PLACAR

Zheng: “Há muito significado por trás desta vitória”

Foto: Tennis Australia

Melbourne (Austrália) – Aos 21 anos de idade, a chinesa Qinwen Zheng está pela primeira vez na carreira numa semifinal de Grand Slam. Quadrifinalista no US Open do ano passado, a mais nova top 10 do ranking da WTA chegou à penúltima fase do Australian Open depois de superar de virada a russa Anna Kalinskaya nas quartas de final. Emocionada com o feito, ela afirma que há o triunfo foi ainda mais especial.

“Há muito significado por trás dessa vitória, todos sabem o que passei nos últimos anos para chegar até aqui. Foram momentos de muitos altos e baixos até finalmente conseguir quebrar essa barreira. A sensação de chegar até aqui pela primeira vez é incrível, não consigo explicar agora porque são muitas coisas. Em primeiro lugar, felicidade. Neste momento estou orgulhosa de mim mesma. Mas isso é só o começo, ainda tenho que jogar amanhã, preciso mudar rapidamente a mentalidade e tentar manter o meu plano de jogo”, destacou na coletiva de imprensa.

Sobre o jogo, Zheng explicou o início de partida instável, cedendo o empate duas vezes após conquistar uma quebra de vantagem e perdendo o set inaugural no tiebreak. “Acho que no início do jogo eu estava pensando demais. Foi por isso que não consegui manter meu saque e perdi o primeiro set. Esse é um dos meus problemas, e então quando perdi o primeiro set tentei dizer a mim mesma para manter o foco, não pensar muito e apenas me concentrar”, disse.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Para a próxima rodada, já na manhã desta quinta-feira (no horário de Brasília), a chinesa ressalta que não há tempo suficiente para fazer grandes mudanças em relação às quartas de final. “Não sei se é possível melhorar em menos de 24 horas. Basicamente acho que só estou tentando me recuperar, pensando no que tenho que fazer para a próxima partida e aproveitar a quadra, focar no presente. Não há nada que eu possa mudar muito em um dia, então simplesmente mantenho a simplicidade e sigo em frente.”

No entanto, ela falou sobre a adversária da semifinal, a ucraniana Dayana Yastremska, que se tornou a primeira tenista vinda do quali a alcançar a penúltima fase em Melbourne desde 1978. “O que ela fez é incrível. Quando eu jogava “Futures” já ouvia o nome dela, então sei que é uma jogadora muito boa. Não importa se ela vem do quali. Neste momento, acho que todas as pessoas que chegam à semifinal estão com um nível muito bom. Eu não tenho mais nada a dizer. Basta competir”, completou a jogadora de 21 anos.

Por fim, Zheng comentou sobre a rápida conversa que teve com Novak Djokovic no dia anterior, quando ela estava de folga, mas o sérvio tinha o duelo de quartas de final contra Taylor Fritz. “Foi uma conversa muito rápida. Ele veio me dizer oi antes da partida. Nem parecia que ele tinha um jogo, porque eu, antes de entrar em quadra, fico muito concentrada e não quero falar com ninguém. Quero muito aprender essa frieza com os melhores jogadores, porque acho que é disso que sinto falta”, ressaltou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE