PLACAR

Quadra ideal e apoio da torcida motivam Sinner

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Turim (Itália) – Classificado para a final do ATP Finals, Jannik Sinner tem duas razões para entrar ainda mais motivado na busca pelo maior título da carreira: As condições mais rápidas da quadra em Turim, ideais para seu estilo de jogo agressivo e de muita potência nos golpes, e também o fato de jogar em casa e contar com todo apoio da torcida italiana.

“É uma sensação incrível. Mesmo na semana anterior ao torneio, eu já me sentia muito bem nesta quadra. É bastante rápida. E a torcida me deu muita energia”, disse Sinner após a vitória sobre o russo Daniil Medvedev na semifinal deste sábado por 6/3, 6/7 (4-7) e 6/1. O jovem jogador de 22 anos e número 4 do mundo permanece invicto no Finals.

“Hoje foi uma partida muito difícil e acho que cada set teve sua própria história em algum momento. Tive algumas dificuldades no começo, senti que ele estava jogando de forma mais agressiva, principalmente no primeiro set. De alguma forma consegui a quebra e a partir daí me senti melhor”, avaliou o italiano.

“O segundo set foi muito disputado, mas depois ele jogou muito bem no tiebreak. E no terceiro set tentei apenas ser um pouco mais agressivo e variar um pouco o meu jogo. Estou feliz por estar na final. Obviamente, depois do match-point, estava muito emocionado. É ótimo. A atmosfera em quadra foi incrível. Compartilhar esse momento com os fãs italianos significa muito para mim e também para minha equipe”, complementou Sinner, que marcou sua terceira vitória seguida contra o russo.

Final contra Djokovic ou Alcaraz no domingo
Apesar de toda a empolgação pela vitória, Sinner já precisa pensar na final do torneio, que acontece às 14h (de Brasília) de domingo, contra Novak Djokovic ou Carlos Alcaraz. Durante a fase de grupos, o italiano conseguiu a primeira vitória em quatro jogos contra o sérvio. Já diante do espanhol, lidera o retrospecto por 4 a 3.

“Não há muito tempo para aproveitar este momento, porque amanhã tenho outro jogo muito difícil. Mas estou ansioso por isso. Sinto-me um privilegiado por jogar contra o Novak ou contra o Carlos. Vai ser uma partida difícil. Estou ansioso para isso. Tentando dar tudo que tenho, 100%, e espero que seja um bom confronto”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE