PLACAR

Sabalenka consegue mais uma virada e reencontra Iga na final

Foto: Mutua Madrid Open

Madri (Espanha) – A busca de Aryna Sabalenka pelo tricampeonato no WTA 1000 de Madri ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira. Vinda de jogos longos durante todo o torneio, a atual número 2 do mundo conseguiu mais uma virada, superando nesta quinta-feira a cazaque Elena Rybakina, quarta colocada, por 1/6, 7/5 e 7/6 (7-5) em 2h17 de partida. Dos cinco jogos que Sabalenka fez em Madri, quatro foram definidos no terceiro set. E ela já havia começado atrás contra Danielle Collins nas oitavas.

Aos 25 anos, Sabalenka disputará sua 27ª final da carreira e a terceira na temporada. A vencedora de 14 títulos no circuito começou 2024 com o vice de Brisbane, superada pela própria Rybakina na final, e logo depois conquistou o bicampeonato do Australian Open. Desde então, ela caiu na estreia em Dubai, nas oitavas em Indian Wells e na terceira rodada de Miami. Já na abertura da temporada de saibro, foi às quartas em Stuttgart.

A adversária na final de sábado às 13h30 (de Brasília) será a líder do ranking Iga Swiatek, numa reedição da final do ano passado. Ainda que a polonesa lidere o histórico por 6 a 3, a bielorrussa levou a melhor na decisão de 2023 em Madri. Swiatek, de 22 anos, tem 19 títulos na carreira e vai para sua 24ª final.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A vitória desta quinta-feira também ajuda Sabalenka a sustentar a vice-liderança do ranking, que era ameaçada pela própria Rybakina e também por Coco Gauff. Ela também amplia a vantagem sobre a cazaque nos confrontos diretos, agora com seis vitórias e três derrotas, além de acabar com uma invencibilidade de 16 jogos de Rybakina no saibro, oito deles este ano, com um título em Stuttgart.

Rybakina esteve perto de fechar em dois sets

No encontro entre duas jogadoras de estilo agressivo e de muita potência nos golpes, o que resultou em ralis muito curtos, o primeiro set da semifinal foi amplamente dominado por Rybakina, que conseguiu duas quebras e só enfrentou um break-point. A cazaque cedeu apenas seis pontos em seus games de serviço e liderou a estatística de winners por 7 a 3, além de ter cometido só 4 erros contra 11 de Sabalenka.

Logo na abertura do segundo set, Rybakina voltou a quebrar. E, na sequência, escapou de dois break-points para abrir 3/1 no placar. Naquele momento, Sabalenka já apresentava uma melhora, especialmente nas devoluções, e passava a colocar um pouco mais de pressão nos games de serviço da adversária, que conseguia se salvar com seus ótimos saques. Depois de alguns games longos, a bielorrussa buscou o empate por 4/4. Mas Rybakina não se deixou abalar pela recuperação da adversária, fez um game paciente durante as trocas de fundo e voltou a quebrar para fazer 5/4.

Sacando para o jogo, a quarta colocada do ranking deixou escapar a chance de fechar a partida e Sabalenka ganhou confiança. A pressão constante que a bielorrussa exercia nos games de serviço da cazaque foi tão eficiente que ela terminou a parcial conseguindo duas quebras seguidas. Desta vez, Sabalenka liderou nos winners por 16 a 12 e cometeu 10 erros contra 11 de Rybakina.

Sacadoras prevalecem durante o terceiro set

O terceiro set vinha sendo dominado pelas duas sacadoras, que passaram por dez games sem quebras. Sempre atrás no placar, Rybakina lidou muito bem com a pressão quando perdia por 5/4 e manteve o serviço. Na sequência, Rybakina teve dois break-points após boas devoluções, mas Sabalenka conseguiu se salvar em um game muito longo. A cazaque não teve o saque ameaçado em nenhum momento da parcial.

A definição ficou para o tiebreak, em que Sabalenka rapidamente abriu vantagem. Firme nos pontos disputados em seu saque, ela abriu 3-1 depois de vencer uma disputa na rede e aumentou a vantagem para 5-1 depois de um winner de devolução. Rybakina chegou a diminuir a diferença para 5-3 e ainda salvou dois match-points com o saque, um deles em um ace. Em sua terceira chance de fechar o jogo, a primeira no serviço, a bielorrussa forçou um ótimo saque aberto para consolidar a difícil virada. Sabalenka liderou a contagem de winners por 35 a 31 e cometeu 29 erros contra 23 da cazaque.

24 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Flávio
Flávio
27 dias atrás

Enquanto a praticante de jogo feio, Iga, só pegou moleza até agora, no outro lado Ribakina x Sabalenka fizeram duelo de grandes mesmo com equilíbrio gigante que foi decidido no detalhe e o tie-break confirma isso, agora a Ribakina cometeu um erro quase igual da Putintseva que não soube fechar o jogo e acabou pagando por isso, mas ela fez um grande torneio e evoluiu bem pra quem não era adepta no saibro e vem jogando bem, então se a Kibakina chegar assim na grama sagrada tem tudo para vencer Wimbledom, pois vem evoluindo tecnicamente e vem sacando bem também, aliás, até RG não descarto ela não porque parece esta adeptando ao saibro que pode surpreender lá, agora a Iga, deve está sentindo um alívio de não ter que enfrentar o seu fantasma, Ribakina, e vai enfrentar a Sabalenka , mas não sei o que vai dar mas para o bem do tênis feminino é melhor a Sabalenka vencer porque tem um pouquinho de mais qualidade técnica que a polonesa.

luciano vicente
luciano vicente
27 dias atrás
Responder para  Flávio

Otima analise.

Elias Prado
Elias Prado
27 dias atrás
Responder para  Flávio

Falar que a Iga pratica jogo feio é de uma falta de visão e conhecimento da prática de jogo de tênis absurda. Na verdade ela nem precisa de outras variações, assim como também não precisavam as irmãs Williams. Aliás Arina Sabalenka também prática um tênis agressivo e , as duas Iga e Arina são numero um.e dois do ranking praticando jogo feio .

Flávio
Flávio
27 dias atrás
Responder para  Elias Prado

Não é não Elias, então é o seguinte faça uma análise profunda, pois só jogar na pancadaria de fundo de quadra e não sabe usar slice, curtas, voleio, lob nem o seu saque tem excelência, então se você não enxerga isso, desculpe então você parece que enxerga é ping-pong e não tênis. Agora é verdade que a Sabalenka joga muito na força, mas as vezes usa alguns slices e sobe a rede, ou as vezes consegue sacar bem e a Iga é nula nisso, por isso a Sabaelnka tem um pouco mais de qualidade do que a polonesa e as irmãs Wiliams também porque sabiam sacar,ou seja, a polonesa é limitadíssima e consegue se impor por causa da usa ótima condição física que 95% de suas adversárias não aguentam sua explosão física e para uma número 1 só jogar assim é limitação mesmo, por isso que sempre falo aqui que no momento a Iga é a pior número 1 dos últimos ou 5 anos só não ver quem não quer.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Flávio

Resolveu assistir fora do feriado caríssimo Flavio C. ? . Ótimo, assim vai aprendendo que não só Nutellas apreciam o Tênis das meninas . O ” Fantasma” de IGA SWiATEK na única FINAL que fizeram perdeu em Sets diretos no WTA 1000 de Doha em janeiro de 2024 . A N 1 tem mais do dobro de Títulos de Rybakina com apenas 22 aninhos contra 24 . Abs!

Flávio
Flávio
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Sério ribeiro não é questão de títulos cara, e sim confrontos e a Ribakina,única, tem mais vitórias do que a grossa, praticante de jogo feio, polonesa, por isso falei que era o seu fantasma. Para o bem do tênis feminino era melhor Sabalenka vencer, mas eu não na Sabalenka devido suas oscilações.

José Andrade
José Andrade
27 dias atrás

Duas grandes competidoras.
A Ribakina teve a oportunidade de fazer 4×1 e deu a chance pra adversária. Contra jogadoras do nível da Sabalenka e da Iga, não dá pra vacilar. Uma final digna de Madri.

Viviane
Viviane
27 dias atrás

Falta atitude para a Rybakina, coisa que sobra na Sabalenka. Ontem, depois de jogar contra a Putintseva, eu pensei que a Rybakina não ia dar chances, tanto que começou o jogo de forma arrasadora. Sabalenka foi buscar e saiu vitoriosa. Ótimo jogo, mas eu realmente esperava mais da Rybakina.

Flávio
Flávio
27 dias atrás
Responder para  Viviane

Exatamente Viviane, aí no terceiro set foi um equilíbrio que no detalha a Sabelenka não desperdiçou.

Rodrigo
Rodrigo
27 dias atrás

Vai ter que jogar muito para superar a Iga a Sabalenka. Ela vem se superando durante esse torneio. Mais se oscilar do jeiito que vem acontecendo e com Iga fo outro lado, sei não. Mas minha torcida vai p Sabalenka.

Flávio
Flávio
27 dias atrás
Responder para  Rodrigo

Rodrigo, pois é acho que a polonesa sentiu um alívio de não enfrentar a Ribakina, mas vejo também que este jogo pode dar muita moral para Sabalenka na final porque ela venceu uma adversária dificílima que a levou a superar limites e ganhar deste tipo de adversária da moral, pois a Iga, pior número 1 dos últimos 4 anos, não enfrentou ninguém, aliás, nenhuma top 10 até chegar à final como tem um dia de descanso acho que dar tempo para Sabalenka recuperar, mas se ela oscilar como você mesmo disse na final aí não terá chances.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Flávio

A pior N 1 dos últimos 4 anos possui aos 22 aninhos , 4 SLAM( venceu TODAS as FINAIS ) , 8 MASTERS 1000 , 1 WTA FINALS num total de 19 Conquistas. Já é a décima da história com 100 semanas como N 1 do Mundo. Na boa parceiro, chega de passar recibos …rs. Abs!

Flávio
Flávio
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

É sim Sérgio Ribeiro só que você não quer enxergar, eu disse pior número 1 dos últimos 4 ou 5 nos e não a pior da história é só reler viu, agora ela é a pior sim dos últimos 4 ou 5 anos porque o seu jogo é limitadíssimo e, de fato, ganhou este bons títulos que você disse é por causa de sua ótima explosão física que já repeti n vezes aqui que a maioria de suas adversárias sentem medo e não conseguem competir com ela e aí ela vai se mantendo no topo jogando de forma limitada e pra quem é a número 1 e jogar sem qualidade só comprova que o nível do tênis esta baixo, mas parece que os nuttelas como você e outros até hoje não querem enxergar o óbvio que o nível do tênis feminino atual esta baixo. É verdade que ela ganhou 4 slams (3 RG e 1 USOPEN) como você disse jogando só na grosseria, mas é uma vencedora e nunca neguei isso o que se tem que analisar é que o seu jogo é extremamente limitado e para uma número 1 do mundo apresentar isso é reduzir a imagem do tênis feminino que não empolga o grande público ou a maioria, aí você ver a Jabeur reclamar e depois não percebe por quê.

Flávio
Flávio
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Claro cara ela ganhou esses títulos, repito a polonesa é uma vencedora e não se pode questionar os números, porque jogando de forma limitada como ela joga e consegue sobrepor é porque o nível do tênis feminino esta baixo, mas o problema é que você, o Carlos Alberto Ribeiro e outros até hoje não conseguem enxergar isso que preferem fingir em não ver, veja aí rapaz se continuar assim o tênis feminino vai entrar em descrédito pois o entretenimento acaba desprestigiando nível baixo e a Iga no topo jogando só de forma feia não contribui em nada no entreterimento, na época da Barti que você deve ser lembrar o tênis feminino era mais elogiado do que hoje porque a australiana, ex -número1, sabia jogar tênis e isso atraia a todos diferente hoje da atual número 1 que é extremamente limitada e você deve ter lido a Jabeur reclamar que mostra não há duvida o tênis feminino esta desprestigiado por causa do seu nível baixo que esta infelizmente.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
27 dias atrás

A Iga é tão boa jogadora que faz os jogos parecerem fáceis. A pessoa quando fala que a Iga só pegou moleza, aí perde toda a credibilidade. Pelo ranking, quem devia ter enfrentado a Iga nesta semifinal seria a Coco Gauff, porém a Gauff não fez a parte dela e caiu para a Madison Keys, que depois ganhou da Ons Jabeur e chegou nessa semifinal. Falar que o jogo da Iga é feio é questão de gosto. A Iga tem um estilo de jogo agressivo que é suficiente para ganhar de suas adversárias sem precisar ter grande variação de golpes. Ou seja, ela tem a capacidade de imprimir potência e precisão nas bolas de modo que estas vão para dentro da quadra do outro lado da rede, fora do alcance das oponentes. Eu acredito que a Iga não treine tanta variação de golpes porque até agora não precisou, pois com o seu estilo conseguiu grandes resultados na carreira até agora. Criticar a Iga por não ter um estilo de muita variedade de golpes é mais ou menos como criticar o Messi no futebol porque ele não sabe cabecear direito e nem chuta muito bem com o pé direito. Oras, o Messi é tão bom com a perna esquerda tanto pra chutar quanto pra driblar que o fato dele não ser tão bom pra cabecear e pra chutar com o pé direito não faz a menor falta. O mesmo raciocínio se aplica à Iga Swiatek. Com o seu estilo agressivo de pouca variação ela, que fará 23 anos no dia 31/05, conseguiu quatro títulos de grand slam, uns 6/7 WTAs 1000, um WTA Finals e tem 100 semanas na liderança do ranking da WTA. Para quem está debochando da capacidade da Iga Swiatek de conquistar o Torneio de Wimbledon, eu pergunto: Quem foi campeã do Torneio Juvenil Feminino de Wimbledon em 2018? Eu vou responder e quem quiser pode conferir. A campeã juvenil do Torneio de Wimbledon em 2018 foi a Iga Swiatek.

Fernando S P
Fernando S P
27 dias atrás

“A Iga tem um estilo de jogo agressivo que é suficiente para ganhar de suas adversárias sem precisar ter grande variação de golpes. Ou seja, ela tem a capacidade de imprimir potência e precisão nas bolas de modo que estas vão para dentro da quadra do outro lado da rede, fora do alcance das oponentes.”

Exato. Tenista com muito equilíbrio, capaz de imprimir muita potência (bolas profundas).

Flávio
Flávio
27 dias atrás
Responder para  Fernando S P

Fernando SP e Carlos Alberto Ribeiro da Silva, desculpa mas não sei que mundo vocês vivem achando que a polonesa tem nível é cada falácia que leio aqui,mesmo sendo opiniões suas mas é engraçado ler algo pra defender uma jogadora limitadíssima que joga ping-pong e não tênis. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vvanschu
Vvanschu
27 dias atrás

Aleluia, T q enfim 1 comentário lúcido da realidade! Parabéns!

Elias Prado
Elias Prado
27 dias atrás

Excelente análise de quem conhece jogo de tênis

natanael
natanael
27 dias atrás

PERFEITOOOOOOOOOOOOOOOO

Flávio
Flávio
27 dias atrás

Não pegou moleza não ? kkk Desculpa Carlos Alberto mas você esta de sacanagem nessa viu meu caro a Iga não enfrentou nenhuma top 10 mesmo e só vai enfrentar agora na final e tu ainda quer contrariar kkk, é verdade que nisso ela não tem culpa, mesmo jogando feio demais, ela não tem culpa se as outras top 10 que estavam na sua chave foram incompetentes, isso mostra o nível do tênis feminino atual é baixo demais que só 3 ou 4 conseguem se manter, mas que é um fato é porque a polonesa não enfrentou nenhuma top 10 isso não tem como negar e só agora ela pode ter um jogo mais exigido.

NFdS
NFdS
27 dias atrás

Muito boa análise, parabéns !
Conheces o assunto, ao contrário de outros palpiteiros que insistem e nos cansam com suas aberrações.

Flávio
Flávio
26 dias atrás
Responder para  NFdS

NFds me diga aí onde que você enxerga que a limita polonesa tem técnica ? Ora ela não sabe usar curtas, slice, volear, lob então se isso não é falta de qualidade técnica então você asiste outro esporte parecido com tênis, aliás, o ping-pong é assim.

Flávio
Flávio
27 dias atrás

Cara desculpa e o pior que você insiste achando que a Iga tem algo técnico, me fala onde que você enxerga isso? Ora bolas ela não sabe usar curtas, slice, volear, lob e tem dificuldade no saque e só joga na pancadaria de jogo de fundo de quadra que isso todas sabem fazer o problema é que a polonesa é mais eficiente induzindo as adversárias ao erro porque quase todas suas adversárias não conseguem competir fisicamente com ela e hoje foi mais uma mostra disso com a Keys ,que é totalmente imóvel, que foi engolida facilmente pelo aspecto físico da polonesa, então onde que você enxerga técnica nela meu caro? Embora acho que você faz ótimos comentários aqui e merece meu respeito, mas não tem lógica querer procurar algo que ninguém ver sobre o estilo de jogo da polonesa pra defender o inexplicável porque o jogo dela é limitadíssimo sim que só não ver quem não quer, agora o estilo de jogo dela é normal para uma top 30 ou 20 ou top 15,mas para uma número 1 jogar só assim é ridículo, agora é verdade que a Jabeur, Gauf e outras top na sua chave foram incompetentes em não chegar até nela mostrando o nível baixo que esta o atual tênis feminino, é uma pena que só 3 ou 4 conseguem se manter no alto e as outras vivem de lampejo e continuando deste jeito o tênis feminino vai ficar cada vez mais desprestigiado lamentavelmente e não adianta a Jabeur reclamar porque esta virando realidade.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE