PLACAR

Zverev leva o bi em Roma e alcança melhor ranking em 20 meses

Foto: ATP Tour

Roma (Itália) – O alemão Alexander Zverev fechou com chave de ouro sua participação no Masters 1000 de Roma, batendo o chileno Nicolas Jarry em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/5, depois de 1h41 de confronto. Este foi seu segundo título no Foro Itálico, onde sagrou-se o campeão em 2017, então com apenas 20 anos de idade.

Com a campanha no saibro italiano, Zverev vai ganhar uma colocação no ranking, superando o russo Daniil Medvedev na lista da próxima segunda. Novo número 4 do mundo, sua melhor colocação em quase 20 meses, desde agosto de 2022, o germânico consegue assim uma chave melhor em Roland Garros e só enfrentará Novak Djokovic, Jannik Sinner e Carlos Alcaraz a partir da semi.

Esta foi a 22ª conquista do alemão no circuito da ATP, a primeira do ano e a sexta em Masters 1000, empatado com Medvedev neste nível. Apenas três jogadores em atividade têm mais títulos que os dois: Djokovic (40), Rafael Nadal (36) e Andy Murray (14). Na atual temporada, são cinco campeões diferentes nos cinco Masters 1000 até então.

Zverev se tornou o décimo jogador a conquistar o torneio romano mais de uma vez, entrando para uma seleta lista que tem Nadal (10), Djokovic (6), Thomas Muster (3), Bjorn Borg, Jim Courier, Vitas Gerulaitis, Andres Gomez, Ivan Lendl e Ilie Nastase (todos com 2).

Começo muito firme de Zverev

Bem mais experiente em finais deste porte do que Jarry, que pela primeira vez disputava um título de Masters 1000, Zverev mostrou um tênis muito firme no começo da partida, controlou os erros não forçados, cometendo apenas um em toda a primeira parcial. Isso não o impediu de ser agressivo, principalmente no saque, com o qual anotou quatro aces e perdeu apenas um ponto.

Dominando as ações em quadra, o cabeça de chave número 3 elevou o nível na reta final do primeiro set, pressionando o chileno no oitavo e décimo games. Jarry salvou dois break-points para fazer 4/4, mas ao servir em 4/5 e 15-40, acabou levando a pior, perdeu o saque e a parcial para Zverev.

Equilíbrio mantido e vitória alemã

A partida seguiu parelha no segundo set, mas sem muitas chances para o chileno, principalmente por causa do grande desempenho de Zverev com o saque. Depois de 95% de aproveitamento no primeiro, ele teve 86% no segundo, cedendo apenas quatro pontos. Isso o permitiu ir para cima de Jarry quando teve chance para buscar a quebra e fechar o jogo.

No quarto game, o chileno enfrentou dois break-points e salvou ambos. Ele voltou a passar por apuros no décimo, quando salvou dois match-points com o saque. O maior volume de Zverev, que estava em um dia afiadíssimo, acabou o levando a mais dois match-points no 12º game, com o alemão aproveitando o segundo para garantir a vitória e o bicampeonato em Roma.

Números imponentes e grande campanha

O desempenho brilhante de Zverev na decisão deste domingo ficou claro nos números da partida, com 90% de aproveitamento de saque, perdendo apenas cinco pontos, seis aces e nenhum break-point enfrentado. Ele desferiu 13 bolas vencedoras, apenas três a menos que as 16 de Jarry, compensando 12 erros não forçados a menos do que o chileno (5 a 17).

A campanha do germânico nesta semana no Foro Itálico foi das mais firmes, com apenas um set perdido no decorrer da competição. O único a dar mais trabalho a Zverev foi o também chileno Alejandro Tabilo, que na semifinal venceu a primeira parcial, mas levou virada do atual número 5 do mundo, que também deixou pelo caminho Aleksandar Vukic, Luciano Darderi, Nuno Borges e Taylor Fritz.

28 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Scott
Scott
1 mês atrás

Nível espetacular do Zverev no saibro.

Título merecido.

Maurício
Maurício
1 mês atrás

Merecido demais, jogou muito, principalmente no primeiro set. Quem sabe ganhar RG e ser número 1 do mundo.

Gustavo Luis
Gustavo Luis
1 mês atrás

Tomara que também vença Roland Garros

Última edição 1 mês atrás by Gustavo Luis
Lupam
Lupam
1 mês atrás

Parabens pela grande conquista do alemão. A sorte também ajudou, olhando para trás a chave agora, era favorito em todos os jogos e confirmou. Ausências e derrotas de outros top ten, mas faz parte do circuito e do calendário especial do ano olímpico.

Paulo H
Paulo H
1 mês atrás

Resultado justo, a meu ver. Zverev é um tenista mais completo, enquanto Jarry se apoia no saque e em seu poderoso forehand, inclusive fugindo da esquerda sempre que as circunstâncias permitiam. O único momento tenso foi no final, com os match-points seguidos perdidos pelo alemão, sempre no saque do adversário, que chegou a cometer duas duplas-faltas no mesmo game, concedendo perigosos 15-40, não aproveitados por Zverev.

Fábio
Fábio
1 mês atrás

O Zé vem vindo hein! Chega forte pra RG!! Será que vai ser agora??

Vicentina
Vicentina
1 mês atrás

Achei ambas finais não muito boas, a final masculina foi um pouco melhor do que ontem. Parabéns ao Zverev que foi muito concentrado para a final e que venha RG, que gera uma dúvida quem vencerá este ano porque dizem que tem 5 a 10 candidatos e promete ser disputado e acho muito positivo isso, mas ainda aposto no Djokovic que é o maior tenista da história e depois Alcaraz. Gente como sou nova aqui espero conhecer melhor como funciona este site. Obrigada.

Wilbert Ferraz
Wilbert Ferraz
1 mês atrás

O título ficou em boas mãos! Bora copar RG tb!

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás

Jarry n tem muito com q se lamentar, Zverev estava num dia inspiradissimo com o próprio saque e cometendo pouquíssimos ENF, realmente não deu maiores brechas ao chileno no seu serviço..

Jarry teve sim um bom aproveitamento com o saque(clr, abaixo do desempenho irretocavel do alemão) e teve cabeça no lugar pra sair de diversos momentos espinhosos(senão o jogo teria sido muiiito rápido); talvez possa se lamentar do 1° serviço te-lo deixado na mão nos games das quebras mas, longe de ter tido um aproveitamento ruim nesse sentido..

Nelson Rodrigues
Nelson Rodrigues
1 mês atrás

Alguém sabe quantos campeonatos itfs masculino tem na argentina e no brasil no ano todo??

A diferença da quantidade de jogadores é abissal.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás

Para um cara que vai ser julgado durante RG ( acusado pela Ex ) , Sasha está mentalmente muito bem . Fez excelentes partidas no Saibro Europeu, demonstrando Serviço excepcional, e golpes potentes de fundo inclusive com o Forehand. Dito isto , o Alemão é oponente de peso contra qualquer um em Roland Garros 2024. Ao menos a meu ver. Abs!

James Garcia
James Garcia
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Inocente não tem porque ficar abalado, vai ser provado nos tribunais e aí os juízes da internet vão ficar chupando dedo

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  James Garcia

Quer dizer os que condenam o cara antes do veredito final esta cheio deles aqui.

Hemerson
Hemerson
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Já estava sendo para o Nadal qdo se machucou em Roland Garros e Nadal ganhou seu ultimo RG.

Antônio Vizentin
Antônio Vizentin
1 mês atrás

6 masters 1000, dois Finals, uma olimpíada, já foi N2 do mundo.
Aí me vem a pergunta, quem tem melhor currículo, Zverev ou Wawrinka?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Antônio Vizentin

Wawrinka tem 3 Slams e 1 Masters. Ainda tem currículo superior e ambos foram adversários parrudos para o GOAT Djoko.

Gustavo Luis
Gustavo Luis
1 mês atrás
Responder para  Antônio Vizentin

3 Slams do Wawrinka ainda fazem muita diferença.

Se ele tivesse só um eu diria sem dúvida Zverev

Oscar
Oscar
1 mês atrás
Responder para  Antônio Vizentin

Wawrinka tem 3 GS, o que já é superior, além de 1 Davis e M1000 de Monte Carlo.

levI sIlvA
levI sIlvA
1 mês atrás
Responder para  Antônio Vizentin

Parece ter sido melhor que do Stan, mas vejamos, quem levou 3 GS na era do Big 3?

João Silva
João Silva
1 mês atrás
Responder para  Antônio Vizentin

3 GS com Big 3 é algo fantástico.

Ideon Carvalho
Ideon Carvalho
1 mês atrás
Responder para  Antônio Vizentin

Entendo seu questionamento, mas o Wawrinka tem 3
GS, logo leva
Vantagem

Alírio
Alírio
1 mês atrás

Acho que foi uma boa final e acho que RG promete fortes emoções, há muito tempo o tênis masculino não prega uma dúvida como agora porque Nadal não esta bem, mas Djokovic é o número 1 por isso não pode desconsiderá-lo como alguns vem fazendo, só sei que o RG tem tudo pra ser demais.

Rafaela Nadalina
Rafaela Nadalina
1 mês atrás

Joga muito. Teve anos problemáticos por lesão e ex maluca, espero que esteja resgatando o foco pois ele será muito importante lá na ponta junto com o sinner e o Alcaraz

Thiago
Thiago
1 mês atrás

Pra mim é o favorito pra ganhar Roland Garros.

Alírio
Alírio
1 mês atrás

Então não sou de comentar tênis feminino porque acho ruim e limitado, mas dei uma passadinha no site de tênis feminino e vi muita lacração e os ouvintes de lá deliram com a Iga porque vem dominando que que isso, pois acho que ela é uma jogadora de qualidade limitada e tem jogo muito feio, mas esta o topo e acho merecido mas não aprecio é loucura porque lá é muita lacração e tô fora de lá viu, porém estou começando hoje e prefiro ficar só aqui para comentar o tênis masculino que é muito melhor e disputado. Parabéns ao Zverev que esta voltando a sua boa forma

Thiago Silva
Thiago Silva
1 mês atrás

Não foi o Zverev o mais jovem a vencer Roma, o Nadal mesmo tinha 18 anos quando venceu a primeira vez, acho que o mais novo foi o Borg com 17.

José Nilton Dalcim
Admin
1 mês atrás
Responder para  Thiago Silva

Exato, o Borg ganhou em 1974 poucos dias antes de completar 18 anos.

Ideon Carvalho
Ideon Carvalho
1 mês atrás

Mais do que merecido. É um grande lutador o Zverev. Parabéns pelo título. Campanha em
Roma belíssima.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE