PLACAR

Garcia erra ‘toss’ e marcação eletrônica chama bola fora

Foto: Reprodução/Twitter (WTA)

Doha (Qatar) – Um lance curioso aconteceu durante a partida entre Caroline Garcia e Naomi Osaka, válida pela primeira rodada do WTA 1000 de Doha, na última segunda-feira, com vitória da japonesa em sets diretos. Quando sacava com 40-15 no terceiro game do segundo set, a francesa errou o ‘toss’ (lançamento da bola para o saque) e deixou a bola pingar no chão para então iniciar o arremesso novamente.

No entanto, no momento em que a bola quicou fora da quadra a marcação eletrônica identificou sua saída e chamou a bola fora, arrancando risos do público e deixando tanto Garcia quanto o árbitro surpresos com a “eficiência” do sistema. Veja no vídeo abaixo:

5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Ubiratan (Black)
7 dias atrás

Ok! o sistema funciona! mas eu não chamaria tanto de eficiente neste caso.
Uma máquina antiga, sem eletrônicos, teria sua eficiência para aquecer, cortar, amassar, mas poderia precisar de dispositivos (não eletrônicos, claro), travas, redundâncias, para evitar acidentes por exemplo. O Técnico, o Engenheiro tinha que estar atento para implementar as necessidades exigidas, seja de produção, reduzir desperdício, segurança, etc.
Nos dias de hoje, esse sistemas eletrônicos são utilizados para diferentes finalidades. Aí no jogo, a bola caiu onde não é dentro então é fora. Mas cabe ao Desenvolvedor implementar no sistema a existência de diferentes tipos de bola fora para que reconheça este tipo de caso ocorrido.
A máquina que está ai hoje é utilizada para resolver nossas necessidades de acordo como foi desenvolvida.
Se também temos um sistema que é utilizado com bastante eficiência em uma aplicação e então o utilizamos com as adaptações necessárias em outra aplicação, aí é necessário o Desenvolvedor observar todas as diferentes necessidades que precisam ser identificadas de diferentes formas. Mas é normal as implementações contínuas a partir de cada evento identificado e considerado como falha.

Osvaldo
Osvaldo
7 dias atrás
Responder para  Ubiratan (Black)

É por isso que o redator colocou a palavra eficiência entre aspas. Vc não sabe ler direito? Quanto blablablá inútil…

Ubiratan (Black)
7 dias atrás
Responder para  Osvaldo

Kkkkk
Vim falar de tecnologia e expor o que identifiquei como falha do tal sistema.
Tenho certeza que implementações serão realizadas devido ao evento.
É inútil para você, sem dúvida.
Muitas coisas acontecem em todos os meios e pessoas como você nem imaginam. Mas não vou exigir de quem não tem.

Última edição 7 dias atrás by Ubiratan (Black)
Roberto
Roberto
7 dias atrás
Responder para  Ubiratan (Black)

Saliva hein?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
5 dias atrás
Responder para  Ubiratan (Black)

Sim, ele – o sistema – já identifica duas situações distintas no jogo, por exemplo, no saque, vale a área de saque – lógico e canta “fora” se for fora e durante o ponto, a área de saque já não mais restringe bolas além delas.
Agora deve ser muito difícil colocar no sistema, uma variável, que acontece 1/1000, o jogador abortar o saque e deixar a bola cair, para iniciar outro toss. A maioria cai dentro da quadra. Deve ser por isso que o sistema jamais havia dado seu grito.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE