PLACAR

Bia está na briga em chave repleta de campeãs

Com a presença de seis campeãs, que juntas totalizam oito dos 12 títulos mais recentes, a chave feminina do Australian Open é um festival de gente de peso no circuito. Isso inclui as duas mais recentes finalistas e uma outra porção relevantes de vencedoras de Grand Slam, a começar pela atual líder do ranking. Nessa vasto repertório de estrelas e postulantes ao título aparece também Beatriz Haddad Maia. Mas quais seriam suas chances? Vamos avaliar o sorteio como um todo.

Iga Swiatek desta vez pegou uma sequência que tende a ser muito exigente, a começar pela campeã de 2020 Sofia Kenin. Ainda que a americana não tenha recuperado sua melhor forma, é uma adversária de gabarito sobre a quadra dura. Curiosamente, a polonesa pode em seguida encarar outra vencedora do torneio, a canhota Angelique Kerber, embora Danielle Collins, vice de 2022, seja favorita para o duelo de estreia e talvez ainda mais perigosa.

O caminho da número 1 tem ainda a tcheca Marie Bouzkova e muito provavelmente Elina Svitolina ou Veronika Kudermetova nas oitavas. E para completar a difícil missão em Melbourne, pode vir mais uma campeã de Grand Slam, a agressiva Jelena Ostapenko, ainda que a letã tenha prováveis duelos contra a bicampeã Vika Azarenka na terceira fase e Marketa Vondrousova, a dona atual de Wimbledon, nas oitavas.

A cazaque Elena Rybakina, que por muito pouco não faturou o título do ano passado, ficou na parte de cima e tem curiosa estreia diante de Karolina Pliskova. Deve encarar Daria Kasatkina nas oitavas e me parece ainda favorita caso cruze nas quartas com Jessica Pegula ou Qinwen Zheng, as cabeças mais cotadas do seu quadrante.

A boa distribuição de favoritas coloca a atual campeã e cabeça 2 Aryna Sabalenka com ótima chance de encarar Liudimila Samsonova ou Donna Vekic na quarta rodada e em seguida Ons Jabeur ou Barbora Krejcikova, o que mantém a bielorrussa como a mais cotada para as quartas.

É justamente nesse lado que Beatriz Haddad Maia ficou. Sem embalar neste começo de temporada, a canhota paulista precisa tomar cuidado com a tcheca Linda Fruhvirtova na estreia, ainda que a jovem adversária de 18 anos não esteja no seu melhor momento. No ano passado no entanto ela foi longe em Melbourne e fez oitavas. Esse tipo de memória sempre deixa uma tenista mais confiante.

Se confirmar, Bia pode reencontrar Sara Sorribes, a quem acabou de ganhar com autoridade na United Cup, e aí podem vir Magda Linette ou a ex-número Caroline Wozniacki, mais uma campeã do torneio. Eu apostaria minhas fichas na Bia para cruzar então com Maria Sakkari ou Elise Mertens nas oitavas, adversárias de jogo versátil. A grega tem sérios problemas quando encara a brasileira e portanto vale torcer por ela.

Há muita expectativa pelo que possa acontecer no setor em que ficaram Coco Gauff e Naomi Osaka. A vencedora do US Open não tem uma barreira real nas três primeiras rodadas, mesmo que cruze com Leylah Fernandez, e por isso não é nada improvável um duelo direto com Osaka nas oitavas. A mamãe japonesa, com dois troféus na arena Rod Laver, é incógnita. Começa contra a irregular Caroline Garcia e pode ser testada por Anastasia Potapova. Aposto em Osaka.

33 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Refaelov
Refaelov
6 meses atrás

Boa noite Dalcin. Com relação à Bia, minha preocupação está nessas 2 primeiras rodadas contra Fruhvirtova e, provavelmente, Koorneeva.. A brasileira claramente sentiu o peso e jogou abaixo doq pode nas outras oportunidades onde teve q encarar essas “juvenis” com peso de bola pra encará-la em grandes palcos.. se a BR superar essas 2 primeiras rodadas, dae sim, concordo q se abre uma boa perspectiva para QF..

Última edição 6 meses atrás by Refaelov
José Nilton
Editor
6 meses atrás
Responder para  Refaelov

Com certeza, Rafael. Bia ainda sente mais pressão do que o necessário quando entra como favorita, As jovens, além de talentosas, têm nada a perder.

Andre Borges
Andre Borges
6 meses atrás

Cenário favorável pra Bia chegar pelo menos nas quartas. Seria ótimo resultado.

Ernesto
Ernesto
6 meses atrás

Bia, postulante ao título. Caramba, ousado hein!!! Claro a Semi de Roland Garros mostra que não é nenhuma loucura pensar nisso. Mas, é bem ousado. Gostei. Estarei torcendo muito!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
6 meses atrás

SOBRETUDO PORQUE BEATRIZ jamais evidenciou o status de grande do circuito, pois não é, e principalmente porque a bonita Linda Fruhvirtova não é nenhuma mosca morta, mas uma tenista talentosa e muito promissora, é que concluir que “a canhota paulista precisa tomar ( apenas)cuidado” com a tcheca, se configura como uma avaliação um tanto equivocada. Beatriz tem é que jogar bola, e não se valer apenas de cuidado mediante sua primeira adversária no Australian Open/2024, até porque, se apenas fazer uso de prudência ganhasse jogo, bastaria aos tenistas ficarem dando raquetadas do fundo da quadra, que os títulos cairiam do céu, e ainda obteriam o bônus de evitar lesões. As únicas vantagens que Beatriz tem em relação a Furhvirtova, são sua maior experiência e as 74 posições acima, no ranking de entradas, o que, convenhamos, não pode ser levado a sério como parâmetro essencial, no que concerne ao fator qualidade. Será normal tanto Beatriz quanto Linda vencerem a partida, não vejo favoritismo da primeira, como destacado por um brasileiríssimo JOSÉ NILTON, já que o mesmo entende que Haddad se encontra atualmente num “vasto repertório de estrelas e postulantes ao título”. Exagero e euforia de torcedor à parte, apenas desejo que a contenda entre Beatriz e Linda seja provida do substantivo adjetivado da tcheca…

Wagner Wanderley
Wagner Wanderley
6 meses atrás

Dalcim você acha que esse título de duplas da confiança para a Bia ir bem no Australian open ?

José Nilton
Editor
6 meses atrás
Responder para  Wagner Wanderley

Ah, certeza de que vai dar muita confiança a ela, Wagner. Mesmo sabendo que dupla é muito diferente de simples, vitória e títulos são sempre motivadores para um tenista, em qualquer nível. Claro que estreia no Australian Open vai dar aquele nervoso natural e a Bia nunca passou da segunda rodada, o que a incomoda.

Daniel
Daniel
6 meses atrás
Responder para  Wagner Wanderley

É cada pergunta… claro que uma vitória assim eleva a confiança

Luiz Fernando
Luiz Fernando
6 meses atrás

Sinceramente não vejo Bia como postulante ao titulo, mas torço muito para q eu esteja errado…

DANIEL DE FIGUEIREDO TOLEDO
DANIEL DE FIGUEIREDO TOLEDO
6 meses atrás

Prezado Dalcim, como Marcelo Mello se tornou amigo tão próximo do Sasha Zverev? Assistiu a série Break Point no Netflix? Se sim, o que achou? Grande abraço!

José Nilton
Editor
6 meses atrás

Não tive tempo ainda de assistir, Daniel, e não sei te responder sobre como foi o caminho da amizade entre eles, Abraço.

Fabio
Fabio
6 meses atrás

Só resta torcer, torcer e torcer…

Sandra
Sandra
6 meses atrás

Dalcim, vendo um programa agora na ESPN 3 ,uma retrospectiva dos títulos do Djokovic , os dez títulos dele não foram em anos diretos ? A final com o Stan ele perdeu ? Ou não era a final ?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
6 meses atrás
Responder para  Sandra

Eles jamais fizeram final no AO.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
6 meses atrás

Em 2023 a Bia quebrou tabu em Roland Garros e em Wimbledon. No AO, perdeu na estréia para a espanhola Nuria Parrizas-Diaz. Neste AO 2024, se a Bia conseguir controlar as emoções, acredito que pelo menos nas oitavas de final ela chega. Se ela conseguir passar das oitavas pra mim seria um grande lucro. De qualquer forma, como a grande maioria dos brasileiros, estarei na torcida por ela.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás

Bem , como foi hoje , não entrou no Post a vitória de Ostapenko no WTA 500 de Adelaide . Com isso ela assumiu o Top 10 e abriu 500 pontos pra cima da Brasileira que no momento e’ Top 12. Gostei muito da presença de Marcelo Melo , Fino e GUGA na pré-temporada de Bia . Foi a Floripa bater bola com o Manezinho e gostou dos segredos que ouviu rs . Mais experiente , acredito que possa ultrapassar esta barreira da segunda rodada e porque não atingir a segunda semana ? . Assinou com o décimo primeiro patrocinador , nada mais nada menos que a Chevrolet , cuja CEO muito satisfeita com o carinho de jogadoras e Torcida com a carismática jogadora . Estamos em ano olímpico e me arrisco a dizer que Beatriz caminha a passos largos pra ficar em segundo a nível de patrocínio na história do Tênis Brasileiro. Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás

Uma vergonha SINNER na Rod Laver Arena e a ESPN com apenas um Canal , transmitindo o segundo jogo da WTA na sequência. Lamentável!. Acabou que consegui por $ 17, 99 no Mercado Livre assinar o tal STAR + que sai do ar no final de julho… Abs!

Daniel
Daniel
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Se fosse qualquer outro escrevendo isso vc falaria “jura?? Wta é importante, mulheres isso, mulheres aquilo, quer ver todas as quadras assine star + e pare de mimimi”.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Daniel

Jura que lestes direito o comentário, menino Daniel ? . Na próxima pergunte ao teu ” amado Mestre” se no mesmo não consta a assinatura do Star + . Na boa, cresça e apareça…kkkk. Abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
6 meses atrás

Minhas pretensões são + modestas. Dar-me-ei por muito satisfeito se a Bia passar pra segunda rodada. Não dá pra sonhar alto com ela, infelizmente. Muito irregular. E depois da segunda rodada, o que vier é lucro.
Desejo sorte pra você, Bia, mas da minha parte, tô com o pé atrás.

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás

Meus palpites para a chave masculina:

1/4
Djokovic – Tsitsipas
Sinner – De Minaur
Rune – Medvedev
Zverev – Alcaraz

1/2
Djokovic – Sinner
Medvedev – Alcaraz

F
Djokovic – Alcaraz

Djoko

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás

O gráfico do placar de pontuação do Aberto da Austrália mudou.

Gosto do visual simplificado, mas o antigo ainda era melhor, na minha opinião

Luiz Fernando
Luiz Fernando
6 meses atrás

Para o mundo q eu quero descer: depois de Wild não ter eliminado Rublev por pouco, agora o magistral Prizmic esta apertando o Djoko e vencendo quase todos os pontos mais longos. Inacreditável…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Luiz Fernando

Lá vem L.F. 1 com o tal “magistral” . O tempo passa e os L.Fs não aprendem rigorosamente nada do Esporte… rsrs. Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Com seus comentários abalizados ninguém aprende mesmo kkkk. Aqui é diversão garantida kkkk!!!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás

Nada de domingo tranquilo. Haja sofrimento com o Monstro! Paredão terrível o croata!

Wild foi por pouco. Parabéns para o brasileiro.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Paulo Almeida

Jura que o ” goat ” perdeu 5 Match-points num SLAM ??? kkkkk. Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Ganhou a partida?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Perdeu, mas passou longe de perder a partida, como já aconteceu num 15-40 e em dois 40-15 de um certo ex-jogador em Slams para o mesmo oponente.

Rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Paulo Almeida

Exato. O oponente na época era um ” feto” de 18 aninhos e 135 do mundo. Na verdade perdeu SEIS match-points… Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Ninguém vai se lembrar disso daqui a uns dias, enquanto o 15-40 e o duplo 40-15 serão eternos.

Rsrs, abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
6 meses atrás

Me impressionou muito esse rapaz croata. Além de jogar bem, demonstrou capacidade de reação e não se intimidou com uma lenda do esporte do outro lado da quadra. De olho nele, tem só 18 aninhos…

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon