PLACAR

Kasatkina critica calendário da WTA no Oriente Médio

Foto: Mubadala Abu Dhabi Open

Abu Dhabi (Emirados Árabes) – Classificada para final do WTA 500 de Abu Dhabi depois de eliminar a paulista Beatriz Haddad Maia em partida com três horas de duração, a russa Daria Kasatkina fez duras críticas ao calendário feminino neste começo de temporada. Isso porque ela terá menos de um dia para decidir o título nos Emirados Árabes Unidos, viajar ao Qatar e iniciar sua campanha no WTA 1000 de Doha, que começa já no domingo.

A situação ocorre por que no Qatar os fins de semana são compostos pela sexta-feira e o sábado, e dessa forma o torneio terminará no próximo sábado, dia 17. Dessa forma, o início da competição foi adiantado em um dia e a segunda-feira será utilizada como complemento dos jogos de primeira rodada, tornando a logística de Kasatkina bastante complicada.

“É uma programação horrível, na verdade. Não sei como você pode agendar as finais de um torneio no domingo se quiser que o torneio da semana seguinte termine no sábado. Então, o evento começa no mesmo domingo e se você tiver uma jogadora como eu, que não tem bye na primeira rodada, tem que jogar na segunda-feira”, disparou na coletiva de imprensa no último sábado.

“Amanhã [hoje] jogo a final às 17h. Mesmo assim, até onde eu sei, não temos tecnologia que me permita estar em Doha em um estalar de dedo”, ironizou a russa, enfatizando as dificuldades de viajar e jogar dias seguidos em países e quadras diferentes depois de ter disputado cinco partidas de alto nível ao longo da semana anterior.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A principal preocupação da tenista de 26 anos se deve ao aspecto físico, bastante prejudicado com essa maratona, segundo ela. “Tenho uma pergunta, não sei se para a WTA ou para a organização dos torneios: vocês estão tentando fazer com que nós, jogadoras, morramos ou nos machuquemos constantemente? Espero que esta questão chegue às pessoas certas e seja resolvida. Não estou chorando, estou contando as coisas como elas são, e o que está claro é que é impossível para nós as coisas continuarem assim”, enfatizou.

Vale lembrar que, ao contrário de Kasatkina, a outra finalista de Abu Dhabi, a cazaque Elena Rybakina, pegará bye na primeira rodada em Doha por ser uma das oito primeiras cabeças de chave e só estreará na segunda fase do torneio, a partir de terça-feira.

5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gisele Matias
Gisele Matias
13 dias atrás

É só não ir! aliás todos os russos devia ser banidos do esporte até a guerra na Ucrânia acabar.

Jose Carlos
Jose Carlos
13 dias atrás
Responder para  Gisele Matias

pura hipocrisia… pretende banir os russos e fecha os olhos para todas as atrocidades que israelenses e seus aliados norte-americanos e europeus cometem na Palestina desde 1967

Paulo A.
Paulo A.
13 dias atrás
Responder para  Jose Carlos

Macetou!!!

NFdS
NFdS
13 dias atrás

Ela tem razão. Calendário maluco. Não dá um dia de descanso de um torneio pro outro.
Por isso, várias desistências nas duplas em Abu Dhabi: Linette, Pera e a Bia.

SANDRO
SANDRO
12 dias atrás

Essa Kastkina já está “OVER” , reclama de tudo, reclama de todos, reclama demais, a vida dela é reclamar… Bastava Kasaktina ter perdido para BEATRIZ HADDAD e ela poderia ir para o Qatar com antecedência, simples assim… Ou então,bastava ela não ficar emendando um torneio no outro…
Engraçado que reclamar com o ditador psicopata do Putin da invasão de propriedades privadas dos ucranianos e do assassinato de idosos e crianças ucranianas, isso a Kasaktina não reclama, não é mesmo???

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE