PLACAR

Wild alcança seu melhor ranking e Monteiro retorna ao top 100

Foto: Internazionali BNL d'Italia

Londres (Inglaterra) – Começou bem a semana para os dois principais nomes do país no ranking da ATP, com o paranaense Thiago Wild e o cearense Thiago Monteiro conseguindo subir na lista desta segunda-feira, após disputa do Masters 1000 de Roma.

Atual número 1 do Brasil, Wild ganhou três colocações com a vitória solitária no Foro Italico, perdendo a chance de subir ainda mais com a queda na estreia no challenger de Turim, na semana passada. Ele alcançou o 58º posto, o melhor da carreira até então.

Monteiro teve uma campanha ainda de maior destaque no saibro romano, onde enfileirou vitórias, duas no quali e mais três na chave principal, chegou até as oitavas de final, em sua melhor campanha em Masters 1000 e com isso voltou ao top 100, alcançado o 84º lugar nesta segunda.

Brasil volta a ter dois top 100 na ATP após quase 7 anos

Meligeni e Fonseca caem, mas Heide sobe

A semana também começou boa para o paulista Gustavo Heide, que ganhou oito posições com as duas vitórias nas duas últimas semanas e agora é o 174º do mundo, a melhor colocação da carreira do tenista de 22 anos na ATP.

Já o mesmo não se pode dizer para Felipe Meligeni e João Fonseca. Os dois amargaram quedas neste ranking, o paulista de Campinas perdeu quatro lugares e agora é o 136º do mundo, enquanto o carioca de 17 anos caiu cinco posições, indo para o 231º posto.

Veja o top 10 brasileiro no ranking da ATP:

Thiago Wild – 58º (+3)
Thiago Monteiro – 84º (+22)
Felipe Meligeni – 136º (-4)
Gustavo Heide – 174º (+8)
João Fonseca – 231º (-5)
Pedro Sakamoto – 301º (-1)
João Lucas Reis – 312º
Matheus Pucinelli – 331º (+5)
Orlando Luz – 352º (+7)
Gilbert Klier – 355º (+7)

24 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Jorge Luiz
Jorge Luiz
30 dias atrás

Quem tá jogando tá subindo, parabéns

Scott
Scott
30 dias atrás
Responder para  Jorge Luiz

Exatamente. Os riscos são recompendados.

Evandro
Evandro
30 dias atrás
Responder para  Jorge Luiz

O Klier jogou onde?

Refaelov
Refaelov
30 dias atrás

Interessante notar q no ranking apenas de 2024 o Monteiro ultrapassou o Wild nessa lista, míseros 10 pontos mas, n deixa de ser uma surpresa..

Fernando
Fernando
30 dias atrás
Responder para  Refaelov

Em contrapartida, o Wild (58) superou o melhor ranking da carreira do Monteiro (61) também.

Bukele
Bukele
30 dias atrás

Wild ainda tem boa chance de defender os 115 pontos de RG. Se conseguir uma campanha legal em Lyon e pelo menos fizer 2a rodada em RG de novo já consegue. Monteiro caiu na 1a rodada de RG ano passado, tudo que vencer é lucro.

Ramiro Cora
Ramiro Cora
30 dias atrás
Responder para  Bukele

verdade… agora pra isso (campanha legal em Lyon) o Widy terá que aproveitar a possível “revanche” com o seu “limitado” Etcheverry nas oitavas… (claro, pra isso terá que, amanhã, fazer com Martinez isso que o Etchevrry já fez hj com o espanhol de turno … ganhar!)… O “limitado Etcheverry” (29º) já tá a postos…
Vamo Wildy!! Agora é a sua vez!!! …rsrs

Última edição 30 dias atrás by Ramiro Cora
Bukele
Bukele
30 dias atrás
Responder para  Ramiro Cora

Pois é, a grossa maioria dos argentinos é limitada e nada vai me fazer mudar de idéia. A maioria é empurrador de bola de volta até o adversário errar. Fabriquinha de produto em massa é diferente de fábrica de produto de alto nível: o Nicolás Jarry, chileno, é bem melhor que qualquer argentino da atualidade, sendo obviamente o melhor da América do Sul dessa geração. Quanto ao Brasil, lembro sempre que somos um país multidesportivo – a Olimpíada é daqui a2 meses, lá a Argentina e o Chile não são de nada, perto do Brasil,que foi top15 nas últimas 2 edições.Mas não podemos ser os melhores em tudo na América do Sul, só em 90% dos esportes. Fique com o tênis que a gente fica com todo o resto.

Ramiro Cora
Ramiro Cora
30 dias atrás
Responder para  Bukele

uiiii!! saiu disparando para todo lado… até pretendendo ofender…Baixou o nível, né?….kkkkkkk….
Agora veja a contradição (sua): vc disse “nada vai me fazer mudar de idéia”… ai essa falta de plasticidade para dialogar tranquilamente é o que define-se como limitação…. justamente.
Chamativo é que seus amigos desta redação permitem esse tipo de comentário xenofóbico…
Agora veja bem: temos 7 argentinos no top-100 … então menos mal que são limitados… né?. Se fossem um pouco mais habilidosos estariam bem mais acima (como acontece no rugby ou no hockey)….
Mas essa rixa entre países latino-americanos me parece medonha e burra. Inútil. Improcedente.
Se acalme Bukele. Perdeu o censo do humor?.
Eu torço pelo Brasil ali onde jogar e, em 2º lugar por qualquer latino-americano.
Torço pelo Wild, Monteiro, Jarry, Tabilo, Bia, Osorio… e todos os outros/as dos nossos vizinhos

Última edição 30 dias atrás by Ramiro Cora
Gusmão
Gusmão
30 dias atrás

Força Brasileiros.

A turma dos contra não tem acesso a esta página.

Monteiro da Massa, voltou ao 100°.

Arthur
Arthur
30 dias atrás

Fonseca deve cair ainda mais né, pq ele só vai voltar a jogar na grama

Guilherme do ES Ribeiro
Guilherme do ES Ribeiro
30 dias atrás

E o Heide estava a dois pontos da vitória na 1° rodada do qualy em Roland Garros quando o jogo foi interrompido. Está surpreendendo o Lukas Klein, que teve boas vitórias no início do ano, mas não vem tão bem recentemente. Mas de qualquer forma, será uma boa vitória, contra um TOP 120, que sabe jogar no saibro.

Hugo
Hugo
30 dias atrás
Responder para  Guilherme do ES Ribeiro

Pelo que entendi acompanhando o jogo o set será decidido em super tie break… Ou seja, faltam 5 pontos para a vitória. Que ele consiga esses pontos e siga em frente!!

Última edição 30 dias atrás by Hugo
Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
30 dias atrás
Responder para  Hugo

Vc está certo, não sabia do super tiebreak, mas foi o unico jogo que não recomeçou após a chuva, o Lukas deve estar enrrolando e revendo estrategias. Heide tem saque e duas quebras na frente,

Guilherme E.S. Ribeiro
Guilherme E.S. Ribeiro
30 dias atrás
Responder para  Hugo

Verdade. Não sabia do super tie break

Scott
Scott
30 dias atrás

Parabéns para quem subiu!

A chave são os torneios fortes na Europa e EUA. Esse papo de fazer mais ITF no Brasil só constrói ranking irreal e não leva a nada.

Evandro
Evandro
30 dias atrás
Responder para  Scott

A Espanha, a Austrália, os EUA, a Itália, a França, a Alemanha, a Inglaterra… tá todo mundo errado.

Gusmão
Gusmão
30 dias atrás
Responder para  Scott

E mesmo ?
Apareceu um ofensivo de bote.

A Itália realizou um Challenger na semana passada, colocou os 4 semifinalistas, jogadores Italianos.

Até a China, no ITF M25 na semana passada, ajudou seus tenistas.
Campeão e Vice foram jogadores Chineses e vários conseguiram pontuação, o Y. Bai, com 34a, chegou a semi, e vai continuar subindo no Ranking.

Scott
Scott
30 dias atrás
Responder para  Gusmão

Vcs acham, em sã consciência, que os caras bons vão vir em massa dos EUA e Europa jogar aqui?

O que adianta ficar jogando esses pangarés open? Chega nos torneios que valem, um pouco mais fortes, levam um cacete atrás do outro.

Eduardo
Eduardo
30 dias atrás

Essa queda do Fonseca não ameaça a ida dele para o qualy de Wimbledom?? Quando é data de corte?

Robério
Robério
30 dias atrás

Vocês que são mais entendidos, sou apenas um apreciador do esporte. O Ranking de Wild, é suficiente para disputar os Master’s 1000 sem qualy?

Bukele
Bukele
30 dias atrás
Responder para  Robério

Entra em praticamente todos. Tem Masters 1000 com chave de 96 jogadores, outras tem 64 jogadores, Monte Carlo tem 56. Entram os melhores do ranking mais alguns qualys.

trackback

[…] Wild venceu o único duelo anterior contra Martinez, na final do challenger de Como, na Itália, no ano passado. O paranaense de 24 anos aparece nesta segunda-feira com o melhor ranking da carreira. […]

Ramiro Cora
Ramiro Cora
30 dias atrás

Parabéns a Monteiro. Um Senhor.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE