PLACAR

WTA cogita ranking protegido para casos como o de Halep

Foto: Jimmie48/WTA

Miami (EUA) – Depois de toda a reviravolta envolvendo a romena Simona Halep nas últimas semanas, a WTA estuda aplicar o ranking protegido para tenista que comprovem sua inocência em casos de doping. A iniciativa foi revelada em reportagem da Reuters na última quarta-feira.

Segunda a publicação, a associação feminina já iniciou uma revisão de suas regras com o objetivo de oferecer classificações especiais a essas jogadoras. “Iniciamos um processo de revisão desta regra, pois acreditamos que seja apropriado considerá-la. O cronograma para qualquer possível mudança e sua implementação subsequente dependerá do feedback recebido de nossos membros”, teria dito um porta-voz da WTA à Reuters por e-mail.

Quem também teria demonstrado apoio à medida é a PTPA (Associação de Tenistas Profissionais), entidade liderada pelo sérvio Novak Djokovic e que por meio de seu diretor executivo, Ahmad Nassar, reforçou a necessidade de uma mudança nas regras para evitar novos danos às carreiras dos atletas.

“O tempo e as oportunidades perdidas nunca poderão ser totalmente recuperados. Portanto, a PTPA apoia que jogadores exonerados de culpa por doping sejam elegíveis para uma classificação especial após o seu regresso ao torneio. Pedimos por tal regra no passado e acolhemos com satisfação a sua consideração agora”, afirmou o dirigente.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE