PLACAR

Griekspoor supera Hurkacz em jogo de três tiebreaks

Tallon Griekspoor (Foto: ABN AMRO Open)

Roterdã (Holanda) – Último remanescente da casa no ATP 500 Roterdã, o holandês Tallon Griekspoor conseguiu uma grande virada nesta quinta-feira e anotou a maior vitória da sua carreira. Atual 29º do ranking, o jogador de 27 anos superou o polonês Hubert Hurkacz, 8º colocado e cabeça 4 do torneio, em jogo equilibradíssimo e decidido em três tiebreaks, com parciais de 6/7 (5-7), 7/6 (7/5) e 7/6 (7-4) em 2h36 de confronto.

Esta foi a segunda vitória de Griekspoor em 14 jogos diante de um top 10, sendo que antes havia batido o norte-americano Taylor Fritz, então número 9 do mundo, na semifinal de Washington no ano passado. Dono de dois títulos no circuito, um deles justamente em casa na grama do ATP 250 de ‘s-Hertogenbosch em 2023, ele tem como melhor resultado em Roterdã a semifinal da última temporada, caindo para o italiano Jannik Sinner.

Caso repita a campanha, seu adversário na penúltima fase pode ser exatamente o mesmo Sinner. Para isso, no entanto, Griekspoor precisará vencer mais um jogo e o atual campeão do Australian Open e principal cabeça do torneio terá de passar por outros dois desafios, primeiro contra o convidado francês Gael Monfils e depois diante do canadense Milos Raonic.

O holandês enfrenta nas quartas o finlandês Emil Ruusuvuori, 55º do ranking, que venceu o alemão Jan-Lennard Struff, 25º colocado, por duplo 6/3. Griekspoor possui retrospecto favorável, não tendo perdido ainda nenhum jogo para o rival em três duelos anteriores.

Por sua vez, Hubert Hurkacz continua sem conseguir superar a barreira das oitavas de final em Roterdã, caindo na segunda rodada do torneio pelo quarto ano consecutivo. Com isso, ele perde a chance de ganhar uma posição no ranking, já que estava a apenas 100 pontos atrás do dinamarquês Holger Rune, que também foi eliminado nesta quinta-feira.

A partida entre Griekspoor e Hurkacz foi marcada pelo equilíbrio e domínio dos sacadores do começo ao fim. Em todo o primeiro set, houve apenas duas chance de quebra para o polonês no 12º game, mas ele não aproveitou. No tiebreak, o número 8 do mundo se deu melhor após começar perdendo por 3-0, e saiu na frente no placar. Destaque para os 21 aces registrados na parcial, 13 para Hurkacz e oito para Griekspoor.

Na segunda parcial o roteiro foi praticamente o mesmo e novamente o holandês salvou um break-point no sétimo game e levou a definição para o desempate. O anfitrião chegou a abrir 6-2 e errou uma bola fácil na rede, permitindo a reação do rival, que venceu três pontos seguidos. Mesmo sob pressão, Griekspoor fechou o tiebreak com um ace, o nono somente naquele set, e empatou a partida.

Pela primeira vez em todo o jogo, a terceira parcial viu uma troca de quebras no quinto e sexto games, naqueles que foram os únicos em que houve algum break-point no set decisivo. Dessa forma, o vencedor não poderia ser definido de outra forma a não ser em um novo tiebreak. Mais uma vez, Grieskpoor saiu abrindo 3-0, mas desta vez não permitiu que o polonês reagisse e sacramentou a vitória.

A partida terminou com 28 aces de Hurkacz contra 23 Griekspoor, sendo que o polonês cometeu apenas uma dupla falta e o holandês, quatro. Os dois jogadores superaram a marca de 80% dos pontos vencidos com o primeiro saque, mas Hurkacz aproveitou melhor as bolas com o segundo serviço, triunfando em 65% das vezes diante de 53% do rival. O vencedor da partida ainda anotou 52 winners (contra 48 do polonês) e cometeu 21 erros não forçados, dez a mais que o adversário.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da decisão em Monte Carlo

Medvedev em outro ataque de fúria e desconta na raquete

PUBLICIDADE