PLACAR

Rybakina domina em Stuttgart e conquista 3º título do ano

Foto: Porsche Tennis Grand Prix

Stuttgart (Alemanha) – Pela terceira vez na temporada, Elena Rybakina conquistou um título de WTA 500. Depois de começar o ano vencendo os torneios de Brisbane e Abu Dhabi, em quadras duras, a cazaque foi campeã no saibro de Stuttgart, superando neste domingo a ucraniana Marta Kostyuk, 27ª do ranking, por duplo 6/2 em apenas 1h10 de partida.

Aos 24 anos, Rybakina chega ao oitavo título de WTA da carreira e disputou sua quinta final na temporada. Além dos três títulos em 2024, a atual número 4 do mundo foi vice nos WTA 1000 de Doha e Miami. Ela vai permanecer na atual posição do ranking e está apenas um posto abaixo da melhor marca da carreira.

Rybakina vinha de três jogos longos em Stuttgart, já que precisou de três sets na estreia contra a russa Veronika Kudermetova, nas quartas contra a italiana Jasmine Paolini e também na semifinal, diante da polonesa Iga Swiatek, número 1 do mundo e bicampeã do evento.

A cazaque chegou à final com 7h30 de tempo em quadra, ao contrário das 10h12 de Kostyuk, que fez um jogo a mais por não ser cabeça de chave e eliminou três top 10, Qinwen Zheng, Coco Gauff e Marketa Vondrousova. A ucraniana de 21 anos terá assim o melhor ranking da carreira, no 21º lugar. Ela buscava o segundo título de WTA em três finais disputadas.

A campeã de Stuttgart recebe US$ 123.480 e também um carro esportivo da Porsche, principal patrocinadora do torneio. Ela falou em entrevista no último sábado que não tem carteira de motorista, mas que o prêmio serviria como motivação para começar a dirigir. Já Kostyuk ganha US$ 76.225 pelo vice-campeonato.

Rybakina não sofreu quebras e só enfrentou três break-points

Rybakina teve amplo domínio das ações durante o set inicial e não enfrentou break-points. Ela conseguiu duas quebras e cedeu apenas seis pontos em seus games de saque. Quando colocou o primeiro serviço em quadra, venceu 12 pontos em 13 possíveis. Além do bom saque, ela também conseguia mandar nos pontos com a potência nos golpes que tem, aproveitando-se das condições mais rápidas de Stuttgart, torneio jogado em quadras cobertas.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Logo na abertura do segundo set, Rybakina voltou a quebrar e ampliou sua vantagem na partida. Quando liderava por 3/2, a cazaque enfrentou seu game de serviço mais difícil e precisou se salvar de três break-points. A combinação entre o saque aberto e a primeira bola com o forehand se mostrou bastante eficiente. Na sequência, contou com três duplas faltas da ucraniana para quebrar mais uma vez e ficar bem perto da vitória. Sacando para o jogo, a número 4 do mundo precisou jogar quatro match-points até finalmente confirmar a vitória.

Diferente do que aconteceu na semifinal contra Swiatek, quando disparou 10 aces no duelo de 2h50, Rybakina não conseguiu nenhum ace neste domingo. No entanto, colocou 81% de primeiros serviços em quadra, enfrentou apenas três break-points na partida e não sofreu quebras de saque. Kostyuk cometeu quatro duplas faltas, contra nenhuma da cazaque, e fez 15 erros não-forçados contra 18 da rival.

14 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Jorge Kagiya
Jorge Kagiya
28 dias atrás

Parabéns Rybakina!

Fernando Venezian
Fernando Venezian
28 dias atrás

Após vencer a final antecipada contra a rainha do saibro atual, a Iga, nada mais justo essa conquista! Coisa linda!

Edson
Edson
28 dias atrás

Rybakina joga muito, e esta se movimentando mais, se continuar assim chega e pode até passar iga, parabéns…….

Ana
Ana
28 dias atrás

Já pensou se a vencedora ganhasse esse carro!!!!

José Nilton Dalcim
Admin
28 dias atrás
Responder para  Ana

Mas a campeã leva o carro, Ana!

João Sawao ando
João Sawao ando
28 dias atrás

Que pena para marta

Luis Ricardo
Luis Ricardo
28 dias atrás

gosto da Iga e tbm gosto da Ribakina ,e ela tem um diferencial em relação as outras jogadoras , ela sobe bem na rede e tem ótimos voleios , é claro que erra alguns , mas tem coragem de insistir , alem do seu saque ser um outro diferencial……ótima jogadora ,sem apelar pra gritarias mal educadas e desagradaveis como fazem outras….Parabéns Riba…

Viviane
Viviane
28 dias atrás

Rybakina tem tudo pra chegar ao topo e permanecer por algum tempo. Depois da Iga, ela é minha jogadora favorita, e sem muito alarde, tem conquistado títulos importantes no circuito. Já é forte candidata ao RG.

Refaelov
Refaelov
28 dias atrás
Responder para  Viviane

Rybakina só n tá melhor nessa disputa pelos recorrentes problemas físicos gerando desistências/não participações nos grandes torneios

Flávio
Flávio
28 dias atrás
Responder para  Viviane

Viviane a Ribakina se melhorar um pouco mais a mobilidade e evoluir mais um pouco a técnica(se atingir 40%) aí será uma jogadora mais perigosa acho que a Ribakina tem 30% de recurso técnico , agora a Iga só tem 5% de técnica e só pancadaria grossa.

Ivo Cardozo
Ivo Cardozo
28 dias atrás

Tenista russa. Nasceu em Moscou. Foi pro Cazaquistão adulta, já jogava.

Renato
Renato
28 dias atrás
Responder para  Ivo Cardozo

Mas joga pelo Cazaquistão, portanto cazaque.

Renato
Renato
28 dias atrás

Bia e Rybakina tem praticamente a mesma altura. Sei que cada tenista tem uma condição física específica, mas talvez com um bom trabalho físico e técnico, principalmente no saque, a Bia consiga evoluir ao mesmo nível. Na torcida!

Refaelov
Refaelov
28 dias atrás
Responder para  Renato

Eu sempre levanto essa lebre, elas tem rigorosamente a mesma altura! Nem cobro q a Bia tenha a mesma eficiência no saque q a Rybakina mas, é inaceitável q a discrepância seja taaaao grande..

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE