PLACAR

Iga tem Osaka como exemplo para lidar com liderança

Foto: Corinne Dubreuil/FFT

Paris (França) – A segunda rodada de Roland Garros terá um duelo entre duas multicampeãs de Grand Slam, Iga Swiatek e Naomi Osaka, que juntas somam oito títulos em torneios deste porte. E a atual número 1 do mundo tem a ex-líder do ranking como um exemplo sobre como lidar com a pressão e expectativas que sua posição exige.

“Eu e meu time aprendemos com a Naomi. Tínhamos conhecimento de que não seria fácil estar nessa posição, com toda a pressão ao redor. Então, sabendo disso, acho que meu time foi muito inteligente em termos de planejar tudo muito bem, tanto dentro de quadra como também lado comercial do tênis”, disse Swiatek na coletiva e imprensa desta segunda-feira. “Lidar com o sucesso não é fácil e acho que fizemos tudo de maneira muito inteligente, mas não sei como seria sem conhecer as histórias de outras jogadoras”.

Tricampeã de Roland Garros e vencedora das duas últimas edições, a polonesa está invicta há 15 jogos em Paris. Além disso, ela chega para o segundo Grand Slam da temporada vinda de títulos nos WTA 1000 de Roma e Madri. E após a vitória sobre a francesa Leolia Jeanjean na estreia em Paris, destacou a confiança adquirida em sua superfície favorita no circuito.

“Eu me sinto em casa jogando aqui. Estes últimos torneios me ajudaram muito. Consegui jogar um bom tênis em qualquer condição e em qualquer circunstância, estou muito orgulhosa de mim mesma, mas sei que não tem nada garantido. Cada jogo e cada torneio é uma história diferente e estou focada apenas na próxima partida”, explica a jovem de 22 anos.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Swiatek também falou sobre o retorno de Osaka ao circuito depois de tornar mãe no ano passado. A japonesa de 26 anos retornou ao circuito em janeiro e tem 13 vitórias na temporada, quatro sobre top 20. Ela já aparece no 136º lugar da WTA. “Estou impressionada com ela. Éuma ótima pessoa e seu estilo de jogo também é muito divertido de assistir. Estou muito feliz que ela voltou e por disputar mais torneios do que antes. Nunca joguei contra Naomi, obviamente, no saibro, então vamos ver como vai ser”.

Será o terceiro duelo entre Swiatek e Osaka no circuito. A japonesa venceu a primeira em 2019 no Canadá e a polonesa deu o troco na final de Miami em 2022. “Obviamente, nosso tênis mudou desde aquele jogo em Miami. Mas hoje em dia você pode enfrentar campeãs de Grand Slam logo no início dos torneios. É isso muito complicado porque você sabe que essas jogadoras são experientes. Eles também conquistaram muitas coisas e chegam confiantes”.

“É a chance de me testar”, diz Osaka

Para Naomi Osaka, será a oportunidade de testar seu nível de tênis diante da jogadora mais dominante do circuito nas últimas temporadas. “De uma forma estranha, sinto que é um teste para ver em que nível estou. Mas eu não diria que tenho baixas expectativas em relação a mim mesma”.

“Sou uma pessoa que pensa que posso vencer todas as partidas que jogo. Isso foi o que me trouxe até aqui. Eu nunca jogaria uma partida pensando mal de mim mesma”, avaliou a japonesa. “Sinceramente, estou muito animada. Eu a observei muito quando estava grávida. Acho uma honra enfrentá-la em Roland Garros, porque ela já ganhou mais de uma vez aqui”.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
João
João
23 dias atrás

Exemplo negativo não é

Ramiro Cora
Ramiro Cora
22 dias atrás

A Naomi (agora “MamãeOsaka”) sempre foi um excelente exemplo de pessoa. Alta qualidade. Bela personalidade

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE