PLACAR

Andreeva brilha e se torna a mais jovem na semi desde 1997

Mirra Andreeva (Foto: Corinne Dubreuil / FFT)

Paris (França) – Uma das jovens mais promissoras do circuito, a russa Mirra Andreeva provou que a expectativa que paira sobre ela não é infundada. Nesta quarta-feira, a tenista de apenas 17 anos conquistou uma enorme vitória sobre a bielorrussa Aryna Sabalenka, derrubando a número 2 do mundo de virada. Depois de 2h29 de batalha, ela selou sua vitória com o placar final de 6/7 (5-7), 6/4 e 6/4.

Semifinalista de Grand Slam pela primeira vez, Andreeva é a mais nova a alcançar este feito desde Martina Hingis (16) em 1997 no US Open e também a mais jovem semifinalista de Roland Garros, também desde Hingis em 1997. Ela terá pela frente a italiana Jasmine Paolini, que mais cedo também surpreendeu ao bater a cazaque Elena Rybakina.

Fazendo apenas sua segunda aparição no saibro parisiense, a russa se tornou a mais jovem a bater uma top 2 desde a croata Jelena Dokic, com 16 anos, contra Hingis em Wimbledon 1999 e a mais jovem a fazer isso em Roland Garros desde a norte-americana Monica Seles, também com 16 anos, na final de 1990 contra a alemã Steffi Graf.

A vitória sobre Sabalenka foi apenas a terceira de Andreeva sobre uma top 10, sendo que as duas primeiras aconteceram também nesta temporada, batendo a tunisiana Ons Jabeur no Australian Open e a tcheca Marketa Vondrousova no WTA 1000 de Madri.

Sabalenka supera desconforto e larga na frente

O jogo começou com a número 2 do mundo confirmando no primeiro game e depois quatro quebras seguidas, duas para cada lado. Mostrando estar sentindo um desconforto, aparentemente estomacal, Sabalenka pediu atendimento após ser quebrada e ver Andreeva abrir 4/3. Ela tomou um comprimido e seguiu em quadra com um break de desvantagem.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Tentando se segurar ao máximo para esperar o remédio fazer efeito, Sabalenka teve sucesso, não permitiu que a rival aproveitasse o seu momento de baixa e se recuperou. Sacando em 5/4 para fechar, Andreeva perdeu o saque e a definição foi para o tiebreak. A bielorrussa fez valer a maior experiência na hora da definição, venceu o desempate e largou na frente.

Desconforto volta para bielorrussa e Andreeva empata

Quando tudo indicava que o desconforto da bielorrussa tinha ficado para trás, ela voltou a mostrar que não estava em sua melhor forma física no decorrer da segunda parcial, que teve uma quebra para cada lado nos dois primeiros games, um break-point salvo por Sabalenka no quarto e uma quebra sofrida por ela no sexto. Após devolver o break no sétimo, ela voltou a pedir atendimento médico.

Desta vez Andreeva se manteve firme nos games seguintes e pressionou a vice-líder do ranking na reta final. Sacando pressionada em 4/5, Sabalenka encarou 30-40 e até salvou um break-point, mas teve outro pela frente logo em seguida e viu a russa de 17 anos concretizar a quebra para empatar a partida.

Jovem não sente pressão e despacha a número 2


Sabalenka entrou no terceiro e decisivo set no mesmo ritmo que terminou o anterior, fazendo um jogo equilibrado, só que claramente abaixo no nível físico. Ainda assim, ela foi a primeira a quebrar e sacou para fazer 4/2, levando um break de volta de Andreeva que deixou tudo igual em 3/3. Novamente, a bielorrussa levou a pior na hora do aperto e foi quebrada de novo ao sacar em 4/5, perdendo o jogo no segundo match-point que cedeu.

Os números da partida mostram que Andreeva avançou com méritos. Ela não apenas teve mais bolas vencedoras do que Sabalenka, (43 a 40), como cometeu quase metade dos erros não forçados da rival (26 a 40). Apesar da derrota, a vice-líder do ranking mostrou grande nível nos momentos de pressão, salvou seis dos 14 break-points que enfrentou e converteu todos os seis que teve a seu favor.

45 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Michael Sousa
Michael Sousa
7 dias atrás

Volto a dizer, tirando a 1ga no saibro francês, qualquer outra tenista pode chegar. Paolini só tinha 2a rodada em todos Grand Slams, agora semifinal. Mirra, 17 anos, semifinal. Bia perdeu uma chance gigantesca de somar bons pontos.

João Sawao ando
João Sawao ando
7 dias atrás
Responder para  Michael Sousa

Mas a Bia está abaixo da Paolini e da andreeva

Fernando Romero
Fernando Romero
7 dias atrás
Responder para  João Sawao ando

Eu acho que Haddad Maia está parelha com as duas. Depois do jogo da Rybakina e da Sabalenka hoje, eu já estou achando que qualquer uma pode ganhar de qualquer outra, com exceção da Swiatek. Coisa mais chata aguentar as caras e bocas da Sabalenka ao fim de todos os pontos. E ela precisa treinar melhor a imitação do Djokovic. Este miguezeia mas ganha mas ela miguezeia e perde!

Marcelo Calmon
Marcelo Calmon
7 dias atrás
Responder para  Fernando Romero

A Iga era pra ter perdido da Osaka, se esta não cometesse erros infantis na hora de decidir. E seria com 2 sets bem tranquilos 6/1 e 6/2. Sei que o “se” não joga.

Ricardo
Ricardo
7 dias atrás
Responder para  Marcelo Calmon

Concordo em gênero número e grau. Osaka sentiu o tempo parada. E falhou no final.

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Marcelo Calmon

Aquilo foi uma tremedeira da japonesa, o pior que naquele dia os fãs da polonesa aqui teimaram até o fim que não, ou seja eles são noias demais porque não tem senso crítico e ainda dizendo que era mérito da polonesa é piada demais essa gente que briga com imagens. kkk

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Fernando Romero

Se fosse na grama aí as duas de hoje faria jogo duro com a polonesa,pois ela tem pouco recurso técnico e na grama sem recurso é difícil se manter, mas no saibro é válido o jogo horroroso da polonesa prevalecer e ela é a favorita suprema a ganhar,já era no início agora é mais, basta apenas ficar tranquila amanhã e na final que leva.

Marlon
Marlon
7 dias atrás
Responder para  Michael Sousa

A Bia da temporada de 2024 não tem jogando nem como top 30. Ela não tem a bola da Paolini e da Andreeva

Guilherme Alcantara
Guilherme Alcantara
7 dias atrás
Responder para  Michael Sousa

Concordo com vc.
Só acho que hj a Bia está abaixo de todas essas. De resto, qualquer uma pode chegar até encontrar a Iga.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
7 dias atrás

Essa jogadora é craque. 17 anos e já demonstrou que não tem medo de cara feia, no saibro tem chance de vencer qualquer jogadora. Pode levar o título, tem chances.

José Andrade
José Andrade
7 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Se chegar à final vai tomar uma surra da Iga.

Aryno Swionteko
Aryno Swionteko
7 dias atrás
Responder para  José Andrade

Potapova é que tomou uma surra.

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  José Andrade

Cara e daí, ora bolas tu queres o que que ela seja favorita a ganhar, então não seja injusto porque ela só tem 17 anos e começando a carreira e a polonesa robótica já é profissional, e até acho difícil ela ganhar da Paoline, mas independente do que acontecer já foi uma boa surpresa no limitado tênis feminino atual, desculpa nessa você foi injusto com a menina viu emu caro.

Paulo A.
Paulo A.
7 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Futura número um. Alguém duvida?

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Eu falei na mensagem anterior essa guria, 17 anos, é um diamante a ser lapidado porque tem técnica sendo um requisito que a número 1 atual não tem e ainda tem boa velocidade e se mostra tranquila, ou seja, se melhorar isso e evoluir fisicamente tem tudo para ser vencedora no futuro, agora sobre a Sabalenka se ela não entender que precisa evoluir o mental, ou seja, resolver suas questões emocionais aprendendo a lidar melhor com favoritismo senão vai continuar oscilando na carreira, Sabalenka vejo que evoluiu bem tecnicamente, mas o seu mental continua limitado até entendo que fatores pessoais que aconteceram recente na sua vida possa estar interferindo, mas ela precisa entender que precisa resolver isso,mesmo sabendo que é difícil, que nem a polonesa fez de maneira correta ao incorporar no seu time um profissional da psicologia, pois a meu ver é muita pressão que elas passam, portanto acho que falta isso para ela melhorar ainda mais seus números, bom é o que acho.

Andrade
Andrade
7 dias atrás
Responder para  Flávio

Se a final for Iga X Andreeva, a polonesa “sem técnica” e “limitada” derrotará a jovem russa facilmente, 6×2, 6×0 Iga campeã, o meu palpite.

Jailson
Jailson
7 dias atrás
Responder para  Andrade

Hahahahah eu não acreditei no que li. Obrigado pelo comentário

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Andrade

Aí é fácil né cara, nem a própria Andreeva, com seus 17 anos, acredita que vai ganhar da polonesa de pouco recurso no saibro,essa é fácil,né cara. kkkkk

Paulo Justos
Paulo Justos
7 dias atrás
Responder para  Flávio

Chato isso viu! Óbvio que a Mirra vai chegar pra disputar no top 10 e sim pode ser a nº 1. Tem mostrado mais evolução que muitas tenistas, não somente no tênis jogado, como na parte mental do jogo.
A questão vai ser a briga por títulos a longo dos próximos anos. Até porque são os resultados que permanecem pra história.

Flávio
Flávio
6 dias atrás
Responder para  Paulo Justos

Assino em baixo Paulo, ela é um diamante a ser lapidado.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
7 dias atrás

adoreiiiiii…a “gritolenka” , foi embora……rsrs

Fernando Venezian
Fernando Venezian
7 dias atrás

Satisfação, aspira! Enfim um talento que dá gosto de assistir!!!

Craig
Craig
7 dias atrás

Sangue frio, completa e super eficiente, parece que não vai demorar muito para estar lá na frente brigando com Iga, Sabalenka, Rybakina, Gauff….. Muito interessante também a entrevista no fim do jogo. Enquanto geral fala aquele mesmo blá blá blá de sempre, ela respondeu muito bem cada pergunta com riqueza de detalhes. Estou cada vez mais gostando da Mirra.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
7 dias atrás
Responder para  Craig

Concordo

Fábio S
Fábio S
7 dias atrás

Martina Hingis atingiu a 1a semi de Slam no US Open de 1996, época que completou 16 anos, pois nasceu em 09/1980. Em 1997 chegou a final dos quatro GS, perdendo somente a final de RG.

José Andrade
José Andrade
7 dias atrás

A Sabalenka só perde pra Iga; contra as demais, ela perde pra si própria. É impressionante a quantidade de erros que essa moça comete.

Oscar
Oscar
7 dias atrás
Responder para  José Andrade

É o estilo de jogo dela. Ser agressivo demais tem esse problema: os erros. Num dia bom, ela vai detonar qualquer uma, até a Iga. Mas num dia razoável pra ruim, vai perder pra alguém mais consistente.

Flávio
Flávio
6 dias atrás
Responder para  José Andrade

É o lado mental dela que ainda é frágil, evoluiu tecnicamente mas mentalmente ainda é baixo.

Aryno Swionteko
Aryno Swionteko
7 dias atrás

Imagina se essa menina apronta pra cima da Iga…. a conferir.

Fábio S
Fábio S
7 dias atrás
Responder para  Aryno Swionteko

Vou torcer por isso…

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
7 dias atrás

Grande vitória de Andreeva, apenas 17 anos de idade, joga muito. Só precisa melhorar, e muito, o índice de aproveitamento de 1º serviço. Jogou praticamente o jogo todo com o segundo serviço, teria inclusive vencido o jogo com mais facilidade. Se souber enfrentar a baixinha italiana e carne de pescoço, Jasmine Paolini, tem tudo para fazer a final contra Iga.

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Antônio Luiz Júnior

Sim, é o diamante a ser lapidado se for para final a chance de vitória dela ou da Paoline é apenas 5%, mas não importa isso agora e sim o futuro como esta começando a carreira tem tudo para evoluir como aconteceu com Alcaraz que hoje é um jogadoraço, lógico que não estou comparando ambos tecnicamente e sim no quesito evolução de um atleta e sobre a Paoline vem jogando com muita garra e também fez um bom papel.

Rodri
Rodri
7 dias atrás

A adolescente voando com 17 anos e tem quem tem esperança na Bia ainda kkkkk

Luis Ricardo
Luis Ricardo
7 dias atrás
Responder para  Rodri

kkkkkkkkkkkkkkkkk…boa !!!

F.F.
F.F.
7 dias atrás

Menina fantástica
E tem uma técnica capaz, Conchita
Não algum ventríloquo

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  F.F.

Pois é com só 17 anos tem tudo pra evoluir,veja com pouca idade já tem técnica interessante que a número 1 atual não tem, então é o diamante a ser lapidado pela Cochita.

trackback

[…] feminino, a bielorrussa Aryna Sabalenka viu ruir sua sequência de semifinais de Grand Slam com a queda para a jovem russa Mirra Andreeva nesta quarta-feira em Roland Garros. Ela também perderá a vice-liderança do ranking, sendo […]

Jorge Luiz
Jorge Luiz
7 dias atrás

Futura número 1 , Mônica Seles não era americana,se naturalizou depois de adulta

Viviane
Viviane
7 dias atrás

Se chegar na final, o que com certeza vai, ela leva o título! Torço pra Iga, mas ela pode surpreender!

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Viviane

Viviane não acho que ganha porque a sua polonesa,pior número 1 dos últimos 4 anos, não deve perder a oportunidade de ganhar o slam no saibro,que é seu habitat favorito, porque a sua principal adversária, Ribakina, foi eliminada logo acho que não perde, só se acontecer uma grande zebra. Ribakina se recuperar o físico tem tudo pra ganhar Wimbledon, e USOPEN ali tem mais candidatas.

Ricardo
Ricardo
7 dias atrás

Andreeva e Jabeur são as mais técnicas. Jabeur é fraca fisicamente. Andreeva está me lembrando Monica Seles.

Paulo Justos
Paulo Justos
7 dias atrás

Muito bom este resultado pra motivação da Mirra. Já vi muitos tratando o jogo da Iga X Gauff como a final antecipada. Apesar da minha torcida ser da Iga. Acho que tudo pode acontecer até mesmo a Mirra surpreendo sendo campeã.

O que não seria mal!

Abel S
Abel S
6 dias atrás
Responder para  Paulo Justos

Eu tbm torço pra IGA, perder.

trackback

[…] de final de Roland Garros, Aryna Sabalenka falou sobre os problemas estomacais que sentiu no jogo contra a russa Mirra Andreeva na última quarta-feira. A número 2 do mundo havia sido dispensada da coletiva de imprensa logo […]

trackback

[…] representou um momento histórico para o tênis feminino. A russa de apenas 17 anos se tornou a mais jovem semifinalista de um Grand Slam desde Martina Hingis em 1997. E o sucesso de Andreeva em Paris tem a importante participação de sua treinadora, a […]

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE