PLACAR

O amargo gosto da frustração

Mesmo que Maria Timofeeva tenha jogado em nível bem acima do que indica seu 170º posto do ranking, é difícil não ficar frustrado com a derrota em sets diretos de Beatriz Haddad Maia na terceira rodada do Australian Open. Ainda mais depois do começo dominador da canhota brasileira, que pouco a pouco se deixou envolver pela tática bem aplicada da russa de 20 anos. Claro que faltou sorte naquele set-point que saiu por milímetros, mas o fato é que o primeiro set sequer deveria ter chegado em tamanho sufoco.

O que afinal aconteceu com a Bia? É uma pergunta que exige diferentes respostas. Ela raramente sacou bem – aliás, como na maioria de seus jogos de 2024 – e isso dificultou a ideia essencial de comandar os pontos a partir da segunda bola. Forçada então a jogar mais ralis, entrou o plano bem construído da adversária, que se aplicou ferrenhamente em explorar o backhand da brasileira. O golpe falhou bastante, ao mesmo tempo que abriu a paralela para Timofeeva disparar golpes certeiros. Aí temos de dar todo o crédito à russa, tanto pela ousadia como pela precisão.

Fica o amargo gosto de uma grande chance desperdiçada, porque Bia encarou uma chave bastante propícia para atingir ao menos as oitavas de final de mais um Grand Slam, como já havia feito em Roland Garros e Wimbledon. O jogo seguinte seria contra a ucraniana Marta Kostyuk, 37ª do mundo aos 21 anos, que acaba de chegar nas oitavas de Slam pela segunda vez e a quem Bia superou poucos meses atrás em San Diego. E some-se a tudo isso a oportunidade de voltar ao top 10.

Enfim, resta à Bia se concentrar agora em suas boas chances na chave de duplas, ao lado da ótima Taylor Townsend. O natural é que as duas cheguem nas quartas e daí em diante, é claro, passem a encarar oponentes realmente especialistas no assunto.

Djokovic sobe nível, Sinner espanta
Comparada aos dois jogos iniciais, a atuação de Novak Djokovic desta sexta-feira foi muito superior. Sacou com firmeza, a ponto de não ceder sequer break-point, e se mostrou bem mais sólido lá da base, ainda que viessem 35 erros não-forçados. No entanto, muitas dessas falhas vieram pela vontade de fazer mais com a bola, o que a rigor é positivo. Também jogou um tiebreak no seu nível habitual. Ou seja, o progresso foi evidente, ainda que ele certamente queira bem mais para a segunda semana.

A boa notícia é que vai enfrentar Adrian Mannarino, o genial canhoto de 35 anos que tira lances pirotécnicos com a baixíssima pressão de cordas que utiliza. Enlouqueceu Ben Shelton com essa mistura de solidez, improviso e persistência, porém terá de encarar tabus pessoais contra Nole no domingo. Nunca ganhou do sérvio em quatro duelos, três deles na grama, e jamais passou das oitavas de um Slam, onde chega pela quinta vez. Mas uma coisa é certa: será divertido.

Ninguém tiraria o favoritismo ao título de Djokovic, mas é inegável que o grande nome desta primeira semana na chave masculina tem sido Jannik Sinner. Perdeu apenas 22 games até agora, teve um único serviço quebrado e o primeiro saque está chegando a 208 km/h. O italiano vai encarar um teste bem mais interessante nas oitavas, quando reencontra o russo Karen Khachanov, sobre quem tem 3 a 1 nos duelos porém com placares bem apertados.

E mais
– Há uma considerável chance de Djokovic reviver a final do ano passado com Tsitsipas nas quartas de final. O grego fez três jogos decentes nesta edição e pode ganhar confiança de vez se bater o também imprevisível Fritz. Os dois repetem as oitavas de 2022, vencida por Stef, mas o americano levou a mais recente no lento saibro de Mônaco. Derrota pode significar a saída de Tsitsipas do top 10.
– Outro jogo muito interessante de oitavas envolverá Rublev e De Minaur, o primeiro entre dois top 10 da chave masculiina. Rublev parece mais confiante depois da estreia dura contra Wild e De Minaur ainda não foi realmente testado no torneio. O histórico é de 3 a 2 para o australiano, mas com derrota de virada dois meses atrás em Paris. Vai pegar fogo.
– Sabalenka não está sentindo qualquer pressão pela defesa do título e atropelou Tsurenko de ‘bicicleta’ e apenas 9 erros, algo notável para seu estilo. Anisimova exige cuidado, já que venceu 4 dos 5 duelos.
– Mirra Andreeva protagonizou outro jogo maluco neste Australian Open. Perdia por 1/5 no terceiro set e ainda reagiu em cima de Diane Parry. E agora pega Krejcikova, a quem superou duas vezes no ano passado.
– Gauff venceu outro jogo fácil, será superfavorita diante da 69ª colocada Frech e, se der a lógica, pegará Kostyuk ou Timofeeva nas quartas. Ótimo caminho para quem sonha com o segundo Slam seguido.
– Luísa Stefani deu outro passo na dupla feminina e a nova vitória ao lado de Demi Schuurs foi muito apertada. Agora, pegam as perigosas Krawczuk/Shibahara e, se passarem, podem encarar as cabeças 2 Hsieh/Mertens.
– Já nas mistas, ela e Rafael Matos defendiam o título, mas não deram muita sorte na chave e pegaram na estreia Salisbury/Watson. Ao lado de Townsend, Melo também parou na estreia em jogo incrivelmente duro.
– Dado curioso da ATP para enaltecer as 200 primeiras partidas disputadas por Alcaraz na curtíssima carreira. Com esse mesmo total, ele tem 43 derrotas, uma a mais do que Nadal, 13 a menos que Djokovic e 33 abaixo de Federer.

60 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Maurício Luís *
Maurício Luís *
6 meses atrás

Não foi publicada minha última postagem, não sei se por problema técnico ou por não ter passado na moderação. Teci críticas à organização do AO sobre jogos de madrugada, mas acho que nada de tão pesado. Mas enfim, vida que segue.
B I A – – – Seria bom se ela seguisse um pouco + adiante no AO, porque aí aliviaria um pouco a pressão de defender a semi de Roland Garros.
Espero que as atuais deficiências dela sejam viáveis no sentido de serem corrigidas. Nesta toada, não só não entrará no Top 10 como sairá do Top 20.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
6 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Foi sim. Está lá.
Eu li.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Fica frio, caro Maurício. Tem comentários meus que somente aparecem quando já saiu um novo POST . Tá feia a coisa …rs. Abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
6 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Acho que preciso consultar um oculista. Foi publicada minha postagem, sim. Favor desculpar e ignorar a reclamação.

Paulo F.
Paulo F.
6 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Em época de Slams, o Dalcim publica posts diariamente, se não estou enganado.

Henrique
Henrique
6 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

De fato, eles estão gelando os mais sensatos e colocando comentários cretinos de haters que ainda continuam por aqui.

Icaro
Icaro
6 meses atrás

Derrota dolorida. Dificilmente a Bia pegará uma uma chave de slam tão aberta quanto essa.

Dalcim, você acredita que se o Djocko manter o nível por mais 2 ou é anos, ele pode chegar a 30 títulos de Slam?

Leo realista
Leo realista
6 meses atrás

Já comentei sobre isso no passado: A Bia precisa contratar alguém para melhorar o saque, como a Sabalenka fez e hoje disfruta de grande notoriedade no circuito. Ela tem ganhado bastante dinheiro, pode contratar alguém de renome.
Tática, estratégias e demais planos b, c, d não sei se vai conseguir implementar agora já bem mais velha. Fora isso, não tem o que inventar. É trabalhar nas características de de canhota e alta. Vai ter sempre movimentação ruim devido a isso. Então é trabalhar o saque e golpes agressivos ou mais angulados, parar de centralizar pq quando pega alguém que balança ela de um lado para o outro, a chance de derrota é imensa.

Rockton
Rockton
6 meses atrás

Parem de besteira. Estão esperando da Bia algo que ela não pode dar. Ela é uma boa jogadora e está ganhando um bom dinheiro e isso já está ótimo. Ela não é e nunca será um Guga de saias.

André Aguiar
André Aguiar
6 meses atrás
Responder para  Rockton

Você acha que se existissem as famigeradas redes sociais na época do Guga, ele não seria massacrado com críticas e cobranças para melhorar o forehand, para ir mais à rede, para ganhar outro Slam além de RG?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  André Aguiar

Boa, meu caro. Nem o Manezinho com 3 SLAM , 5 MASTERS 1000 , 1 FINALS batendo Sampras e Agassi , iria escapar de críticas pra tudo quanto e’ lado. E olha que sacava barbaridade… rsrs. Abs!

Marcelo Costa
Marcelo Costa
6 meses atrás

Eu ia escrever sobre os zumbis que ‘batistam” a cada derrota da Bia, mas melhor ignorar os ignorantes.
Mas como devolver os saques acima de 200 km, do Shelton com aquela corda com 24 libras??
Foi um jogo maravilhoso, e Shelton teve espírito esportivo no final.

Arnaldo
Arnaldo
6 meses atrás

Bia me pareceu lenta em quadra, cansada, faltou também variação de jogo.
Não é preciso trocar de técnico não, eu acho que é necessário se poupar e focar em simples, deixar de jogar dupla nos GS.
Estou errado Dalcim ?

Marcelo F
Marcelo F
6 meses atrás
Responder para  Arnaldo

Duplas não cansa nada. É preciso uns três jogos de duplas para desgastar igual a um de simples.

Leo realista
Leo realista
6 meses atrás
Responder para  Arnaldo

Eu considero que deveria focar mesmo em simples ou duplas. Em slam não cansa tanto, mas atrapalha. É um tempo a menos para descansar e trabalhar voltado a próxima adversária de simples.

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás

O fato de Mannarino – o cara sem patrocinadores e que joga com uma tensão de raquete de 11 – nem saber que vai enfrentar Djokovic nas oitavas de final de um Grand Slam daqui a dois dias me fascina.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Gustavo

Espero que ele não dê W/O. Djoko ficou muito tempo em quadra já, mas não pode perder o ritmo de jogo.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
6 meses atrás
Responder para  Gustavo

Mas aposto que vai ter patrocinador correndo atrás dele, agora.

Leo realista
Leo realista
6 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Ele já está velho, é bem dificil patrocínio para alguém que vai encerrar a carreira em breve.
Na verdade ele já caminhava pra aposentadoria, antes de acontecer o surpreendente ano passado de bons resultados.

Alessandro Siqueira
Alessandro Siqueira
6 meses atrás
Responder para  Leo realista

Patrocínio tem mais a ver com a cara que com o jogo. Sharapova sempre faturou mais que Serena, assim como Raducanu ganha mais que Iga no extra quadra. Os resultados são importantes, claro, mas não são preponderantes, vide Nishikori ou Na Li, que por diversas vezes apareceram na Forbes faturando mais que Nadal ou Djokovic.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
6 meses atrás
Responder para  Alessandro Siqueira

alessandro ….vc tá louco . Nishikori e Na Li faturando em patrocinio mais que o Nadal ou Djokovic , ahhhhhh para vai…… NUNCA vi um produto uma
propaganda ou o que for, patrocinado por esses 2 . Talvez e apenas TALVEZ na china ( na li) ou no Japão ( Nishikori ) e só …..e a Raduca tbm , não vejo nada dela.
A Sharapova “sim”, porque ela era modelo , empresaria , capa de magazines de moda e outras coisas mais…
.
.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
5 meses atrás
Responder para  Luis Ricardo

LUIS RICARDO, o ALESSANDRO SIQUEIRA andou lendo uma FF, ou uma fake Forbes…

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás
Responder para  Alessandro Siqueira

Pela cara então ele deveria ter um monte de patrocinador já que é igual ao zidane kkkk

Luis Ricardo
Luis Ricardo
6 meses atrás
Responder para  Gustavo

Gustavo…..vc acredita mesmo que ele não sabe, que seu proximo jogo vai ser contra o Djoko ( ou um outro qualquer ) ??? só se ele terminar seu jogo e se fechar numa bolha, sem contato nenhum com o resto do mundo , até alguem bater na sua porta e gritar , Tá na hora !!!! deixa de ser inocente !!!!

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás
Responder para  Luis Ricardo

Não sou eu que acho ou não. Ele que diz. Tanto é que os jornalistas que vão entevista-lo após as partidas já sabem que não “podem” indagar ou informar o próximo adversário.

Alison Cordeiro
Alison Cordeiro
6 meses atrás

Título cirúrgico, Dalcim. Frustração é a palavra do dia. Por não jogar seu melhor, por cair na armadilha da russa, por perder a chance de avançar numa chave favorável. Uma pena. Mas se Guga sempre pifava no AO, não será da Bia que vamos cobrar. Ainda vai acertar uma campanha histórica (ou mais uma além de RG) cedo ou tarde.

Djoko enfim teve um jogo tranquilo e avançou sossegado. Mas como Dalcim bem pontuou, Sinner é quem encantou nessa primeira semana. Gosto muito do jogo do italiano e torço para que vá longe. Seria bom demais ter os 4 primeiros do ranking nas semi-finais como nos incríveis anos do Big 4.

Refaelov
Refaelov
6 meses atrás

Sinner definitivamente parece ter embalado no pós Finals/Davis, tem esse histórico de jogos apertados com o Caixa9 mas, n dá pra comparar aquele Sinner com o atual, acho difícil q deixe mais de 1 set nesse jogo..

E concordo com o Mestre qnd ao grande jogo das oitavas ser esse De Minaur X Rublev(os 2 invictos em 2024). O russo apesar do aperto contra o Wild, teve um % de pontos ganhos com o 1° serviço acima de 80% nos 3 jogos até aqui, bem impressionante.. eu particularmente em se tratando de um duelo antes das temidas(para o Russo) QF apostaria minhas fichas no Rublev..

Henrique Max
Henrique Max
6 meses atrás

Dalcim? “– Luísa Stefani enfim estreou na dupla feminina e a vitória ao lado de Demi Schuurs foi muito apertada.” NÃO FOI A SEGUNDA VITÓRIA DA LUISA NO TORNEIO?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
6 meses atrás

QUANTA SAUDADE SINTO DA HELENA, DO BAROCOS, DO RONILDO, DA MANU…

Rafael
Rafael
6 meses atrás

Realmente a Bia perdeu uma grande chance de seguir em frente. Uma pena. Já o sérvio…segue a rotina de sempre e vai “esquentando os motores”. Quando abrirem os olhos ele estará voando na final e levantando mais um caneco! Gênio!

Felipe Dylon
Felipe Dylon
6 meses atrás

Dalcim, você acha que a derrota até tranquila do italiano contra Djokovic no Finals, depois de ter feito um campeonato excelente, faz termos menos esperança no italiano em uma eventual semi entre os dois?
A rigor, ma parece que o único que as pessoas cogitam ganhar do sérvio é Alcaraz, até pq já ganhou dele em Wimbledon, onde o sérvio é heptacampeão.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás

Djokovic foi bem claro em relação a lesões. ” Cheguei pro torneio fisicamente inteiro. Meu melhor é que ainda não apareceu” . Quando joga mal , fanáticos sempre com a estória do punho. JANNIK SINNER realmente parece maduro na turma. As duas vitórias sobre o Sérvio ( principalmente na Davis ) , jogaram sua confiança lá pra cima . Entra pra jogar parecendo um veterano. Alcaraz ainda está pecando um pouco neste quesito. Coco Gauff aceitou ajuda de Andy Roddick e seu Serviço mudou até no toss . E melhorou muito nestes jogos. Bia poderia tentar algo semelhante pois quando dá certo , a confiança é outra …Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Falo por mim: a lesão no punho parece estar sob controle, apesar de ele ter dado uma alongada no antebraço contra o Popyrin. Hoje ele não sentiu nada. Vamos ver nos próximos capítulos.

Sinner ganhou duas, mas tomou uma surra no jogo que valia mais.

Sr. SR, você que assinou o Star+ agora, preferiu ver a Bia ou secar o Craque?

Rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Paulo Almeida

Bia é lógico. Não vi nenhum jogo do Sérvio até agora. Como acredito que ele somente terá problemas na Semi , aí entrarei em ação secando muito até o quinto Set , caro Piloto. Quero ele mortinho na Final contra Tourinho Assassino. Sinceramente não acredito em Zebras até às Semis . A conferir.Rsrsrs, Abs !

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Tourinho já está na final? Hum sei. Não me lembro dele no US OPEN e no Finals jogando a finalíssima.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
6 meses atrás

Boa tarde, Dalcim. Alguns internautas tem afirmado que o Adrian Mannarino não tem patrocinador. É verdade isto? Porque acho estranho um Top 20 nesta situação sendo que tem tenista com ranking abaixo de 500 e que é auxiliado por patrocinadores.
E falando no Mannarino, a julgar pelo estado em que ele terminou o jogo com o Shelton e pelo histórico dele frente ao Djokovic, a próxima rodada tende a ser um treino de luxo pro sérvio.

lEvI sIlvA
lEvI sIlvA
6 meses atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Dalcim, será que o Mannarino já não tinha planos de parar (digo, uma data definida, entende?) e, se aceitasse o patrocínio, seria obrigado a seguir até onde quisessem?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  lEvI sIlvA

Fui dar uma olhada, meu caro , e o Francês têm problemas de ficar sem patrocínio desde 2017 . Mas olha como são mesmo outros tempos . O cara tem mais derrotas que vitorias na longa carreira. Fez 15 FINAIS ATP , mas venceu apenas 5 ATP 250 . Zero em duplas . Tem 10 milhões e 500 mil dólares ganhos até agora em premiação na quadra . E’ mole ou quer mais ? …rs . Abs!

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Motivo: não gosta das roupas e dos tênis que as marcas oferecem, não tem paciência para agenda e compromissos c/ patrocinadores e acha que já ganha o suficiente em prize money.

R Lima
R Lima
6 meses atrás

Dalcim, ótimo texto, sempre acompanho por aqui.
Um comentário: Na questão sobre os 200 primeiros jogos do Alcaraz, acredito que as comparações com Nadal, Djoko e Federer estejam invertidas. Ou seja, ele teve uma derrota a mais que o Nadal, 13 a menos que Djoko e 33 a menos que Federer.

p.batistafilho64@gmail.com
p.batistafilho64@gmail.com
6 meses atrás

Dalcin, vc não comentou nada sobre Dimitrov, acredito que ele mereceria atenção neste GS, vc não acha isso?

Marcos RJ
Marcos RJ
6 meses atrás

Gosto muito da intensidade e espírito competitivo da Bia, ela merece tudo que conquistou com tanto esforço. Grande guerreira!
Mas é frustrante ver esse potencial gigantesco ser diminuído por uma evidente falta de plano tático. Ficou evidente faz tempo, que a opção tática preferida é dar marretada no centro de quadra. Isso deixa o jogo previsível, não abre a quadra para cenários favoráveis para o forehand de canhota, não força a adversária a bater na corrida e ainda usa o peso de bola para ditar o ritmo.
O serviço não vai encaixar em todos os jogos e isso é normal. Anormal é não ter um bom plano tático nesse nível de competição. Isso corrói as margens apertadas que transformam vitórias em derrotas, ou causam jogos longos que se transformam em lesões.
Será que está na hora de fazer mudanças na equipe???

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás

Alguém gritou “ Get vaccinated mate” para o Djoko no match point ontem.
Não fui eu mas poderia ter sido kkkk

Maurício Luís *
Maurício Luís *
6 meses atrás
Responder para  Gustavo

Pois é, a questão da vacina é que só tem bons resultados se uma grande porcentagem do todo o fizer, porque nenhuma é 100% em termos de resultado. Então é preciso agir pensando no bem comum, mas boa parte age só pensando nos direitos individuais. E como o sérvio é uma celebridade, influencia com suas atitudes.
Minha irmã teve dificuldade em convencer meu sobrinho, que tinha 15 anos em 2021, a se vacinar. ” Porque o Djoko disse que o corpo é dele…” Só se vacinou porque queria um tênis novo e iria ficar sem, caso teimasse.
E o sérvio só está jogando graças aos vacinados, do contrário os torneios ou não seriam feitos, ou então teriam o mesmo fim patético do Adria Tour.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
6 meses atrás

Com relação à Bia, acho que ela ainda sente a pressão quando joga como favorita mas já melhorou em relação a alguns meses atrás. No jogo de hoje, por exemplo, em algumas trocas de bola, ela insistia em jogar a bola no meio da quadra, me dando a impressão de que tinha medo de arriscar. E aí a adversária jogava nas laterais da quadra e ganhava o ponto. Pelo menos em comparação com o AO 2023, o desempenho e resultado obtidos nesse AO 2024 foi melhor. Vamos ver como a Bia se comportará nos próximos torneios. Eu acredito que ela terá resultados pelo menos do mesmo nível do que conseguiu em 2023. O problema é que, tanto na vida como no esporte, os bons das gerações mais velhas tendem a ser superados pelos ótimos, excelentes, fenômenos e gênios das gerações mais novas. E parece que tem muitas jogadoras pelo menos ótimas da nova geração que estão lutando pra conquistar o seu lugar no circuito e aí a concorrência ficará cada vez mais acirrada.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
6 meses atrás

“os homens dividem-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa, e os que vão atrás criticando” (Sêneca)

Rafael
Rafael
6 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Quem diria, encontrei alguém que lê Sêneca como eu, rs.

Luiz Afonso
Luiz Afonso
6 meses atrás

Eu havia comentado em post anterior que a Timofeeva fez excelente 2º e 3º set contra a Wozniacki, a partir do momento que corrigiu a mecânica dos golpes. Passou a ditar o ritmo e ter o controle dos pontos contra a dinamarquesa. Nesse nível seria complicado o confronto ela e a Bia.
Torci pela Bia, como sempre, mas estava desenhado que a vitória poderia ir para qualquer lado, independente do ranking entre elas. Era jogo sem favoritismo.
Legal ver os jogos do Adrian Mannarino, com seu estilo peculiar, saindo do mais do mesmo.
E muito bom o jogo de duplas da Luísa Stefani. Foi agradável de se ver, principalmente pela vitória da dupla da brasileira, que por sinal tomou algumas boladas em razão do fraco 2º saque de sua parceira.
Sinner impecável e Djoko mostrando porque segue favorito.
Como você disse, o confronto aguardado das oitavas será Rublev e De Minaur. A quadra vai ferver. Eu aposto no australiano.

Gustavo
Gustavo
6 meses atrás

Tô enxergando mal ou na virada de lado a stephens estava comendo sushi?? Kkkkk
Maurício luis, tb tô cegueta e preciso ir ao oftalmo (o teu é oculista kkk).

Luiz Fernando
Luiz Fernando
6 meses atrás

Duas zebras do tamanho de um elefante hj: Iga e Igor (parece dupla caipira) perderam. Vi boa parte do jg da Iga, q esteve irregular, como no restante do torneio, e perdeu p uma adversária q foi mais sólida a partir do set 2. Aryna cada vez mais favorita, se não for vítima dela mesma…

Barocos
Barocos
6 meses atrás

Torcendo muito pela Vika!
Ainda, seria muito bom para o torneio que os semifinalistas na chave de cima sejam Djokovic e Sinner e, na chave de baixo, Alcaraz e Medvedev, mas, claro, um ou outro resultado inesperado tende a deixar o torneio mais emocionante.
Idemo. Ajde, Djokovic!
Saúde e paz.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon