PLACAR

Iga atinge 11 mil pontos e repete feito de Serena

Foto: Giampiero Sposito

Roma (Itália) – Invicta há dez jogos na temporada de saibro e classificada para a semifinal do WTA 1000 de Roma, Iga Swiatek já melhorou sua campanha em relação ao ano passado e vai atingir a marca de 11 mil pontos na próxima atualização do ranking da WTA. Com isso, a polonesa repete uma marca estabelecida por Serena Williams em 2013. Elas são as únicas mulheres com essa pontuação no ranking.

A líder do ranking mundial começou o torneio com 10.910 pontos, com mais de 3.400 de vantagem para Aryna Sabalenka, e está chegando a 11.085 com a semifinal. Ela pode chegar a 11.345 se for finalista e incríveis 11.695 se conquistar o título. E nesse cenário, poderia abrir quase 4 mil pontos de vantagem.

Vencedora de 20 torneios no circuito, incluindo nove WTA 1000, Swiatek já foi campeã em Doha, Indian Wells e Madri na atual temporada. A jogadora de 22 anos tenta alcançar sua 25ª na carreira e a quarta em 2024. No saibro de Roma, conquistou o torneio em 2021 e 2022 e se retirou nas quartas do ano passado por lesão na coxa.

Chance de vencer Roma e Madri no mesmo ano

Swiatek tem a chance de repetir outro feito Serena nos próximos dias. Isso porque a norte-americana é uma das duas mulheres que venceram os torneios de Roma e Madri desde o estabelecimento dos WTA 1000 há 15 anos. Serena venceu os dois eventos em 2013, enquanto a russa Dinara Safina ganhou na Espanha e na Itália em 2009.

Antes de Madri se estabelecer no calendário, Berlim recebeu um evento Tier I, segundo a nomenclatura da época, entre 1982 e 2008. E outras três mulheres venceram nas capitais da Itália e da Alemanha, Steffi Graf em 1987, Monica Seles em 1990 e Amelie Mauresmo in 2004.

Para a polonesa, ainda é cedo para pensar nessas marcas. “O foco está em vencer a próxima partida. Como sempre, fazer tudo passo a passo é o melhor caminho a percorrer. Ainda há um longo caminho”, explica Swiatek, que enfrentará a norte-americana Coco Gauff na semifinal da próxima quinta-feira. A polonesa lidera o histórico por 9 a 1 e venceu os três duelos no saibro.

Vitória sobre Keys nas quartas de final

A vitória por 6/1 e 6/3 sobre a norte-americana Madison Keys nas quartas trouxe bastante confiança para a polonesa, especialmente por conta do desempenho no saque. Ela não sofreu quebras, mesmo enfrentando dez break-points na partida.

“Estou feliz com o meu saque e, em geral, com a forma como me adaptei às condições de Roma. Hoje foi meu melhor dia desde que cheguei aqui. Tive um desempenho sólido e não estava pensando muito no placar, apenas focada no próximo ponto. Funcionou muito bem”, avalia a líder do ranking.

“Tive alguns games disputados, que poderiam ir para qualquer lado. Felizmente, eu estava muito focada nos momentos importantes para quebrar ou não permitir que a Maddie voltasse para o jogo”, comentou. “Sempre tenho um plano B e meu saque tem funcionado em cada vez mais partidas. Eu e minha equipe estamos constantemente nos concentrando no saque e isso nos dá uma confiança muito boa”.

Subscribe
Notificar
guest
15 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
5 dias atrás

Imagine alguém chegar a 16950 pontos.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
5 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

como assim ??…16.950 ??

Marcelo Reis
Marcelo Reis
4 dias atrás
Responder para  Luis Ricardo

É uma alusão (e uma comparação) ao mais alto ranking do Novak em 2016.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
4 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

entendi . obrig.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Um belo exemplo de como o Paulinho se deixa levar com facilidade. A pontuação mudou toda a partir de 2009 . Iga Swiatek sem vencer nenhum SLAM já está com 11000 . Bota 3 SLAM ( Federer 2006 , Djokovic 2015 ) , teríamos 17000 , sem contar os ATPs 500 e 250 e FINAIS, chegaria fácil em 18000 pontos. Dificilmente Swiatek consegue aquelas campanhas este ano …Abs!

Leonardo
Leonardo
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Sergio, não é exatamente como voce comenta. Os 11000 pontos incluem RG 2023, além de 4 M1000 e o WTA Finals invicta que são 1500 pontos.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Nem citei ATP FINALS invicto…rs Abs !

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
4 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Djoko ganhou invicto em 2022 o Finals.

Andrade
Andrade
5 dias atrás

Iga quebrando recordes, caminha a passos largos para ser uma das melhores de todos os tempos, joga muito a polonesa!

Edson
Edson
5 dias atrás

Não tem adversárias a altura…..

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
5 dias atrás

Sem adversárias. Muito acima das demais

Sinzaburo kinoshita
Sinzaburo kinoshita
4 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

A Iga sempre focada no jogo.se continuar assim vai ser uma tenista imbativel

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
4 dias atrás

Na verdade, acho que estão se referindo ao recorde de pontos alcançados na liderança do ranking por Novak Djokovic em outubro/2015. Naquela ocasião Djokovic chegou a 16.785 pontos, recorde absoluto de pontos alcançados na liderança do ranking da ATP até agora. Isso é inimaginável se repetir para qualquer tenista, mas eu não duvido que a Iga possa atingir esses números se conseguir se manter saudável e continuar evoluindo.

Andre Borges
Andre Borges
4 dias atrás

Hoje a Iga está muito muito muito acima das demais o que so engrandece o feito da Bia de tê-la vencido

trackback

[…] Swiatek é a chance de se tornar a terceira mulher a vencer os WTA 1000 de Roma e Madri desde que este nível de torneios foi instituído em 2009. A primeira foi a russa Dinara Safina, […]

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE