PLACAR

Bia: ‘Do outro lado do mundo, eu me senti em casa’

Foto: WTA Elite Trophy

Zhuhai (China) – Campeã do WTA Elite Trophy na manhã deste domingo, Beatriz Haddad Maia comemorou o maior título de sua carreira profissional em simples, vencendo quatro jogadoras do top 20 ao longo da semana em Zhuhai. Durante a cerimônia de premiação e na entrevista oficial após o torneio, Bia agradeceu por todo o apoio que recebeu ao longo de toda a competição. Ela ainda fechou a semana conquistando também o título de duplas, ao lado da russa Veronika Kudermetova.

“Mesmo morando do outro lado do mundo, eu me sentia em casa”, disse Bia após a vitória sobre a chinesa Qinwen Zheng por 7/6 (13-11) e 7/6 (7-4). “Zhuhai estará em um lugar especial no meu coração porque foi meu primeiro título de simples do ano. Trabalhei muito durante toda a temporada e deixei tudo nesta quadra”.

“Muito obrigada a todos por virem nos apoiar. Mesmo que a torcida estivesse com ela, que é chinesa, é muito bom ver tanta gente apoiando o tênis feminino. Isso significa muito para nós. É importante para o mundo”, comentou a jogadora de 27 anos, que tem agora três títulos de WTA em simples e seis nas duplas.

Emocionada, a tenista também dedicou a conquista ao técnico Rafael Pacciaroni, ao restante do time que ficou no Brasil e ao amigo Lui Carvalho, diretor do Rio Open e de dois torneios 250 na China, mas que não pôde estar em Zhuhai por razões pessoais. “Ele sabe porque estou dedicando este título”.

O duelo com Zheng e a recuperação do acidente
Falando sobre a difícil partida com Zheng, em que salvou três set-points na primeira parcial, Bia destacou a mentalidade e o jogo agressivo. “Hoje tentei ser tão agressiva quanto fui durante esta semana. Tentei ser paciente nos momentos em que as coisas não estavam indo como eu queria. É uma semana muito especial para mim. Sinto que consegui virar uma chave interna e foi muito importante poder me dar mais uma chance”.

Ela também se lembrou do acidente sofrido às vésperas do WTA 1000 de Guadalajara, quando precisou colocar pontos na mão. “Quando vim para a Ásia, quatro semanas atrás, eu ainda estava com pontos na mão e mentalmente não é fácil jogar com pontos. Eu também não estava treinando como gostaria, mas isso nunca foi uma desculpa. Joguei a primeira rodada em Pequim com pontos nas mãos e agora termino a temporada segurando um troféu”.

Foco na volta ao top 10 do ranking 
Bia iniciou o Elite Trophy na 19ª posição do ranking e recupera oito posições, ficando a apenas 25 pontos da décima colocada Barbora Krejcikova. Como a tcheca é “Alternate” no Finals em Cancún, a situação no ranking a ser divulgado em 6 de novembro ainda pode ter algumas mudanças, mas a brasileira comemora comemora sua proximidade com o top 10.

“Sempre tentei o meu melhor na condição que a gente tinha e estou muito feliz que trabalhei duro e me perdoei nos momentos em que não tive sucesso, como foram as últimas semanas. Eu e minha equipe merecemos esse título. Agora vou tentar levar essa mentalidade e energia dessa semana para cuidar do corpo e me preparar para 2024 da melhor forma, com o objetivo de voltar ao top 10 e terminar o ano saudável”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE