PLACAR

Rybakina confirma e desafia Swiatek na decisão

Foto: Jimmie48/WTA

Doha (Qatar) – Reunindo duas das quatro melhores jogadoras do mundo, o WTA 1000 de Doha terá a final que todos esperavam. Depois de a polonesa Iga Swiatek, atual líder do ranking, se classificar sem precisar entrar em quadra, a cazaque Elena Rybakina confirmou a condição de terceira cabeça de chave e se garantiu em sua terceira decisão na temporada. Swiatek e Rybakina duelam ao meio-dia (de Brasília) deste sábado.

Nesta sexta-feira, a quarta colocada da WTA precisou de 1h31 para anotar as parciais de 6/2 e 6/4 e eliminar a russa Anastasia Pavlyunchenkova, que ainda não havia perdido sets no torneio. Em sua terceira participação em Doha, Rybakina já faz a melhor campanha da carreira, depois de alcançar as oitavas de final em 2020 e cair na estreia nos dois anos seguintes. Na temporada passada, ela não jogou o torneio.

Aos 24 anos, ela disputará sua 17ª final na elite do circuito e busca o oitavo título, o terceiro somente em 2024, após faturar os WTA 500 de Brisbane e Abu Dhabi. Contra a bicampeã Swiatek, Rybakina tem retrospecto favorável de 3 a 1, tendo levado a melhor nas partidas mais recentes, todas no ano passado, em Melbourne, Indian Wells e Roma. A polonesa venceu nas quartas de Ostrava em 2021.

Mesmo se for campeã, Rybakina se manterá na quarta colocação do ranking, diminuindo a vantagem da norte-americana Coco Gauff para apenas 22 pontos. Swiatek, por sua vez, continuará na liderança, independentemente do que acontecer.

“Acho que nós duas nos conhecemos muito bem, mas é claro que estamos tentando estudar e analisar. Ela está jogando muito bem e certamente está mais descansada do que eu”, disse Rybakina, que está invicta há oito jogos e foi campeã em Abu Dhabi na semana passada. “Para mim o mais importante é tentar me recuperar fisicamente, porque contra a Iga o jogo é muito físico. Ela faz você trabalhar por cada ponto, e claro que preciso ser agressiva e fazer meu jogo. As duas últimas semanas foram muito positivas e vamos ver o que posso fazer amanhã”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Dominante em seus games de serviço, a cazaque não teve dificuldades na primeira parcial diante de Pavlyuchenkova e enfrentou um único break-point no oitavo e último game da parcial, mas acabou salvando e saiu na frente no placar.

O segundo set começou parecido, e Rybakina quebrou a russa logo de cara para abrir vantagem no marcador. O momento mais complicado para ela na partida aconteceu no quarto game, quando precisou salvar seis break-points. Tranquila no jogo, a campeã de Wimbledon em 2022 chegou aos 5/1 e relaxou um pouco, permitindo que Pavlyunchenkova reagisse e ganhasse três games seguidos, tendo uma nova chance de quebra para empatar. A cazaque então se impôs novamente e fechou a partida em seu segundo match-point. Rybakina fez 27 a 16 nos winners e cometeu 39 erros contra 31 da russa.

6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Flávio
Flávio
1 mês atrás

Será uma final de duas jogadoras consistentes que merecem está onde está, porém será uma final de exagero de pancadaria grossa, então salve-se quem puder. kkkkkkkk

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
1 mês atrás

Duas finalistas que, na minha opinião, ao lado da Sabalenka e da Gauff, estão um degrau acima das demais top 10, e dois degraus acima de uma grande parte das jogadoras que estão entre a posição 11 e posição 30 do ranking da WTA. Acredito que será uma grande final. Sou fã das duas jogadoras mas, nesta final, vou torcer pra Rybakina.

Haroldo Guimaraes
Haroldo Guimaraes
1 mês atrás

Vc disse tudo, e ai explica o sarrafo da Bia atualmente, entre o 2o e o 3o step. E o pessoal criticando a Bia, cada uma no seu limite. Talvez Bia entre no Top ten, mas acho improvavel um top five, no nivel das 4 top atuais.

Viviane
Viviane
1 mês atrás

Sou fã das duas e acredito que será um jogão!!

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

O forehand cruzado dessa mulher anda uma barbaridade! É o Del Potro de saia!

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Fernando embora ambas usam pancadaria grossa, acho que a Ribakina tem um pouco mais de recurso técnico do que a Iga, por isso seria legal ela vencer mas não aposto quem vence porque são iguais.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE