PLACAR

Romena mantém a tradição do Drácula após boa vitória

Jaqueline Cristian (Foto: Transylvania Open)

Cluj-Napoca (Romênia) – Pelo terceiro ano seguido, a romena Jaqueline Cristian aproveitou a ocasião de jogar o Aberto da Transilvânia para entrar no clima do torneio e usar a capa do Conde Drácula em quadra. Jogando em casa, ela estreou com vitória no WTA 250 disputado nas quadras duras e cobertas de Cluj-Napoca, superando a suíça Celine Naef por duplo 6/4 nesta quarta-feira.

Cristian já havia incorporado os trajes do Drácula, clássico personagem de Bram Stoker, nas duas primeiras edições do torneio e conquistando a simpatia do público. Aos 25 anos, ela é a atual 97ª do ranking. Sua adversária nas oitavas será a alemã Eva Lys, jovem de 21 anos e 133ª do mundo, algoz da principal cabeça de chave Sorana Cirstea.

No mesmo quadrante, a russa vinda do quali Ekaterina Makarova, de 27 anos e 213ª do ranking, já está nas quartas de final depois de vencer a romena Patricia Maria Tig por 6/2, 2/6 e 6/3. Makarova, que tem os mesmos nome e sobrenome de uma ex-top 10, espera por Lys ou Cristian nas quartas.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Outra romena a cair nas oitavas foi a convidada Miriam Bulgaru, superada pela espanhola Rebeka Masarova em um jogo maluco, com parciais de 3/6, 7/6 (8-6) e 6/0. Cabeça 4 do torneio, Masarova havia perdido o primeiro set, abriu 5/0 no segundo, mas perdeu seis games seguidos. Depois, devolveu a quebra, venceu a parcial no tiebreak e aplicou um ‘pneu’ no terceiro. A espanhola espera a vencedora entre a romena Ana Bogdan e a jovem tcheca de 17 anos Nikola Bartunkova.

A ucraniana Daria Snigur avançou às quartas depois de vencer a alemã Anna-Lena Friedsam por 6/0, 1/6 e 6/4. Snigur espera pela vencedora entre a alemã Tamara Korpatsch e a britânica Jodie Burrage. Já na partida que encerrou a primeira rodada, a suíça Jil Teichmann superou a belga Yanina Wickmayer por 6/4 e 7/6 (8-6). Teichmann enfrenta a colombiana Emiliana Arango.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE