PLACAR

Misaki Doi vai se aposentar em setembro em casa

Foto: Arquivo pessoal/Facebook

Tóquio (Japão) – A ex-número 30 do mundo, a japonesa Misaki Doi, encerrará a carreira profissional no próximo mês, aos 32 anos, depois de jogar os últimos torneios em Osaka e Tóquio. “No ano passado, lidei com alguns problemas persistentes nas minhas costas”, escreveu nas redes sociais. “Recentemente, tornou-se cada vez mais difícil jogar sem sentir dores. Dadas as circunstâncias atuais, continuar a jogar ao alto nível tornou-se bastante desafiante, o que me levou a tomar esta decisão. Comecei a jogar tênis aos 6 anos e me tornei profissional aos 17. Minha jornada como jogadora teve altos e baixos, mas também foi incrivelmente gratificante, repleta de muitas experiências valiosas. Tive uma carreira muito gratificante.”

Doi foi duas vezes finalista juvenil de Grand Slam, em Wimbledon 2007 com Kurumi Nara e no Aberto da Austrália de 2008 com Elena Bogdan. Ela fez sua estreia no circuito feminino ao se classificar para Roland Garros 2010 e ingressou no top 100 em novembro de 2012, depois de chegar às semifinais consecutivas no WTA de Osaka e Taipei.

Canhota, Doi conquistou seu único título de WTA em quadras duras cobertas em Luxemburgo 2015. Ela também chegou a mais duas finais: em Kaohsiung 2016, caindo diante de Venus Williams, e em Hiroshima 2019, onde perdeu a segunda final totalmente japonesa de WTA na Era Aberta para Nao Hibino.

Embora duas das finais de Doi fossem em quadra coberta, ela era uma ameaça em todas as superfícies. Doi ganhou dois títulos WTA 125, em San Antonio 2016 em quadras duras ao ar livre e em Bastad 2019 no saibro. Seu melhor desempenho em Grand Slam foi na grama, em 2016, quando alcançou a quarta rodada de Wimbledon. Doi atingiria o 30º lugar no ranking mundial em outubro daquele ano e por seis temporadas permaneceu no top 100, entre 2012 e 2020.

As melhores vitórias da carreira de Doi incluem vitórias sobre adversárias no top 20 como Lucie Safarova (em Roma 2016), Karolina Pliskova (em Wimbledon 2016) e Madison Keys (em Madri 2017). Entre Roland Garros 2010 e Wimbledon 2022, ela disputou 36 chaves principais de Grand Slam. Doi também foi bicampeã de duplas em Istambul 2014 (com Elina Svitolina) e Hiroshima 2019 (com Hibino).

No ano passado, Doi alcançou sua primeira semifinal no WTA 500 em Adelaide 2022. No entanto, ela jogou apenas nove torneios até agora em 2023 e não tem estado ativa desde que chegou à final do ITF W60 de Ricany em junho.

A aposentadoria de Doi marca o fim de uma geração de tênis japonês. No ano passado, sua ex-parceira de duplas Kurumi Nara encerrou carreira; e no mês passado, outra ex-compatriota do top 100, Ayumi Morita, também anunciou a aposentadoria.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE