PLACAR

Swiatek vence a 20ª seguida em Roland Garros e busca o tetra

Foto: Loic Wacziak / FFT

Paris (França) – A polonesa Iga Swiatek segue imparável em Roland Garros, onde não perde desde as quartas de final de 2021. Nesta quinta-feira, ela teve pela frente a norte-americana Coco Gauff e não deu chances à rival, controlou a primeira semifinal do dia do começo ao fim e anotou sua 20ª vitória na competição, marcando parciais de 6/2 e 6/4, em 1h36 de embate.

Em sua terceira final consecutiva, a quarta da carreira no saibro parisiense, Iga terá pela frente a vencedora do duelo entre a italiana Jasmine Paolini e a jovem russa Mirra Andreeva, que surpreenderam nas quartas de final, batendo respectivamente a cazaque Elena Rybakina e a bielorrussa Aryna Sabalenka, com grandes vitórias por 2 sets a 1 para fazerem suas melhores campanhas em Grand Slam.

A sequência de 20 vitórias de Iga na competição é a quarta maior da Era Aberta, empatando com a alemã Steffi Graf. Elas ficam atrás apenas das norte-americanas Chris Evert (29) e Monica Seles (25) e da belga Justine Henin (24).

Primeira jogadora a disputar três semifinais seguidas em Roland Garros desde a suíça Martina Hingis, que chegou a jogar cinco seguidas entre 1997 e 2001, Swiatek também ampliou outra sequência sua, a de vitórias seguidas no saibro, chegando à 18ª nesta quinta-feira, igualando a maior marca da carreira. Este foi seu 17º triunfo sobre top 10 em 27 confrontos.

Poucos erros e boa largada para a polonesa

Iga começou com tudo na partida e logo no primeiro game pressionou a norte-americana, que enfrentou 15-40 com o saque e acabou quebrada no primeiro break-point que enfrentou. Gauff até teve chance de buscar o empate no game seguinte, mas deixou escapar o break-point que teve a seu favor e viu a rival abrir 2/0 de cara.

Depois de perder mais uma oportunidade de quebra, no quarto, a número 3 do mundo pagou caro em seguida e perdeu o saque mais uma vez. Bastante focada e apostando na consistência, com apenas cinco erros não forçados em todo o primeiro set, Swiatek abriu 5/1 e então só precisou administrar a confortável vantagem até o final para largar na frente e fazer 1 a 0 no marcador.

Ao largar na frente na semifinal, a polonesa deu um enorme passo rumo à vitória, uma vez que nas 74 vezes em que venceu o primeiro set em uma partida disputada no saibro, ela venceu 72, perdeu uma e teve um abandono. Para completar, 67 vezes ela definiu o jogo em sets diretos.

Evolução da norte-americana não foi suficiente

Gauff melhorou na volta para a segunda parcial e inclusive chegou a liderar a disputa, anotou uma quebra no quarto game e teve 3/1. Só que a resposta da polonesa não apenas veio na sequência, mas também foi no padrão da líder do ranking. Após encarar 1/3, Iga anotou duas quebras seguidas, abriu 5/3 e teve dois match-points para fechar no nono game, com a norte-americana salvando ambos.

As chances desperdiçadas pela polonesa não abalaram sua confiança na hora de sacar para o jogo. Ela perdeu dois pontos no último game e garantiu a 11ª vitória em 12 jogos contra Gauff no quarto match-point que teve no geral. Todas as vezes que Swiatek derrotou a norte-americana foram em sets diretos, três delas em Roland Garros (2024, 2023 e 2022).

Embora não tenha anotado um ace sequer, contra três de Gauff, a polonesa terminou com melhor desempenho com o saque, venceu 65% dos pontos contra 51% da rival. A consistência de Iga mais uma vez foi sua marca, com 25 erros não forçados a menos (14 a 39), que a norte-americana não conseguiu compensar com seus 17 winners a mais (27 a 10).

25 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Vicentina
Vicentina
11 dias atrás

Gente o tênis feminino não é lá essas coisas, mas no saibro a Iga domina mesmo parece que joga em casa se fosse na grama ou quadra dura aí é outra situação e fiquei com pena da Gauff que não consegue competir com ela que até chorou. Estou ansiosa mesma para ver Alcaraz x Siner é o jogo que promete parar RG amanhã é o jogo que todo mundo quer assistir.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
11 dias atrás

A Iga no saibro é quase imbatível. Igual Nadal, em dez torneios perde 2

Danilo BR
Danilo BR
11 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Ela é insuportável de tão fria e eficiente! Parece um robô. A número 1 mais insossa da história kkkkkk

Voyager
Voyager
11 dias atrás
Responder para  Danilo BR

Tem um modo de falar irritante, de quem está implorando por algo, e consta que tem uma equipe grande de funcionários que viaja com ela… mas a Gauff também tem uma personalidade difícil de gostar… resta esperarmos a grama

Danilo BR
Danilo BR
11 dias atrás
Responder para  Voyager

A Rybakina também é antipática! Safra de jogadoras sem simpatia e nem carisma…

Flávio
Flávio
11 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Não dar pra mencionar isso cara porque Nadal ganhou 14 slam direto em melhor de 5 sets que é muito mais difícil, e a polonesa ou outra que disputam Slam é em melhor de 3 sets.

Bruno
Bruno
11 dias atrás

Coco Gauff ” Não sou a Potapova nem a Vondrousova”

Apanhou igual….

João Sawao ando
João Sawao ando
11 dias atrás
Responder para  Bruno

Arrogância da americana

Ana
Ana
11 dias atrás
Responder para  Bruno

Eu acho que foi pior!!!! Estava visivelmente nervosa e desconfortável.

Flávio
Flávio
11 dias atrás
Responder para  Ana

Não vi os jogos,pois já era óbvio e falei aqui que a menina prodígio que é um diamante a ser lapidado seria difícil ganhar da Paoline não deu outra, agora pior que a Potapova não né,pois essa não tinha vontade de jogar e passou vexame e a Coco não deu vexame. O tênis feio e medíocre da polonesa deve levar RG de novo pois no saibro o jogo feio dela é favorável e tem obrigação maior que a Paoline para ganhar.

Ana
Ana
11 dias atrás
Responder para  Bruno

Elas não choraram em quadra…. Que descontrole.

Flávio
Flávio
11 dias atrás
Responder para  Ana

Se foi isso que aconteceu eu não sei porque não vi, mesmo assim não acho que a Gauf deu vexame e sim a Potapova , agora cada dia que passa o tênis feminino atual esta muito limitado porque top como a Ribakina não aguentou jogar 3 sets em sequênica ,e a Sabalenka com problemas emocionais que a prejudicou contra a jovem, logo fico imaginado se fosse melhor de 5 sets nenhuma delas aguentaria jogar,infelizmente.

Rockton
Rockton
11 dias atrás

Como torcedor, eu não gosto dessa Gauff. Muito marrenta, cheia de mi-mi-mi. Quando perde nem olha na cara do vencedor no cumprimento final, agora quando ganha vai toda sorridente cumprimentar a derrotada.
Se brincar, vai ser outra Osaka da vida, daqui a pouco começa a perder e vai parar para cuidar da saúde mental.
Não sabe brincar, não desce para o play.

Oscar
Oscar
11 dias atrás
Responder para  Rockton

Serena, Osaka, Gauff, muito antipáticas. Poderiam andar mais com a Sabalenka e aprender a serem mais simpáticas.

Guto
Guto
11 dias atrás
Responder para  Oscar

Curioso você achar somente as tenistas negras antipáticas né?

Mas deve ser que eu interpretei errado e estou tentando “lacrar”

Basicamente devo ser um esquerdista, comunista, cheio de mimimi.

Tá serto!

Ana
Ana
11 dias atrás

Rapaz!!!!! Nesse ritmo aí pode alcançar os 14 do Nadal….

Flávio
Flávio
11 dias atrás
Responder para  Ana

Que vai o que Ana acorda, aliás, ninguém vai atingir os 14 slam do Nadal direto porque hoje é praticamente impossível, em relação as mulheres nem Stefi Grafi, ou Serena, ou Navratilova ganhou 14 slam seguidos no mesmo local que eram jogadoras lendárias é óbvio que a polonesa limitada não vai atingir isso porque não é gênio, acho que ela tem potencial pra chegar a 8 RG se manter este nível ,que é seu piso favorito ,pelo pouco nível técnico que ela apresenta está ótimo, além disso aliado as pressões às mulheres sofrem mais com a parte emocional, infelizmente, e o nível dela no saibro tende a cair daqui uns 2 ou 3 anos pra quem só joga no físico. Desculpa a sinceridade não tem como comparar os 14 slam do Nadal porque ele ganhou com jogos de 5 sets que é muito, muito, muito mais difícil do que 3, logo não faz sentido comparar isso. Acho que se ela conseguir manter o nível ela pode atingir de 10 a 12 slam, que esta ótimo pra quem não sabe variar seu jogo e as outras, Ribakina, Sabalenka, gauf acho difícil atingir mais do que 6 slam.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
11 dias atrás
Responder para  Flávio

A título de informação, Rafael Nadal nasceu em 03/06/1986, e, portanto, fez 23 anos em 2009. O primeiro título do Nadal em Roland Garros veio em 2005 aos 19 anos, mesma idade que a Iga ganhou o seu primeiro Roland Garros em 2020. Aí. o Nadal ganhou Roland Garros em 2006, 2007 e 2008, seu quarto título, e em 2009, com 23 anos, foi eliminado pelo Robin Soderling nas oitavas de final de Roland Garros. Portanto, aos 23 anos, idade atual da Iga Swiatek, Rafael Nadal tinha no currículo quatro títulos de Roland Garros, o que leva a concluir que se a Iga Swiatek ganhar o torneio de Roland Garros 2024, igualará o feito de Rafael Nadal quando este tinha 23 anos de idade. Se você quiser continuar arriscando de falar que a Iga Swiatek não vai alcançar os 14 títulos de Rafael Nadal em Roland Garros, fica a seu critério. Eu não arriscaria duvidar da Iga Swiatek.

Danilo BR
Danilo BR
11 dias atrás
Responder para  Ana

Se tiver saúde, sim! Não vejo adversárias à altura

Danilo BR
Danilo BR
11 dias atrás

Essa Iga tem uma confiança no saibro comparável à de Nadal, já entra com a certeza da vitória! É algo assombroso que já criou barreiras mentais nas adversárias. 99% imbatível nessa superfície, se não se contundir nos próximos anos veremos um desfile interminável de títulos de Roland Garros… tal qual Rafa Nadal

trackback

[…] Garros. Tricampeã do torneio, nesta quinta-feira ela garantiu vaga em sua terceira final seguida ao bater a norte-americana Coco Gauff em sets diretos e vai agora em busca do […]

Danilo BR
Danilo BR
11 dias atrás

Visivelmente as demais jogadoras não suportam ela, não tem carisma, não tem simpatia, é simplesmente uma máquina de jogar tênis! Esbanja eficiência e frieza. Um fenômeno

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
11 dias atrás

A pessoa quando se refere à uma tenista polonesa limitada imagino que esteja se referindo à Magda Linette, nº 46 do ranking, ou à Magdalena French, nº 49 do ranking. Porque se estiver se referindo à Iga Swiatek, nº 1 do ranking, que tem 104 semanas como nº 1 do mundo, tem quatro títulos de grand slam, tem mais de 3000 pontos de vantagem sobre a nº 2 do ranking, foi dominante no jogo de hoje contra a futura nº 2 do ranking, chegou à 20ª vitória seguida nos torneios de saibro da temporada, aplicou três pneus em Roland Garros 2024, então, se a jogadora limitada é a atual nº 1 do mundo, a pessoa que afirma isso está com sérios problemas de cognição e discernimento, mostra uma capacidade limitada de análise de tênis e precisa urgentemente se tratar. Uma pessoa insensata, que vai contra a realidade, recorre com frequência à Teoria da Conspiração para justificar suas opiniões, que muitas vezes são opiniões machistas, essa pessoa tem que repensar os seus conceitos pra não ter problemas no futuro. Aliás, uma pessoa que pensa assim pode ser humilde também e reconhecer que teve um erro de avaliação e que aquela jogadora que ela achava que era grossa, de fato, está provando o contrário.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
11 dias atrás

Perfeito. Ele só entra para falar mal dela. Deve ter algum problema. Nunca viu tênis na vida. Chega a ser hilário os comentários dele

trackback

[…] e 2007, façanha só superada na Era Aberta por Chris Evert (7) e Steffi Graf (6). E a tricampeã Iga Swiatek pode igualar seus números caso vença a final do próximo sábado contra Jasmine […]

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE