PLACAR

Iga volta a superar Kenin e tem estreia segura na grama

Foto: Edward Whitaker/AELTC

Londres (Inglaterra) – Em seu primeiro jogo desde o tetracampeonato de Roland Garros, Iga Swiatek estreou com vitória em Wimbledon. Embora não tenha disputado torneios preparatórios na grama, ou mesmo exibições nas últimas semanas, a número 1 do mundo teve uma atuação segura contra a norte-americana Sofia Kenin e marcou as parciais de 6/3 e 6/4 em 1h19 de partida.

Esta foi a terceira vitória de Swiatek sobre Kenin no circuito. Elas já haviam se enfrentado na final de Roland Garros de 2020, quando a polonesa tinha apenas 19 anos e ocupava o 54º lugar do ranking, batendo uma top 10 para vencer seu primeiro Slam. Já o duelo mais recente havia sido no Australian Open deste ano.

Aos 23 anos, Swiatek faz sua quinta participação em Wimbledon e tem como melhor resultado as quartas de final do ano passado. Ela enfrenta na próxima rodada a vencedora da partida entre a croata Petra Martic, 85ª do ranking, que venceu a convidada britânica Francesca Jones, 215ª do ranking, por 3/6, 6/1 e 6/2. A polonesa venceu os três duelos contra Martic sem perder nenhum set, um deles na grama de Wimbledon no ano passado.

Já Sofia Kenin não conseguiu repetir o desempenho do ano passado, quando eliminou Coco Gauff e chegou à terceira rodada. Ex-número 4 do mundo e campeã do Australian Open de 2020, a norte-americana de 25 anos aparece atualmente no 49º lugar, depois de ter sofrido com lesões e problemas de saúde nos últimos anos, especialmente uma grave lesão no pé direito que a fez sair até do top 300 há duas temporadas.

“Não era fácil enfrentar uma campeã de Slam tão cedo”, afirmou.

“Não era uma estreia fácil e fiz um jogo sólido. Mas hoje na WTA é muito comum enfrentar uma campeã de Grand Slam logo nas primeiras rodadas, são adversárias muito experientes e você precisar estar pronta. Não há tempo para você ir entrando aos poucos no ritmo do torneio e fico feliz pela forma como eu lidei com tudo isso”, disse Swiatek na entrevista em quadra. Além dos dois duelos com Kenin na Austrália e em Wimbledon, ela chegou a enfrentar a ex-número 1 Naomi Osaka na segunda rodada de Roland Garros.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Invicta há 20 jogos no circuito, a polonesa diz que atua sem pressão durante a temporada de grama, pensando apenas em melhorar seu jogo no piso. “Na grama, o que mais importa é como eu me sinto, especialmente em comparação com o ano anterior. Não estou olhando tanto para números ou estatísticas. Estou apenas tentando melhorar a cada dia. Sei que a situação durante os jogos pode mudar muito, mas nos treinos eu sinto que estou cada vez melhor. Então posso chegar aqui e não pensar em pontos ou resultados, apenas em jogar melhor”

Apesar de ter enfrentado break-points em seus dois primeiros games de serviço, Swiatek não demorou a abrir vantagem e saiu vencendo por 2/0. A polonesa perdeu o saque uma vez, depois de uma boa devolução da rival e que a fez bater na bola desequilibrada. Ainda assim, logo recuperou a vantagem, pressionando o saque da norte-americana e fez 4/1. Depois disso, a número 1 do mundo passou a confirmar seus serviços de forma mais tranquila até o fim do set.

As sacadoras vinham prevalecendo no começo do segundo set até o empate por 3/3. Swiatek conseguiu passar à frente no sétimo game, com duas ótimas devoluções, a primeira atacando a paralela e a segunda usando uma bola mais profunda e no corpo para chegar ao break-point. Kenin teve o serviço quebrado ao errar uma curtinha.

No game seguinte, a polonesa enfrentou o único break-point na parcial, quando a norte-americana não aproveitou a chance de atacar seu segundo serviço e errou um forehand. O que se viu no final da partida foram dois games de serviço impecáveis da líder do ranking para confirmar a vitória. Swiatek disparou seis aces na partida, liderou a contagem de winners por 17 a 9, e cometia 12 erros contra 18 da norte-americana.

21 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Vicentina
Vicentina
20 dias atrás

Assisti este jogo, então a Iga é igual os times pequenos quando enfrenta os grandes, ou seja, joga na retranca o jogo todo e se der certo por uma bola ganha o jogo. Que jogo burocrático e feio meu Deus.

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  Vicentina

Boa essa viu moça kkk, olha só que interessante uma moça como vc falando isso da polonesa, mas daqui a pouco a turma do mimimi que não aceita a verdade vão querer de atacar aqui, então vai ser interessante, caso aconteça, como a turminha do mimimi vai lhe dar contra opinião de uma mulher falando a verdade da polonesa ,né . Kkkk

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
20 dias atrás
Responder para  Flávio

Fez o dobro de WINNERS e jogou na retranca? . Mais Aces e menos ENFs na Grama ? . É óbvio que vai dar certo… rsrs. Abs !

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Será? Mas ninguém sabe, né. Kkk Abraços também meu caro.

Rodrigo Carreiro
Rodrigo Carreiro
20 dias atrás
Responder para  Vicentina

Essa é uma das descrições de número 1 do mundo mais sem pé nem cabeça que já li por aqui. Como assim, se der certo?!?

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  Rodrigo Carreiro

Rodrigo acho que o que ela quis dizer é que a Iga só joga no fundo de quadra e com pouca qualidade técnica, por isso que ela disse jogo feio bom é isso que eu entendi.

Marcos RJ
Marcos RJ
20 dias atrás
Responder para  Flávio

5 Grand Slams aos 23 anos de idade, com POUCA QUALIDADE TÉCNICA???
Como diria o capitão Guimarães….. Esse Flavio é um fanfarrao
Hahahahahahahhaha

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  Marcos RJ

Marcos ela ganhou 5 slam foi com mérito dela isso não podemos questionar, mas será que vc já viu como ela joga? Pois é, então ela não varia o jogo mostrando ter limitações mesmo. 95% das suas adversárias não conseguem anular isso, por isso o seu jogo simples que é eficiente vai se mantendo, então eu não vi nenhum jogo masculino ainda porque não tive tempo e o único que vi foi da polonesa porque foi o único que sobrou no meu tempo e vi que nem na grama ela vai mudar ,mas tudo bem segue o jogo.

Marcos RJ
Marcos RJ
20 dias atrás
Responder para  Vicentina

Gosto nao se discute, mas deve ser a primeira vez na história em que alguém faz quase o dobro dos winners da adversária, e ainda assim recebe rótulo de retranqueira. Comentario sem sentido

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  Marcos RJ

Cara eu entendi o que ela disse acho que ela se referiu é que o jogo da Iga é muito ruim, então acho que foi isso que ela quis dizer.

William
William
20 dias atrás

Se a Iga jogar sério, ganha de qualquer uma em qualquer piso. Fato!!

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  William

Jogar sério kkk,mas ela já joga cara só que ela é muito limitada que vc até hoje não enxerga isso, aliás, o tênis feminino atual está tão limitado que até ela pode chegar longe na grama, pois as principais jogadoras de grama não estam bem. Agora a Marketa, campeã de 23, já foi eliminada comprova a fase frágil que o tênis feminino atual vive, infelizmente.

melkizedeke
melkizedeke
20 dias atrás

Tomara que não aprenda a jogar na grama, senão serão 30 Gran Slams, a diferença para as demais oponentes é abissal. Burocrático mais eficiente.

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  melkizedeke

Tem razão amigo, mas só discordo de uma coisa é que mesmo se ela aprender um pouco ela não chega nunca a 30 slam, aliás, eu já disse aqui que ninguém vai chegar nos 24 slam de Djokokiv ou da Court agora se ela se adaptar a grama mesmo jogando feio aí de 12 slam, que previ, pode chegar a 15 slam e não mais do que isso.

Roberto Mesquita
Roberto Mesquita
20 dias atrás

Aqui se critica sempre o tênis feminino com algumas frases repetidas: “baixa qualidade do tênis feminino”, “tênis feminino é chato”, “as mulheres são limitadas atualmente”. Então quais as características desejáveis para um tênis feminino de qualidade? O que precisaria mudar?

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  Roberto Mesquita

No meu ponto de vista acho que precisa variar um pouco o jogo, lógico que não tem como ser igual no masculino apenas um pouco, mas eu consigo ver que algumas fazem isso e outras não.

Roberto Mesquita
Roberto Mesquita
20 dias atrás

Se é o tênis feminino, então as mulheres deveriam jogar igual aos homens? A Serena Williams tinha força quase tanto quanto um homem, e ganhava sempre na força, na potência! Isso é que é qualidade do tênis feminino?

Ana
Ana
20 dias atrás
Responder para  Roberto Mesquita

Até que enfim apareceu alguém com bom senso (e, sobretudo, que sabe escrever! )

Roberto Mesquita
Roberto Mesquita
20 dias atrás

Tenho interpretado a crítica “tênis limitado” das mulheres, ao fato de ao longo do tempo, à medida que o jogo fica mais rápido, exige mais físico, mais rapidez e força, o que provoca a diminuição das variações de jogadas. E essas variações embelezam as jogadas, porque surpreendem, trazem mais emoção e movimentam mais a plateia. O tênis mais de força física e velocidade, de eficiência, poderia ser tratado como “chato” ou “limitado”. É isso?

Valentina
Valentina
20 dias atrás
Responder para  Roberto Mesquita

Amado acho que pode ser isso, ultimamente vejo mais jogos deles do que delas.

Marcos RJ
Marcos RJ
19 dias atrás
Responder para  Roberto Mesquita

Bons comentarios, Mesquita. Tem muito comentarista de sofá que nunca sequer pisou numa quadra de tênis, mas gostam de dar pitaco e dar uma de machão. Eles dizem que a Sabalenka sempre foi fraca mentalme – a mesma jogadora que que ganhou o AO 2023 e repetiu a dose no AO 2024 sem perder sets, que ao No 1 do ranking batendo a toda poderosa polonesa, e melhorou em todos os aspectos. E dizem que a Iga – campeã de 5 grand slams aos 23 aninhos – nao tem tecnica. Eu gostaria muito de ver esses pangarés entrando em quadra contra uma dessas meninas “fracas e sem tecnica”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Fils vence a grande batalha de Hamburgo em cima de Zverev

Veja como Zheng chegou ao bicampeonato em Palermo

PUBLICIDADE