PLACAR

Número 1 da Austrália, Rodionova perde na estreia do quali

Arina Rodionova (Foto: Scott Barbour/Tennis Australia)

Melbourne (Austrália) – Depois de toda a polêmica a respeito dos convites para a chave principal do Australian Open, a número 1 australiana Arina Rodionova teve que jogar o quali em Melbourne e não passou da primeira rodada. Atual 105ª no ranking da WTA, ela perdeu nesta terça-feira para a francesa Leolia Jeanjean, 145ª colocada, por 6/3 e 6/4. Jeanjean terá um duelo francês contra Carole Monnet na próxima rodada.

Na semana passada, Rodionova reclamou publicamente da organização do Australian Open por não ter recebido um convite para a chave principal. Ela está com 34 anos e ocupa o melhor ranking da carreira, estando próxima de entrar no top 100. Semana passada, chegou às quartas do WTA 500 de Brisbane, com vitórias sobre Sofia Kenin e Martina Trevisan.

O Australian Open convidou quatro tenistas da casa, Kimberly Birrell, Olivia Gadecki, Taylah Preston e Daria Saville. A dinamarquesa Caroline Wozniacki, campeã em 2018 e ex-número 1 do mundo, também foi convidada, assim como a francesa Alizé Cornet (acordo com Roland Garros), a japonesa Mai Hontama (vencedora de um playoff asiático) e a norte-americana McCartney Kessler (acordo com o US Open).

Salto no ranking após torneios menores
Rodionova havia iniciado o ano passado fora do top 300 e escalou o ranking jogando torneios menores: Ela venceu sete eventos da ITF, cinco deles W25 e outros dois W60. O último torneio que a australiana venceu foi em dezembro na Eslováquia, já após o fechamento da lista de inscrições para o Australian Open, que a fez saltar do 132º para o 112º lugar do ranking. A australiana sequer esteve em chaves principais de WTA no ano passado.

“Eles não gostam de mim”, afirmou
Após a partida, Rodionova voltou a abordar a questão dos convites e reclamou da demora que a organização teve para anunciar os nomes. “Nem sei como justificar o raciocínio por trás disso”, disse Rodionova. “Tive um ótimo ano e fiz tudo o que pude para merecer o convite. Eles simplesmente não gostam de mim”.

“Na verdade, não tive problema com eles não me convidarem. O problema maior foi que eles demorarem tanto tempo para anunciar, fingindo que estavam olhando os resultados em Brisbane. Tive o melhor resultado das australianas lá, acho que eles não estavam olhando para isso. A decisão provavelmente foi tomada antes. Se eles não queriam me dar o convite, deveriam ter anunciado isso muito antes porque isso trouxe um estresse desnecessário para mim”.

Leia mais: 

Número 1 australiana fica sem convite para o AO

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE