PLACAR

O prazer de ver João e o primeiro adeus de Rafa

Claro que adoramos vitórias e títulos, mas o que mais me agrada em João Fonseca é a forma e não simplesmente o resultado. Esse carioca de 17 anos dá prazer de ver jogar, algo que Carlos Alcaraz fez assim que despontou e que agora temos com Jannik Sinner, para ficar em exemplos masculinos de idade baixa, carreira curta e alta performance.

É um tênis fluido, que começa com saque forçado, tanto no primeiro como no segundo serviço, o que aliás tem sido um tremendo diferencial em suas grandes vitórias, já que possibilita assumir o comando dos pontos. Depois vem é claro os golpes lá da base. Seu forehand é excepcional, eu me arriscaria a dizer no mesmo nível do espanhol e do italiano. O backhand faz enormes estragos principalmente na paralela e o adversário já deve ter percebido que terá de aprofundar demais as bolas para evitar esse recurso poderoso.

Aí vem a parte mais deliciosa para os apreciadores de um tênis elegante, que é o repertório que exige mão boa e bem treinada. Suas curtinhas são bem feitas e geralmente apropriadas, aproveitando aquele contexto tão interessante que é surpreender o adversário, que naturalmente recua porque prevê que vira uma pancada lá da base. Exatamente como faz Alcaraz.

Também está ali o slice bem aplicado, fruto daqueles que nasceram no saibro. E por fim vem sua habilidade incontestável na aproximação à rede. João é daqueles que entendem a importância de ir para a frente assim que deslocam o adversário, algo por exemplo que Sinner demorou a adotar. E seus voleios são plasticamente perfeitos e demonstram muita improvisação, o que nos leva a crer não apenas em dom natural para o golpe mas exaustivos ensaios.

Enfim, Fonseca não tem apenas vencido, e sim dado bons e animadores espetáculos. Diante do experiente Lorenzo Sonego, foi um show de variações técnicas e táticas, o que não é muito de se esperar de um tenista de currículo tão parco no circuito. Quem puder assistir de novo à partida, sugiro prestar atenção no desempenho e nas escolhas do brasileiro nos chamados ‘pontos importantes’. Já contra as bolas retas de Radu Albot, demorou um pouco para achar o caminho e cortar erros, mas assim que passou a distribuir melhor a bola dominou o moldávio como se fosse ele o veterano.

No ranking de segunda-feira, João será o brasileiro de mais baixa idade a entrar no top 250, aos 17 anos e 7 meses. E tem chance nada desprezível de já aparecer no top 100 da temporada ou pertinho dele. Feitos incríveis. Seu teste de sexta-feira é o chileno Alejandro Tabilo, este sim autêntico saibrista. Vem do título inédito de ATP na quadra dura de Auckland em janeiro e da final em Santiago pouco depois. Jogador de bons recursos, Tabilo muito provavelmente vai respeitar demais as façanhas do brasileiro e entrar esperto. Se Fonseca surpreender de novo, chegará ao qualificatório de Roland Garros e às portas do top 200. E contando.

O primeiro adeus de Rafa

Depois de tantos recuos, Rafael Nadal finalmente voltou às quadras e conseguiu, segundo suas próprias palavras, dar seu adeus a Barcelona. Atração máxima desde que chegou para treinar, quase uma semana antes, Rafa deixou claras suas limitações no saque e na movimentação. Basicamente colocou a bola em jogo diante de Flavio Cobolli e de Alex de Minaur, com raros serviços perto dos 180 km/h. Ao menos conseguiu nos brindar com diversos ótimos lances de seu mágico forehand. Também mostrou boa consistência na troca lá de trás, com um backhand bem feitinho. A dificuldade sempre aparecia quando precisava executar golpes em movimento mais exigente, o que sempre foi um de seus pontos altos.

O garoto italiano não jogou nada, talvez petrificado por ter diante de si o ‘rei do saibro’, o homem que ganhou 12 vezes o tradicionalíssimo torneio de Barcelona. Porém era um tanto previsível que a situação iria se complicar diante do australiano. Longe de ser um bom nome na terra, De Minaur vive o melhor momento técnico da carreira e sua cobertura de quadra é de primeira categoria. Apesar do saque fraco, Rafa ainda recuperou quebra e chegou a ter 5/4 no primeiro set. Mas foi o máximo que conseguiu. Perdeu oito dos nove games seguintes, o que não impediu o público de lhe render as justas homenagens.

A parte positiva foi ver que Nadal terá boas chances de jogar Madri, Roma e Paris nas próximas semanas e concluir aquela que parece ser a primeira (ou a única) parte de seu calendário de despedida do circuito. Mais do que nunca, a expectativa da maciça maioria dos especialistas é que a aposentadoria aconteça neste Roland Garros. Só mesmo uma grande ascensão física poderia nos levar a acreditar em chegar a Wimbledon ou às Olimpíadas. Isso infelizmente parece longe no momento porém, como sempre, nunca duvidemos de Rafa Nadal.

110 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Ricardo Ortegal
Ricardo Ortegal
1 mês atrás

Rafael Nadal é uma lenda viva. Que privilégio termos acompanhado o seu início, seu auge e agora a sua despedida.

Alcaraz e sinner os melhores da história
Alcaraz e sinner os melhores da história
1 mês atrás

Se Fonseca focar no físico ele brigar pra ser melhor do mundo ,pq ele já é jogador com físico diferenciado,ele corre pra todo lado chega nos lances bem inteiro e só tem 17 anos ,então tem muito a crescer fisicamente,vc pega sinner alcaraz Djokovic Federer nessa idade ainda não eram aqueles físico todo ,tem jogador q vc vê que não nasce com físico pra ser trabalhado ,já seFonseca além da técnica é forte fisicamente e se dedicar fisicamente vai correr mais e talento pra ser melhor do mundo ele tem

mario cesar rodrigues
mario cesar rodrigues
1 mês atrás

Bom jogador o tempo dirá,mas fico com o pé meio atraz,Shapopalov,Tomic,Kyrgios,Thiem poderia enumerar vãrio mas este Jo]ao sabe jogar e pode ter uma carreira brilhante torcerei por ele!

Alcaraz e sinner os melhores da história
Alcaraz e sinner os melhores da história
1 mês atrás

Outra coisa se ele se cuidar fisicamente,quem sabe ia dominar o tênis e com o estilo técnico do Federer,aí seria legal ver Djokoviclzets e nadalzeta sendo obrigado a torcer contra o brasileiro,pq eles na gostam de jogador habilidoso ,seria lindo isso acontecendo

Casagrande
Casagrande
1 mês atrás

Que infelicidade, rapaz. Não há nehum respeito humano, nem mesmo esportivo, ou mesmo tenístico, no seu comentario. Sai dessa deprê, muchacho.

Última edição 1 mês atrás by Casagrande
Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Casagrande

Você conseguir entender o que ele quis dizer?
Parabéns!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, não sei o Casa, mas eu entendi perfeitamente o que o sujeito quis dizer e não disse, ou seja, apenas tergiversou e caiu no mais profundo vazio…

Alcaraz e sinner os melhores da história
Alcaraz e sinner os melhores da história
1 mês atrás
Responder para  Casagrande

Ué ao deixei o aviso ,se ele for genial mais por exemplo ele dividir títulos com o sinner ,voces q gostam do Djokovic vão ter q torcer para o sinner ,já que gostam desse estilo corre corre

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás

MEU DEUS DO CÉU!! Que sentido se esconde nos emaranhados desse tão surreal vernáculo?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  Casagrande

CASAGRANDE, você tem toda razão, o cara não é provido do menor senso de analogia…

Rafael
Rafael
29 dias atrás
Responder para  Casagrande

Concordo com o Casagrande

marcos
marcos
1 mês atrás

Bem apontado. Parece mesmo é que eles não ligam para o tênis, o importante para eles é vencer mesmo se for com madeiradas, não faz mal…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  marcos

Tem um record de Roger Federer imbatível, que talvez não saibas: madeiradas!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Jura ??? . Contastes todas ? . Quantos jogadores de Backhand de uma mão atuaram de 1968 até 2024 ( Era Profissional) ? . Não sabes ???? . És um tremendo fanfarrão recalcado…. Rsrsrs, Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Contagens é sua especialidade, mas esse record que seu maestro detém, ninguém o superará.
Reveja como foi o match-point do eterno 40×15.
Um pouco mais de respeito no que escreves, lhe faria muito bem.
E para variar, não combina com recalque, aquele que torce para o melhor tenista do esporte, ao longo de sua história.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Roger Federer segundo a mídia especializada em votação, possuiu entre os CINCO melhores Backhands de uma Mão da história, devido ao vasto Arsenal. A madeirada em WIMBLEDON 2019 foi precedida de golpes espetaculares que empurraram o Sérvio pras cordas . STANIMAL sentia na pele nas incríveis surras que tomava nos confrontos diretos com o conterrâneo. Um pouco mais de respeito de um recalcado com a beleza do golpe , eu sei que é pedir demais. Principalmente com os bate-prontos GENIAIS de todos os cantos da quadra , dissimulado L.F.2 . Rsrsrs, Abs ! .

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não pedi respeito para Roger Federer. Não entendeste. Comum.
Apesar de eu respeitar seus golpes bonitos, exceto as madeiradas, que era do que eu estava falando.
Agora, colocar alguém nas cordas e perder por knock-out deveria ser digno de apagar-se da memória.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Desisto de ti . Quem pediu respeito fui eu , não sabes lê ?? . Jogou uma barbaridade naquela FINAL aos 38 anos . Fez golpes excepcionais com seu maravilhoso Backhand. Favor parar por aqui pois quem apela pra madeiradas é no mínimo…esquece. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
29 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Incrível tua capacidade de querer inverter as coisas.
Parei, inclusive peço desculpas ao boss Dalcim, por me alongar.

Alcaraz e sinner os melhores da história
Alcaraz e sinner os melhores da história
1 mês atrás
Responder para  marcos

Sim eles não desfrutam do tênis ,e até em números é injusto,até pq metade dos títulos do Djokovic foi com Federer com 36 anos pra frente,aí com o goat velho o Djokovic empilhou grand slam

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás

ALCARAZ E SINNER OS MELHORES DA HISTÓRIA, sua forma de escrita é metalinguagem?

A nova geração do tênis vai ser a maior
A nova geração do tênis vai ser a maior
28 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Ok nerd

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás

A NOVA GERAÇÃO DO TÊNIS VAI SER A MAIOR, ainda bem que ser “nerd” não é algo negativo, pelo contrário, tem a ver com o pensar eloquente. Muito obrigado pelo reconhecimento…

Luis Ricardo
Luis Ricardo
28 dias atrás

absurda MENTIRA !!!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  marcos

MARCOS, esse é mais um exemplar de patriotice dentre os vários que temos em nossa confraria, apesar do nome de guerra que o contradiz…

Luiz Henrique
Luiz Henrique
1 mês atrás

Incrível pensar que quando Nadal ganhou seu 2º Roland Garros o João Fonseca estava na barriga da mãe.

Casagrande
Casagrande
1 mês atrás

Ótimo post, Dalcim. Colocou em palavras o que senti hoje vendo o menino. Aquele segundo set sólido, incrivel. Demais. Ainda não vi o jogo inteiro contra o Sonego. Vou aceitar a dica. Só vi os míseros “highlights”. kkk Abrazos

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Casagrande

Aproveite para admirar o incrível saque KICK , que simplesmente encobriu um atordoado Sonego . Simplesmente espetacular. Abs!

Leandro Passos
Leandro Passos
1 mês atrás

Dalcim, ás vezes eu acho que o Federer sabe muito mais de tênis ao escolher o João como um dos patrocinados da marca dele, a ON, não é verdade? Com certeza ele viu no João um futuro promissor ( e Federer raramente erra).

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás
Responder para  Leandro Passos

No jogo contra o Sonego foi muito interessante ouvir os elogios (em inglês) da comentarista estrangeira ao ver os lances do João em quadra: sublime, incrível, maravilhoso…rs. E ela estava certíssima. Pena que o jogo dele amanhã vai ser em uma quadra sem TV. Na torcida por ele em RG.

Casagrande
Casagrande
1 mês atrás
Responder para  Paulo A.

Ela ainda disse: “what a variation!” hehehe

Alexandre G.
Alexandre G.
1 mês atrás
Responder para  Leandro Passos

O João tem alguma coisa do Federer.
Vou tentar descobrir com o passar dos jogos dele.

levI sIlvA
levI sIlvA
1 mês atrás
Responder para  Alexandre G.

O patrocínio pela ON, marca que RF criou, seria isso mesmo?

Silvio
Silvio
1 mês atrás

Eu acho que só do Fonseca utilizar essa marca do Federer (On) os adversários já ficam espertos…opa não é qualquer um que tem um patrocínio desse…rsrs. Brincadeira à parte, Dalcim, é possível o João receber um convite pra Roland Garros ou haveria muita crítica de outras Federações, dos Franceses, causando sai justa?

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Se a Amélie Mauresmo (caso ainda seja a diretora de RG) for esperta, não deixará passar essa oportunidade de ter um garoto que já é a sensação no tênis mundial. Comparado, em estilo, ao Djokovic, por ninguém mesmo que o próprio sérvio!

André Aguiar
André Aguiar
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Na verdade ele foi quadrifinalista no RG juvenil em 2023, assim como o foi no Australian Open e em Wimbledon.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
29 dias atrás
Responder para  Silvio

SILVIO, nesse caso, seria bom que o bom moço Thiago Fonseca, a apenas mediana Beatriz Haddad e o nó cego do Thiago Wild utilizassem a tal marca com a chancela de Federer, pois, fazendo uso da On, eles certamente seriam três dos melhores tenistas do mundo, e figurariam, amiúde, no top cinco…

André Borges
André Borges
1 mês atrás

Duas coisas que digo sempre, a diferença técnica do Big3 é abismal. Nadal é hoje um ex tenista em atividade e isso é suficiente pra bater um top70 em sets diretos.
E o João hoje tem um volume de jogo que se ele cortar os erros e manter o foco durante a partida fica muito dificil pra um cara fora do top100 acompanhar. Hoje assim que ele achou o ritmo o Albot já não teve mais qq chance.
Dalcim, como se sentem e o que comentam no vestiário esses tenistas mais veteranos, que estão ali ao redor do top100, que muitas vezes já foram top20, top30 e que entram em quadra e levam um atropleo de um garoto? Que é um potencial logico, mas ainda é um garoto com numeros quase irrelevantes ainda no circuito.

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
1 mês atrás
Responder para  André Borges

Nadal, ex-tenista em atividade???
Qual a conclusão mesmo !?
Nadal é um tenista em atividade, porém vindo de lesão, prezado André, e está tentando de toda as formas jogar.

José Alexandre
José Alexandre
1 mês atrás

Se não fosse o Dalcim, eu diria que o jornalista se empolgou com as comparações, mas como é, eu que tô empolgado agora.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  José Alexandre

ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS…

Federer eterno GOAT
Federer eterno GOAT
1 mês atrás

e lá se vai o 3º maior da história… vai deixar saudade, foi um grande saco de pancadas do GOAT na grama e quadras rápidas

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

Como vcs sofrem ate hoje com as derrotas do terceirao hein kkkkk. E aquele choro comovente na final do AO 2009, lembra? Claro q lembra kkk, e sofre kkkk…

Alexandre G.
Alexandre G.
1 mês atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

Respeite essa lenda, por favor.
Ele é um dos big3, os quais elevaram o nível do tênis mundial a um patamar difícil de alcançar.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Alexandre G.

Valeu, caro Alexandre G. Esse comentarista pode desrespeitar quem quiser. Quando mando meu comentário divergindo o Dono do Blog simplesmente deleta . Me refiro obviamente ao comentarista mais acima . Abs!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
28 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

E NÃO SEI POR QUE ELE NÃO deletou mais esse, já que tem uma sequência na qual você desce-lhe a ripa de forma direta…

Última edição 28 dias atrás by Valmir da Silva Batista
Paulo F.
Paulo F.
29 dias atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

Como sofre esse Marquinhos!

José Alves
José Alves
1 mês atrás

Há 10 anos falei que me aposentaria do tenis junto com o Nadal aqui no Blog do tênis. Infelizmente esse momento chegou. Até o Lógico se aposentou também rsrsrs
Uma pena. Sentirei falta das suas postagens Dalcim!

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás
Responder para  José Alves

José, o Lógico, muito gente boa, foi pulverizado pelas atuações do Nadal. Até AO em 2021 Nadal venceu além dos 14 RG que certamente é o recorde mais impressionante do tênis.

Casagrande
Casagrande
1 mês atrás
Responder para  Ronildo

O José era o Lógico?

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás
Responder para  Casagrande

Não, acredito que ele apenas lembrou do Lógico, que causava muito impacto com suas sátiras.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
26 dias atrás
Responder para  Ronildo

RONILDO, satiricamente falando, você é o number one agora…

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás
Responder para  José Alves

É só se aposentar das quadras e ir pro sofá, dá para continuar lendo e acompanhando o blog do dalcim

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás

“RANKING NÃO DEFINE VITÓRIAS”, declarou uma sapiente e lúcida Patrícia Medrada, em referência a Beatriz Haddad

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
1 mês atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

COLEGAS DE CONFRARIA, mais uma vez o rato roeu parte importante do meu comentário. Peço a gentileza de não acreditarem que minha avaliação acima termina de forma tão ruim e desprovida de pontuação, isto é obra do roedor…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás

Onde assino , caro Dalcim ? . Apenas um adendo. Alcaraz não cravou Rafa Nadal pulando WIMBLEDON. Mas assegura que está ” acertada ” a participação em dupla nas Olimpíadas. Fonte: O Marca . Abs!

Tiago Santana
Tiago Santana
1 mês atrás

Meio fora de tópico, mas ontem parei para ver uns vídeos com compilados de golpes inside out de Federer (confesso que bateu uma saudade de ver o maestro em quadra), pois considero essa execução a mais bonita que já vi no tênis. Dalcim, há algum golpe/execução que você considere como o mais bonita na história do tênis? Sei que é uma pergunta pretensiosa, pois são muitas opções de qualidade, mas sempre tem aquele predileto, n?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Aquela do Wawrinka na final de RG 2015, para mim, é a jogada mais bonita que já vi.
Apesar de ter doído aqui, rsss!

João Sawao ando
João Sawao ando
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Concordo dalcim. Além de ser um golpe bem natural o bachand de uma mão

Tiago Santana
Tiago Santana
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Confesso que o back de uma mão na paralela me deixou em dúvida quando escrevi o texto, ainda mais lembrando de Guga, Wawrinka e Gasquet. Concordo também com João Ando sobre a naturalidade do golpe. Hoje Tive consegui ver partes do Jogo de João Fonseca contra Tabilo e observei que ele usou o inside out em algumas ocasiões, e muito bem executado.

José Yoh
José Yoh
29 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Ahhh o back de uma mao… transforma a raquete em um katana.
Ou vira uma pincelada em um quadro.
Pena estar virando nostalgia.

Abs

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás

Muita coisa acontecendo atualmente no circuito. Fonseca se firmando como uma grande revelação. Fils, de 18 anos vencendo De Minaur que venceu Nadal. Raducanu com 21 anos recuperando seu jogo após 2 anos. Imaginem como ela vai estar forte para a temporada de grama com este nível de jogo!

Davi Poiani
Davi Poiani
1 mês atrás

Excelente texto caro Dalcim,

Arriscaria dizer que João Fonseca seria um meio termo entre os estilos de Alcaraz e Sinner. Claro que é uma definição simplória, por assim dizer, mas eu explico: a mecânica de seus golpes parece ter a mesma “limpeza e eficiência técnica” do Sinner em certo sentido. Ou seja, tanto Sinner quanto Fonseca demonstram fazer menos esforço para desferir seus potentes golpes em ambos os lados.

Neste quesito, Alcaraz parece demandar muito mais esforço, o que pode em parte explicar as suas lesões precoces na curta carreira. Preocupa aqui ele ter pulado dois torneios importantes no saibro e ainda dizer que não garante sua participação em Madrid.

Por outro lado, Fonseca também tem alguns quesitos que o aproximam do estilo de Alcaraz: um temperamento mais aguerrido, à moda do espanhol (e não tão frio quanto o do italiano). A plástica de alguns de seus golpes e sua habilidade com a raquete, tal como quando utiliza drop shots, é outra característica mais próxima do Alcaraz.

Fonseca já é dotado de um talento extraordinário e tem o potencial para ser um dos grandes nomes do tênis mundial nos próximos anos. Isto é algo que salta aos olhos para quem o vê jogar, algo tão claro e nítido. Longe de ser um ufanismo pelo fato de ser brasileiro. Estamos aqui a falar de um potencial incontestável que já foi reconhecido por ninguém menos que Federer, Djokovic e outros nomes importantes do tênis.

Última edição 1 mês atrás by Davi Poiani
Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Davi Poiani

Ótimo texto Davi.
Será o João Fonseca o redentor das torcidas brasileiras, ou seja, conseguirá colocar na mesma kombi as facções arqui-inimigas que dividem o Big3?

Paulo A.
Paulo A.
29 dias atrás
Responder para  Davi Poiani

Não há como discordar de você! O potencial do João é estupendo, como já o reconheceram Federer e Djokovic. Só precisa não descuidar do mental e do físico mas ele está em ótimas mãos para isso.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

O ‘ranking’ de entradas, como o próprio nome diz, define quem pode entrar e os cabeças-de-chave. Pode até definir favoritismo, Mas não espelha o momento do tenista.
Sujeito pode ser Top 10, mas se jogar desconcentrado por problemas extra-quadra, ou desmotivado, ou tentando esconder alguma contusão, ou ser atrapalhado pela torcida… enfim, o que vale é o momento.
Do contrário, nem precisaria jogar. Era só pegar os inscritos, ver quem tem o melhor ranking e já lhe entregar o caneco.
Outra coisa, que eu aprendi sentindo na própria pele: “treino é treino e jogo é jogo”. Principalmente entre amadores, é comum aquele que na hora do campeonato, “encolhe o braço”.
E tem o outro lado. Dizem que o John McEnroe era do tipo que não gostava muito de treinar, mas, na hora do jogo oficial, virava um “bicho”.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Maurício, tem mais coisas no ranking, além de quem vai “entrar”.
O ranking, de fato não espelha o dia sempre. Tem casos que sim. Hoje, Sinner é #2 e aquele velhinho lá, #1. Certamente, se considerarmos apenas o dia de hoje, o ranking deveria ser o inverso.
Mas, há momentos, que espelha com fidelidade o momento do tenista. Já vimos tanto isso, não é mesmo?
Mas a grande contribuição do ranking é a definição dos cabeças-de-chave, para evitar que simples sorteios coloque jogos interessantes em primeiras rodadas e deixem jogos sem nenhum carisma para as finais. Se o ranking do dia não combina com o tenista, quer dizer que ele fez muito para conseguir esse status – ou ainda faz.
Valeu!

Sandra
Sandra
1 mês atrás

Dalcim , enquanto o novo não deslancha (João Fonseca ) rsss , cadê o velinha (Djokovic) rsss ele vai jogar Madri ?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
29 dias atrás
Responder para  Sandra

SANDRA, é verdade, faz bastante tempo mesmo que Djokovic não joga, acho que tem quase um mês. Além de não jogar, não há notícias sobre ele nem mesmo neste blog e até em TenisBrasil. A propósito, aquela derrota dele para Casper Ruud, na semifinal de Indian Wells em 13 de abril de 2024, ou seja, há sete dias, sequer foi avaliada por nós desta confraria…

Sandra
Sandra
29 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Ele perdeu em Monte Carlo !

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
28 dias atrás
Responder para  Sandra

SANDRA, se você sabia que há sete dias( agora oito ) “Ele perdeu em Monte Carlo”, então a sua pergunta a JOSÉ NILTON foi apenas para encher linguiça, não é mesmo? Ou seja, eu disse Indian Wells de propósito e meu estratagema deu resultado. Muito obrigado por se reportar a respeito…

Sandra
Sandra
1 mês atrás

Dalcim, qual a sua opinião ,claro que com a idade Djokovic tem que jogar menos , mas ao mesmo tempo jogar menos não fica sem ritimo

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

JOSÉ NILTON, ele só não pode enxugar muito, senão não conseguirá somar pontos para o ATP Finals…

José Yoh
José Yoh
29 dias atrás
Responder para  Sandra

Uma grande vantagem de poder jogar menos é que os mais jovens se lesionam antes dos slams enquanto ele vai inteiro. Quanto ao ritmo acho que a experiencia torna isso um problema menor que as lesoes.

Abs

Ernani Chaves
Ernani Chaves
1 mês atrás

Dalcim, quero falar de outra cousa, que me ovorreu acompanhando o jogo do Acosta com o Tsitisipas. A Argentina tem um programa de apoio semelhante ao da Itália?

Willian Rodrigues
Willian Rodrigues
1 mês atrás

Para quem ainda não assistiu ao belíssimo e contundente saque nosso João Fonseca contra Sonego: https://youtube.com/shorts/Y-sDy8aC6tk?si=odG3ok82g79_THoz

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás

Falo por mim: quero mais que o João comece a varrer o circuito daqui a uns 3 ou 4 anos. Se o GOATaço Djokovic tiver que perder seus recordes algum dia, que seja para um brasileiro.

Sr. SR e Luiz, há respostas para vocês na pasta passada.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
29 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Quando o SR me mostrar que Nadal e Djokovic venceram Torneios aos 37 e 38 anos e foram TOP 5 aos 39 , vou aceitar seus argumentos de terceirão e outras b………es. Por enquanto, vou observar os fatos verdadeiros, já que o Touro não pode mais competir em altíssimo nível. Sempre chamei atenção pra FINAL de WIMBLEDON 2019 e FINALS 2019 , que aquele nível aos 38 , ainda não aconteceu na história do Tênis. Abs!. Ps. Vou dar um tempo pois cansei do atual critério da moderação. Mas vida que segue…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
29 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Conferido PA.
Contra fatos, não há argumentos.

Paulo F.
Paulo F.
29 dias atrás

Um comentário sobre João Fonseca: foi destacado por ninguém mais, ninguém menos do que Novak Djokovic.
Nosso brasileiro frisado por alguém “irrelevante” no tênis hein Dalcim?

Paulo A.
Paulo A.
29 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Noa só destacado mas comparado ao próprio Djoko o que, para mim, é um estupendo elogio…merecido, aliás!

Sandra
Sandra
29 dias atrás

Dalcim podemos ter esperança do João Fonseca ser convidado para mais torneios ? Para Madri teria alguma chance ?

Luiz Fernando
Luiz Fernando
29 dias atrás

Como o tênis é traiçoeiro. Ruud dominava o set1, 42 e 40-15, de repente começou a errar com uma dupla falta e agora está 55…

Rafael
Rafael
29 dias atrás

Estou cansado dessa discussão, já faz um tempo. Muita gente dizia aqui que Novak não jogaria mais – ou não ganharia mais – aos 30 anos. Agora se discute que Federer jogou bem aos 65 anos e isso é inigualável.

Está soando a desespero, já. Como não posso dizer a vocês para pararem de discutir sobre o tamanho do *** dos 3, só vou lamentar. Rapaz…. a melhor época do tênis de todos os tempos, os 3 melhores de todos os tempos e ….. ….

Bom, quem sou eu, né?

Ronildo, a próxima maior rivalidade será Fonseca x Sinner x Alcaraz. Federer errou com Shelton, mas acertou com Fonseca, rs.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
29 dias atrás
Responder para  Rafael

Teve alguém que garantiu que Djokovic e Nadal já estariam aposentados (pegando a pensão do INSS e tudo) aos 35.
Como isso não aconteceu, inclusive um deles é o #1 do mundo, quem deu essa garantia é que foi embora.

José Yoh
José Yoh
29 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Acho que muitos comentaristas aqui devem ter se aposentado (na vida real) nesse período, de tao longo que foi…

Abs

Guilherme
Guilherme
29 dias atrás

Dalcim,

O Ruud já chegou a ser número 2 do mundo, não tendo ganho um Grand Slam, Master 1.000 ou sequer ATP 500. Apesar disso, tal fato prova sua regularidade e incrível consistência em torneios de grande nível.

Há algo semelhante para o número 1? Isto é, alguém já chegou a ser n. 1 do mundo sem ter ganho Grand Slam, Master 1.000 ou ATP 500? Sei que o Marcelo Ríos seria um deles, mas há algum outro?

Paulo A.
Paulo A.
28 dias atrás

Dalcim, caso a Bia não defenda a semifinal em RG do ano passado e caia nas rodadas iniciais ( até a 3a, digamos) ela sairá do top 20?

Paulo A.
Paulo A.
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Na atual fase dela, penso que as expectativas são baixas. Não estou nada otimista mas vai que…

João Sawao ando
João Sawao ando
28 dias atrás

Dalcim. Qual o próximo torneio do João e do heide?

Refaelov
Refaelov
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Deu out já Dalcin..

Luiz Fernando
Luiz Fernando
28 dias atrás

Ruud é um excelente saibrista, haja vista q fez final em RG. Mereceu a vitória hj, sobre um adversário igualmente excelente no piso. Embora não veja nenhum dos dois como claro favorito em RG, ambos podem perfeitamente levar um dos dois M1000 remanescentes no piso. Vamos pra Madri…

Sandra
Sandra
28 dias atrás

Dalcim , o que vc acha menos ruim para o Fonseca ? Pegar Nadal ou não na primeira rodada?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
28 dias atrás

Nadal ficará solto nas chaves, podendo portanto pegar um Top 10 logo de cara ou um saibrista em boa fase. Tanto ele quanto quem o pegar, que ponham as barbas de molho.
É nessas ocasiões que o esporte se assemelha a uma loteria.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals