PLACAR

Atual campeão no principado, Rublev não passa da estreia

Foto: Rolex Monte-Carlo Masters

Monte Carlo (Mônaco) – Durou pouco a campanha do russo Andrey Rublev neste ano no Masters 1000 de Monte Carlo. Vivendo um momento ruim no circuito desde a desclassificação em Dubai, o atual campeão do torneio foi derrotado logo na estreia, caindo nesta quarta-feira diante do australiano Alexei Popyrin, que marcou duplo 6/4 depois de 1h40 de confronto.

Apenas o segundo australiano a bater um top 10 em Monte Carlo, algo que apenas John Alexander tinha feito, em 1979, quando derrotou o argentino Guillermo Vilas nas oitavas de final, Popyrin pode ter um duelo 100% australiano pela frente nas oitavas caso Alex de Minaur confirme o favoritismo contra o holandês Tallon Griekspoor mais tarde.

Rublev é o primeiro campeão a não passar da estreia desde 2016, quando o sérvio Novak Djokovic também fez o mesmo. O russo não tem conseguido conquistar bons resultados depois da desclassificação que amargou na semi de Dubai, acumulando três derrotas em quatro jogos desde então. Ele inclusive falou, antes da estreia em Monte Carlo, que o ocorrido mexeu com sua cabeça.

O jogo foi equilibrado, com Popyrin levando a melhor nos pontos importantes, salvando cinco dos seis break-points que enfrentou e convertendo três dos oito que teve a seu favor. Ele também sacou um pouco melhor do que Rublev, com 65% de aproveitamento contra 57% do russo. O australiano teve mais winners (25 a 17) e cometeu só um erro não forçado a mais (15 a 14).

No primeiro set, o australiano salvou duas chances de quebra no segundo game para em seguida anotar a quebra solitária que definiu a disputa e o fez abrir 1 a 0 no marcador. Rublev até começou melhor na segunda parcial e chegou a abrir 3/1, mas oscilou bastante e acabou vencendo somente um game mais desde então, sofreu duas quebras e se despediu do torneio.

 

11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

A terra batida fazendo suas primeiras vítimas! Como são emocionantes os torneios no saibro!!!

Nathan
Nathan
1 mês atrás

Fraco, só tem mídia, tênis é jogado e não falado, e isso ele tem pouco …

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Nathan

Sim as quartas de final que ele fez em Paris e NY e o título que ganhou em Monte Carlo por exemplo foi tudo em batalha de rimas. Só falando. Inclusive em 2015 se tornou o mais novo jogador de tênis a vencer uma partida só falando, sem jogar. Um fenômeno.

Nathan
Nathan
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Que isso em, agora chegar nas quartas é título kkkkkk, ganhou um torneio em 50 anos de carreira…. Realmente joga muito kkkkkkkk. Últimos três torneios foi eliminado no 1 jogo para tenistas top 50 ou pior que isso ….. sem falar que foram todas de 2×0.
Rublev, tsitsipas, zverev, rune, ruud, são tudo tenistas que faz uma graça em um torneio ou outro e no geral n ganham nada, aí só ficam trocando posição de 5,6,7,8,9 e gg! Tudo tenistas meia boca, nada mais, até o tio do Nadal falou que hoje esses tenistas são muito mais fracos que os tenistas de antigamente.

Rodri
Rodri
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Exatamente. Estes mesmos que chamam o russo de fraco com os títulos que tem, são os mesmos que acham a Bia uma craque, fenômeno

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Rodri

Mas a Bia é craque. Um fenômeno. Sair do Brasil e ser top10 de simples e duplas só sendo fenômeno. A maior depois de MEB sem nenhuma dúvida.

LuizStipp92
LuizStipp92
1 mês atrás

Jogador que só sabe jogar na base da pancadaria. Não tem variação nenhuma de jogo. Continuando assim, sairá do top 10.

João
João
1 mês atrás

Minha surpresa não é ele cair na primeira rodada, mas sim ser o atual campeão do torneio……

Jose
Jose
1 mês atrás

Bebê chorão

Casagrande
Casagrande
1 mês atrás

Rublev quebrando o recordé do Djoko. Kkkk perder na estreia. Olha o Goat ai!

José Cardoso Jr
José Cardoso Jr
1 mês atrás

Um título de ATP da série 250, 500 ou 1.000 jamais poderá ser menosprezado. Independente de quem o conquistou, é um feito; e num universo de tenistas profissionais, qualquer uma dessas conquistas são obtidas por poucos.
Quantos tenistas profissionais iniciaram e terminaram suas respectivas carreiras sem levantar um troféu desse porte?
Portanto, afirmar que o Rublev é um tenista inexpressivo é no mínimo leviano. Vai lá e tenta fazer melhor!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE