PLACAR

Jabeur revela que tem jogado gripada desde o início

Pete Staples/ USTA

Nova York (EUA) – Embora Jabeur ainda não esteja totalmente recuperada da doença que a atormentou na primeira rodada, sua última vitória lhe deu mais tempo para se curar, já que folgou antes de enfrentar outra adversária tcheca no sábado: a 31ª cabeça-de-chave Marie Bouzkova.

A favorita dos fãs está na terceira rodada do Aberto dos Estados Unidos pelo quinto ano consecutivo. A vitória da quinta-feira foi a 13ª dela nesta temporada em um torneio importante, a melhor de sua carreira. Questionada sobre o que ela ama em Nova York, Jabeur deu uma resposta simples: “O barulho!”, disse. “Esta cidade nunca dorme. Adoro isso. Adoro a energia da multidão e me sinto amada a cada segundo.”

Na entrevista coletiva, a tunisiana pode falar sobre como foram os últimos dias em termos de recuperação. “Estou doente desde quinta-feira (dia 24 de agosto). Estou tomando muitos remédios. Estou fazendo tudo que posso com minha equipe tentando me recuperar. Honestamente, eles têm médicos incríveis aqui, então eles têm me ajudado. Todos os dias estou lá. Foram dois jogos, dois testes para mim. Eu estava tentando me esforçar para ver o que podia fazer, saindo da zona de conforto. Espero continuar em melhor forma e me sentir melhor para a próxima partida”, contou.

Jabeur estreou contra a colombiana Camila Osório, vencendo por difíceis 7/5 e 7/6 (7/4). Na segunda rodada, derrotou a tcheca Linda Noskova em três sets, parciais de 7/6 (9/7), 4/6 e 6/3 e pela terceira rodada, vai enfrentar outra tcheca. “Há muitas tchecas no circuito. Não, na verdade meu estômago está bem. Não é o estômago. Acho que peguei uma gripe ou algo assim. Eu sei que alguns outros jogadores tiveram problemas de estômago. Eu não, felizmente. Mas sim, foi um ótimo teste para mim hoje (quinta). Definitivamente, como eu disse, ela é uma das grandes jogadoras. Tenho muito respeito pela escola de tênis tcheca em geral. Eles realmente têm jogadores incríveis. Outro teste novamente contra Marie. Ela também é incrível. Vai ser difícil jogar contra ela, mas espero me preparar bem para a partida.”

Uma das jogadoras que disputam o Aberto dos Estados Unidos afirmou que depois de uma longa temporada, todo mundo está cansado, como zumbi. Jabeur foi perguntada como administra o cansaço quando ele bate. “Sou um zumbi porque estou gripada, caso contrário … Tirei férias depois de Wimbledon. Acho que isso realmente me ajudou a respirar fundo para o resto da temporada. Sinto que estarei cansado, talvez perto de Pequim. É aí que vai ficar difícil.”

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE