PLACAR

Paolini surpreende, derruba Rybakina e faz 1ª semi de Slam

Foto: Corinne Dubreuil/FFT

Paris (França) – Seguindo os passos do novo número 1 do mundo, Jasmine Paolini deu outra grande alegria ao tênis italiano ao derrotar a cazaque Elena Rybakina, cabeça de chave 4 no torneio, por 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 4/6 e 6/4, após 2h05 de jogo. Classificada pela primeira vez para uma semifinal de Grand Slam, ela espera pela vencedora do duelo entre a bielorrussa Aryna Sabalenka e a russa Mirra Andreeva.

Logo em sua primeira aparição nas quartas de um Slam, Paolini avançou e se tornou a quarta jogadora italiana a alcançar as semifinais de Roland Garros desde a Era Aberta, se juntando a Francesca Schiavone, Sara Errani e Martina Trevisan. Atual 14 do mundo, a tenista de 28 anos entrou no top 30 pela primeira vez no ano passado e com a campanha em Paris deve estrear no top 10, subindo provisoriamente para o 10º lugar.

As cinco vitórias que levaram Paolini para as semifinais formam a maior sequência de vitórias que ela já conseguiu no saibro, piso no qual busca seu primeiro título, tendo ficado com o vice em Palermo (2023), Monastir (2023) e Cluj-Napoca (2022). Suas duas conquistas vieram na quadra dura, a primeira delas em Portoroz (2021) e a maior neste ano no WTA 1000 de Dubai.

Paolini não tem um grande histórico contra tenistas do topo do ranking, conquistando apenas sua terceira vitória em 10 jogos contra top 5 ao bater Rybakina nas quartas de Roland Garros. Este triunfo foi o seu primeiro sobre uma rival deste nível em Grand Slam. Contra adversárias que estão no top 20, a italiana soma agora 12 triunfos e 24 derrotas.

Rybakina larga devagar, mas se recupera

O jogo não começou nada bem para Rybakina, que foi quebrada logo no primeiro game e depois teve dificuldade com o saque em todo o primeiro set. Ela teve apenas 50% de aproveitamento e enfrentou break-points em todos os games de serviço, salvando dois no terceiro e mais um no quinto, antes de ser quebrada novamente no sétimo. Do outro lado, Paolini foi firme demais e perdeu só um ponto de saque.

Na segunda parcial, a italiana não conseguiu manter o nível, mas mesmo assim teve quebra de vantagem em duas oportunidades distintas, a primeira sacando em 2/1 e a outra em 4/3, levando a quebra de volta em seguida nos dois casos. Rybakina foi crescendo aos poucos e mostrou força na reta final, venceu três games seguidos e saiu de 3/4 para fazer 6/4 e assim empatar o confronto.

Terceiro set aberto e cheio de quebras

A definição da partida largou com quatro quebras consecutivas, duas para cada lado, e Rybakina sendo a primeira a confirmar, para fazer 3/2. Depois disso, as tenistas conseguiram vencer seu próximos games de serviço até que a cazaque vacilou no nono, enfrentou 15-40 e logo no primeiro break-point acabou padecendo. Paolini não deixou escapar a oportunidade e fechou o jogo em seguida, no primeiro match-point.

Sempre muito agressiva, Rybakiva até teve 13 bolas vencedoras a mais do que Paolini (35 a 22), mas não estava em um dia muito calibrado e abusou dos erros não forçados, com mais do que o dobro da italiana (48 a 22). O desempenho de saque não foi muito diferente, com leve vantagem para a vencedora, que venceu 59% dos pontos contra 52% da cazaque.

20 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Rodrigo
Rodrigo
7 dias atrás

Que tragédia.. Iga em festa agora. Rybakina errou demais hj ://

marco de biasi
marco de biasi
7 dias atrás
Responder para  Rodrigo

Paolini demonstração de garra e vontade. Baixinha mas muito guerreira. Que a Bia aprenda dela.

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Rodrigo

Claro que está agora, só perde se não quiser mesmo e tudo indica que o tênis limitado da polonesa,como é quase todo tênis feminino, deve levar,embora já era favorito. Mais a notícia triste foi a lesão do excepcional Djokovic que vai perder Wimbledon e vai perder um pouco a graça também se Nadal não estiver lá, parabéns aos insensatos diretores de RG 24 por ter ajudado a lesiona-lo. RG este ano é nota 10, para quem dirige é nota -10. Vida que segue.

Bernou
Bernou
7 dias atrás
Responder para  Flávio

Uai! O que os organizadores de RG têm a ver com a lesão do Djocovid? Mais algum outro tenista lesionou o joelho por causa dos organizadores de RG?

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Bernou

Ora ele reclamou que faltava pó de tijolo onde caiu, de fato, olhando parece que faltava mesmo e foi ali que contribuiu ou aumentou sua lesão.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
7 dias atrás

Não foi surpreendida. A Paolini é melhor jogadora de saibro que a Rybakina. E o saibro francês é mais lento que Madrid

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Vi o jogo hoje e a Ribakina totalmente longe no primeiro set, mas fazendo absurdamente 48 erros aí tem que perder mesmo, agora a polonesa limitada esta rindo a toa, pois agora está na não dela de novo o torneio.

William
William
7 dias atrás
Responder para  Flávio

A polonesa limitada tem um título a menos só que Ribakina e Sabalenka juntos. Sabalenka =14 Ribakyna 8= total 22.
Iga= 21..detalhe. em slans, ela tem mais que saba, riba e gauff juntas…kkkkkk. chora chorão….kkkk

João Sawao ando
João Sawao ando
7 dias atrás

Grande Vitória paolini

Bernardo
Bernardo
7 dias atrás

Ótima jogadora. Quando ganhou da Bia foi reduzida à sua estatura.

NFdS
NFdS
7 dias atrás

Segundo o wta-live-ranking do live-tennis.eu a Paolini já entrou no Top 10

Fernando Romero
Fernando Romero
7 dias atrás
Responder para  NFdS

Com segundo serviço a menos de 100 por hora e é top 10!

Paulo A.
Paulo A.
7 dias atrás

E a Itália vai se tornando o novo celeiro de bons jogadores do mundo.

Fernando Romero
Fernando Romero
7 dias atrás
Responder para  Paulo A.

E o tênis feminino com qualidade abaixo de zero. Coisa horrorosa a Rybakina hoje. A italiana se limitou a por a bola na quadra e esperar a Rybakina mandar a bola fora da linha de dupla. Acertou até a cabeça da árbitra de cadeira, mas bola na quadra que é bom, nada! Aliás, Dalcim, a moça que “apitou” o jogo não é a brasileira? Agora a Sabalenka e a Andreeva estão proporcionando um festival de duplas faltas. E a Sabalenka está com djokovitite e já tomou um comprimido de Melhoral. O jogo engrossa e a turma mais experiente apela para os migues da vida.

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Paulo A.

Quem pode surpreender no futuro é a Kid Andreeva que só tem 17 anos e já está nas quartas de RG,ou seja, essa menina tem qualidade que muitas,95% das tenistas, aí não tem porque sabe usar slices e curtas então com o tempo se aprimorar o saque e o físico pode se tornar uma grande vencedora, ou seja, a Cochita,sua treinadora, tem um diamante nas mãos a ser lapidado.

Vitor
Vitor
7 dias atrás

Que jogo medonho, depois a Jabour indaga pq não coloca jogos femininos na sessão noturna.
Nunca vi uma coisa tão bizarra como hoje.

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Vitor

48 erros não forçados em uma quartas de slam, aí não tem como entender a Ribakina e a Paolini mereceu nisso, agora o tênis feminino tecnicamente precisa acordar.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
7 dias atrás

que pena Rybaca …….ela tem um grande defeito , pouca movilidade , por causa da sua estatura , bolas baixas são um sufoco …

Fernando Venezian
Fernando Venezian
7 dias atrás

Lembro quando a Bia perdeu pra italianinha, uma galera comentou horrores, que não pode perder pra uma jogadora medíocre assim etc… entendem demais de tênis! kkkkkkkk

trackback

[…] Não importa quais condições, se for lento ou rápido, eu deveria estar me movendo melhor”, disse Rybakina após a derrota para Paolini com parciais de 6/2, 4/6 e 6/4 em 2h03 de […]

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE