PLACAR

Meligeni e Pucinelli avançam no quali do Rio Open

Matheus Pucinelli (Foto: Fotojump)

Rio de Janeiro (RJ) – A disputa do quali do Rio Open começou neste sábado com duas vitórias brasileiras. Os paulistas Felipe Meligeni e Matheus Pucinelli venceram seus jogos e estão a uma vitória cada um da chave principal. Já Mateus Alves e João Lucas Reis caíram ainda na rodada de estreia.

Meligeni, de 25 anos e 151º do ranking, superou o eslovaco Alex Molcan, 122º colocado, por 6/2 e 6/3 em apenas 1h07 de partida. Com bom desempenho no saque, ele disparou seis aces e só enfrentou um break-point na partida, conseguindo cinco quebras contra o rival.

Esta foi a primeira vez que Meligeni venceu um jogo no Rio Open, após duas derrotas na chave principal como convidado em 2020 e 2022, e duas nos qualis de 2017 e do ano passado. Ele terá um confronto inédito contra o argentino Juan Manuel Cerúndolo, que marcou um duplo 6/2 contra o italiano Luciano Darderi, campeão em Córdoba e cabeça 1 do quali.

“Bem especial para mim, eu venho jogando há alguns anos o Rio Open e nunca tinha ganho um jogo de simples aqui. Foi um jogo muito bom desde o começo, consegui impor meu ritmo, bastante intensidade, bastante peso de bola, acho que incomodei ele desde o começo do jogo”, disse Meligeni antes de projetar a decisão da vaga na chave. “É um jogador bem difícil, conheço ele muito bem. Nunca jogamos contra, mas treinamos muitas vezes. Então sei que vai ser um jogo muito difícil, com as condições que ele gosta bastante, mas eu também, jogando em casa, vou tentar usar isso ao meu favor, como usei hoje e dar o meu melhor”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Já o convidado Matheus Pucinelli, de 22 anos e 314º do ranking, surpreendeu o espanhol Pedro Martinez, cabeça 2 do quali e 96º do mundo, marcando as parciais de 6/3 e 6/4 em 1h49 de partida. Esta foi a quarta vitória do paulista contra um tenista do top 100, a mais importante foi sobre o dinamarquês Holger Rune em Santiago há duas temporadas, quando Rune era 88º do mundo. Pucinelli busca participação inédita na chave principal do Rio Open e enfrenta o francês Corentin Moutet.

Pucinelli sentiu cãibras ao final do jogo, mas conseguiu concluir a vitória e ficar a um passo da chave principal. “Foi um jogo bem duro, bem intenso, o Pedro vende muito caro, um espanhol, e eu consegui jogar muito bem, dominar o jogo inteiro e isso me exigiu uma intensidade alta e eu também não estou tão acostumado a jogar com um top 100, então para mim foi uma baita experiência. Muito feliz, consegui fazer isso por duas horas e agora no finalzinho eu senti um pouco de cãibras ali, acho que também junto com uma tensão de fechar um jogo em casa, mas tudo normal, consegui lidar bem, ponto a ponto, mesmo com a situação”, disse após a partida. “Tenho que fazer o meu, olhar para o meu lado da quadra e basicamente isso, fazer o meu jogo, que eu vou entrar com muita vontade de ganhar, que isso é o mais importante”.

O paulista Mateus Alves, 389º do ranking, perdeu do argentino Mariano Navone, 117º colocado, por 6/4 e 6/3. Já o pernambucano João Lucas Reis, 310º, foi superado por outro argentino Genaro Olivieri, 175º, por 7/5 e 6/1. Olivieri entrou no quali como alternate, depois que o chileno Tomas Barrios Vera conseguiu vaga direta na chave principal. Os dois argentinos se enfrentam no domingo.

Leia mais:

Monteiro enfrentará Alcaraz na estreia do Rio Open

Chave de duplas no Rio Open tem seis brasileiros

8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Jorge Luiz
Jorge Luiz
5 meses atrás

Muito bom, Puccinelli baita surpresa, Meligeni já vem jogando bem,na torcida para que ambos avancem

Matheus Ferreira
Matheus Ferreira
5 meses atrás

Vitórias brilhantes dos brasileiros numa atmosfera incrível,mas é bom a redação apurar porque parece que o Pucinneli se lesionou no fim do jogo,e o Fonseca acaba de ganhar nas duplas com o Zorman!!!

André Aguiar
André Aguiar
5 meses atrás
Responder para  Mário Sérgio Cruz

Sorte que conseguiu fechar a tempo. Imagine se perde um jogo ganho por causa de cãibras.

Matheus Ferreira
Matheus Ferreira
5 meses atrás
Responder para  Mário Sérgio Cruz

Que bom,assustou porque saiu carregado no fim do jogo.

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
5 meses atrás

Parabéns aos dois Brazucas. Torcendo pra furarem. Vqv… Alves já está quase no seu limite, uma pena. Reis, depois 1o torneio esperava mais dele. Talvez chegando ao seu limite tb

Guilherme ES Ribeiro
Guilherme ES Ribeiro
5 meses atrás

Belas vitórias, principalmente o Pucinelli vencendo um TOP100. Tô gostando do início de ano do Pucinelli, torcendo para voltar a boa forma. Tem bola para se fixar no TOP200, talvez até um TOP150. Ambos tem jogos difíceis na final do qualy, mas acho que os dois teram suas chances.

Refaelov
Refaelov
5 meses atrás

Surpresa muito boa essa vitória do Pucinelli, realmente parece q 2024 vai ser beeeem diferente de 2023 pra ele.. A fragilidade do saque continua lá(salvou uma penca de BP o jogo todo) mas, vai voltando a mostrar aquela consistência q já o fez top 200..

Meligeni mais uma fez patrolando um bom adversário num Q1 de ATP, torcer para q n venha a derrota no Q2, como infelizmente vem virando hábito..

A derrota do Alves ficou dentro do esperado pelo adversário e pelas condições de jogo mas, lamentável demais a forma com q o Reis perdeu, pegou um adversário dos sonhos pra esse Q1(o argentino n vencia uma partida há mais de 5 meses!) e me perde dessa forma.. complicado querer chegar a algum lugar desse jeito..

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE