PLACAR

Djokovic é bastante exigido na estreia e supera jovem croata após 4h

Foto: Tennis Australia

Melbourne (Austrália) – A busca de Novak Djokovic pelo 11º título do Australian Open e pelo 25º Grand Slam de sua carreira profissional começou com uma difícil vitória em quatro sets neste domingo em Melbourne. Apesar das dúvidas a respeito de suas condições físicas, após sua recente lesão no punho e da boa partida do jovem croata de 18 anos e vindo do quali Dino Prizmic, 178º do ranking, o número 1 do mundo teve trabalho para confirmar o favoritismo marcando as parciais de 6/2, 6/7 (5-7), 6/3 e 6/4 em partida com 4h de duração. Foram necessários seis match-points.

Esta foi a terceira vitória de Djokovic em quatro jogos neste início de temporada. Seu próximo adversário só será conhecido na segunda-feira, no duelo australiano entre o 43º do mundo Alexei Popyrin e o convidado e 156º colocado Marc Polmans. O sérvio venceu o único duelo anterior contra Popyrin, disputado em Tóquio no ano de 2019. Já contra Polmans, o confronto seria inédito.

Na primeira semana da temporada, Djokovic havia relatado dificuldades para executar o saque e forehand durantes as partidas da United Cup em Perth. Na semana de treinos para o Australian Open, o sérvio de 36 anos pôde realizar suas rotinas e entrou em quadra para a partida deste domingo já sem nenhuma proteção no local. Durante o jogo de estreia, o líder do ranking não chegou a pedir o tempo médico de três minutos, e nem mesmo recebeu o fisioterapeuta em alguma das viradas de lado. Também não foi possível notar qualquer mudança na execução dos golpes do sérvio. Sendo assim, ainda que considerando um eventual desconforto e a falta de ritmo do sérvio, o jogo ficou competitivo durante tanto tempo por mérito do jovem croata.

Superado por Djokovic na Rod Laver Arena, Prizmic fez sua primeira aparição numa chave principal de Grand Slam. O atual 178º do ranking venceu o argentino Mariano Navone, o também croata Duje Ajdukovic e o tunisiano Aziz Dougaz durante o quali. Ele começou a jogar no Tenis Klub Split, onde Goran Ivanisevic, hoje técnico de Djokovic, começou a carreira. E desde os 14 anos, treina na capital Zagreb. Ano passado, o croata foi campeão juvenil de Roland Garros.

Com uma quebra de serviço logo no primeiro game da partida e com domínio das ações durante todo o set inicial, Djokovic parecia indicar uma vitória tranquila. Ele não enfrentou break-points e cedeu apenas três pontos em seus games de serviço. Prizmic recebeu tratamento para um aparente desconforto na coxa esquerda.

A disputa ficou mais equilibrada no segundo set, em que Prizmic conseguiu sua primeira quebra na partida logo cedo e abriu 3/1 no placar. Djokovic devolveu a quebra, mas não teria novas oportunidades de ameaçar o serviço do adversário, que também já resistia melhor às trocas de fundo. Durante o tiebreak, o croata venceu três pontos importantes nas devoluções de saque e igualou a partida. O set durou 67 minutos.

Djokovic contou com dois erros e uma dupla falta de Prizmic para conseguir uma quebra no início do terceiro set e saiu vencendo por 2/0, mas o croata conseguiu virar o placar para 3/2 após um game com 16 minutos de duração. Mas o número 1 do mundo não se intimidou com a desvantagem momentânea no placar, trocou a camisa azul pela branca, reverteu um 15-40 e conseguiu duas quebras no fim do set, vencendo quatro games seguidos no fim da parcial.

Cada vez mais confiante em quadra e adaptado ao tempo de bola do adversário, tanto no saque quanto nos ralis de fundo, Djokovic voltou a ser dominante no quarto set. Ele conseguiu pressionar o serviço do croata com maior frequência e quebrou logo de cara para abrir 2/0. Pouco depois, fez 4/0. Não faltou luta ao jovem Prizmic, que apesar da pouca bagagem no alto nível do circuito, mantinha a intensidade durante os ralis e devolveu uma das quebras, mas o número 1 do mundo soube aproveitar toda sua experiência na Rod Laver Arena para definir a vitória.

24 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando Venezian
Fernando Venezian
6 meses atrás

Grande adversário esse menino! Completo em todos os fundamentos! Só que contra o Djoko tem que jogar bem por seis horas pra ter chances! E olhe lá!

Helton
Helton
6 meses atrás

O garoto jogou muito.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 meses atrás

Sufoco para o goat. Espero que economize combustível nas rodadas seguintes.
Idemo!

Guilherme do ES Ribeiro
Guilherme do ES Ribeiro
6 meses atrás

O menino croata jogou muito e exigiu demais do sérvio. Primeira rodada bem difícil

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás

O GOATaço só ganhou hoje porque é o maior gênio que já empunhou uma raquete, ou seja, o mais técnico, talentoso, completo, com a maior caixa de ferramentas etc etc.

Abusou dos slices, curtas e voleios, pois nas trocas estava difícil demais. O moleque estava um paredão insuportável.

Os dois dias de descanso serão essenciais!

Leo
Leo
6 meses atrás
Responder para  Paulo Almeida

Cara, vc descreveu o Roger Federer e não o cotonete…

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Leo

Com backhand atrofiado e madeiradas a rodo?

Faz-me rir, Alquingel. Dê uma olhada na explicação do Paulo Sérgio para o Sérgio Ribeiro no Blog.

Abs.

Leo
Leo
6 meses atrás
Responder para  Paulo Almeida

Mas quem joga de maneira mais agressiva, os erros acontecem com maior frequência. Nunca deve ter jogado tenis imagino… Djoko é um grande jogador, mas não tem uma caixa de ferramentas, nem mais técnico ou completo. Quase 40 anos e ainda não sabe smash… Slice apenas aceitável… nem chip and charge ele faz. Como ser completo assim? É cada uma que os fanaticos inventam… hahaha

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Leo

Engraçado que os adoradores do “ goat “ Paraguaio resolveram se unir por aqui . E tome de curtidas como fazem lá no Blog . Sempre para um dos 6 que faz o comentário kkkkkkkkkk . Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Leo

Ainda tá nessa de smash? Parece o Marquinhos. O fundamento já melhorou bastante há 4 anos pelo menos. O slice é excelente, nota 9.
Pra que chip and charge com a melhor devolução da história?
Dácio já achava Djoko o mais completo desde 2015, imagine nos últimos anos. É um jogador superior ao suíço e já provou nos números e no confronto direto.
Fanático é quem ainda quer brigar com a realidade, Federer foi ultrapassado e hoje é o terceiro.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
6 meses atrás
Responder para  Paulo Almeida

Qual explicação, caríssimo Piloto ? . Paulinho e tu não sabem diferenciar técnica e talento ( Roger Federer) de um alucinado por treinamento que jamais terá o dom natural ( Djokovic) . Repetistes por aqui a famosa frase de McEnroe sobre o maior qua já viu empunhar uma raquete na maior cara de pau , e obviamente que não se referiu ao “ goat “ da Kombi …kkkkk. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

O assunto já foi encerrado até mesmo por você. GOAT é só um.
“SIMPLE THE BEST”, se lembra?

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Federer aprendeu os golpes do tênis com muito treinamento desde a infância. Ele é mais plástico, mas você distorce falando em dom natural, ou seja, como se ele já tivesse nascido com a técnica apurada. De qualquer forma, o melhor critério da verdade é a prática. Os fatos mostram que a técnica superior de Djoko prevaleceu.

Alan Resné
Alan Resné
6 meses atrás

E a lesão no punho? Ah só sente qdo perde entendi…

Alessandro Siqueira
Alessandro Siqueira
6 meses atrás
Responder para  Alan Resné

E como diz a pensadora contemporânea Valesca Popozuda, “пољубац у раме” (poljubac u rame). Sim, em sérvio para prestigiar Djokovic.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 meses atrás
Responder para  Alan Resné

Estou vendendo lenços.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
6 meses atrás
Responder para  Alan Resné

Se tivesse, teria perdido, simplesmente assim.

Alessandro Siqueira
Alessandro Siqueira
6 meses atrás

Djokovic foi exigido de verdade, o que é bom. Deixa claro para ele que precisa entrar com a faca nos dentes. Não tem ninguém bobo numa chave de slam.

Marcos
Marcos
6 meses atrás

Boa vitória de Nole! O garoto é bom torcer para que o nosso Fonseca possa rivalizar com essa turma nova que está chegando.

Flavio
Flavio
6 meses atrás

Ah, esse 3º goat

Paulo Almeida
Paulo Almeida
6 meses atrás
Responder para  Flavio

24
409
8
7
40
71

Alguém supera esses números? Então não pode ser nem 2° e nem 3°.

Victor Martins
Victor Martins
6 meses atrás

Essa lesão vai ser a desculpa se perder.
Igual no Australian Open do ano passado se não engano, que jogou com uma fita abaixo do joelho, dizendo que tinha um incômodo no joelho, como fazia o Nadal, e corria que nem um louco. Como ganhou o torneio, não precisou dar a desculpa da lesão. Simples assim!!!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
6 meses atrás
Responder para  Victor Martins

Tome um pouco de suco de maracujá para acalmar. Respira e aceita o goat.
Paz!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
6 meses atrás
Responder para  Victor Martins

Ano passado, havia uma faixa na coxa. Se é para denegrir, se inteire do fato verdadeiro.
Ou seria melhor assumir que mesmo lesionado, ganha?

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Fils vence a grande batalha de Hamburgo em cima de Zverev

Veja como Zheng chegou ao bicampeonato em Palermo

PUBLICIDADE