PLACAR

Bia pode enfrentar Wozniacki e tem Iga no quadrante em Madri

Foto: Marcello Zambrana/DGW

Madri (Espanha) – A temporada de Beatriz Haddad Maia continua nesta semana em Madri. Depois de ter alcançado as oitavas em Charleston e defendido o Brasil na Billie Jean King Cup em São Paulo, a atual número 1 do país e 13ª do mundo disputa a partir de terça-feira o WTA 1000 de Madri. Bia será a cabeça 11 do torneio após a recente desistência de Jessica Pegula, além da já antecipada ausência de Karolina Muchova. A paulistana de 27 anos não tem pontos a defender em simples Madri, porque caiu na estreia ano passado. E é a atual campeã de duplas, ao lado de Victoria Azarenka.

Bia entra diretamente na segunda rodada em Madri e pode estrear contra uma ex-número 1 do mundo, a dinamarquesa Caroline Wozniacki, que recebeu convite dos organizadores e enfrenta uma tenista do quali na primeira fase. Wozniacki, de 33 anos, ficou três temporadas fora do circuito e retornou inesperadamente em agosto do ano passado. Mãe de dois filhos, a dinamarquesa já está perto de voltar ao top 100, ocupando o 118º lugar e chegou às quartas em Indian Wells.

Caso supere a rodada de estreia, a cabeça de chave mais próxima de Bia é a norte-americana Emma Navarro. A 21ª do mundo vem numa crescente na atual temporada, com título em Hobart, semi em San Diego e quartas em Indian Wells. Navarro espera pelo duelo entre as tchecas Marie Bouzkova e Katerina Siniakova. No mesmo setor da chave está a grega Maria Sakkari, cabeça 5 do evento, que espera a vencedora entre a croata Donna Vekic e uma tenista do quali, e pode enfrentar nomes como Sloane Stephens Elise Mertens ou Martina Trevisan na terceira fase.

Iga, Gauff e Jabeur estão deste lado da chave

O quadrante de Bia, Wozniacki, Navarro e Sakkari é liderado pela número 1 do mundo Iga Swiatek, finalista da edição passada em Madri. A polonesa estreia contra a vencedora entre a chinesa Xiyu Wang e a romena Ana Bogdan. Ela pode enfrentar a romena Sorana Cirstea na terceira rodada, enquanto nomes como Victoria Azarenka e Elina Svitolina são possíveis rivais nas oitavas.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A terceira do ranking Coco Gauff e a campeã de 2022 Ons Jabeur também estão do lado de cima da chave. Gauff espera a tcheca de 17 anos Brenda Fruhvirtova e a holandesa Arantxa Rus e pode enfrentar a ucraniana Dayana Yastremska na terceira rodada. Seu setor na chave ainda tem nomes como Naomi Osaka, Madison Keys e Liudmila Samsonova. Já a tunisiana pode enfrentar a norte-americana Sofia Kenin ou a eslovaca Anna Schmiedlova. Jabeur tem no caminho nomes como Leylah Fernandez, Veronika Kudermetova, Karolina Pliskova, Paula Badosa e Jelena Ostapenko.

Sabalenka é atual campeã, Rybakina tenta manter a boa fase

A número 2 do mundo Aryna Sabalenka é a atual campeã em Madri e estreia contra a vencedora da partida entre a italiana Elisabetta Cocciaretto e a polonesa Magda Linette. A cabeça de chave mais próxima da bielorrussa é a britânica Katie Boulter, enquanto Barbora Krejcikova e Danielle Collins podem pintar nas oitavas. O quadrante de Sabalenka ainda tem a tcheca Marketa Vondrousova, sua algoz em Stuttgart, e jovens jogadoras como a russa de 16 anos Mirra Andreeva e a tcheca de 19 anos Linda Noskova, além da experiente francesa Caroline Garcia e da italiana Jasmine Paolini, campeã do WTA 1000 de Dubai.

Por outro lado, a cazaque Elena Rybakina, quarta do ranking e campeã de Stuttgart neste domingo, tenta manter a boa fase. Ela pode enfrentar a italiana Lucia Bronzetti ou a egípcia Mayar Sherif. Rybakina pode reeditar a final desta semana com a ucraniana Marta Kostyuk logo na terceira rodada em Madri, enquanto as russas Anna Kalinskaya e Ekaterina Alexandrova podem pintar nas oitavas.

Por fim, o quadrante ainda tem a chinesa Qinwen Zheng, finalista do Australian Open, que espera a vencedora entre a cazaque Yulia Putintseva e uma tenista do quali, podendo enfrentar a ucraniana Anhelina Kalinina na terceira rodada ou russas como Daria Kasatkina e Anastasia Pavlyuchenkova nas oitavas.

14 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Refaelov
Refaelov
1 mês atrás

Estilo de jogo da Bia casa beeeem mais com as condições de Madri doq o da Wozniacki, a questão é a fase tenebrosa da BR..

André
André
1 mês atrás
Responder para  Refaelov

Ganhou da possante Friedsam…Agora vai!

Marlon
Marlon
1 mês atrás

Além de estar numa fase horrível, é azarada em sorteio. Que faaaaase!

Sadi
Sadi
1 mês atrás

Em condição normal, uma chave muito boa… na atual fase qualquer tenista eh um problema pra ela

Felipe Dalmarco
Felipe Dalmarco
1 mês atrás
Responder para  Sadi

A fase é ruim sim, mas a Bia mesmo em sua melhor fase sempre conseguiu complicar qualquer jogo, não é a toa que ano passado vivia jogando pra mais de 3 horas…

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás

Piso bom pra Bia. É um piso mais rápido, portanto o serviço dela vai ser mais eficaz e vai tirar o foco da sua atual deficiência no saque.
Por outro lado, tem mil pontos pra defender de Roma e RG. Se não pontuar bem agora, a queda será brusca

NFdS
NFdS
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

Queria acreditar nisso, mas ano passado nesse piso de Madri ela caiu no primeiro jogo pra menina com 15 anos. Já em Roma, condições mais próximas a RG, ela foi até às quartas e depois a semi de RG.

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  NFdS

A meu ver, apenas questão de sorte e azar de chaves. Em Roma e RG, não pegou uma jogadora de grande nível como a Andreeva, exceto na última rodada em que jogou

André Borges
André Borges
1 mês atrás

Chave ingrata….

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
1 mês atrás

Tem várias jogadoras do circuito feminino em ascensão (Jasmine Paolini, Marta Kostyuk, Emma Navarro, Katie Boulter). Então, acho que o mais importante é a Bia procurar corrigir principalmente a parte mental, de descontrole emocional e falta de confiança. Se ela conseguir controlar as emoções e jogar com mais confiança, sem medo de arriscar, terá suas chances contra a maioria das jogadoras da chave.

João Sawao ando
João Sawao ando
1 mês atrás

Acho que dá para Bia ganhar alguns jogos e pegar ritmo

Laurindo Kogi Miyamoto
Laurindo Kogi Miyamoto
1 mês atrás

Pelo amor a justiça a Bia 13… vcs não valorizam a Boultier, a kustyuk, Navarro, Raducanu, Paylinshikova, wozniyaki, Blinkova todas melhores q/ a Bia e atrás no ranking … a Bia perdeu 7 a 8 partidas e nem mexeram no ranking …. A verdade ela seria de 30 a 35 no ranking…sejamos justos… até a Siegmund 86 ganhou no Ibiraquera gente, ganhou da Maria sofrendo…

Adôni
Adôni
1 mês atrás
Responder para  Laurindo Kogi Miyamoto

?? Vc sabe como q funciona o ranking pra tá falando isso?

Rodrigo
Rodrigo
1 mês atrás

Aff. B.O

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wild enfrenta inspirado Monfils e a torcida francesa em Paris

A homenagem de Roland Garros ao adeus de Alizé Cornet

PUBLICIDADE