PLACAR

Juvenis brasileiras disputam ITFs sul-americanos

Lima (Peru) – Três jovens da nova geração feminina do tênis brasileiros iniciam na próxima semana uma série de torneios da ITF pela América do Sul. As juvenis Olívia Carneiro, Victória Barros e Pietra Rívoli divulgaram seus calendários e retomam as atividades em busca de vaga nos Grand Slam da categoria.

Olívia, Victória e Pietra estão inscritas para o ITF J300 de Lima, na semana que vem. Outra brasileira na chave será Sthefany de Lima. E na disputa masculina, estarão Nicolas Oliveira, Enzo Kohlmann, João Lago e Stephan Noale.

Após o torneio na capital peruana, o circuito segue para Assunção. O torneio paraguaio terá Olívia, Pietra e Sthefany na disputa feminina. No masculino, os campeões da Copa Davis Junior Pedro Rodrigues e Gustavo Almeida reforçam a delegação brasileira, com Oliveira e Kohlmann também em quadra.

Olívia Carneiro (Foto: Luiz Cândido/CBT)

Brasileira mais bem colocada no ranking mundial juvenil, Olívia Carneiro está no 34º lugar e iniciou a temporada jogando na Austrália. Semifinalista do Banana Bowl no ano passado, a paulista de 17 anos é a única top 100 no país e planeja jogar os Grand Slam de sua categoria e deverá seguir para o tênis universitário no segundo semestre. “Chego nesses torneios com a intenção de competir ao máximo possível e tentar jogar um bom nível de tênis que me permita andar nas chaves”, disse Olívia, que é atleta da Rede Tênis Brasil e viaja com o técnico Danilo Ferraz.

A potiguar de 14 anos Victória Barros é a 195ª do ranking e treina na academia de Patrick Mouratoglou na França. Após um período de pré-temporada com o ex-técnico de Serena Williams, ela viajou na última quarta-feira para Lima na companhia da mãe, Maria Luiza, e do técnico Quentin Mege, que é da equipe de Mouratoglou e a acompanha nos torneios. “Vou me preparar para minha gira sul-americana e iremos focar em algumas metas no ranking e para começar a jogar os Grand Slam do juvenil. Também irei jogar os meus primeiros torneios profissionais”, disse Victória a TenisBrasil, projetando seu início de temporada.

A paulista Sthefany de Lima está no 177º lugar. Ela já tem dois títulos de ITF e está em transição para o tênis profissional. Ela somou dez pontos na WTA ainda em 2022. Ela treina com Emerson Lima, no Rio de Janeiro. Já a gaúcha de 15 anos Pietra Rívoli é a 205ª colocada e também tem dois títulos de ITF como juvenil, além de ter defendido o Brasil na Billie Jean King Cup Junior. A jovem tenista se mudou para São Paulo no ano passado e treina com Gustavo Frey no Time RTB.

Brasil Juniors Cup em Porto Alegre já têm inscritos
Também estão definidas as listas de inscritos para a Brasil Juniors Cup, que será disputada entre 26 de fevereiro e 3 de março em Porto Alegre. É o terceiro ITF J300 seguidos na América do Sul. Olívia Carneiro foi a única brasileira a entrar diretamente pelo ranking. Sthefany de Lima e Victória Barros estão na lista do quali, enquanto Pietra é primeira na lista de espera. A organização do torneio tem quatro convites em aberto. No masculino, o mesmo quarteto do torneio de Assunção se repete.

Principal torneio infanto-juvenil em solo brasileiro, o Banana Bowl começará no dia 2 de março e será disputado no Tabajara Tenis Clube, na cidadae catarinense de Blumenau. As listas de inscritos serão divulgadas apenas na semana que vem.

No ranking masculino, o mineiro Pedro Rodrigues é o 27º do ranking, o paranaense Gustavo Almeida está no 43º lugar, o carioca Nicolas Oliveira ocupa a 53ª posição, enquanto o paulista Enzo Kohlmann está na 58ª colocação. No top 200, Lago está no 151º lugar, enquanto Noale é o 181º do mundo. Lembrando que o carioca de 17 anos João Fonseca, atual campeão juvenil do US Open, é o número 2 do ranking mundial da categoria, mas já se dedica exclusivamente ao tênis profissional neste ano.

Enzo Kohlmann (Foto: Getty Images for ITF)
5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo A.
Paulo A.
18 dias atrás

E a Naná não vai jogar ainda? Ela foi muito bem lá na Europa…

Paulo A.
Paulo A.
14 dias atrás
Responder para  Mário Sérgio Cruz

Eu a vi jogar no Les Petits As e achei-a muito habilidosa, agressiva e tranquila em quadra. Bem promissora, se tiver apoio e patrocínio…

Reinaldo
Reinaldo
17 dias atrás

Mario, parabéns pelo blog. Muito bom acompanhar o tenis juvenil por aqui. Eu acompanho o meu filho em vários torneios e o que falta mesmo para termos mais tenista é termos uma estrutura que não dependa dos pais gastarem tanto dinheiro. Precisamos de mais clubes investindo na modalidade. Federacao e confederação também. Jovens talentosos nós temos de sobra. Abraços.

Paulo A.
Paulo A.
14 dias atrás
Responder para  Reinaldo

Sim, ser tenista no Brasil é quase uma improbabilidade. Há que se ter muita sorte para vingar no esporte. Infelizmente.

Jornalista de TenisBrasil e frequentador dee Challengers e Futures. Já trabalhou para CBT, Revista Tênis e redações do Terra Magazine e Gazeta Esportiva. Neste blog, fala sobre o circuito juvenil e promessas do tênis nacional e internacional.
Jornalista de TenisBrasil e frequentador dee Challengers e Futures. Já trabalhou para CBT, Revista Tênis e redações do Terra Magazine e Gazeta Esportiva. Neste blog, fala sobre o circuito juvenil e promessas do tênis nacional e internacional.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals