PLACAR

Nadal mantém escrita em Barcelona e vence no seu retorno

Foto: Barcelona Open Banc Sabadell

Barcelona (Espanha) – Em seu primeiro jogo desde a derrota nas quartas de final em Brisbane, passando 103 dias sem competir, o espanhol Rafael Nadal mostrou bom ritmo e passou sem sustos pela estreia no ATP 500 de Barcelona. Jogando na quadra que leva o seu nome desde 2017, ele teve pela frente o italiano Flavio Cobolli, 62º do mundo, que não foi páreo e caiu com parciais de 6/2 e 6/3.

Recordista de títulos no saibro catalão, com 12 conquistas, Nadal ampliou sua invencibilidade em estreias no torneio. Em sua 17º participação, ele nunca perdeu em seu primeiro jogo. O próximo teste para o canhoto de Mallorca promete ser bem mais duro, medindo forças na segunda rodada contra o australiano Alex de Minaur, cabeça de chave número 4.

Será a quinta vez que os dois medirão forças no circuito, a primeira no saibro, com vantagem para Rafa no retrospecto. O espanhol venceu os três primeiros encontros com De Minaur, dois deles em quadras duras (ATP Cup 202 e Australian Open 2019) e um na grama (Wimbledon 2018). O australiano triunfou no duelo mais recente, ano passado pela United Cup.

A vitória do espanhol foi sua 67ª em 71 partidas disputadas em Barcelona, ampliando seu recorde no torneio. Esta foi a primeira partida de Nadal no saibro desde o título de Roland Garros em 2022, passando 681 dias sem competir em seu piso favorito, no qual não para um rival fora do top 20 desde a derrota para o uruguaio Pablo Cuevas nas semifinais do Rio Open de 2016, acumulando 78 vitórias neste período.

Uma das questões para Nadal em sua volta, o saque funcionou bem quando ele jogou com a primeira bola, vencendo 78% dos pontos, mas quando precisou da segunda o desempenho caiu para apenas 53%. Ainda assim, o canhoto de Mallorca encarou apenas dois break-point e foi quebrado só uma vez.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Coboli não teve um grande desempenho com o saque, venceu apenas 53% dos pontos disputados (contra 69% de Rafa) e encarou 10 break-points, a maioria no primeiro set. Foram três no quarto game, quando amargou a primeira quebra, mais quatro no sexto, que conseguiu confirmar, e outro no oitavo e último, levando a segunda quebra da partida.

No segundo set, o italiano foi quebrado mais duas vezes, uma no segundo game e outra no quarto, conseguindo devolver um dos breaks justamente entre eles. Após a sequência de quebras no começo da parcial, Nadal foi firme no decorrer da disputa, não deu mais chances ao adversário e administrou a vantagem até o fim.

24 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
SANDRO
SANDRO
1 mês atrás

Se NADAL voltou a competir é porque ele está competitivo, caso contrário, duvido que voltaria…

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
1 mês atrás

Alex de Minaur será um bom teste para o Nadal tanto na parte técnica quanto na parte física.

Marcelo Reis
Marcelo Reis
1 mês atrás

Também acho! O Alex, de acordo com a ATP, é o jogador mais veloz do ranking, junto com o Monfils. Ele é tipo Nadal, vai em todas e chega, mas é franzino. Deverá ser disputado.

Davi Poiani
Davi Poiani
1 mês atrás

A jornada do Big 3 é algo sem precedentes na história do tênis. Estes 3 gênios e incríveis atletas deram a este nobre esporte partidas épícas, jogadas memoráveis e uma rivalidade eletrizante.

Que Nadal, esta lenda, tenha uma despedida digna. Mesmo sem conseguir sacar 100%, fez um bom jogo. Quem sabe sejamos brindados com uma partida (provavelmente a última) entre Nadal vs Djokovic nas próximas semanas.

Última edição 1 mês atrás by Davi Poiani
Hermann Teixeira
Hermann Teixeira
1 mês atrás
Responder para  Davi Poiani

Muito bom seu texto. Forma e conteúdo perfeitos. Sou fã do tênis, do big 3 e de uma boa redação.

Luis Vanderley Santana
Luis Vanderley Santana
1 mês atrás

Foi um bom retorno

Luis Vanderley Santana
Luis Vanderley Santana
1 mês atrás

Torço para q se mantenha saudável,para jogar por mais tempo

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás

Que ótima noticia! Finalmente acabou o shadow ban

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás

Falo outra vez o que já falei milhões de vezes. A diferença técnica do Big3 é abismal. Nadal, um ex tenista em atividade, jogando em cadeira de rodas vence em 2 sets um top70.

Rocky Balboa
Rocky Balboa
1 mês atrás

Cobolli é bem fraco, jogador sem potencia alguma, não exigiu nada da movimentação do Nadal…Próximo jogo será uma pedreira, na minha opinião vai dar De Minaur.

Benhamin Goveia
Benhamin Goveia
1 mês atrás
Responder para  Rocky Balboa

Rock Balboa, meu amigo, também achei esse italiano meio fraco. Prova disso é que ele também perdeu pelo mesmo placar de 6/2 e 6/3 no torneio anterior que disputou, que foi em Monte Carlo. Mas lá ele perdeu para o Nagal. Imagine a resenha que não é o cara ser eliminado em dois torneios na sequência para Nagal e Nadal. Os dois pelo mesmo placar e também torneios jogados no saibro. Por muito pouco até o tempo dessas partidas não foi igual, pois contra o indiano ficou em quadra por 1h22, já contra o espanhol jogou 1h26, apenas quatro minutos a mais.

Geraldo
Geraldo
1 mês atrás
Responder para  Rocky Balboa

Tu não gostaria de ser o 62 do mundo?

José Afonso
José Afonso
1 mês atrás

Excelente vê-lo jogar em boa forma novamente! Venceu com facilidade, tomara que consiga elevar o nível ao máximo possível até RG. Merece uma despedida adequada.

E se tivesse um último jogo em RG com Djokovic seria o ponto alto do tênis no ano!

Benhamin Goveia
Benhamin Goveia
1 mês atrás

O curioso é que o italiano Flavio Cobolli também perdeu pelo mesmo placar de 6/2 e 6/3 no torneio anterior que disputou, que foi em Monte Carlo. Mas lá ele perdeu para o Nagal. Imagine a resenha que não é o cara ser eliminado em dois torneios em sequência para Nagal e Nadal. Os dois jogos pelo mesmo placar e também jogados no saibro. E por muito pouco até o tempo de cada uma dessas partidas não foi igual, pois diante do indiano foi 1:22 e já diante do espanhol foi 1:26. KkkkkkkkkK

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Benhamin Goveia

Que diabo eh “resenha”?

Benhamin Goveia
Benhamin Goveia
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Nos dicionários a palavra “resenha” significa uma descrição feita com detalhes ou uma análise crítica de um livro, mas atualmente para muitas pessoas de vários lugares do Brasil ganhou um novo sentido: conversar. O termo é usado para indicar aquele bate-papo informal para falar da vida, de como foi a semana ou relembrar fatos engraçados, como essa coincidência do italiano Flavio Cobolli. E mais, dependendo da região de alguns Estados, de algumas cidades ou até mesmo da idade, o termo ganha ainda algumas variações. “Tirar uma resenha” ou “tá fazendo uma resenha da minha cara”‘ é algo como “tirar um sarro”. Tem ainda o “bater uma resenha”, que significa “bater um papo”.

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Benhamin Goveia

Nossa me senti lendo o crack Neto tirando uma resenha, digassi dipassagi

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Giria de jovens, assim como o seu “eh”

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

“Eh” não eh gíria e sim escrita coloquial. Pesquise.

Rafael
Rafael
1 mês atrás

Bela vitória e sempre bom ver um craque de volta, mas me surpreenderá se ele vencer o de Minaur.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás

Parece que caiu a ficha pro Nadal que não convém correr demais para pegar bolas quase impossíveis, porque pode ter um custo alto pro físico. Só na seleção acima ele não foi em duas. Demorou um bocado para se ligar nisso, mas talvez esteja em tempo. A conferir…

Adriano Veiga
Adriano Veiga
1 mês atrás

Esse italiano pode abandonar a carreira e procurar outra coisa pra fazer porque definitivamente Tênis não é a dele…

Balbino Neto
Balbino Neto
1 mês atrás

Olhando tudo o que Nadal passou, foi bem demais e se estiver sentindo-se bem depois desse jogo, pode surpreender e muito. Vai encarar De Minaur que está no auge, bem diferente dos encontros anteriores.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE