PLACAR

Musetti amplia festa italiana e desafia descansado Djokovic

Foto: AELTC/Jonathan Nackstrand

Depois de ganhar o título na Austrália e fazer final em Roland Garros, o fortíssimo tênis italiano coloca agora dois nomes na semifinal de Wimbledon, ambos diante de grandes desafios. Lorenzo Musetti comemora a maior campanha da carreira e recoloca o backhand de uma mão na penúltima rodada do Grand Slam da grama, como Denis Shapovalov havia feito há dois anos após o final do reinado de Roger Federer.

Novak Djokovic nem precisou entrar em quadra, já que se confirmou a gravidade da contusão no quadril do australiano Alex de Minaur. Uma pena para ele, que vive o melhor momento da carreira. E isso coloca muita coisa contra Musetti, que irá pisar pela primeira vez na Central. Além disso, o histórico de confrontos é negativo, de 1-5, e ele soma apenas 2 vitórias nas 18 vezes que já enfrentou um top 5. Uma delas foi contra o próprio sérvio, em Monte Carlo do ano passado, sob condições radicalmente diferentes da grama escorregadia.

Com todos os olhares em cima de Jannik Sinner, a campanha de Musetti tem passado quase despercebida. Não fez qualquer jogo fácil e foi levado a cinco sets ainda na segunda rodada, quando o compatriota Luciano Darderi chegou a abrir 2 a 1. Tirou depois os inexperientes Francisco Comesana e Giovanni Perricard e assim era normal sua cotação inferior diante de Taylor Fritz.

E o norte-americano parecia em bom caminho, ao vencer o primeiro set e sair com quebra no segundo, muito agressivo. De repente, perdeu intensidade e, a partir dessa primeira quebra, o embalo diminuiu. O italiano passou então a impor seu estilo cheio de toques, slices e variações. Poderia ter vencido ainda no quarto set, caso Fritz não tivesse salvado brilhantemente 0-40 e outro break-point no quinto game. Isso o fez recuperar a confiança e todo mundo esperava um empolgante e tenso quinto set. Que nada. Musetti, que muitas vezes deixou escapar vitórias importantes por falta de pernas ou de coração, subiu muito de nível e esmagou o 12º do ranking.

O pessoal de boa memória sabe que essas falhas de Musetti lhe custaram duas amargas derrotas contra Djokovic, ambas em Roland Garros, uma em 2021 e outra um mês atrás. Na quadra dura, levou duas surras. Por fim conseguiu vitória de virada no saibro monegasco, que Nole vingou 12 meses depois. Então é óbvio que o heptacampeão de Wimbledon entrará com no mínimo 75% de favoritismo na sexta-feira.

Ironia do destino, Djokovic teve de abandonar as quartas deste último Roland Garros, vítima do joelho que tanto ameaçou sua presença em Wimbledon, algo que jamais havia acontecido a ele num Slam. Ao mesmo tempo, este é o terceiro Slam em que o sérvio se beneficia de um w.o., como aconteceu na segunda rodada do US Open de 2016 e nas quartas de Roland Garros de 2011. Vale lembrar que, em 2022, Nick Kyrgios não disputou a semi de Wimbledon com a desistência de Rafael Nadal.

Nole soma agora 13 semis em Wimbledon, igualando grande marca de Federer, e se torna o terceiro mais idoso a chegar lá, atrás de Ken Rosewall e do suíço. Desde a primeira semi, em 2007, o sérvio ganhou 9, tendo perdido em 2010 e 2012 e vencido as oito seguintes em que chegou lá, incluindo todas as cinco desde 2018.

Rybakina dá outro passo para o bi

Em sua melhor apresentação no torneio até agora, a cazaque Elena Rybakina deu um passo importante rumo ao bicampeonato de Wimbledon. E não apenas porque, é claro, restam agora mais duas vitórias, mas acima de tudo mostrou-se muito firme em todos os quesitos e dominou de forma assustadora a experiente Elina Svitolina, dando à ucraniana tão somente cinco games e ficando em quadra por meros 61 minutos.

A temporada no geral é muito boa para Rybakina, tenista que somou até agora mais quartas e mais semis em 2024 (sete agora, empatada com Iga Swiatek), além de ter sido campeã tanto no piso duro de Brisbane e Abu Dhabi como no saibro de Stuttgart. Uma eventual conquista no All England Club a colocaria novamente em terceiro do ranking, menos de 600 pontos atrás de Coco Gauff.

Com mais 7 aces, que a colocam agora na liderança do quesito junto a Lulu Sun, ambas com 31, Rybakina nem precisou sacar tão bem – 51% de acerto do primeiro – para se impor a Svitolina, que raramente abandonou a postura passiva mesmo tendo obtido quebra valiosa logo no game inicial. Assim, o placar de winners foi uma goleada de 28 a 8.

O duelo contra Barbora Krejcikova já nesta quinta-feira reserva os melhores ingredientes. A tcheca, que não fazia semi de Grand Slam desde o título de Roland Garros de 2021, sabe mesclar efeitos e velocidades e não por acaso ganhou os dois duelos já feitos contra Rybakina, ambos na quadra dura e o mais recente em outubro de 2022.

Essa incrível qualidade técnica, pouco habitual no tênis feminino, tirou totalmente o ritmo de Danielle Collins nas oitavas e novamente nesta terça-feira diante da impetuosa Jelena Ostapenko. Muito experiente, a letã ainda reagiu e chegou a ter 4/1 no segundo set, porém nunca pareceu confortável na obrigação de acelerar a bola o tempo todo. Permitiu reação e Krejcikova fechou no tiebreak, finalizando a partida com 81% de pontos com o primeiro saque, o que é expressivo.

As duas semifinalistas passaram por dificuldades físicas ao longo desta temporada. Rybakina por exemplo ficou de fora de Indian Wells, Roma e Eastbourne, além de abandonar Dubai no meio, quase sempre com problemas gastrointestinais. Já Krejcikova chegou a ficar quatro meses sem vitórias, tendo um problema nas costas que a tirou de Indian Wells e Miami e depois complicou sua vida, com derrotas precoces em Stuttgart, Madri, Estrasburgo e Roland Garros.

A outra vaga na final será disputada na abertura da rodada desta quinta-feira entre Jasmine Paolini e Donna Vekic, as duas também de 28 anos, tal qual Krejcikova. Enquanto a italiana faz mais história e tenta a segunda final de Slam consecutiva, Vekic dá uma incrível volta por cima, tendo considerado a aposentadoria antes de Roland Garros. Paolini tirou do caminho nomes de respeito, como Bianca Andreescu, Madison Keys e Emma Navarro, e tem 2 a 1 no histórico contra Vekic, todos no piso duro. A croata é uma das quatro melhores sacadoras do torneio, com 28 aces, mas também a quinta em duplas faltas, com 23.

Subscribe
Notificar
guest
164 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Filipe Alves da Mota
Filipe Alves da Mota
5 dias atrás

Musetti joga muito bem. Se fosse no saibro o jogo, acho que o italiano teria mais chances. Mas na grama, vencer o sérvio é tarefa inglória, quiçá impossivel.

Jmsa
Jmsa
5 dias atrás

Final do masculino,Djokovic x alcaraz , não vejo nem o italiano nem o russo fazerem frente.
Dalcim , até o momento no torneio ,quem mais te surpreendeu e quem mais deixou a desejar na chave masculina ?

Gustavo
Gustavo
5 dias atrás

Então, quando a torcida vaiou o nome de Novak durante a entrevista de Musetti, eles estavam apenas gritando “Ruuuune”???
Não, eles não estavam. Portanto, o argumento do outro dia não se sustenta mais. As torcidas de Wimbledon estão desrespeitando Novak. Ponto final!

Julio Marinho
Julio Marinho
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Realmente, não estavam. Estavam vaiando mais porque ele é mala e eles não gostam dele. No fim, ele gosta disso, joga melhor brigando. Mas a culpa não é dos ingleses, coitados, a verdade é que, com exceção da Sérvia, em nenhum lugar a maior parte das pessoas gosta dele. Será que ele preferia quando gritavam Roger e ele escutava Nole?

Paulo Vinícius da Silva Reis
Paulo Vinícius da Silva Reis
5 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Engraçado que é ele que tem mais seguidores no instagram do que o queridíssimo Roger né? Acho que você quer chorar e encontrou consolo nesse comentário. Respeite o Novak

Julio Marinho
Julio Marinho
5 dias atrás

Entendo seu ponto. Deve ser até por isso que foi vaiado. Deve ser mais popular pq tem mais seguidores do instagram.. isso coisa que o europeu médio não liga muito, meu caro. É cada uma. Meu consolo é a cara de assombro do Djok quando tomou passado de grand willy. Aquela baba escorre até hoje. Mas foi positivo, ele se tornou um jogador mais aguerrido desde então. Não sabe smashar, mas o resto faz bem feito.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
5 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Eu acho que essa regra de silêncio tem que ser banida do tênis, mas enquanto ela existe, é totalmente desrespeitoso ficar vaiando durante o ponto, durante o saque, depois dos pontos, a aristocracia inglesa que nunca existiu morreu, mas ao menos estão bem vestidos.

Julio Marinho
Julio Marinho
5 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Ele não foi vaiado durante os pontos. Foi entre os pontos todo o imbróglio. Entre os pontos, os primeiro e segundo saques é algo a ser combatido, mesmo contra o Djok.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Não dá pra contemporizar o que houve ali, nada justifica aquilo, aliás justifica sim mas eu creio que você não acredite que há xenofobia.

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Claro que acredito. Mas foi o caso por que? Algum elemento extra? Porque a princípio Kecmanovic ou Lajovic não sofreram nada.

Willian Rodrigues
Willian Rodrigues
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

O elemento extra, meu caro, é que Novak venceu muito mais do que foi derrotado pelos tenistas queridinhos dos britânicos e da mídia em geral. Infelizmente, Kecmanovic e Lajovic nunca foram tão exitosos assim …

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Willian Rodrigues

Bom, esse é um bom ponto e devo concordar com ele. Não possuem a mesma projeção. Mas a questão seria nacionalidade para inspirar um sentimento terrivelmente xenófobo. Daí para falar que é xenofobia a penas para ele? Aí tem seu outro ponto, que ele ter vencido queridinhos. Mas Nadal lapava o Federer a torto e a direito e nunca teve isso. Eu penso assim. Ano passado ele ao tomar a quebra no 5° set contra Alcaraz, destruiu a raquete no pau de sustentação da rede na cara do boleiro (Não é algo que você viu Federer ou Nadal fazendo, mesmo perdendo jogos difíceis em Wbd ou outro Slam). Para os torcedores dele isso não pesa. Mas para a maioria pesa. Por isso, ele tem alguns muitos motivos para que as pessoas não gostem dele. Apenas falar que é xenofobia, que é algo muito grave, pode apenas não explicar que de fato as pessoas nunca gostaram do comportamento dele e, por isso, geraram aversão.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
5 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

UMA VEZ “BANIDA DO TÊNIS essa regra de silêncio”, não será mais “totalmente desrespeitoso ficar vaiando durante o ponto, durante o saque” e “depois dos pontos”?

Marcelo Costa
Marcelo Costa
4 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Os aplausos serão mais ecoados que vaias.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
4 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Você é vidente, MARCELO COSTA?

Rafael F
Rafael F
5 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Verdade, todos sabem que isso fortalece ele, mesmo assim continuam fazendo

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Desde quando um Atleta não pode ser vaiado ? . Os caras ganham milhões para saber lidar com estas situações, que em nada tem a ver com desrespeito. Sem essa de ponto final . McEnroe está defendendo o Sérvio porque é outro que cansou de ser vaiado até mesmo quando jogava com outro bad boy ( Connors) . Djokovic colhe o que plantou com seus chiliques durante toda a carreira. Pareces alguém que começou a acompanhar o Esporte ontem , caríssimo Gustavo. Abs!

Rodrigo W
Rodrigo W
5 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Colhe o que plantou só se for em sentido positivo, já que as birrinhas do público só catapultam a confiança do sérvio, que sempre jogou, e venceu, nessas circunstâncias. Queria ver outro vencer Federer e sua ensandecida legião de adoradores no USOpen 2015 e em WB2019, sem falar na épica virada no USOpen 2011, o primeiro 40×15 com 2 match points revertidos que marcou época.

Julio Marinho
Julio Marinho
5 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Uma coisa é uma coisa, outra é outra. Colhe o que plantou, em termos de antipatia. Mas certamente não houve ninguém que utilizou a animosidade a seu favor. Nem sei porque ele reclama de não ser adorado. Jogo bem brigando, melhor do que joga quando não tem nada atrapalhando.

Rodrigo W
Rodrigo W
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Pelo que me consta, não há qualquer reclamação pública dele quanto a gostarem dele ou não. E acho que sua visão está enviesada, porque ele sabe usar como ninguém a antipatia e a animosidade do público. Ele se acostumou cedo com isso e aprendeu a transformar em combustível. É sabido por todos que esse sentimento contrário surgiu a partir da ascensão dele e de suas sucessivas vitórias sobre o Fedal, principalmente as impostas sobre Federar em Wimbledon e USOpen. Os haters enlouquecem, e ele vence.

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Curioso. Você falou que a minha visão estava enviesada quando fala exatamente o que falei. Ninguém sabe usar tanto a animosidade a seu favor. Apenas vale se você achar que sua fala tb está enviesada, porque aqui concordamos. A questão da antipatia é algo complexo, mas não acho que em nada se relacione a vencer Fedal. Nadal cansou de vencer do Federer no início da carreira e mais para o fim, o Federer ganhava mais. E essa antipatia nunca houve. É mais sobre a postura dele, a necessidade doentia de ser e se mostrar melhor, como se você demérito ser o 5° ou 8° melhor do esporte. Mas veja, a questão que eu coloco é: Por que ele precisa ser popular, querer que não vaiem? Muitas pessoas o acham insuportável. E daí? Nunca o atrapalhou. Outro dia alguém que torce por ele postou que o que interessa no fim é o quanto ele vai vencer e não o quanto é querido. Acho perfeito. Eu sou daqueles que você não vai ver aqui discutindo quem é o maior em números mais relevantes. Isso nem faz mais sentido. Acho Federer bem mais genial, no famoso outplay dos outros jogadores, varrê-los da quadra como ninguém fez. Mas é uma questão de gosto. Eu e a maioria das pessoas acharem o Djok antipático não tira nada de sua capacidade de suplantar os maiores adversários. E nem aumenta sua popularidade. Gostar ou não gostar. Apenas isso.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Ótimo. Então não reclame. Abs!

Rodrigo W
Rodrigo W
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

QUem reclama são os haters amargos e despeitados, figuras como vc, eu comemoro as vitórias e títulos, e mais ainda quando ele cala o público.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Hater de que ? . Deixa de ser pretensioso , meu caro . Djokovic e’ o mais eficiente jogador da história. E para por aí. ” goat “, a meu ver , jamais . Abs !

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
5 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Só mesmo na cartilha de SR que vaias não são sintomas de desrespeito.
Isso, nas palavras de um admirador do esporte.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Não assiste jogo algum . Fognini, Kyrgios e CIA são vaiados o tempo todo. O Sérvio se vira pros torcedores pedindo silêncio. Não adianta que fanático sempre culpa os outros. Parabéns pelos Posters do teu quarto…rs.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Assisto vários, sempre.
Fognini, Kyrgios e CIA são vaiados. Ás vezes…
Continua sendo desrespeito, querendo você ou não.
Aliás, o desrespeito pode começar em A ou B, o que não muda é se é ou não.
Da mesma forma, sempre querer ser o CEO dos comentários, independente dos argumentos utilizados.
Deu…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, vaias e aplausos constituem um direito do torcedor, e este torce contra ou a favor, sendo que no primeiro caso, com vaias e no segundo, aplaudindo. De quebra, ainda há o direito ao silêncio, o que quebra qualquer verborragia como a em questão. Mas sigamos: as vaias e aplausos são destinados a alguém conforme nosso grau de sentimento pelo mesmo, ok? Vaias não são xingamentos ou coisa parecida, vaias são vaias, ou seja, uma forma, digamos, passiva de bater sem lançar mão de termos que possam ofender alguém em sua honra. Já aplausos são, por assim dizer, uma forma de apertar sem abraçar. Dito isso, não vejo nada de mais nem de menos nas vaias conquistadas pelo grande campeão Novak Djokovic. Obviamente, ele tem o direito democrático de ficar puto e se manifestar de forma contrária às ruidosas locuções da torcida. Entretanto, creio que caso fosse aplaudido de forma efusiva, apenas agradeceria, ao invés de oferecer matéria-prima sobre a flexibilidade do rabo da lagartixa aos periódicos de toda monta, com esta confraria inclusa. E o pior é que os tolos prós e os tolos contras caem feito patinhos na tal conversa fiada, gastando tempo com mais esse espetáculo djokovikiano. São pobres diabos que esquecem que gostam dele e que esquecem que não gostam dele. O que deveriam fazer é refletir que Djokovic é o Caetano Veloso de 1968 no teatro da PUC, ao interpretar a icônica “É Proibido Proibir”( alô JOSÉ NILTON!! ). Juntando os cacos a respeito da relevância temática, sinto pena da maioria que gosta de discorrer sobre se uma tonelada de chumbo tem o mesmo peso de uma tonelada de algodão. Sai dessa, LUIZ, você é um cara inteligente, acima da média. Aos demais, só me resta parafrasear o outro, ou seja, vaias são vaias e vice-versa…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Valeu VALMIR, seguirei seu conselho.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

MUITO OBRIGADO pela deferência, meu querido…

evaldo.moreira
evaldo.moreira
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Novidade !!!!

José Yoh
José Yoh
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Estive pensando aqui. Qual seria o motivo de tamanho desrespeito de parte da torcida do Rune (dinamarques), e depois o público na entrevista do Musetti? Alguém aqui iria no estádio pagar caríssimo para assistir ao maior tenista dos últimos 14 anos e vaiá-lo, ali pertinho dele? Eu iria pedir autógrafo.

Seriam federerplanistas (perdoem se escrevi errado) raivosos com as quebras de recordes? (aposentou há dois anos)

Seriam torcedores dinamarqueses querendo desconcentrar Nole?

Seria Nole um vilão tão grande a esse ponto? Teria cometido pecados tão terríveis para ser apedrejado onde triunfou 7 vezes?

Seriam as vaias para o Rune, que parecia um bêbado na quadra? (hipótese mais provável)
Abs

wagner roberto moretti
wagner roberto moretti
5 dias atrás
Responder para  José Yoh

Maior tenista dos últimos 14 anos, só na sua cabeça.

José Yoh
José Yoh
4 dias atrás
Responder para  wagner roberto moretti

Se me conhece, sabe o que quis dizer.
Abs

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  wagner roberto moretti

Qual o maior, senão ele mesmo?

Rodrigo W
Rodrigo W
4 dias atrás
Responder para  wagner roberto moretti

Então diga alguém que ganhou mais que ele de 2010 pra cá? Cri, cri, cri….

Última edição 4 dias atrás by Rodrigo W
José Alexandre
José Alexandre
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Continuo achando que é paranoia do Djoko, se quisessem vaiar ele vaiaram diretamente, e não falando o nome do adversário, e ainda por cima somente nos pontos vencidos pelo dinamarquês, desconsiderando ainda os provenientes de erro do sérvio. Seria uma vaia, no mínimo, extremamente discreta e sutil.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
5 dias atrás
Responder para  José Alexandre

Alexandre, nesse episódio, Djokovic nem estava presente.

José Alexandre
José Alexandre
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Eu sei, não nego a vaia que ele recebeu ontem quando falou o nome dele, me refiro a que ele reclamou no jogo contra o Rune.

André Borges
André Borges
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Nossa, porque será né? Que um grande campeão tem a torcida contra em cada país que pisa…..

Rodrigo W
Rodrigo W
5 dias atrás
Responder para  André Borges

por despeito e dor de cotovelo por ele ter atravessado o caminho e suplantado Fedal. E também por ser transparente em suas declarações e objetivos de carreira, sem hipocrisia.

Gustavo
Gustavo
4 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Perfeito.

José Yoh
José Yoh
4 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Vaias nao sao manifestaçoes de ódio simplesmente porque temos inveja do artista. Vaias sao emitidas quando o público sente-se desrespeitado pelo artista.

Abs

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  José Yoh

Puxa Yoh, esperava mais de você.
Não estou fugindo do nobre conselho do Valmir, mas afirmar, como em sua frase, que vais são emitidas quando o público sente-se desrespeitado pelo artista é um pouco demais não?
Independente de quem foi vaiado, seja na Central, no estádio ou no palco, sempre foi culpa do artista?

José Yoh
José Yoh
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Fabriciano, sei que você jamais vai admitir os erros do Djoko, e sempre vai preferir seu jeito brigão de ser. Isso faz você não perceber o quanto o sérvio é mala, e quanta gente não gosta dele.

Se a pessoa é um federista ou um nadalista então, fica muito fácil nutrir um ódio por ele a ponto de vaiá-lo como no ano passado quando ele quebrou a raquete no poste de WB (a marca deve ainda estar lá).
Abs

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  José Yoh

O ponto do meu último comentário, meu caro Yoh, não tem nada a ver com o Djokovic, como podes conferir aí.
Tentei contra-argumentar sobre sua teoria de que o artista é sempre o responsável pelas vaias.
Grande abraço.

José Yoh
José Yoh
3 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Entendi. Bem, penso que o público vaia quando sente-se desrespeitado pelo artista, nao quer dizer que ele sempre tenha culpa. Por exemplo o Lobao no rock-in-rio tocando suas baladinhas.
Abs

Rodrigo W
Rodrigo W
4 dias atrás
Responder para  José Yoh

Isso vale ao contrário ao também. Quando o artista é achincalhado, ele tem direito de resposta, aliás, como qualquer pessoa.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
5 dias atrás
Responder para  André Borges

Por ter vencido outros grandes campeões tantas vezes, em tantos pisos, em tantos países.

José Yoh
José Yoh
4 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Pensa um pouco Marcelo… seria isso motivo suficiente? Voce e mais um monte de gente iria até WB e vaiariam juntos Federer no seu auge? Foi isso que fiquei refletindo aqui.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
4 dias atrás
Responder para  José Yoh

Esse é o ponto, vaiam quem venceu o suíço no auge, o ponto é novak ter vencido tanto em tantos pisos o atleta preferido de muitos.

José Yoh
José Yoh
4 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

O ponto é que pouquíssima gente vaiaria só por causa disso Marcelo. Só alguns fanáticos mesmo. Mas a quantidade de vezes e de gente que vaiam o sérvio não é pouquíssima.

Jamais vaiaria o sérvio apenas porque ele está ganhando do meu preferido, mas se ele quebrar uma raquete ou gritar com o árbitro ou público, eu vou vaiar sim. É desrespeito assim como vaiar sem motivo.

No geral, os nolistas não querem enxergar os defeitos do sérvio tampouco entender o porquê das vaias. Acham que é tudo inveja.
Abs

Marcelo Costa
Marcelo Costa
4 dias atrás
Responder para  José Yoh

A pessoa novak em nada me agrada, mas note que sempre deixamos de lado o tenista novak para ficar com extra quadra, desviamos do assunto, sabe pq, o servio disputou metade das finais dos gs que jogou, isso é imensurável, incrível, só não é inacreditável pois ele fez e está fazendo.
Resta falar sobre o que ele faz, pois, não há nada a dizer sobre o que joga.

José Yoh
José Yoh
4 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Marcelo, o assunto é sobre o motivo das vaias e não sobre o jogo dele. Estamos falando do comportamento do público no jogo. Você é que está desviando para falar sobre o jogo e as conquistas dele.

Se me conhece, sabe bem que admiro muito o jogo do Nole e suas conquistas, principalmente a parte mental. Já admiti e escrevo de novo que ele foi superior ao Federer.

Abs

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
4 dias atrás
Responder para  José Yoh

Federer já quebrou raquete e vários outros tenistas.

Julio Marinho
Julio Marinho
5 dias atrás
Responder para  André Borges

Pois é.. muita gente não gosta dele, em quase todos os países. É bom ele e seus torcedores se perguntarem isso. Coitado dos britânicos, não vaiaram o Djok por algo em especial, todo lugar que ele vai é assim. E que bobagem se apegarem a isso. Ele não tem mais GS, M1.000, semanas como #1? Só ficar no tênis e ficarem contentes que torcem para um cara muito bem sucedido. Mas ele é impopular porque as atitudes dele não agradam a maioria. E vem de longa data.

Rodrigo W
Rodrigo W
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Ué, eu como torcedor dele fico absolutamente satisfeito com as conquistas e números alcançados, e que se dane o público. Melhor ser vaiado, xingado, etc e ser um campeão na carreira e na vida do que ser idolatrado e medíocre

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Perfeito, Rodrigo. Não tem porque ele correr atrás de uma popularidade que Federer tem. Ele não tem, mas está tudo bem. Vai saber se o estilo dele mais antipático (e aqui na visão da maioria mas não de todos, visto seus torcedores) não foi o que possibilitou ele vencer mais?

Porkuat
Porkuat
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Djokovic claramente quer esse ódio contra, vc não percebeu ainda? O cara só é movido a ódio, então sem dúvida ele quer ser o vilão pra ter “energia” extra buscar esse título. Vamos ver em uma provável final o que vai acontecer, Alcaraz é movido pelo incentivo da torcida e Djoko movido pelo ódio, vai ser um duelo do “bem” contra o “mal”, talvez lembre jogos “Borg x McEnroe”

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
5 dias atrás
Responder para  Gustavo

Não sabia desse detalhe.
Apoio mais ainda sua fala na entrevista de segunda-feira, ainda na quadra.

Julio Marinho
Julio Marinho
5 dias atrás

Difícil demais para o Musetti. Favoritismo do Djok para mim, beira os 90%. Técnica e experiência. Mas o primeiro passo o Musetti já deu: acreditar, baseado nos jogos apertados que fez outra Djok em 5 sets. Para o italiano, vale lutar por cada bola, se manter no jogo o máximo possível e tentar explorar a movimentação do Djok. Se ele tem uma chance, é onde ele sempre falhou, na parte física, porque nenhum jogo do Djok realmente o exigiu nisso. Mas descansado então, ainda mais difícil.

José Afonso
José Afonso
5 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

DjokO*

Julio Marinho
Julio Marinho
5 dias atrás
Responder para  José Afonso

Não vale meu esforço por uma letra a mais. Mais fácil eu ir para Djo

Felipe
Felipe
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Tampouco vai valer o meu esforço para ler o q vc escreve.
Está num blog sobre tênis, escreve errado o nome do tenista, é corrigido e ainda assim preferir escrever errado é lamentável…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  Felipe

Felipe, me desculpe intrometer, mas ele não escreveu errado.
Fez uma abreviatura, de Djokovic para Djok.
Afinal de contas, o nome certo também não é DJOKO.
Saudações.

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Pois é, Luiz Fabiano. Vamos pentelhar aqui quem não escreve Djokovic. Não sabia que tinha abreviação certa! Olhe a hironia: o rapaz me escreve “q vc” e vem criticar abreviatura de Djok. Fala que a corrreção está certa se for Djoko. Vai entender. Idolatria é uma praga ou são amantes dos o’s.

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Fabriciano, perdão. Melhor corrigir logo.. rsrs

Felipe
Felipe
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Beleza, Juli

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

*ironia

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Boa . Os caras caem de paraquedas e já querem sentar na janela rs. Abs !

Felipe
Felipe
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Beleza, Lu

Maurício Luís *
Maurício Luís *
5 dias atrás

Prezado RONILDO, deixo aqui uma singela sugestão: compre uma bolsa de água quente e a coloque nos pés. É pra ontem!!

Ronildo
Ronildo
5 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Ainda tenho esperança em Musetti!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
4 dias atrás
Responder para  Ronildo

… E eu tenho esperança em paz absoluta e duradoura no Oriente Médio.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 dias atrás
Responder para  Ronildo

Pobre Musetti, depois disso talvez nem entre na quadra kkk…

Gustavo
Gustavo
5 dias atrás

Meus palpites para as semis:

Alcaraz em 4

Djokovic em 4

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás

Musetti somente teria alguma chance com seu Backhand Simples na Grama contra Djokovic, se tivesse um Forehand a lá Federer. Eu preferi o Italiano em vez de Fritz , pois ao menos vai fazer o Sérvio precisar se deslocar com sua habilidade, vai que numa dessa … rs. Djokovic já está na FINAL de WIMBLEDON 2024 . Podes crer.Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Depois de tanto chororo do Sérvio provavelmente teremos Muuuuuuusetti !!! rs. Abs !

Paulo Almeida
Paulo Almeida
5 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Acho que minha resposta ficou retida no spam e você só leu “forma reativa”. Tentei duas vezes por lá, mas era sobre sua indignação seletiva novamente. Vamos ver se aparece nas próximas atualizações que nem aquele monte de comentários do Marcelo Reis.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
5 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Torcendo pela contusão do maior de todos?

Andre Eduardo
Andre Eduardo
5 dias atrás

Depois de tirar Zverev da disputa, eu esperava mais do Fritz no jogo de hoje. Musetti mostrou qualidades contra o americano, mas será surrado impiedosamente pelo Djokovic na semi.

No feminino, Rymáquina é favorita e terá minha torcida. No outro confronto, veremos um duelo interessante entre a italianinha sensação da temporada e uma renovada Donna Vekic. À propósito, como é bonito o sorrisão da Paolini ao conquistar uma vitória…

Rodrigo W
Rodrigo W
5 dias atrás
Responder para  Andre Eduardo

Fritz só ganhou do Zverev porque o alemão se lesionou e estava com dificuldades na movimentação. Não fosse isso, aquela virada seria absolutamente improvável. Além do sorrisão da Paolini, aprecio muito também o sorriso, e a beleza como um todo, de outra italiana baixinha, Martina Trevisan.

Andre Eduardo
Andre Eduardo
4 dias atrás
Responder para  Rodrigo W

Rodrigo, e não nos esqueçamos da mais bela das tenistas italianas: Camila Giorgi.

Robson Couto
Robson Couto
5 dias atrás

Dalcim, não sei o que está acontecendo, mas toda vez que tento curtir alguma postagem acaba diminuindo o número de likes quando clico no joinha. Outra coisa, alguém já venceu os três primeiros do ranking em um mesmo torneio assim como Medvedev pode fazer?

Robson Couto
Robson Couto
5 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Uau, taí um título parrudo para valer!

Rodrigo W
Rodrigo W
5 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Considero esse o feito mais extraordinário da história como recorte isolado de desempenho em um torneio.

Aryno Swionteko
Aryno Swionteko
4 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

em 2007 Federer e Nadal já eram consagrados. Djoko ainda estava na crescente. Mas isso não diminui o feito do argentino nao é?

Jonas
Jonas
4 dias atrás
Responder para  Aryno Swionteko

É um baita feito, mas creio que o do Medvedev será maior caso consiga (bem difícil).

Marcelo Reis
Marcelo Reis
5 dias atrás
Responder para  Robson Couto

Isso ocorre comigo com muita frequência. Ao invés de dar um like, aparece um dislike. Já quase abdiquei de clicar.

Neri Malheiros
Neri Malheiros
5 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Comigo também já aconteceu diversas vezes. Ao invés de aumentar o número de likes, diminui. Aí é preciso clicar de novo para voltar ao estado anterior. Também já apareceu a mensagem “Você não tem autorização para votar nesse comentário”, em caracteres vermelhos, quando tentei dar likes em alguns comentários nada polêmicos ou que tenham conteúdos que pudessem justificar tal impedimento. E ontem, pela primeira vez, ao dar um like em um comentário que já tinha outros cinco, o número subiu para nove em vez de seis, que seria o correto.

José Yoh
José Yoh
5 dias atrás
Responder para  Neri Malheiros

As duas coisas também já conteceram comigo. Só nao aconteceu isso de aumentar mais que um.
Abs

Rodrigo
Rodrigo
5 dias atrás

Ribakina parecia uma jogadora de categoria diferente da Svitolina. Era como se fosse uma profissional contra uma amadora ou aposentada. Fiquei espantado pela enorme diferença no nível entre as tenistas

Marcelo Reis
Marcelo Reis
5 dias atrás

Dalcim,

“… torna o terceiro mais IDOSO a chegar …”

Agora me peguei imaginando o sérvio com 83 anos jogando rsrs. Que tal “mais longevo”? Rsrs

Carlos Alberto Ribeiro da Silv
Carlos Alberto Ribeiro da Silv
5 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Apenas para reflexão, se escrever que um menino de 7 anos é mais velho que um de 4 anos, você associará o menino de 7 anos a um idoso?

Marcelo Reis
Marcelo Reis
5 dias atrás

Não.

As palavras “velho” e “idoso”, que podem ser sinônimas a depender do contexto, possuem uma carga semântica distinta nesse seu exemplo. Ninguém associa “criança” a “idoso”, mas entendemos que uma pode ser mais “velha” que a outra.

Rodrigo W
Rodrigo W
5 dias atrás

Paolini tem todos os méritos, sem dúvida. Mas só chegou onde chegou graças à lesão da Madison Keys, que fatalmente ia vencer aquele jogo.

Paulo Vinícius da Silva Reis
Paulo Vinícius da Silva Reis
5 dias atrás

Dalcim, me dói ver tantos fãs do tênis, que provavelmente eram torcedores da dupla Federer e Nadal, não reconhecerem o que o Djoko tanto fez e faz pelo esporte. Já passou dos anos que ao invés de ele receber humilhação, deveria receber reconhecimento.

Joselito
Joselito
5 dias atrás

Reconhecimento será muito difícil de acontecer. Imagina uma torcida dividida por alguns anos: Sei lá, 60% para um e 40% para o outro. Vem um cara e chuta os dois tenisticamente falando para escanteio. Passa-se 10 anos, mas o público que acompanha hoje “in loco” é o mesmo.

A popularidade de Djoko é imensa extra quadra(vide Instagram, Twiter e facebook) e até as notícias aqui no site, mas aqueles que tem condições de ir assistir aos jogos é muito pequena. Isso não vai mudar nunca, eu acho.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Joselito

Chutou Federer e Nadal para escanteio e ficou como N 3 de 2007 a 2011 . Deu tempo do Suíço ficar 237 Semanas CONSECUTIVAS no TOPO , atingir 8 WIMBLEDON e 5 USOPEN consecutivos. Nadal incríveis 14 RG , 8 x 2 nos confrontos em Paris e OURO OLIMPICO . Sei …rs. Abs!

Joselito
Joselito
5 dias atrás

Na entrevista pós partida, foi feito uma pergunta ao Musetti relacionada ao próximo jogo com Djokovic e na ocasião teve o nome vaiado por alguns, mas Musetti meio que deu um tapa de luva mostrando também que tem uma boa relação com o GOAT.

“Ele provavelmente conhece melhor a superfície e a quadra do que eu. Piadas à parte… ele é uma LENDA. Em todo o lugar, mas também aqui em Wimbledon. Nos últimos anos ele tem feito coisas impensáveis”.

Winner
Winner
5 dias atrás

Eu ia fazer um julgamento por toda essa situação peculiar mas por questões de “foro íntimo” não o farei.

Pole Rafael
Pole Rafael
5 dias atrás

Dalcim, ano passado o Alcaraz chocou o mundo (esse sim, chocou) ao quebrar a hegemonia do Djoko e vencê-lo em uma final de Wimbledon. Feito que nem Nadal e nem Federer conseguiram.
Para você quais foram as estratégias que o espanhol adotou para sair com a vitória?

Joselito
Joselito
5 dias atrás
Responder para  Pole Rafael

Foi um jogo de muito vento, se não me engano.
Se tem coisas “fora o adversário” que interferem no jogo do Djokovic são vento e calor excessivo. Reduz significativamente a sua precisão.

Rodrigo W
Rodrigo W
4 dias atrás
Responder para  Joselito

Exatamente

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Joselito

Alcaraz adora vento e calor intenso. Pelo amor… rsrs. Abs !

Joselito
Joselito
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Estou reconhecendo que ele é muito inferior quando está ventando como foi naquele dia ou muito calor como acontece quando joga na rodada diurna com incidência de sol.
Para mim não é surpresa ele perder nessas condições.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
5 dias atrás

“Com mais 7 aces, que a colocam agora na liderança do quesito junto a Lulu Sun, ambas com 31, Rybakina nem precisou sacar tão bem – 51% de acerto do primeiro – para se impor a Svitolina, que raramente abandonou a postura passiva mesmo tendo obtido quebra valiosa logo no game inicial.”

Isso aqui é apenas um pequeno detalhe para termos noção do que seria, aventado aqui, por muita gente, um embate sério entre homens e mulheres. Não daria nem para o começo.
O próprio Chefe já disse que uma top não tiraria nem um set de um top 500 do ranking.

E pelo amor de Deus, estou me referindo apenas aos aspectos físicos dos dois sexos. Para deixar isso bem claro. Rsss.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Somente agora? . Um TOP 200 ( ou mais) , bateria na N 1 sem problemas. Veja a batalha dos Campeões entre Connors e Navratilova valendo US $ 1000.000,00 na Época. O Cara somente tinha direito ao primeiro Serviço. E Martina podia atacar na área de duplas . Jimmy venceu em Sets diretos. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não SR, desde sempre.
Somente agora estou trazendo uma mostra da diferença, no quesito aces.
Jogadores masculinos, bons sacadores, fazem 20 por jogo.
Apenas isso.

Rafael
Rafael
5 dias atrás

Musetti tem feito um belo torneio, mas com grande esforço físico também. Não vejo ele sequer tirando 1 set do sérvio, que, por sua vez, está mais motivado do que nunca! Do outro lado, eu já acredito que o malvadão dificultará a vida do Alcaraz que leva certo favoritismo.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Rafael

Ele não deixou de estar motivado nunca . Principalmente perto do SLAM 25 , que ninguém possui . Estava jogando muito mal , agora voltou a jogar bem . É sem dúvidas favorito para a FINAL , meu caro . Abs!

Gustavo
Gustavo
4 dias atrás

Eu realmente sinto que Daniil Medvedev precisa ser creditado por sua capacidade de superar a derrota na final do Aberto da Austrália. Esse título estava ali mesmo para ser conquistado e não ter vencido deve ter sido esmagador.

E ainda assim aqui está ele, nas semifinais de Wimbledon. Coisas de campeão.

Jonas
Jonas
4 dias atrás
Responder para  Gustavo

O Russo já tem um jogo que incomoda demais o Sinner. Na final do AO Medvedev vinha numa sequência brutal de jogos e o físico acabou pesando.

Paulo F.
Paulo F.
4 dias atrás

Helena:
Com relação à pasta passada:
Eu considero o segundo serviço de Pete Sampras o melhor de todos os tempos.

Helena
Helena
4 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Também acho, Paulo.

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Eu acho que também acho isso.. rsrs.. mas eu acho que o Kyrgios também poderia pleitear o posto. A questão é que ele é um tenista muito menos relevante na história e aí fica até difícil fazer uma comparação possível. Por isso, ainda fico com Sampras, mas me impressionava muito com a capacidade (velocidade de braço) do Kyrgios no 2° saque. Pena que um jogador tão talentoso (daqueles que você não vê fácil) teve uma mente perturbada por tanto tempo e quando ficou mais profissional, foi acometido por uma lesão séria.

Letícia
Letícia
4 dias atrás

Djoko na capa da vogue deste mês com a manchete: the greatest of all times.

Viúvas, beijos de luz para vcs

Kkkk

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 dias atrás
Responder para  Letícia

Mas ele não fez mais winners naquela partida kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  Letícia

Mais um “papo de boteco”, por um cara que só é popular na Sérvia!

Letícia
Letícia
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Pois é

José Yoh
José Yoh
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Como se a Vogue fosse uma revista de tênis… Devem ter eleito um juri especializado para escolher o GOAT, kkkkkkkk

(o papo do boteco foi para o cabeleireiro)

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  José Yoh

O Vogue não é uma revista especializada, mas minha dúvida é: como ela chegou ao termo GOAT?
Será que seus redatores frequentam algum boteco de alguma esquina em Sampa?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
4 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, deve ser o Bar Brahma, o Riviera ou o Sujinho…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
2 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Boa Valmir, já estive no Sujinho, mas não se falava em GOAT lá não, rsss.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
2 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, ainda bem, porque conversa bêbado só aqui, nas dependências do limpinho…

José Yoh
José Yoh
3 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Mas o assunto nao é sobre o termo GOAT, mas a forma como discutimos e escolhemos o GOAT.

Alias quem escolheu o GOAT na capa da VOGUE foi a Lacoste, que pagou bem caro pelas propagandas contidas nela. Aparece até o logo em uma das fotos.
Abs

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
2 dias atrás
Responder para  José Yoh

Bom, se a Lacoste pagou, imagino eu que o cachê é justo para o retorno que seu garoto propagando gera.
Acho melhor tirar a peneira de sobre o sol. Economiza.

Paulo F.
Paulo F.
4 dias atrás
Responder para  Letícia

A Vogue não sabe que o quê importa é apenas o Legado!
Sei
A conferir
Rsrsrrs
Abs!

Letícia
Letícia
4 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Kkkk
Será? Acho q sabe e mesmo assim cravou quem é o goat

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Letícia

Está atrasada minha cara . A revista de MODA Vogue em 2015, pos Djokovic na Capa ( tinha acabado de assinar com a Japonesa UNIQLO ) , já insinuando o mesmo. Federer foi substituí-lo ganhando o triplo e com contrato de 15 anos que ainda está em vigor . Moda , cultura, beleza , estilo de vida e PASSARELA, são as especialidades da Vogue internacional. Até aí morreu Neves…rsrs. Abs!

Neri Malheiros
Neri Malheiros
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

O fato de Federer ter assinado com a marca japonesa pelo triplo e com um contrato mais longo pode comprovar que o suíço tem agente, assessores financeiros e uma equipe de marketing que cuida muito melhor de seu dinheiro e imagem que o pessoal ligado a Djokovic. Tais questões me parecem nada terem a ver com a alfinetada de Letícia. Será que a Vogue, uma revista especializada em estilo de vida, moda e outras futilidades teria se informado sobre quem é o GOAT com os ocupantes da Kombi aqui no blog do Dalcim?

Letícia
Letícia
4 dias atrás
Responder para  Neri Malheiros

Perfeito

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Neri Malheiros

Existem revistas especializadas em Esporte inclusive Tênis, meu caro . Idem para diários como MARCA, Eurosport, que ainda não cravaram ” goat ” algum . Quem sabe Djokovic vencendo WIMBLEDON 2024 , não se animam e cravam como a Vogue ?. Abs !

Neri Malheiros
Neri Malheiros
3 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Talvez por ser um jornalista não especializado em tênis, eu desconheça a existência de revistas e jornais dirigidos para esse segmento esportivo. Sou do tempo da revista Placar, lançada em março de 1970, que só vez ou outra trazia reportagens sobre os grandes embates entre os ídolos do tênis daquela época, e de lá para cá não me atualizei. Agradeço as dicas valiosas, Sérgio.

Só uma curiosidade: a tua indagação final indica que se Nole conquistar o oitavo título no All England Club pelo menos você também não terá mais dúvida?

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
4 dias atrás
Responder para  Neri Malheiros

Sharapova sempre ganhou mais dinheiro do que Serena.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
3 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Minha fonte está errada rs

Letícia
Letícia
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Se em 2015 só insinuou agora em 2024 afirmou. Então não to atrasada.
O gasto de energia que eu tenho para corrigir uma bobagem q vc escreve é muito maior do que a energia q vc gastou para criá-la. Sendo que no final, vc não quer ser convencido de nada.
Entao nem deveria ter te respondido. Mas respondi. Kkkk

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Letícia

Muito espirituosa e porque não dizer engraçada, caríssima Letícia. A Vogue não pode ser considerada especialista no assunto e a reportagem mostra o Sérvio dando uma de DJ , mostrando a seriedade. Bobagem é não ter noção de quais revistas especializadas no assunto, e que não puzeram até agora, NINGUÉM como ” goat ” . Deixe de tanta preguiça, meu anjo …Abs!

Julio Marinho
Julio Marinho
4 dias atrás
Responder para  Letícia

Muitas coisas são relevantes. Primeiro, a total falta de autoridade da Vogue para afirmar qualquer coisa sobre tênis.. essa é ótima, uma padaria anunciar que tem o melhor parafuso. E, segundo, como você acha que vão vender revista? Falando, “Djokovic, aquele que tomou pneu para o Federer em Cincinatti?”. Vocês comprariam? Melhor vender mesmo. Faria o mesmo, exageraria para vender. Parece aquelas lojas de “melhor bolo de chocolate do mundo…”

Letícia
Letícia
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Vc leu a entrevista q o Djokovic concedeu à jornalista para afirmar isso? Vc leu a matéria? Vc sabe se quem a escreveu ou se quem escreveu a capa não tem autoridade para afirmar quem é goat ou não? Aliás, quem tem essa autoridade? Vc?
E, por fim, se vc considera a manchete “caça-clique”, tá no teu direito. Já eu reconheço os fatos.

Júlio Marinho
Júlio Marinho
3 dias atrás
Responder para  Letícia

Pior que eu li, Letícia. E aí fica feio, né? Nenad Janjatovic, sérvio, morador de Belgrado e que diz no primeiro parágrafo que Djok é seu jogador predileto, sendo obcecado por ele. Aí, você me diz, é uma fonte para você? Vamos dizer que um jornalista da Rolling Stone, suíco, morador da Basiléia, que se diz obcecado por Federer, dizer que Federer é goat, vale? Acho que não, né. Mesmo como torcedor do Federer, eu, pelo menos, daria nenhum valor a isso. Só uma questão de prudência em relação ao que viés de confirmação. Se não passamos para o tal “nossa, diz tudo que sempre acredito. Só pode ser verdade isso”. O Djokovic é o jogador mais bem sucedido, podem usar Goat, com certeza, mas não é por conta que você gostou do que o torcedor sérvio disse na Vogue né. Até porque, e aí veja porque é “caça clique” nos seus termos, a matéria é sobre a personalidade do Djokovic, o qual o jornalista considera fã, e no qual ele diz desde sempre, porque o Djokovic é “muito mais” do que o melhor de todos os tempos. É um ode a sua personalidade, tão admirada pelo fã. Então, a capa é sim para vender. A revista está certa, quer vender, a chamada é rápida, mas não tem nada a ver com algum argumento embuído de autoridade. E, não, Letícia, não sou autoridade, mas reconheço o Djok como o melhor. Acho melhor ir lá ler a revista. Qualquer dúvida é só falar.
Abraço.

Letícia
Letícia
3 dias atrás
Responder para  Júlio Marinho

1. Feio por q? O mínimo q espero é que vc tenha lido para falar o que falou;
2. Quem questionou a autoridade da Vogue foi vc;
3. Se eu tiver dúvida falo direto com a redação da Vogue.

Júlio Marinho
Júlio Marinho
3 dias atrás
Responder para  Letícia

1) Se esperava que eu tivesse lido, por que perguntou então? É pegadinha? Mas você não leu, porque se não teria apostado tão alto na autoridade do entrevistador/fã.
2) Sim, questionei e, de fato, não há, porque não é pessoa isenta de estatuir algo sobre o tênis, afinal, ele mesmo, se disse enviesado.
3) Imagina que vá mesmo, é viés de confirmação.
Abraço.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Prezado Julio, quem você qualifica com autoridade para afirmar qualquer coisa sobre tênis?
José Nilton Dalcim seria uma?

Júlio Marinho
Júlio Marinho
3 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Seria, claro, Luiz Fabriciano. Sem dúvida. Resposta dada. Mas entao, me responda, seria um entrevistador sérvido da Vogue, Nenad Janjatovic, que no primeiro parágrafo diz: “Novak Djokovic is my favorite tennis player. Actually, this might be an understatement in my case. To be completely honest, I’m more obsessed with Novak.”? Resposta simples, acha uma boa fonte ou não? Já que estamos na Q&A, você me viu falando que o Djok não era o Goat ou eu estava questionando a fonte enviesada?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
2 dias atrás
Responder para  Júlio Marinho

José Nilton Dalcim já é o suficiente para mim.
Quanto a Vogue, não ligo se tem autoridade ou não. Apenas achei legal ela dar essa moralzinha ao sérvio sem carisma e que possui apenas meia dúzia de fãs na Sérvia.
Obrigado pela resposta.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Nadal tem autoridade? Ele afirmou que Djoko é o goat.

Júlio Marinho
Júlio Marinho
3 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Claro que tem. Mas o torcedor da Vogue, não, né? Sérvio, obcecado como disse. Virou argumento para você? E já viu eu falar o contrário, Paulo, que ele não é Goat?

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
4 dias atrás
Responder para  Julio Marinho

Pode vender assim: aquele que venceu 4 finais de slam e 3 de atp finals contra o ex-goat, Federer.

Júlio Marinho
Júlio Marinho
3 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Título longo. Mas de toda forma funcionaria. Quando o pessoa ver Federer escrito, sai clicando mesmo.. na pressa de hoje, vai até ler que ele é o goat e gostar.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 dias atrás
Responder para  Letícia

Onde está a resposta a este comentário ??? . Não existe nenhuma ofensa ou agressão a esta Sra . Que critério é esse ?????

Gustavo
Gustavo
4 dias atrás
Responder para  Letícia

Até a Vogue acha que Novak é o maior de todos os tempos. Nossa, o amor entre Anna Wintour e RF acabou…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 dias atrás

Se tem algo q Rafa nunca teve e nunca terá é… bom senso. Há pouco dizia que não conseguia se mover bem em quadra pelas restrições físicas, agora vai jogar simples e duplas kkk. Mas esse perfil sempre foi sua marca registrada, mesmo sendo totalmente incoerente com o q diz…

Jorge Ben
Jorge Ben
4 dias atrás

Final Djokovic vs Alcaraz, espanhol é favorito, Dalcim?
E quanto você daria de favoritismo?

Felipe
Felipe
4 dias atrás

Imagine se Nadal estivesse na posição de Djokovic, ouviríamos inúmeros comentários sobre como ele é “o maior guerreiro e competidor”.

Mas porque é Novak Djokovic você não ouvirá nada disso.

Lucas F.
Lucas F.
4 dias atrás

Chrissie continua repetindo durante as transmissões que um saque é importante “porque você saca metade dos jogos que joga”. Que outro comentário mais patético. Ela está apenas explicando as regras mais básicas das básicas

Felipe
Felipe
4 dias atrás

“Já trabalhei com muitos grandes campeões, mas um homem com tanta vontade, não sabia que existia. Com Novak (Djokovic), entrei em outra dimensão. – Jean-Georges Cellier, fisioterapeuta francês de Novak após cirurgia

Felipe
Felipe
4 dias atrás

E se Carlos Alcaraz se juntasse ao clube exclusivo daqueles que conquistaram a dobradinha de Roland-Garros ➡️ Wimbledon no mesmo ano? Aos 21!

1962, 1969- Wash (aos 23 anos)
1978, 1979, 1980- Borg (aos 22 anos)
2008, 2010- Nadal (aos 22)
2009- Federer (aos 27 anos)
2021- Djokovic (aos 34 anos)

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon