PLACAR

Rybakina se segura entre as 5, Zheng estreia no top 10

Foto: Corinne Dubreuil/FFT

Miami (EUA) – As duas últimas vice-campeãs do Australian Open foram responsáveis pelas principais mudanças no ranking da WTA desta segunda-feira. Derrotada na final do ano passado, a cazaque Elena Rybakina não passou da segunda rodada em 2024 e com isso acabou perdendo duas colocações, mas se segurou no top 5 justamente na quinta colocação.

Já a chinesa Qinwen Zheng, que perdeu a final deste ano, aproveitou a grande campanha em Melbourne para subir bem, ganhou oito lugares e entrou pela primeira vez no top 10. Ela saiu do 15º posto, que era até então o melhor da carreira, para aparecer agora na sétima colocação.

Bicampeã na Austrália, a bielorrussa Aryna Sabalenka se manteve na segunda colocação, atrás da polonesa Iga Swiatek, que segue como a número 1 do mundo. Fechando o top 5, as norte-americanas Coco Gauff (3ª) e Jessica Pegula (4ª) se aproveitaram da queda da Rybakina para o 5º lugar e cada uma subiu uma colocação.

Um pouco mais embaixo, a letã Jelena Ostapenko é que acabou saindo do top 10 com a entrada de Zheng. Ela perdeu duas posições e desceu da 10ª para a 12ª. No sentido oposto, a ucraniana Elina Svitolina retornou ao top 20 depois de alcançar as oitavas em Melbourne, ganhou quatro lugares e agora é a 19ª na WTA.

A maior arrancada depois do Australian Open quem deu foi outra ucraniana, Dayana Yastremska, que foi até a semi e com isso disparou 64 lugares para alcançar o 29º posto, um abaixo da compatriota Marta Kostyuk, que ganhou nove colocações nesta lista.

Logo abaixo, na 30ª posição, aparece a jovem tcheca Linda Noskova, que melhorou 20 colocações após o primeiro Grand Slam do ano. Outra jovem que brilhou em Melbourne e subiu bem foi a russa Mirra Andreeva, que saiu do 47º posto para o 35º. Sua compatriota Anna Kalisnkaya teve disparada ainda maior, ganhou 37 lugares e ocupa no momento a 38ª colocação.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Ubiratan (Black)
30 dias atrás

Rybakina não está confirmando as expectativas de uma parte depois 1 torneio semanas atrás onde, de top, “só” venceu Sabalenka na final.
A Zheng tá muito de boa. Diferentes variáveis favoráveis a ela. Colada na Jabeur, acho muito provável chegar no top 6 a curto prazo! mas aí será uma posição bem instável, até devido à própria Jabeur que mesmo se perder alguns pontos consideráveis, tem condições de recuperar logo depois.
Zheng tem duas concorrentes abaixo com problemas. A Muchova não sei se volta ainda fevereiro. A Vondrousova tá com problema no ombro e vem já há vários meses sem bons resultados. Mas as duas subiram no ranking mais a partir do meio do ano passado, então será lá suas maiores preocupações. Mesmo assim a Muchova, que tem menos pontos, terá uma queda mais rápida nesses próximos 2 meses se não jogar, mas ainda consegue se manter ali nos 3000 pontos do bolo da disputa do top 10/11.
Desse bolo, a Ostapenko é a que tem tido maior consistência nesses primeiros torneios e poderá ameaçar a Muchova já nesse WTA500 desta semana. Ela conseguiu se manter nessa região do ranking exatamente porque ganhou antes pontos que precisaria defender no AO.
Já a Sakkari, melhor posicionada, Krejcikova, Bia e outras, vamos ver o que farão nos próximos torneios. A krejcikova, principalmente, se não fizer nada próximo de ótimo em fevereiro vai dar no mínimo uma boa queda. Esse tipo de problema de defesa de grandes prontos, todas terão em algum momento do ano.

Viviane
Viviane
30 dias atrás

Acredito que logo menos Sakkari saia desse top 10. Não tem ido longe nos torneios, não ganha nenhum título expressivo. Uma pena.

Ubiratan (Black)
30 dias atrás
Responder para  Viviane

Bem! se segurou por ter levado Guadalajara sem jogar contra as principais adversárias mas fez sua parte! e ganhou uns 400 pontos pra perder as partidas do Finals.
Mas falando de matemática, ela está com uma ótima pontuação, o que a dá uma folga dentro do top 10. Além das concorrentes ao lado sem jogar por problemas físicos.
Ela não foi defender seus 110 pontos agora em Linz, de quando ainda era um torneio 250. E até março terá outras duas SF, 185 de Doha e 390 de Indian Wells. Bons pontos, mas eu acho que ela poderá equilibrar somando também em Abu Dhabi e Dubai.
Ela também terá para todo o resto do ano para jogar bem algum GS e somar bons pontos, pois foi eliminada na estreia em todos.
Entendo que são condições favoráveis para ela se manter no top 10 no primeiro semestre pelo menos.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE