PLACAR

Federer: “Perdi a final de Wimbledon 2008 no primeiro ponto”

Foto: Tommy Hindley/Professional Sport (AELTC)

Londres (Reino Unido) – Durante seu discurso na cerimônia em que recebeu o título de doutor honorário em letras humanas do Dartmouth College, em Hanover, nos Estados Unidos, Roger Federer citou uma das mais dolorosas derrotas de sua carreira, na final de Wimbledon em 2008 para o seu grande rival no circuito, Rafael Nadal.

Naquele ano, o suíço buscava o recorde de seis conquistas consecutivas na grama, mas acabou derrotado pelo espanhol em duelo épico de cinco sets, que teve duração de 4h48 e terminou com o placar de 6/4, 6/4, 6/7 (5-7), 6/7 (8-10), 9/7 a favor do canhoto de Mallorca. Segundo Federer, se tivesse vencido aquela partida teria sido um de seus maiores feitos na carreira.

“Uma das minhas maiores derrotas foi a final de Wimbledon em 2008 contra o Nadal. Alguns consideram a maior partida de todos os tempos, mas, com todo respeito ao Rafa, creio que teria sido bem melhor se eu tivesse vencido. Perder em Wimbledon foi difícil, vencer é tudo. Já joguei nas maiores quadras do mundo, mas quando você tem a oportunidade de fazê-lo na Catedral do Tênis e terminar como campeão, você sente a magnitude do momento e não há nada que se compare”, destacou o otacampeão do Grand Slam londrino.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Quase 16 anos depois daquele jogo, o ex-número 1 do mundo e dono de 20 títulos de Grand Slam reconhece que foi derrotado logo no início do confronto. “Eu buscava o recorde de seis títulos consecutivos, estava jogando para a história. Olhando para trás, sinto que perdi no primeiro ponto da partida. Olhei para o outro lado da rede e vi um cara que havia me vencido em sets diretos semanas antes em Roland Garros. Então pensei: ‘Talvez esse garoto tenha mais fome de títulos do que eu’. Me dei conta tarde demais de que era eu quem defendia o pentacampeonato, e Rafa ganhou merecidamente”, frisou.

“Algumas derrotas doem mais do que outras e eu sabia que nunca mais teria a oportunidade de lutar por seis troféus seguidos. As pessoas começaram a dizer que era uma troca de guarda, mas eu sabia o que tinha que fazer: continuar trabalhando e competindo”, complementou o suíço, que àquela altura ainda tinha 12 troféus de Slam. Até o fim da carreira, ele ganharia Wimbledon mais três vezes, em 2009, 2012 e 2017.

41 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás

Derroterer rs

Marcelo
Marcelo
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Falou o grande vencedor do tênis. Conte-nos mais sobre seus feitos no quinta classe de seu clube…..kkkkkkkkkk

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  Marcelo

Minha área é outra. Sou apenas um torcedor e meu tenista preferido é o goat do esporte. Já rezou para Soderling hoje? kkkkk

Marcelo
Marcelo
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

E você? Seu Goat deu uma bela pipocada hein bem sucedido?
Kkkkkkk

Tiago
Tiago
8 dias atrás
Responder para  Marcelo

Quinta está sendo bonzinho. Com certeza nunca pegou em uma raquete

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  Tiago

Você já ganhou algum slam? Guga é você?

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  Tiago

Qual é a sua relevância para o tênis brasileiro?

Marcos RJ
Marcos RJ
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Está se olhando no espelho

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  Marcos RJ

Sou bem sucedido em minha área. Não sou milionário, mas vivo bem. De qualquer forma, a passagem na Terra é temporária para todos (ricos, pobres, classe média). Tome um calmante e só aceita que torce para o terceirão que pode virar quarteirão se Alcaraz ultrapassar os 20 majors rs.

fernando
fernando
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

se for basear em numeros, teremos que admitir que (apesar de ser outro esporte) Vettel (4 mundiais) é melhor que Senna (3)…

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  fernando

Fórmula 1 não se compara com tênis. O piloto depende do carro. No tênis não existe isso. O tenista depende exclusivamente de sua capacidade técnica. Djoko, Federer e Nadal se enfrentaram por mais de uma década e o resultado é o seguinte: 24 > 22 > 20. Além disso, Djoko também domina nas outras estatísticas relevantes.

Bernou
Bernou
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Nos últimos anos, Federer, com 4 anos a mais de idade do que Djocovid e Nadal, esteve em franca desvantagem física. Logo, a comparação não é por aí, meramente numérica. Não adianta chorar, se for fazer uma enquete com tenistas profissionais, por exemplo, Federer ganha fácil como The GOAT. A grandiosidade dele é tão grande que até virou Doutor (e ele se divertiu muito com isso). É mesmo o Doutor de tênis.

Bruno
Bruno
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Você é um brincalhão, se o tênis o vencedor fosse o melhor tecnicamente, o Federer venceria TODOS os títulos, ele é o melhor DISPARADO tecnicamente, o Federer prime é anos luz acima de qualquer outro tenista, tudo que ele fazia era por talento puro, nunca foi um atleta de verdade como Nadal e Djoko.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  Bruno

Plasticidade é diferente de técnica. Djalminha é mais plástico do que Pelé.

Marcelo
Marcelo
7 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Ronaldinho Gaúcho eu até acho, Djalminha acho que não. Independentemente disso, Federer é mais técnico e mais plástico, ele só perde dos outros 2 do Big3 no mental (e perde de lavada)

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 dias atrás
Responder para  Bruno

Ele não é o melhor tecnicamente. Djoko é superior nos seguintes itens: defesa, devolução, backhand, lob, leitura tática, mental, elasticidade, mudança de direção da bolinha, capacidade de angular as bolas, profundidade das bolas. Federer é melhor no smash, voleio, saque, slice, forehand. No entanto, tinha deficiência no bachkand que era bem explorado pelos rivais.

Marcelo
Marcelo
7 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Com o seu raciocínio, se utilizarmos a estatística de semanas como numero 1, Federer seria o segundo e não o terceiro, o que a meu ver seria mais justo, até pelo fato de que Federer teve mais GS’s que Nadal em três dos quatro Slams, Nadal só ultrapassou Federer porque reinou absoluto em uma das três superfícies

Marcelo
Marcelo
7 dias atrás
Responder para  fernando

Excelente resposta, Fernando, cada uma que a gente escuta…

Tiago
Tiago
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Meu amigo. Se como vc mesmo diz não entende nada de tênis e que sua área é outra, não acha que está no site errado? Deveria entrar na área do seu trabalho que vc é superrrr bem sucedido.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  Tiago

Eu não disse que não entendo nada. Eu disse que sou apenas um torcedor.

Marcelo
Marcelo
7 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Você acaba tendo que escutar por falar bobagem, Paulo. Mesmo que você considere Federer o terceiro melhor tenista de todos os tempos, que loucura você chamar ele de “Derroterer”, se Roger merecesse essa alcunha, imagine os outros tenistas que não compõem o Big3 e ainda os profissionais bem sucedidos como você mas que não se destacaram a nível mundial. Como você mesmo disse, a nossa passagem na Terra é temporária, você não acha que deveria pensar um pouco mais antes de falar uma bobagem dessas? Sem nem entrar no mérito de quem foi o melhor que, na minha opinião, Djoko e Federer são os GOAT’s, um com backhand de duas mãos e outro com backhand de uma mão que é um golpe mais bonito mas menos eficiente que fez o suíço inclusive perder muitos slams para Nadal que, pra mim, é claramente o menos técnico do Big3, embora também seja um gênio

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 dias atrás
Responder para  Marcelo

Tome um chá de camomila. Você leva brincadeiras ao pé da letra. Todos zoam aqui nesse site. Djoko mesmo é chamado de bagre, etc. E olhe que ele é o goat, o qual possui todos os recordes relevantes do esporte.

Oscar
Oscar
8 dias atrás

Foi um ano difícil em 2008. Em dezembro antes dessa temporada, ele contraiu mononucleose, tendo se curado em março. Com isso não teve a pré temporada adequada para o ano. Superou esse problema em sua grandiosidade técnica.

Federer eterno GOAT
Federer eterno GOAT
8 dias atrás

GOATaço

Juliano
Juliano
8 dias atrás

O título escapar em 2019 sacando 40-15, também foi frustante.

Abel S
Abel S
8 dias atrás
Responder para  Juliano

Derrota mais injusta da História… Mas temos de reconhecer que o craque suiço foi incompetente e não conseguiu vencer uma final em que foi claramente superior.

JOÃODERVAL
JOÃODERVAL
8 dias atrás

A JAGUATIRICA DA SERRA sabe que é freguÊs do Djoko e do Nadal! kkkk

Famoso rei da entressafra! 40 x 15 sacando pro jogo de Wimbledon, sacando conta o Djoko! Quem lembra? jkkkkk

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
8 dias atrás
Responder para  JOÃODERVAL

Na cara não kkkk

Mraga
Mraga
8 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Nossa!! Eu vivi pra ler alguém diminuir os feitos do Roger Federer!! O cara mudou a história do esporte e o pessoal critica…

Bernou
Bernou
8 dias atrás

Grande Federer! The GOAT!!

Felipe
Felipe
8 dias atrás

Entender que o Djokovic ou o Nadal são melhores que o Federer faz parte e tem suporte em dados (embora números não sejam tudo). Daí a não reconhecer que o Federer é um dos maiores esportistas da história do planeta é loucura.
Vcs entendem muito mal wimbledon de 2019. Ok, o Djokovic foi campeão, e merecido – venceu os pontos mais importantes da final. Mas o Federer, com 38 anos, fez um torneio quase perfeito, jogou melhor que tds os adversários – inclusive que Nadal e Djokovic na semi e na final. Nem o Nadal, nem o Djokovic fizeram nada parecido até agora com a mesma idade (até pq os adversários não são à mesma altura – Alcaraz e Sinner podem perfeitamente chegar lá, mas tão bem longe ainda).

Wesley
Wesley
6 dias atrás
Responder para  Felipe

E no ATP Finals o Federer amassou o Djokovic. O cara foi incrível mesmo com 38 anos e sendo 6 anos mais velho.
Se não fosse a lesão ele estaria jogando em alto nível com 40 anos, só não digo que venceria mais Slams por causa da diferença de idade.

Fernando Brack
Fernando Brack
8 dias atrás

Tô pasmo com essa declaração do Mestre de que perdeu o jogo no 1° ponto. Fora o boxe, onde o sujeito pode ser nocauteado ao sofrer o 1° golpe, ninguém perde competição alguma no início do confronto, ainda mais um cara como ele tão habituado a competir no mais alto nível. Fico com a impressão que ele quis passar alguma mensagem ao público que o ouvia, mas tá longe de expressar a verdade do que houve na ocasião. Afinal, ele lutou bravamente para igualar aquela partida e por muito pouco não venceu. Dito isso, Nadal foi muito merecedor da vitória.

Luiz Henrique
Luiz Henrique
7 dias atrás
Responder para  Fernando Brack

Foi uma figura de linguagem. Me pareceu que ele quis dizer que Nadal começou o jogo intimidado com a motivação do Nadal para ganhar esse título, e que do meio pro fim do jogo a motivação dele despertou e igualou a de Nadal.

Moncho Sabella
Moncho Sabella
8 dias atrás

Ao meu ver, nada se compara a 2019, pq ali Federer perdeu a partida porque amarelou, ou seja, tava na mão dele, mas ele não teve coragem de ir além. Enquanto Djokovic vira jogo perdendo de 0x2 pra Tsitsipas e Nadal vira perdendo de 0x2 pra Medvedev, Federer perde tendo 2 match points e saque.
Eu nem acho aquela final de 2008 tão dolorida, pq Nadal foi melhor o tempo todo, Federer só alongou a derrota. Por exemplo, AO 2014, Wawrinka foi melhor o tempo todo q Nadal, não teve oq se discutir, ganhou oq jogou melhor.
Já Wimbedon 2019 não.Não sei se é justo se dizer que Federer tenha sido melhor o tempo todo, mas o fato é que na final que ele melhor sacou na vida, na hora de fechar ele viu Djokovic do outro lado e se tremeu, e tremer contra Djokovic é certeza de derrota. Enquanto Wawrinka mete uma porrada de backhand é campeão de RG, Federer vai todo desesperado pra rede, como quem não tivesse condições psicológicas de suportar o ponto, e leva uma passada.

André Aguiar
André Aguiar
7 dias atrás
Responder para  Moncho Sabella

Bom comentário. Só um adendo: Na final do AO 2014, o Nadal jogou lesionado. Por azar, distendeu um músculo das costas no treino antes da partida, durante a qual foi atendido pelo fisioterapeuta várias vezes. Ainda assim, conseguiu vencer o terceiro set. Mérito do Wawrinka, que estava inteiro, jogou bem e mereceu a vitória.
http://www.espn.com.br/noticia/384693_apos-fazer-o-que-podia-nadal-lamenta-lesao-mas-prefere-exaltar-wawrinka-e-o-dia-dele

Wesley
Wesley
6 dias atrás
Responder para  Moncho Sabella

Nessa final de 2019 o Federer com 38 anos e 6 anos mais velho fez mais aces, mais bolas vencedoras, mais pontos e jogou muito melhor o jogo todo e o Djokovic suportou muito bem a pressão com seu excelente jogo defensivo, a estratégia dele era alongar o máximo possível para o Federer cansar e isso não aconteceu pois ele estava jogando um absurdo. Porém nos pontos mais decisivos o Djokovic foi melhor e suportou mais a pressão, também acho que o Federer se pressionou demais pensando que talvez seria a última chance de ganhar um slam e isso fez ele querer acelerar os pontos nesse 40-15, sendo que a pressão era toda do Djokovic e o que o Federer deveria fazer era jogar os pontos de forma paciente e esperar pela melhor opção de fazer o winner.

Antônio Júnior
Antônio Júnior
7 dias atrás

A maior partida de todos os tempos dos maiores campeões da história do tênis.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
7 dias atrás
Responder para  Antônio Júnior

Não, o maior campeão é o Djoko e com muita folga.

Sérgio Santos
Sérgio Santos
7 dias atrás

Chego a pensar que estou na página da ESPN comentando sobre clube de futebol, mas aqui é tênis. Federer, Nadal, Djokovic são lendas a serem admiradas É justo que cada um tenha preferência pelo estilo de um ou outro, mas transformar isso em rivalidade clubistica é uma piada .

Marcelo
Marcelo
6 dias atrás

Falam de entressafra mas e essa entressafra com Casper Ruud, Fritz, Tiafoe, Cerundolo, Tsitsipas, Musetti, Tabilo, Varillas, Etcheverry, Berrettini, Rublev, De Minaur, Zverev… Todos com 0 slams kkkkkkkk

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE