PLACAR

Nostálgica, Osaka celebra retorno a Melbourne

Foto: WTA/Getty Images

Melbourne (Austrália) – Dois anos depois de sua última participação, a japonesa Naomi Osaka está de volta ao Australian. Em entrevista coletiva, a bicampeã do primeiro Grand Slam do ano ressaltou a nostalgia de voltar a pisar na Rod Laver e diz que espera reviver seus melhores momentos da carreira no palco onde brilhou em 2019 e 2021.

“Tem sido muito bom [estar de volta]. Reencontrei alguns jogadores e senti a nostalgia novamente. Estou super animada e tem sido muito divertido até agora. Só de poder voltar à Rod Laver eu olho para o céu e percebo que consegui vencer duas vezes aqui. Eu adoraria fazer isso de novo”, admitiu a ex-número 1 do mundo.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Ainda segundo ela, o torneio australiano é o Grand Slam que mais proporciona mudanças, mas que ao mesmo tempo traz de volta boas lembranças. “Sinto que este torneio é o que mais muda, mas há algumas coisas que permanecem iguais. Essas são as coisas que acho que mais me dão nostalgia. Entrar no vestiário e ter o mesmo armário de antes é uma das pequenas coisas que realmente me deixam feliz”, comentou.

De volta ao circuito após mais de um ano afastada para cuidar da saúde mental e se tornar mãe, Osaka disputou apenas duas partidas neste retorno e terá pela frente na estreia em Melbourne um duro duelo contra a francesa Caroline Garcia, cabeça de chave 16. Apesar disso, a japonesa diz estar pronta para o desafio e comentou como foram as sessões de treinos antes da estreia.

“Acho que jogar em Brisbane foi um teste muito bom. Sinceramente, acredito que ambas as minhas partidas foram de nível superior ao indicado pelo ranking. Eu bati bola com Amanda [Anisimova] e a Ons [Jabeur] me deixou envergonhada por causa das jogadas que consegue fazer. Eu ficava tipo ‘uau, gostaria de poder fazer todas essas coisas’. Foi muito divertido e estou muito feliz por elas terem me deixado treinar junto. Tem sido uma experiência de aprendizado, mas também acho que estou bastante confiante de onde estou agora”, detalhou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE