de mil crianças de nove escolas municipais tiveram a experiência de vivenciar uma partida profissional pela primeira vez e lotaram a quadra central. Eles assistiram a partida com vitória das italianas Sofia Cimatti e Greta Giusti, que se tornaram campeãs na noite de sábado do BT 400.

No masculino, o título inédito de um evento desse porte ficou com Felipe Loch e o italiano Luca Andreolini. Loch, de apenas 17 anos, se tornou o mais jovem a vencer este tipo de evento, um dos maiores do mundo. O salto dele no ranking desta segunda-feira foi de 20 posições e já ocupa o 29º posto.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE