PLACAR

Gauff: “Vitória mostra que posso bater as melhores”

Foto: Western & Southern Open

Cincinnati (EUA) – Finalista mais jovem da história do WTA 1000 de Cincinnati, a norte-americana Coco Gauff não poderia chegar na decisão do torneio pela primeira vez de forma mais contundente, batendo neste sábado, na semifinal, a número 1 do mundo Iga Swiatek em batalha de três sets, marcando parciais de 7/6 (7-2), 3/6 e 6/4 após 2h50 de batalha.

“Eu sabia que enfrentá-la ia ser muito complicado, que ela não ia me dar nada. Aproveitei as minhas oportunidades quando as tive. No segundo set eu estava pensando um pouco mais negativamente, mas disse a mim mesma para não me preocupar, que eu poderia fazer isso, e correu bem. No terceiro set, em todos os momentos complicados e quando estava perto de vencer, me dizia que podia fazer isso”, contou Gauff.

“Foi essa a mentalidade que planejei antes da partida. Quando você enfrenta Iga, tem que dar tudo, eu senti isso desde o momento em que entrei em quadra. Senti que não ia perder este jogo, mesmo naqueles momentos em que as coisas ficaram difíceis, e acho que no final não estava errada”, acrescentou a norte-americana.

A tenista de apenas 19 anos não esconde que as irmãs Williams são sua maior inspiração. “Elas são a razão pela qual comecei a jogar tênis. Vê-las lutar durante toda a minha vida, mesmo neste mesmo torneio, vendo como Venus lutou na primeira rodada. Sua capacidade de sacrifício é algo que admiro. Admiro quem eles são dentro e fora de quadra”, comentou Gauff.

O resultado deste sábado deixa a confiança da norte-americana ainda maior. “Acho que esta vitória mostra que posso bater as melhores. Há dúvidas por parte das pessoas, dúvidas em relação a se posso jogar em alto nível contra as melhores, dúvidas sobre o meu tênis. Ainda estou em desenvolvimento, ainda estou em uma curva de aprendizado, assim como a Iga, por sinal”, observou a atual número 7 do mundo.

“As pessoas precisam se lembrar disso, ainda temos um longo caminho a percorrer e muita carreira pela frente. Eu realmente acho que posso continuar melhorando, hoje joguei em grande nível, mas acho que posso fazer melhor e é isso que me impulsiona a continuar me aprimorando”, finalizou Gauff, que na final vai enfrentar a tcheca Karolina Muchova.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE