PLACAR

O céu é o limite para Novak Djokovic

Com números p’ra lá de expressivos, atuações brilhantes e um degrau acima de seus adversários na atualidade, Novak Djokovic mostra-se insaciável. Quer mais, muito mais.

Segundo suas próprias palavras após mais uma sensacional conquista no ATP Finals, de Turim, o sérvio revelou seu objetivo de conquistar o Golden Slam, com a medalha de ouro olímpica em Paris 2024 e ainda tornar-se o terceiro homem na história a vencer os quatro mais importantes torneios do planeta, Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open numa mesma temporada.

Tenho certeza de que muitos já sabem, mas acho legal explicar um fato. O Golden Slam é quando o tenista conquista o ouro olímpico e também tem títulos nos quatro Slams, mas não necessariamente num mesmo ano. Por isso, jogadores como Rafael Nadal, Andre Agassi e entre as mulheres Steffi Graf e Serena Williams já levaram o chamado Slam de Ouro.

Vale lembrar também que o tênis ficou afastado dos Jogos Olímpicos por décadas. Portanto, neste período não se falava em Golden Slam. Mas sim no Calendar Year Slam. Nesse tópico apenas dois tenistas homens podem se orgulhar de tamanha façanha: o australiano Rod Laver e o norte-americano Don Budge, este último ainda na década de 30.

Para chegar onde Djokovic almeja o ano de 2024 é o mais interessante. É lógico que já venceu os 4 Slams e não no mesmo ano por pequenos, mas decisivos, detalhes. No seu atual estágio, a próxima temporada se coloca como propícia para alcançar um feito inédito, ou seja, o Calendar Slam e o Golden Slam. Um objetivo audacioso, sem dúvida, mas pelo que o sérvio vem mostrando, algo sim possível para ele.

Lembro muito bem de uma declaração do russo Marat Safin. Ele enfatizou que admirava a nova geração, mas não a valorizava tanto, pois estes jovens tenistas não venciam os mais velhos, do chamado Big 3. Bem até que recentemente no Finals, Jannik Sinner poderia ter quebrado este paradigma, mas depois da lição, da Master Class que teve na decisão do título, julgar que os atuais objetivos de Djokovic sejam impossíveis não seria verdade. Mas é sim um plano difícil, repleto de obstáculos e que o sérvio tende a efetivar.

13 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Joselito
Joselito
3 meses atrás

Vou torcer para que consiga seu objetivo, mas acredito que seja algo muito difícil. RG e US OPEN são as maiores incertezas a meu ver. Como as olimpíadas também serão em RG, mas uma interrogação.

SANDRO
SANDRO
3 meses atrás

Bom Dia Chiquinho!
Gostaria muito de ver Djokovic conquistando o CALENDAR SLAM em 2024, particularmente, seria o máximo ver Djokovic conquistando novamente ROLAND GARROS…
Pra mim, o tênis olímpico é uma gincana, até porque passou anos a fio longe das Olimpíadas… Os esportes que assisto nas Olimpíadas são as lutas e o atletismo, já no tênis prefiro assistir os torneios da ATP e os Grand Slams e não o tênis olímpico, o qual não dou importância…

Alexandre Monteiro
Alexandre Monteiro
3 meses atrás

Caso fosse um tal suíço da Basiléia, essa primeira estrofe seria interminável, repletas de qualidades…
É impressionante à falta de valor que o sérvio recebe da crítica ocidental. Quem lê um artigo desses, tem a sensação de que se trata apenas de “números” em questão, mas ninguém cita que Novak Djokovic é um gênio, ninguém cita do quão é difícil se manter num nível desse por 1 ano, quem dirá por 15 fuking anos!!!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
3 meses atrás
Responder para  Alexandre Monteiro

Bingo!

Gustavo
Gustavo
3 meses atrás

“Calendar” com um L, por favor. Aff…

José Nilton Dalcim
Admin
3 meses atrás
Responder para  Gustavo

Obrigado!

Jorge Luiz
Jorge Luiz
3 meses atrás

Tinha que falar do Golden Slan pra falar de Nadal que está muiiiittoo atrás do Djokovic

José Nilton Dalcim
Admin
3 meses atrás
Responder para  Jorge Luiz

Os torcedores do Djokovic precisam acabar com esse complexo de inferioridade. Citar outros grandes fenômenos do tênis é natural num texto que fala de façanhas e recordes.

Jorge Luiz
Jorge Luiz
3 meses atrás
Responder para  TenisBrasil

Como assim inferioridade? Só constatei que o Chiquinho é torcedor do Nadal.

Jorge Luiz
Jorge Luiz
3 meses atrás

Comentário falando que o Chiquinho é torcedor do Nadal é censurado, valeu pela democracia

José Nilton Dalcim
Admin
3 meses atrás
Responder para  Jorge Luiz

É que cansa essa entoada ridícula de ‘torcedor’ deste ou daquele. Comente algo mais produtivo.

Jorge Luiz
Jorge Luiz
3 meses atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Que o Chiquinho seja imparcial, por que absolutamente ele não é

José Nilton Dalcim
Admin
3 meses atrás
Responder para  Jorge Luiz

Acho que você não leu bem o texto. “No seu atual estágio, a próxima temporada se coloca como propícia para alcançar um feito inédito, ou seja, o Calendar Slam e o Golden Slam. Um objetivo audacioso, sem dúvida, mas pelo que o sérvio vem mostrando, algo sim possível para ele”. Isso me parece estar se referindo ao Djokovic, não?

Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.
Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals