PLACAR

Shelton joga no risco e desafia Djokovic na semi

Foto: Brad Penner/USTA

Nova York (EUA) – Com um estilo bastante agressivo, e em alguns momentos até arriscado, o canhoto Ben Shelton levou a melhor no duelo norte-americano contra Frances Tiafoe e garantiu vaga na semifinal do US Open, marcando assim o melhor resultado da carreira em Grand Slam. Shelton, de apenas 20 anos e 47º do ranking, venceu a disputa por 6/2, 3/6, 7/6 (9-7) e 6/2 em 3h07 de partida.

Filho do ex-jogador profissional Bryan Shelton, que foi 55º do mundo e venceu dois torneios da ATP, o jovem Ben já havia alcançado as quartas de final do Australian Open. A vitória sobre Tiafoe foi apenas a segunda da carreira em Grand Slam e a primeira na temporada. Ano passado, ele superou Casper Ruud em Cincinnati. A grande campanha em Nova York já garante um salto no ranking para o jovem norte-americano, que entrará no top 20 após o torneio. Em janeiro, ele ocupava apenas o 96º lugar.

Último jogador norte-americano restante na chave masculina, Shelton terá a difícil missão de desafiar o tricampeão Novak Djokovic na próxima sexta-feira, em confronto inédito no circuito. Enquanto o jovem tenista da casa chega tão longe em Slam pela primeira vez, o experiente sérvio de 36 anos quebrou nesta terça-feira mais um recorde, ao alcançar sua 47ª semifinal no circuito.

Já Tiafoe ficou a uma vitória de igualar a grande campanha feita no ano passado, quando disputou sua primeira semifinal de Grand Slam. O jogador de 25 anos vai perder uma posição no ranking para o alemão Alexander Zverev, que voltará ao top 10 após o US Open.

Shelton foi impecável nos games de saque durante o primeiro set. Ele disparou quatro aces e não enfrentou break-points. Dono de golpes muito pesados, o canhoto de 20 anos conseguia se impor contra Tiafoe e tinha uma bola mais veloz que a do adversário para conseguir duas quebras e vencer a parcial.

A reação de Tiafoe na partida se deu só no fim do segundo set. Mesmo enfrentando três break-points em games distintos, o número 10 do ranking conseguiu manter o saque e aproveitou uma rara oportunidade de quebra para fazer 4/2 e sustentar a liderança no placar até o fim da parcial.

O terceiro set foi marcado por altos e baixos e imprevisibilidade, com três quebras para cada lado. Tiafoe largou com quebra acima, Shelton virou para 3/1, tomou a virada para 4/3, mas buscou o empate no oitavo game.

Já no tiebreak, Shelton ao set-point depois de dar um winner de devolução estando bem atrás da linha e base, mas logo depois fez duas duplas faltas seguidas. Foi a vez então de Tiafoe ter a chance de fechar a parcial e passar à frente, mas então o rival acertou outro winner devolução, um excelente forehand na paralela. Shelton ganhou confiança e fez mais pontos para vencer o set.

As oportunidades no terceiro set custaram caro para Tiafoe, que sofreu uma quebra de serviço no começo do quarto set e baixou bastante a intensidade. Shelton aproveitou o momento e vinha confirmando seus saques de forma bastante tranquila e já nem forçava tanto as devoluções depois de ter construído a vantagem mínima. Mas ele ainda teve tempo de conseguir mais uma quebra, contando com erros de Tiafoe para abrir 5/2, antes de definir a disputa em seu saque.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE