PLACAR

Pure Beach: Mola e Cariani derrubam dupla nº 1 do mundo e vão às quartas

Mola, de verde, e Cariano. (Foto: Gabriel Stewart/GsMidia.br)

Marechal Deodoro (AL) – A dupla brasileira formada por Daniel Mola, 17º do mundo e que vive em Campinas (SP), e pelo paranaense Giovanni Cariani, 27º, acabou com a invencibilidade de dez jogos da dupla número 1 do mundo formada pelo francês Nicolas Gianotti e o italiano Mattia Spoto, campeões mundiais e atuais campeões do Pure Beach.

Debaixo de um forte calor na Praia do Francês, eles marcaram 2 sets a 0 com parciais de 7/5 e 6/1. Eles voltam a jogar no final da tarde desta sexta-feira contra a dupla vencedora do duelo entre os brasileiros Gustavo Russo e Gabriel Santos e a dupla do gaúcho Fabrício Neis e do italiano Federico Galeazzi, válido pelas oitavas de final.

“Estamos treinando muito, eu e o Gigio, está vindo o resultado. Estou sem palavras ainda. Não foi uma vitória fácil, mas temos que nos preparar bem, descansar, comer bem e nos preparar para as quartas”, disse Mola, de 20 anos.

Cariani, natural de Maringá, 27º, destacou: “É a dupla mais sólida do circuito, sabíamos que seria muito duro, a gente entrou sabendo que tínhamos potencial para fazer um grande jogo. Demonstramos isso, demos nosso melhor, impusemos toda nossa energia para sair com essa vitória.”

Marco Garavini (Foto: Gabriel Stewart/GsMidia.br)

Garavini prepara aposentadoria – Uma das lendas do beach tennis, o italiano Marco Garavini, que marcou época na década passada, está na Praia do Francês pela terceira vez. Ele e o jovem brasileiro Natã Porte venceram na estreia por 6/1 e 6/0 os brasileiros Italo Lourenço e Guilherme Abrahão.

Garavini completa 40 anos em julho, vive em Roma e tem vindo com frequência ao Brasil. Ele vem dividindo o tempo em quadra também servindo de técnico da top 10 romana, Flaminia Daina, que vive no Brasil, e do capixaba Álvaro Campanharo.

O trabalho é o novo passo que o experiente atleta vem preparando para uma nova fase de sua vida. Ele destaca que a temporada de 2024 pode ser a última de sua brilhante carreira, com seis títulos mundiais, sendo três de duplas (2010, 2013 e 2014) e outros três pela seleção da Itália. ‘Il Puma’, como é chamado no circuito, totaliza 65 conquistas no circuito mundial.

“Estou trabalhando como técnico.  Acredito que no próximo ano ou em dois anos irei parar, não mais que isso. Jogarei todo este ano, com certeza, mas o próximo já não sei”, disse o italiano. “Não estou mais focado para fazer tantos torneios, estou um pouco mais velho que os profissionais que estão jogando. Não tenho mais tanta energia como tinha três, quatro anos atrás. É difícil fazer as duas funções (técnico e jogador) ao mesmo tempo. Chego nos torneios às 9 da manhã para prepará-los para os jogos deles e saio 9 da noite.”

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE