PLACAR

Paraguaio de 19 anos é campeão em São Leopoldo

Daniel Vallejo (Foto: Cleon Medeiros/São Léo Open)

São Leopoldo (RS) – Convidado para a disputa do challenger de São Leopoldo, o paraguaio Daniel Vallejo conquistou o maior título da carreira neste domingo. O jovem jogador de 19 anos e ex-número 1 juvenil superou o francês Enzo Couacaud, 231º do ranking, com parciais de 6/3 e 6/2 em 1h25 de partida.

O primeiro set da final teve apenas uma quebra, conquistada por Vallejo, que aproveitou seu único break-point na parcial e salvou os dois que enfrentou logo início da partida. Couacaud começou o segundo set vencendo por 2/0, mas o paraguaio logo reagiu, conseguindo três novas quebras e sem ter o saque ameaçado novamente, para fazer seis games seguidos no fim do jogo.

Vallejo iniciou a semana como 472º do ranking, trinta posições abaixo da melhor marca da carreira. E com os 75 pontos do título no torneio gaúcho em quadras de saibro, dará um grande salto para o 312º lugar, de acordo com a projeção oficial da ATP. A final em São Leopoldo foi apenas a segunda de sua carreira em nível challenger, após um vice-campeonato em Santa Fe, na Argentina, no ano passado.

“Foi um final de semana incrível onde conquistei o meu primeiro título internacional. Gostaria de agradecer a organização, as pessoas que torceram por mim. Estou muito feliz, foi um torneio muito lindo”, comemorou Vallejo, que se torna o quarto jogador paraguaio a vencer um challenger e o primeiro desde Ramon Delgado em 2009.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Ao longo da semana, Vallejo venceu dois brasileiros, o gaúcho Orlando Luz nas quartas e o paulista Felipe Meligeni na semifinal. Também derrotou o canadense Liam Draxl na estreia e o argentino Genaro Olivieri nas oitavas. O campeão de São Leopoldo teve a chance de jogar no Brasil depois que o carioca de 17 anos João Fonseca recebeu convite para o challenger de Assunção por meio uma parceria institucional da CBT com a Associação Paraguaia. Na prática, Fonseca acabou nem precisando do convite, após mudanças de última hora na lista de inscritos que possibilitaram sua entrada direta na chave. Ele foi finalista em Assunção e superado por Gustavo Heide em uma final brasileira no último domingo.

Finalista do challenger gaúcho, Couacaud tem 29 anos e segue com dois títulos no circuito em sete finais disputadas. Ele recebe 44 pontos na ATP e sobe para o 217º lugar do ranking. Sua melhor marca é a 151ª posição, de julho do ano passado.

10 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
João Sawao ando
João Sawao ando
3 meses atrás

Esse paraguaio e muito bom

Copérnico Vinícius Lara
Copérnico Vinícius Lara
3 meses atrás

boa tarde internautas. é impressão minha ou na imensa maioria dos torneios em nosso país, com a maioria de brasileiros nas chaves, quem ganha é sempre um jogador argentino/ peruano/ paraguaio/ equatoriano/ chileno… e muitas vezes de ranking inferior? falta invesrimento? falta talento? é problema de junta? boa tarde e meu atual jogador favorito é Daniel Dutra da Silva. vejo muitq dedicação e raça nele. abrqço desde Parnaíba Piauí.

Beto_poa
Beto_poa
3 meses atrás

impressão sua …

Jorge Luiz
Jorge Luiz
3 meses atrás

Não é impressão, é verdade mesmo, agora o Daniel nunca ganhou nada de relevante em sua longa carreira

Scott
Scott
3 meses atrás

Segundo o Gusmão, basta fazer vários ITFs aqui…
Tolices como essas não são a solução, mas sim uma formação de base melhor dos atletas, como a Itália fez.

Thiago
Thiago
3 meses atrás

Isso é uma grande bobagem. Tênis não é futebol, o “fator casa” é limitadíssimo – o que faz diferença é a qualidade, geralmente (mas nem sempre) refletida no ranking.

Semana passada 2 brasileiros fizeram a final no Paraguai, e ambos derrotaram os cabeças de chave 1 e 2 nas semi-finais (em tese, eles deveriam se enfrentar na final); ano passado, Monteiro foi campeão em Campinas, um Challenger 100, mesmo não sendo cabeça de chave.

Esse Vallejo é muito bom jogador, ainda jovem, e seu ranking de entrada definitivamente não reflete sua qualidade.

E ter o Danielzinho como favorito… rsrs… vai só passar raiva. Escolha um melhor pra torcer, amigo. Ele tá em fim de carreira já.

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
3 meses atrás

O Dani e um jogador de muito talento, sucessor do Pecci e do José luiz Clerc

João Sawao ando
João Sawao ando
3 meses atrás

Nao da para comparar pecci vice campeão de rg e José Luís clerc segundo melhor argentino depois de vilas

Scott
Scott
3 meses atrás

Brasileiros sempre sofrendo muito, mesmo em casa. Fazer trocentos ITFs aqui não é a solução!

Thiago
Thiago
3 meses atrás

Joga muito o garoto. Tá bem na corrida do Next Gen Finals também, atrás do Fonseca. Se mantiver essa pegada, vai representar muito seu país.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE