PLACAR

Djoko: “Um fracasso só 400 ganharem a vida no tênis”

Foto: Aitor Alcalde/Getty Images for ITF

Belgrado (Sérvia) – Mais uma vez o sérvio Novak Djokovic aproveitou sua importância para criticar a distribuição de renda no circuito. Recordista de títulos de Grand Slam com suas 24 conquistas, empatado com a australiana Margaret Court, o atual número 1 do mundo da ATP lamentou que um esporte tão global como o tênis tenha tão poucos jogadores podendo viver como atleta profissional.

“Eu já estive no lugar de todos aqueles tenistas que têm sérias dificuldades financeiras. Entendo a luta deles, sei das dificuldades que você enfrenta para pagar os custos das viagens se não tem uma forte por trás, algo que 90% dos jogadores no circuito não têm e por isso têm dificuldade para pagar seus treinadores e fisioterapeutas. Eu venho da Sérvia e não tive nada disso”, disse o sérvio para a ESPN.

Djokovic quer aproveitar o espaço que tem para discutir uma melhor distribuição. “Agora que tenho influência e poder, quero aproveitá-los para melhorar as condições. Costumamos falar muito sobre o quanto ganham os vencedores do US Open, mas não sobre quantas pessoas podem ganhar a vida com o tênis: homens, mulheres, jogadores de duplas”, afirmou o tenista de Belgrado.

“Existem cerca de 400 tenistas que conseguem ganhar a vida com o tênis, o que é um número muito pobre para um esporte tão global quanto o nosso. Representa um fracasso para o tênis”, finalizou o sévio de 36 anos, que durante a carreira acumulou mais de US$ 175 milhões em premiações, sendo que faturou pouco mais de US$ 10,5 milhões só na atual temporada.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE