PLACAR

Rybakina: ‘Tenho chances de vencer em qualquer piso’

Foto: Porsche Tennis Grand Prix

Stuttgart (Alemanha) – Apesar de ser uma jogadora mais habituada aos pisos mais velozes, Elena Rybakina está ficando cada vez mais à vontade quando joga no saibro. Depois de ter conquistado o WTA 1000 de Roma no ano passado, ela inicia a temporada nas quadras de terra com um título do 500 de Stuttgart. Aos 24 anos e já com um título de Wimbledon e uma final de Australian Open no currículo, a cazaque se sente competitiva em qualquer superfície e quer lutar pelo título de Roland Garros.

“Estou muito feliz com o meu tênis esta semana, especialmente nesta final que joguei de forma muito sólida”, disse Rybakina, que superou a ucraniana Marta Kostyuk por duplo 6/2 na final deste domingo em Stuttgart. A atual número 4 do mundo também bateu a líder do ranking e bicampeã do torneio, Iga Swiatek, na semifinal do último sábado.

“Para mim, foi um ótimo início na temporada no saibro. Espero continuar assim e ser uma das principais favoritas em Roland Garros. Sempre acreditei em mim mesma, mas é claro que isso não depende apenas de mim. Temos grandes jogadoras e adversárias difíceis”, acrescentou a cazaque, que conquistou o oitavo título da carreira e o terceiro do ano.

“Mas sinto que se estiver fisicamente preparada e saudável tenho todas as chances de ganhar um Grand Slam em qualquer superfície”, complementou a tenista, que tem como melhor resultado em Roland Garros uma campanhas até as quartas de final em 2021. “Minha consistência tem sido impressionante e estou muito feliz”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Sobre o desempenho na final contra Kostyuk, 27ª do ranking, Rybakina falou sobre os ajustes que precisou fazer taticamente, em relação a longa partida de 2h50 do dia anterior. “Eu sabia que teria que estar focada desde o início e, comparando a partida com a Iga, é um jogo muito diferente. A Marta se movimenta bem e tenta pegar cedo na bola. Mas a velocidade é diferente e eu não poderia ter pressa, também para tentar abrir os ângulos da quadra”.

Kostyuk eliminou três top 10 e terá seu melhor ranking

Vice-campeã em Stuttgart, Kostyuk eliminou três jogadoras do top 10, Qinwen Zheng, Coco Gauff e Marketa Vondrousova. A jovem ucraniana de 21 anos também terá o melhor ranking da carreira, no 21º lugar. Ela disputou a terceira final da carreira e tentava o segundo título de WTA. Em 2024, ela também fez as melhores campanhas em Grand Slam, quartas no Australian Open, e em WTA 1000, semi de Indian Wells.

“Tenho que parabenizar a Elena e toda equipe dela, que estão fazendo um ótimo início de temporada. É sempre um prazer jogar contra você, especialmente em uma final”, comentou na cerimônia de premiação. “Tenho que agradecer ao meu time, por ter ficado ao meu lado e pelo ano incrível que estamos fazendo. Espero ainda mais títulos e finais no futuro”.

Já na coletiva de imprensa, a ucraniana reconhece que o nervosismo na final acabou pesando. “Todos os dias do torneio, eu não sabia o que esperar de mim mesma na quadra. Consegui me sair bem durante toda a semana e jogar um tênis incrível ontem. Isso é algo que eu nunca esperaria que eu pudesse fazer. Mas hoje, obviamente, eu estava muito nervosa. Queria muito hoje. Acho que havia muita coisa em jogo”.

Leia mais:

Rybakina domina em Stuttgart e conquista 3º título do ano

Rybakina vai de carona no carro da campeã: ‘Não posso dirigir’

8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando Venezian
Fernando Venezian
28 dias atrás

Elena depende muito do saque pra fazer boas campanhas na terra. Ela tem que comandar os pontos desde o início, pois se movimenta mal e fica vulnerável na defesa. Hoje vi a Stephens e me surpreendi. Nunca imaginei a americana tão sólida no saibro.

Refaelov
Refaelov
27 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Po mas a Sloane tem simplesmente um caneco em RG nº currículo..

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
27 dias atrás
Responder para  Refaelov

Ela foi vice-campeã, na verdade. Perdeu para a Halep, em 2018

Fernando Venezian
Fernando Venezian
27 dias atrás
Responder para  Refaelov

Rafaelov, ela até pode chegar numa final esporádica, mas é uma jogadora sem a mínima consistência. Além do piso favorito dela ser o hard

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
26 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

O piso favorito da Sloane é o saibro.

JBG
JBG
27 dias atrás

Está bem confortável e confiante Elena Rybakina em seu novo Porsche. Me lembra as entrevistas da Bia depois do Elite Trophy. Vai com calma baby…

Última edição 27 dias atrás by JBG
Marcelo
Marcelo
27 dias atrás
Responder para  JBG

Só que a Rybakina já ganhou grand slam e masters 1000, está sólida há 3 anos, não é fogo de palha!

JBG
JBG
27 dias atrás
Responder para  Marcelo

Verdade. Referia ao título da matéria palavras dela “Rybakina: ‘Tenho chances de vencer em qualquer piso’.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE